Como Lidar com o Sangramento do Nariz de uma Criança

Apesar dos sangramentos nasais serem comuns em bebês pequenos, essa é uma experiência que sempre será ruim para a criança e até para os pais. Saiba o que causa os sangramentos nasais, como interromper a hemorragia, como confortar a criança e como evitá-los.

Estancando o sangramento

  1. Avalie a situação. Se o sangramento nasal foi causado por uma queda ou outro tipo de lesão, verifique se não há nenhum hematoma ou contusão mais grave, especialmente quando o rosto do bebê for atingido.
    • Se a criança bateu o rosto e houver inchaço junto ao sangramento, leve-a imediatamente ao pronto-socorro. O nariz pode ter sido quebrado.
  2. Encontre o lugar certo para lidar com o sangramento nasal. Se possível, leve o bebê para o banheiro ou qualquer cômodo sem carpetes, já que o sangue pode manchá-los. Quando estiver em público, é melhor ir com ele para um local privado; os olhares das pessoas podem assustá-lo e alguns indivíduos são muito sensíveis ao sangue.
  3. Posicione o pequeno corretamente. A cabeça dele deve ficar em um nível maior que o coração para evitar pressão extra sobre o nariz, o que pode exacerbar a hemorragia. Para melhores resultados, coloque-o em uma cadeira ou em seu próprio colo.
    • Ao colocar a criança em uma posição reclinada, o sangue poderá descer pela garganta, levando a náuseas e vômitos. Deixe-o sentado de forma reta.
  4. O bebê deverá cuspir o sangue na boca. Com uma bacia, um guardanapo ou sobre a pia, ajude-o a cuspir o sangue com calma. O gosto de sangue é desagradável para eles; engoli-lo em excesso pode causar vômitos.
  5. Ajude-o a se inclinar para frente. Independentemente de estar em uma cadeira ou em seu colo, ele precisará se inclinar um pouco para frente para reduzir a chance de engolir sangue.
    • Se a criança estiver sentada em uma cadeira, coloque uma mão nas costas dela e cuidadosamente empurre-a para frente.
    • Caso ela esteja no seu colo, incline-se um pouco para frente, empurrando-a para que ela também fique levemente inclinada.
  6. Limpe todo o sangue visível. Com uma toalha, um lenço ou qualquer outro pano macio, enxugue todo o sangue que encontrar.
  7. Incentive o pequeno a assoar levemente o nariz. Se ele conseguir fazer isso, o sangue em excesso será expulso.
  8. Com os dedos em forma de pinça (polegar e indicador), feche o nariz dele durante 10 minutos. Use os dedos para fechar as narinas na parte macia do nariz. Tenha cuidado, já que a criança poderá ficar nervosa ao sentir que as narinas estão fechadas com muita força, aumentando a chance de ela sofrer uma outra lesão e piorar a situação.
    • Resista à tentação de soltar do nariz dela antes de se passarem 10 minutos. O coágulo que está se formando poderá se romper.
    • Não cubra a boca do bebê ao mesmo tempo. Isso não permite que ele respire bem.
    • Distraia-o. Dependendo da idade do bebê, será necessário distrai-lo enquanto fechas as narinas. Dar um livro ou colocar o desenho animado preferido dele são boas opções.
  9. Verifique regularmente se há novo sangramento. Depois de “pinçar” o nariz da criança por 10 minutos, veja se ainda há hemorragia; se sim, continue empregando a técnica por mais 10 minutos.
  10. Experimente usar uma compressa fria. Quando o sangramento persistir, coloque uma compressa fria sobre o osso nasal do bebê. Isso comprime os vasos sanguíneos e reduz a hemorragia.
  11. Deixe-o descansar. Assim que o sangramento cessar, faça com que o pequeno repouse, falando para ele não assoar ou tocar mais no próprio nariz.
  12. Avalie se é necessário tratamento médico. Quando houver lesão, é importante que um médico diagnostique a criança. Ligue para um pediatra nas seguintes situações:
    • Todos os passos anteriores foram empregados, mas o sangramento persiste.
    • O bebê apresenta sangramento nasal várias vezes por semana.
    • Ele fica fraco, com tonturas ou palidez.
    • Um novo medicamento começou a ser administrado para ele.
    • Há suspeita ou diagnóstico de que a criança possui uma condição que leva ao sangramento.
    • Ela está com fortes dores de cabeça
    • Há hemorragia em outras partes do corpo – na boca, gengivas ou ouvidos, por exemplo – ou presença de sangue nas fezes.
    • O bebê apresenta hematomas sem causa aparente.
  13. Limpe o local. Assim que o sangramento for estancado, limpe o sangue que pode ter caído nos móveis, no chão e em balcões. Use um desinfetante.

Acalmando a criança

  1. Mantenha a calma. Na grande maioria dos casos, as epistaxes não são graves; entrar em pânico de forma desnecessária só deixará o bebê ainda mais amedrontado, piorando a situação. Fique o mais tranquilo possível.
    • A “regra” de manter a calma também se aplica se estiver certo de que o sangramento ocorreu porque o pequeno cutucou demais o próprio nariz. Não é a hora de dar uma bronca ou constrangê-lo, nem de ficar bravo ou nervoso. Novamente, fique tranquilo e estanque a hemorragia antes de verificar a causa.
  2. Explique a ele o que está acontecendo. Como não sabe qual o problema, o bebê poderá ficar ainda mais irritado. Ao empregar cada um dos passos para estancar o sangramento, explique o que está fazendo e o porquê, sempre com um tom de voz baixo e calmo.
  3. Dê conforto físico a ele. Assim que tratar a epistaxe, acalme o bebê fazendo cócegas ou dando um abraço nele. Explique que, apesar de ser uma situação assustadora, o sangramento nasal não significa que ele tem alguma doença ou que está morrendo.

Entendendo porque as epistaxes ocorrem

  1. Saiba que certos comportamentos da criança podem aumentar a chance de uma hemorragia no nariz. Essa parte do corpo possui diversos vasos sanguíneos minúsculos, que são facilmente irritados quando cutucados ou quando há uma pancada no local. Como os pequenos são muito curiosos e desastrados, a chance de machucarem o nariz é grande. Eles podem colocar pequenos objetos ou os próprios dedos dentro das narinas, ou escorregarem a baterem o nariz no chão. Duas situações que podem levar a epistaxes.
  2. Resfriados frequentes também podem causar sangramento nasal. Ao se resfriar, um bebê ficará tocando o próprio nariz, tentando limpá-lo e assoá-lo constantemente. Isso irrita as membranas mucosas das narinas.
  3. Entenda que certos medicamentos podem levar às epistaxes. Crianças que tomam anti-histamínicos através de sprays nasais estarão mais propensas a essa condição, já que tais remédios secam as cavidades nasais, deixando-as muito mais suscetíveis à irritações e hemorragias.
  4. O clima também deve ser levado em conta. O tempo frio e seco faz com que esse problema seja muito mais frequente, além de ser exacerbado em ambientes com aquecimento interno. Eles secam as membranas do nariz, deixando-as sensíveis e propensas ao sangramento.

Evitando epistaxes futuras

  1. Leve-o ao pediatra para que o profissional verifique se há algum problema de coagulação. Apesar de raro, o sangramento nasal em bebês podem indicar alguma condição médica que evita que o sangue coagule corretamente. O pediatra poderá pedir exames que diagnosticarão a presença ou não de tais condições.
    • Na maioria dos casos, bebês com transtornos na coagulação possuem um histórico familiar com esse problema. Quando um dos pais ou qualquer outro parente próximo da família já tiverem apresentado problemas de coagulação anteriormente, é fundamental levar o pequeno ao pediatra. Pense também se ele já sofreu sangramento em outras partes do corpo ou se sofre com lesões muito facilmente.
  2. Mantenha as vias aéreas dele umidificadas. Caso ele sofra com muitos sangramentos, aplique um produto para que as narinas fiquem bem hidratadas, como vaselina. Outras opções são os sprays salinos, soluções e géis.
    • Uma boa alternativa é colocar um umidificador no quarto da criança. Isso não deixa que o ar fique seco demais, evitando sangramentos nasais posteriores.
  3. Evite alérgenos. Limpar e tirar o pó – bem como outros alérgenos – do quarto do bebê será útil para evitar o ressecamento das membranas mucosas, o que leva à epistaxe. Caso alguém da casa fume, deixe a criança longe da fumaça, além de pedir para que essa pessoa fume apenas em ambientes externos. Cuidado com carpetes, cortinas e brinquedos de pelúcia; eles retêm alérgenos e são perigosos para bebês.
  4. Corte as unhas da criança. Devido à natureza curiosa deles, é normal que bebês coloquem os dedos nas narinas. Ao manter as unhas aparadas, a chance de se machucarem e causarem um sangramento será menor.
  5. Preste atenção à alimentação. A criança deverá consumir alimentos saudáveis e não processados. Evite adoçantes artificiais, que podem suprimir o sistema imunológico, e incorpore comidas com alto índice de gordura ômega-3, que auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico e dos vasos sanguíneos.

Dicas

  • Nunca coloque papel de nariz ou algo do tipo dentro das narinas da criança e estancar o sangramento. Ao removê-los, o coágulo que se formou poderá novamente se romper, levando a um novo sangramento.
  • Pessoas sensíveis ao sangue podem usar luvas de borracha ou de vinil enquanto tratam a criança. Elas podem ser encontradas em qualquer farmácia.
  • O sangue pode manchar roupas, em especial se não for bem enxaguado antes de secar. Enxague peças que estão com sangue o mais rápido possível e não use roupas como lenços para limpar ou estancar sangramentos, ao menos que não haja outra opção.

Avisos

  • Cuidado com doenças transmitidas pelo sangue. A AIDS, a hepatite A e B e muitas outras condições podem ser contraídas através do contato com sangue. Ao tratar e ajudar uma criança que é filha de outra pessoa – não tendo o conhecimento do histórico médico dela –, use luvas, em especial se tiver cortes ou lesões em suas mãos. É muito melhor prevenir do que remediar.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.