Como Passar o Tempo Enquanto Espera os Antidepressivos Fazerem Efeito

Quando se é diagnosticado com depressão, normalmente são realizados exames físicos e clínicos para descartar possíveis causas médicas para o problema. O médico provavelmente prescreverá antidepressivos para ajudar, mas eles normalmente levam de duas a oito semanas para fazer efeito. No meio tempo, desenvolva uma rotina de práticas saudáveis para enfrentar os dias que tem até que os sintomas comecem a desaparecer.

Vivendo um dia de cada vez

  1. Tome os medicamentos seguindo as instruções do médico. Os remédios para depressão devem ser tomados em horários específicos e exatamente como instruído pelo médico para minimizar os potenciais efeitos colaterais.
    • Não pare de tomar os remédios, exceto quando recomendado pelo médico. A interrupção dos medicamentos pode fazer com que os sintomas voltem com força total. Além disso, você pode começar a apresentar sintomas de abstinência.
    • Não tomar os medicamentos como indicado pode causar pensamentos suicidas e de automutilação. Ao sentir qualquer pensamento suicida, ligue para o médico ou entre em contato com o CVV. Se julgar necessário, vá até um hospital.
  2. Siga uma rotina. É muito difícil conseguir energia para sair da cama quando se sofre de depressão. Monte uma rotina matinal com pequenos passos consecutivos para começar o dia com o pé direito.
    • Acorde sempre nos mesmos horários (mesmo nos finais de semana) e siga alguns rituais simples. Por exemplo, sente-se na cama e então concentre-se em se levantar. Em seguida, alongue-se e lave o rosto. Escove os dentes, tome o café da manhã e tome os remédios.
    • Em vez de pensar no dia todo que tem pela frente, concentre-se em uma tarefa de cada vez.
  3. Mantenha uma boa higiene de sono. Desligue o celular, o computador e a TV cerca de uma hora antes de deitar. Não tome bebidas cafeinadas ou alcoólicas à noite, pois elas prejudicarão a qualidade e a quantidade do sono. Tome um banho quente, leia um pouco e crie um ritual para dormir. Deite sempre no mesmo horário.
    • Após melhorar os hábitos de sono, você passará a sentir-se mais energizado e descansado. A falta de sono impacta o humor, e os bons hábitos ajudam a cuidar dos sintomas depressivos mesmo antes dos remédios fazerem efeito.
  4. Exercite-se. As atividades físicas liberam endorfinas no organismo e ajudam a dar um up no humor. A prática regular de exercícios dá confiança, alivia o estresse e gera mecanismos para lidar com a depressão de modo saudável, além de ajudar no sono.
    • Enquanto espera a melhora dos sintomas, não se pressione quanto à intensidade ou duração dos exercícios. Não é preciso cansar muito o corpo, basta movimentá-lo. Caminhar, nadar e praticar ioga são atividades de baixo impacto bastante úteis.
  5. Tome banho, vista-se e arrume-se todos os dias nos mesmos horários para sentir-se melhor. As pessoas ao redor perceberão seu esforço e o valorizarão. Inclua tais atividades na rotina matinal para sentir-se mais motivado para as próximas tarefas que o esperam. Caso consiga se arrumar e ainda assim não consiga sair de casa, tudo bem! Você já fez o bastante e sempre pode tentar de novo no próximo dia. Com o tempo, encontrará as forças necessárias.

Lidando com os pensamentos e sentimentos negativos

  1. Fique de olho no que está pensando. Os pensamentos depressivos costumam ser bastante negativos e é uma boa ideia aprender a mudar tais padrões. Trata-se de um objetivo bastante complicado de ser alcançado por conta própria. Talvez a melhor opção seja realizar uma mudança guiada por um psicólogo ou terapeuta durante uma sessão de terapia cognitivo-comportamental. Enquanto não puder fazer terapia, esforce-se pelo menos para reconhecer os padrões negativos de pensamento.
    • Quando estiver sentindo-se para baixo, pare e observe seus pensamentos. O que tem dito para si próprio nos últimos dias ou horas? É bem provável que tenha pensado coisas negativas que estejam contribuindo para os problemas de humor.
    • Esforce-se para identificar os pensamentos negativos por alguns dias. Observe os padrões, reconheça-os como negativos para a situação e desapegue-se deles. Lembre-se de que os pensamentos são apenas pensamentos! Eles não são fatos!
    • Quando estiver mestre em identificar os pensamentos negativos, desafie-os! O que está dizendo para si é lógico ou realista? O que está pensando é exagerado? Consegue encontrar evidências que contradigam tais pensamentos? Ataque-os demonstrando quão irracionais são. Com o tempo, você conseguirá conversar mentalmente consigo de modo mais realista.
    • Por exemplo, digamos que esteja repetindo mentalmente algo como "Meus sintomas nunca melhorarão". Pare e pense em todas as melhoras que sentiu nos últimos tempos, por menores que sejam. Se está dormindo melhor ou conseguindo fazer as lições de casa, você tem evidências que contradizem os pensamentos negativos. Transforme o pensamento em algo como "Meus sintomas estão demorando para melhorar completamente, mas estou dormindo melhor e tenho conseguido fazer mais lições de casa".
  2. Escreva um diário. Trata-se de uma experiência catártica que permite que descarregue preocupações, problemas e estresses em uma folha de papel. Quando o assunto é a depressão, o diário também pode ajudar na solução de problemas e no monitoramento dos padrões dos sintomas.
    • Escreva no diário por alguns minutos ao fim de cada dia. Inclua detalhes do que ocorreu no dia que passou, de como se sentiu e do que pensou. Se preferir, leve o exercício além e pense em como preferiria ter lidado com as situações estressantes que encontrou.
  3. Pratique alguns exercícios de relaxamento. Por mais que a meditação seja bastante conhecida pelos benefícios à saúde mental, você provavelmente não tem a disciplina mental necessária para ela no momento. Experimente então alguns exercícios de relaxamento para reduzir o estresse como a respiração profunda, o ioga e a massagem. Ouvir músicas calmas e tomar um banho quente também são boas opções.

Sendo gentil consigo

  1. Divida tarefas grandes. Assim como simplificou a rotina de se arrumar pelas manhãs em passos pequenos e consecutivos, faça o mesmo para as lições de casa, as tarefas domésticas e todas as outras atividades diárias. Assim, você elimina as fontes de estresse que podem piorar os sintomas depressivos, além de manter o foco quando não for muito capaz de se concentrar por conta da depressão.
    • Por exemplo, se precisa escrever uma redação para a faculdade, comece fazendo uma pesquisa sobre o tema. Em seguida, monte um delineamento da redação. Comece a escrever as partes que já tem bem definidas na cabeça, não importa a seção em que elas se encontrem. Escreva então as partes faltantes do delineamento até finalizar a redação. Por fim, releia o trabalho como um todo e edite-o para torná-lo mais coeso. Cada passo pode ser feito em um dia diferente (se tiver tempo suficiente, é claro), para diminuir o estresse do trabalho como um todo.
  2. Não se pressione a ser sociável. Seus amigos e familiares podem achar que é uma boa ideia ir a eventos sociais cheios de gente, mas você pode não querer ficar cercado de pessoas no momento. Caso os sintomas da depressão ainda não tenham diminuído, você talvez não tenha a força necessária para a socialização. Caso queira se socializar, comece com eventos pequenos e próximos de casa em que possa ir embora a hora que quiser.
    • Procure ser sociável através de pequenas atitudes. Converse com sua mãe ou seu melhor amigo no telefone ou saia para conversar com um vizinho. Pequenas conexões podem ajudá-lo a sentir-se melhor.
  3. Tome um pouco de sol. Estudos revelam que pessoas deficientes em vitamina D, que é obtida através da exposição à luz solar, costumam sofrer com depressão. Sair para tomar um ar e um pouco de sol pode ajudar bastante a reduzir o estresse e os sintomas de depressão. As caminhadas em grupo na natureza são excelentes opções. Passe mais tempo ao ar livre nas semanas em que espera que os medicamentos façam efeito.

Compreendendo a depressão

  1. Lembre-se de que a depressão é uma doença como qualquer outra. Você não é uma pessoa defeituosa! Trata-se de um desequilíbrio químico no cérebro, assim como a diabetes é um desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue. Assim como a diabetes, existem tratamentos eficientes para controlar a depressão.
  2. Não use suplementos sem antes conversar com o médico. Muitas pessoas acreditam que ervas —como a erva-de-são-joão, por exemplo — agem como remédios naturais para a depressão. Infelizmente, os suplementos interagem com os medicamentos e podem causar efeitos colaterais fatais como a síndrome de serotonina. Não tome nenhum suplemento sem antes discutir os efeitos colaterais com o médico.
  3. Não desista. Caso o antidepressivo atual não esteja funcionando, saiba que outro funcionará. Às vezes, é preciso experimentar diversas opções até que se perceba uma melhora drástica nos sintomas.
    • Caso tenha testado vários medicamentos — com acompanhamento médico, obviamente —, e nada tenha funcionado, procure uma segunda opinião profissional e faça mais exames. Um novo par de olhos pode encontrar outra causa para a depressão (como problemas autoimunes ou na tireoide, por exemplo) e ajudá-lo a se recuperar.

Avisos

  • A causa da depressão (os padrões de pensamento mal adaptativos e os problemas nas habilidades de enfrentamento) pode não ser contornada apenas com os medicamentos. A combinação de remédios e psicoterapia é ideal para a recuperação completa dos sintomas depressivos e para um futuro saudável e produtivo.
  • Caso pense em se machucar, procure atenção médica imediatamente .
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.