Como Comprar um Carro

Encontrar e comprar o carro perfeito não é tarefa fácil. Há muitas decisões a tomar e muitas opções a considerar, sem mencionar a variedade de cores para escolher. O preço, é claro, é um fator decisivo, assim como a frequência com que você irá usar o carro. Esteja você comprando um automóvel novo ou usado, de um vendedor particular ou de uma concessionária, saber o que você quer e ser capaz de resistir são duas das coisas mais importantes que você pode fazer na hora de negociar. Leia mais para obter mais informações sobre como comprar um carro.

Parte 1 de 3: Faça a sua lição de casa

  1. Faça uma lista do que você está procurando em um carro. Fazer o dever de casa, assim como a maioria das coisas na vida, é uma boa ideia, especialmente quando envolve a compra de algo tão caro. Muitas vezes, isso significa saber o que você quer do seu carro. Faça uma lista do que você está procurando em seu automóvel novo.
    • Alguns itens incluem aparência, desempenho, segurança, confiabilidade, tamanho, conforto, gasto de combustível, custo, valor de revenda, tipo de transmissão, o tamanho do motor, quilômetros rodados (se o carro for usado), e, também, a cor.
  2. Organize a lista em termos de quão importante esses itens são para você. Que aspectos do seu futuro carro você está disposto(a) a ceder, e quais são os aspectos dos quais você não pode abrir mão? Muitas pessoas dizem que querem segurança, confiabilidade e durabilidade, quando na verdade elas estão procurando desempenho, conforto e aparência. Seja honesto(a) com você mesmo(a), isto fará com que o processo de compra se torne muito mais fácil.
  3. Considere as vantagens e desvantagens de comprar um carro novo. O cheiro, a satisfação, a sensação. Tal compra, pode ser como uma experiência religiosa, mas pode abrir um buraco em sua carteira, se você não tiver cuidado. Pese cuidadosamente as vantagens e desvantagens da compra baseando-se na sua situação.
    • As vantagens:
      • Liberdade de escolha. Você pode comprar o carro dos seus sonhos ou se limitar aos carros que estão disponíveis.
      • Melhor financiamento. Se você decidir financiar um carro novo, as taxas de juros poderiam ser melhores do que se você comprasse um usado.
      • Obtenção de novos recursos. Automóveis novos são equipados com novas tecnologias.
      • Saiba o que você está comprando. Ao comprar um novo, você tem uma excelente ideia do que está comprando; não deve haver qualquer dúvida sobre a história do carro.
    • As desvantagens:
      • Gastar mais dinheiro. Isto é óbvio, você gasta mais dinheiro na compra de um carro novo que na de um usado.
      • Depreciação imediata. Assim que o seu carro novo deixa a concessionária, ele perde cerca de até 11% do seu valor.
      • Custos de seguro mais elevado. Vai custar mais para segurar essa máquina nova.
      • Informações ambíguas sobre o modelo de um certo ano. O modelo de sua compra é um cavalo de batalha ou uma carcaça? Você não pode realmente saber até mais tarde - às vezes muito mais tarde.
  4. Considere as vantagens e desvantagens de comprar um carro usado. Os usados são um grande negócio para muitas pessoas: eles são relativamente baratos e o consumidor tem ideia do que esperar deles. Ainda assim, existem algumas desvantagens associadas com a compra de usados. Conhece-as antes de preencher o seu cheque.
    • As vantagens:
      • Custo. Comprar um zero quilômetro pode sair bem caro, comprar um semelhante a partir de uma lista de classificados pode sair drasticamente mais barato.
      • Melhores taxas de seguro. As companhias de seguros sabem que os motoristas de carros usados tendem a ser mais cautelosos e fazem o preço do seguro de acordo.
      • Menor a depreciação. Seu automóvel desvalorizará menos se você comprá-lo usado, pois a desvalorização inicial já foi bastante drástica.
    • As desvantagens:
      • Alta margem de lucro das concessionárias. As concessionárias sabem que podem lucrar com a venda de carros usados. Comprar um veículo usado geralmente significa uma significativa marcação pela parte do revendedor.
      • Financiamento mais elevado. Geralmente custa mais para financiar um carro usado.
      • Maior/mais manutenção. Automóveis usados geralmente precisam de manutenção com mais frequência, e isso custa mais dinheiro.
      • História mecânica e acidentes desconhecido. Quando você compra um usado, você não recebe, necessariamente, qualquer informação sobre o anterior dono, quantas vezes o carro precisou de consertos, ou se sofreu acidentes relevantes.
  5. Decida sobre o quanto você pode e/ou quer gastar. Faça um orçamento para você mesmo, independentemente de quanto você gastar ou que tipo de carro que você deseja comprar. Seu orçamento irá evitar gastos excessivos e dizer-lhe quando e por que se afastar de um mau negócio.
  6. Procure por modelos que correspondam aos seus critérios e orçamento. Reúna os itens acima identificados e o orçamento que você fez para si mesmo e comece a procurar. Você pode procurar em concessionárias, sites de carros, ou nos classificados, entre outros. Algumas coisas a ter em mente quando você começar a negociar:
    • Use a internet. A pior coisa para um vendedor de carros é um comprador educado: um comprador que sabe o que quer, que não quer ser impulsivo, e está ciente do que está disponível com base no seu orçamento. Pesquisar na internet pode ajudá-lo(a) a alcançar este objetivo.
    • Salve os resultados preliminares. Salvar os resultados de sua pesquisa lhe dará um ponto de referência quando você continuar a fazer a sua compra, especialmente se você optar por ir a um revendedor. As concessionárias terão preços artificialmente elevados que você pode detectar se você tiver feito sua lição de casa.

Parte 2 de 3: Saindo à procura

  1. Vá às concessionárias sem a intenção de comprar. Se você puder, tente ir um dia/hora em que a as vendas estejam fechadas para que você possa olhar livremente sem ser incomodado(a) por nenhuma campanha de venda. Se algum vendedor se aproximar, diga que você não tem intenção de comprar, que está apenas fazendo uma pesquisa, e prefere não ser incomodado(a). Se eles continuarem a persegui-lo(a), saia e procure outra concessionária: você provavelmente não quer comprar de uma concessionária que não respeita os desejos do cliente.
  2. Tente descobrir quanto a concessionária pagou pelo carro que você está olhando. Este é o chamado "preço de tabela," e é relativamente fácil de obter na internet. Armar-se com o preço da tabela lhe permite pechinchar começando baixo e, devagar, ir aumentando, ao contrário de começar com uma oferta alta e ir diminuindo. Esta é uma posição muito melhor para você.
    • Certifique-se de encontrar o preço da tabela com todos os recursos disponíveis que você deseja. A tabela não significa muito, a menos que realmente coincida com as características do carro que você está tentando comprar.
  3. Obtenha ofertas online para usar como meio de negociação. Use sites de revenda de automóveis para receber cotas que você possa usar para barganhar quando você realmente decidir negociar pessoalmente. Muitas revendedoras também têm uma filial online e você irá saber o preço em poucos dias - use-os!
  4. Tenha as suas finanças em ordem antes de ir para a revendedora. Para conseguir o melhor negócio possível, é essencial ter o seu plano financeiro previsto antes de você pisar na concessionária. Isto inclui:
    • Saber como está o seu crédito, se você pretende financiar. Você pode pedir informação de crédito ao seu banco. Se você ainda não tiver feito isso, faça-o antes de iniciar a negociação.
    • Faça uma pesquisa sobre juros de empréstimo em vários bancos. Conseguir um empréstimo diretamente da concessionária pode ser uma má ideia. Tenha certeza de ser capaz de conseguir um financiamento antes de entrar na concessionária, o gerente pode ser capaz de oferecer um empréstimo melhor, porém, se não for o caso, você saberá que será capaz de financiar o seu carro de outra maneira.

Parte 3 de 3: Decidir que carro comprar

  1. Esteja disposto(a) a ir embora a qualquer momento. Um comprador inteligente sabe que ele tem a vantagem inerente de negociação, se optar por usá-la: estar disposto a ir embora. Uma pessoa que não está disposta a desistir de uma compra - em qualquer ponto no processo de negociação - é provável que uma pessoa que pagará mais.
    • Um negociante esperto pode tentar fechar o negócio, fazendo você se sentir como se tivesse investido uma boa quantidade de tempo em um carro, e que desistir é o mesmo que abandonar esse investimento. Não caia nessa armadilha. Saiba que qualquer tempo que você gasta pesquisando ou negociando, mesmo que a negociação não seja concluída, é um investimento pessoal e acabará por valer a pena.
  2. Se você está pensando em manter o carro por um bom tempo, não opte pelo leasing.Concessionárias de veículos sabem que podem geralmente ganhar dinheiro com as pessoas que decidem arrendar um automóvel. O mito dominante de que leasing é sempre um mau negócio não é muito verdadeiro; pode ser um bom negócio se você está pensando em manter o carro por menos de três anos. Contudo, se a sua intenção é usá-lo por um longo tempo, pagar as prestações de leasing normalmente terá menos vantagens.
  3. Faça o test-drive. Se você decidir fazer um test-drive , mantenha suas emoções sob controle. Os revendedores estão cientes que as pessoas ficam emocionalmente ligadas aos carros após dirigi-los. Quando isso acontece, a pessoa fica muito mais propensa a gastar mais, pois ela está menos disposta a se afastar um mau negócio. Algumas coisas que você pode fazer para moderar o seu entusiasmo:
    • Peça ao revendedor para ficar quieto, se necessário. Durante um test-drive, um bom vendedor continuará falando sobre todas as características e comodidades do veículo, tentando convencê-lo(a) de que é um negócio que caiu do céu. Ele tentará atingi-lo(a) emocionalmente. Se o vendedor não lhe deixar em paz, diga-lhe com todas as letras para calar a boca.
    • Leve o seu cônjuge com você. Sua esposa/marido vai ajudá-lo(a) a permanecer analítico e focado na tarefa de extrair o melhor valor possível para o carro. Ele/ela também poderia detectar as impertinências do vendedor.
    • Não se apresse, e procure os possíveis defeitos. Se você estiver querendo comprar o automóvel, você deve se sentir bastante confortável nele. Não se apresse durante um test-drive e tire todas as suas dúvidas. Espere por respostas claras.
  4. Procure outra revendedora se o vendedor tentar enganá-lo(a). Diga logo de cara que você está disposto(a) a parar a negociação se ele vir com dados que não sejam 100% verdadeiros. Muitos vendedores tentam mentem para fechar um negócio. Um exemplo são os números relacionados a um financiamento. Desconfie se ele disser que a taxa de financiamento é zero; isso não existe. Os valores dos juros já estão incluídos no preço do automóvel. Outra mentira que o vendedor pode dizer é que a taxa de juro permanece igual seja qual for o valor do seu financiamento. Tenha em mente que, quanto mais alto o valor financiado, mais altos serão os juros. Não se deixe enganar!
  5. Negocie o preço no final. Os revendedores tentam "adoçar o negócio" (ostensivamente para você, mas na verdade para eles), acrescentando serviços, vantagens, etc, sobre o preço que você concordou inicialmente, fazendo-lhe se sentir mal ou culpado(a) por não aceitar o preço final já que você concordou em comprar o veículo. Não se deixe enganar por isso.
    • Você pode dizer algo como: "Eu só estou preparado para negociar o preço final. Se pudermos chegar a um acordo sobre um valor, eu espero que seja sobre o número final, e não o ponto de partida para outra negociação...”
  6. Conheça truques dos vendedores. Nem todos os vendedores usam de truques e artimanhas, mas muitas que estão na indústria automotiva usam. Conhecer alguns truques vai ajudá-lo(a) a estar preparado(a) quando você sentar para negociar.
    • Não caia no truque da culpa. Não se sinta culpado(a) por recusar uma oferta que você sabe não ser boa. Um vendedor pode fazer você se sentir culpado(a) por lhe ter feito "perder tempo" depois de fazer um test-drive. É para isso que ele está lá. Não se sinta culpado(a) por isso, ele certamente também não se sentirá.
    • Tenha em mente que os vendedores começarão a negociar com um número ridiculamente alto. É a maneira que eles usam de fazer você se sentir como se o preço que eles estão dispostos a ceder é realmente muito bom. Se você sabe o preço da tabela, não tenha medo de se afastar de uma oferta ofensivamente alta.
    • Conheça a estrutura de comissões. Depois de uma "retenção", o vendedor recebe uma comissão sobre a venda do carro. Quanto maior o preço total da venda, maior o valor da comissão. Há, também, o que eles chamam de taxa de retorno, que é um tipo de bônus que o vendedor recebe de algumas financeiras e bancos. Este retorno (comissão) é, porém, realmente pago pelo cliente através das parcelas do financiamento.
  7. Tente este truque inteligente, se você estiver disposto a fazê-lo. Decida exatamente o tipo de carro que você deseja comprar. Localize várias concessionárias na área, que têm esse carro. Ligue para cada uma das concessionárias e diga-lhes que você está pensando em comprar tal automóvel às 5 da tarde do revendedor que lhe der o melhor preço. Diga-lhes que você não está negociando, não está disposto(a) a entrar a ir à concessionária até que o preço esteja acertado, e que você quer o preço final (impostos, tudo incluído).
    • Pode ser que alguns deles não queiram jogar este jogo com você, mas eles estariam perdendo uma oportunidade de vender um carro (algo que um revendedor odeia). Certifique-lhes que se eles puderem fazer a oferta mais baixa possível, você fecha o negócio.
  8. Antes de comprar um carro usado, leve o carro a um mecânico qualificado para uma inspeção completa. Se você estiver comprando um carro usado de um vendedor particular ou mesmo de uma concessionária, peça para levá-lo a um mecânico de confiança para verificar o desempenho, histórico de acidentes, ou até mesmo danos causados pela água. Comprar com a paz de espírito vai ajudá-lo(a) a encontrar o melhor negócio.
  9. Antes de pagar por um automóvel usado, peça um relatório do histórico do veículo. Verifique se o carro foi roubado, recuperado, ou detido por alguma razão. Você pode usar os serviços de consulta veicular.
  10. Leia as letras miúdas com cuidado antes de assinar. Não baixe a guarda até que o veículo esteja em sua garagem. Certifique-se de entender muito bem qualquer contrato que você esteja lendo, e não tenha medo de fazer perguntas. Em muitos casos, uma concessionária tentará adicionar uma quantia mensal ou até mesmo taxas escondidas para obter mais lucro de sua compra. Não seja ingênuo(a) achando que os vendedores têm as melhores das intenções.
    • Se a concessionária tentar "aumentar os pagamentos" através de um aumento da taxa de juros, por exemplo, saiba que o revendedor pode estar sujeito a pesadas multas, pois isto é ilegal. Se você acredita que está sendo vítima de uma cordo entre a revendedora e uma instituição financeira, entre em contato o PROCON.

Dicas

  • Vá a uma concessionária somente após ter feito o seu dever de casa e ter certeza do que você procura em um automóvel.
  • Leia as opiniões dos consumidores em revistas como Quatro Rodas . É sem dúvida o melhor lugar para procurar opiniões imparciais, avaliações, testes de colisão, as previsões de confiabilidade e guias de preços para carros novos e usados. Comece com a lista de carros recomendados; pesquise, escolha alguns que você quiser, e, então, procure um revendedor.
  • Quando você for a uma concessionária, leve o seu cônjuge, ou um amigo com você. É sempre melhor não estar sozinho(a). Se não for possível, então mantenha um ar de confiança. Se você é uma mulher solteira, é bom levar um amigo que entenda de automóveis para que você não seja enganada pelo revendedor. Em muitos casos, os revendedores tentam tirar vantagem de você, não confie neles.
  • Aja como se você soubesse sobre o que está falando, não permita que eles o(a) tirem do foco do que você realmente está procurando. Seja confiante e firme, e se eles começarem a lhe “empurrar” para outra escolha, então, basta procurar outro lugar.

Avisos

  • Certifique-se de ler o contrato totalmente. Não assine, a menos que você entenda exatamente o que você está assinando. Se você não tem certeza, então, leve o contrato para casa, e peça conselhos a um advogado. Uma vez que você tenha assinado, você comprou o veículo!
  • Faça sempre um test-drive, verifique coisas como, o som do motor, se os limpadores de para-brisa funcionam, ar condicionado (se aplicável), aquecedor, setas e faróis. Verifique os porta-copos, compartimentos, mala, a qualidade do assento (sem rasgos ou manchas), verifique sob o capô para ter certeza que não há nada errado, verifique o conforto dos assentos (será que o carro é confortável para viagens longas?), a visibilidade (é fácil ver os outros carros?), cintos de segurança, air-bags, quebra sol, rádio (ou CD), e se, é claro, o veículo dirige bem.
  • Sempre pergunte a si mesmo se o automóvel que você está comprando vale o dinheiro que eles estão pedindo. Se não, faça uma oferta mais baixa, e se eles se recusarem não se preocupe - há muito mais carros lá fora, o ideal está apenas esperando por você.
  • Se você está preocupado com a segurança do carro em uma possível situação ruim, como um acidente, confira os resultados de testes de colisão na Latin NCAP sobre antes de comprá-lo.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.