Como Praticar o Parkour

Parkour é uma atividade cujo princípio é mover-se de um ponto a outro o mais rápido e eficientemente possível. Criado para ajudar a superar obstáculos de qualquer natureza no ambiente circundante — desde galhos e pedras até grades e paredes de concreto — pode ser praticado em áreas rurais e urbanas. Este esporte não requer nem estruturas muito específicas, nem acessórios para a sua prática: o corpo humano é a única ferramenta. É preciso perseverança, coragem e disciplina para crescer neste esporte, mas perceber que se evolui é muito gratificante. Veja neste artigo algumas informações para conhecer um pouco mais deste universo da arte do deslocamento!

Antes de Começar

  1. Invista em um bom par de sapatos. Para praticar o parkour você precisará de calçados que tenham uma aderência decente e que também absorvam impactos. Além disto, seus sapatos precisam ser flexíveis e leves. Lembre-se que você estará em constante movimento, e algumas manobras de corpo precisarão do suporte de seus pés.
    • Você pode adquirir sapatos com amortecedores, se quiser. O importante é que o calçado laceie bem, sirva no seu pé e seja bastante confortável, caso contrário você pode correr o risco de se lesionar;
    • Não se preocupe com as marcas. Se seu interesse for praticar mais do que “se mostrar”, ignore os sapatos caros demais e desnecessários. Já que você vai usá-los constantemente, talvez eles fiquem sujos (não muito apresentáveis), portanto, não perca muito dinheiro com a aparência de seus pés.
  2. Use roupas confortáveis​​. Tendo em vista que você pretenderá se mover rapidamente, você deve usar roupas que não sejam apertadas ou restritivas.
    • Use calças largas, de escalada ou para a prática do skate: elas vestem bem e não vão atrapalhá-lo ao praticar o parkour. Calças jeans não são recomendadas, pois são bem pouco maleáveis e não permitem uma liberdade de movimento suficiente para o esporte;
    • Suas camisas não precisam ser extravagantes ou chamativas. Prefira as que possuam tecnologia esportiva (como as de jogadores de futebol, que deixam a pele respirar e secar do suor). Considere também o uso de luvas de proteção, que também são um bocado importantes no início;
    • Não use camisas de algodão, pois elas acabam encharcadas.
  3. Pretenda, com mais experiência, abandonar as luvas. Você pode pensar que as luvas são essenciais demais para o parkour, pois protegerão suas mãos contra as superfícies duras. Muito porém, você não deve privar sua mente do sentido do tato: para praticar o parkour você precisa sentir o quanto uma superfície será fácil para escalar, e é por meio do tato (e com alguma prática) que você vai acabar desenvolvendo esta técnica. Você pode acabar com alguns arranhões no início, mas logo depois você vai se dar melhor em seus percursos.
    • Nas primeiras semanas você vai voltar pra casa sedento por um saquinho de gelo. Mas sossegue, em breve suas mãos vão se acostumar com o trabalho e a prática vai te dar a técnica certa.
  4. Encontre um amigo(a). Bom, isto não é tão essencial assim, mas ter um(a) amigo(a) por perto pode lhe auxiliar bastante na manutenção do percurso. Afinal de contas, quando duas pessoas olham para um mesmo curso de obstáculo, elas podem - provavelmente - ver maneiras diferentes de como atravessa-lo. Um(a) amigo(a) não só lhe manterá motivado(a), como também poderá lhe dar indicações que farão com que você aprenda mais sobre como seu corpo se move.
    • Outra opção é ter como aliado(a) um(a) treinador de parkour. Alguém que já pratica a um bom tempo pode ser um recurso inestimável para encurtar os seus períodos doloridos ou engessados. Faça uma pesquisa: há diversos grupos de Parkour em todo o mundo que sempre estão à procura de novos membros e aliados.
  5. Pesquise alguns lugares para treinar. Se você você mora em uma cidade, ótimo! Encontre uma área que apresente alguns obstáculos interessantes, mas que não pareça muito com a Muralha da China. Você precisará de uma série de obstáculos para manter a mente ativa, e treinar o corpo.
    • Antes de ir pulando de garagem em garagem, treine em um parque em primeiro lugar. Manchas de lama são muito mais fáceis de cuidar do que ossos quebrados;
    • Fique fora da terrenos ou propriedades privadas. Os policiais geralmente não vão olhar para você e dizer: "Nossa cara, que maneiro! Como você consegue fazer isso? Posso dar uma olhada na definição da sua panturrilha?". Não deixe que problemas atrapalhem sua prática de parkour, mas caso isto ocorra, tenha sempre educação e bom humor.

Entre em Forma!

  1. Faça treinos aeróbicos regulares. Você vai correr, saltar e rolar bastante, portanto, é essencial que você mantenha o corpo e seus pulmões em forma. Frequente uma boa esteira, nade, ou pratique boxe. Quando você cair na rua, e começar a treinar o parkour, vai notar a diferença.
    • Até mesmo atividades como a yoga têm o seu lugar na formação de um praticante de parkour. Se você praticar algum esporte que lhe renda melhor resistência física, pode ter certeza que isso te ajudará muito.
  2. Tenha um corpo em forma. Uma vez que você já tenha afinado seus pulmões, é hora de se concentrar em seus músculos. Se matricular em uma academia, então, é essencial. Muito porém, você não vai precisar fazer muito levantamento de peso, pois é necessário bem menos força para saltar sobre um carro do que para empurrá-lo fora do lugar. No parkour você estará trabalhando com seu próprio peso corporal e em constante elevação e impulsão, portanto, é essencial ter uma boa forma física. Faça flexões, abdominais, agachamentos e malhe como se isso fosse o seu segundo emprego!
    • Pode parecer que treinar o máximo é o ideal, mas veja, o seu corpo também deve descansar. Faça exercícios musculares regularmente (duas vezes por dia, se não forem muito puxados), mas dê o devido tempo para que seus músculos descansem. No longo prazo, você só tem a ganhar.
  3. Com o tempo, aumente os pesos e a quantidade de repetições. Se você já faz repetições regulares, seguindo as orientações de seu(sua) instrutor(a) de academia, ótimo. Agora, peça para ele(a) pesar um pouco mais no treino (aumentando em 10% sua carga de exercícios, por exemplo). Note que seu corpo se desenvolve também vai ser bom para o seu espírito e vai lhe nutrir motivação para se fortalecer mais e mais.
    • Adicione exercícios extras ou mude a sua rotina diária de exercícios. Jogue bola, ou tênis num determinado dia, ou nade, por exemplo. Ao treinar, sua capacidade de se concentrar pode aumentar também.

Movimentação e Treino do Parkour

  1. De início, vá devagar. Vá devagar, se você for um iniciante: não corra o perigo de se acidentar seriamente. Sempre que for transpor um obstáculo, pense com a cabeça fria se você tem de fato condições para fazer isto. Sempre esteja consciente de todos os seus movimentos, e cuide para que você não se lesione.
    • Antes de tentar técnicas mais sofisticadas de parkour, comece com aquilo que seu corpo aguenta. Teste o quanto você pode correr, saltar e subir numa determinada altura, em um contexto seguro e planejado. Ao fazer isso, você vai descobrir quais são as técnicas mais interessantes para praticar no seu atual estágio, e quais serão aquelas que exigirão mais trabalho. Assim, você ganhará consciência e maior controle do seu corpo.
  2. Domine bem, além dos saltos, as quedas. Há um pouso básico que você deve incorporar em toda e qualquer rota de parkour: tais princípios também serão usados nos pousos mais avançados (como o rolamento, por exemplo). Por isso, é importante que você aprenda e domine esta técnica primeiro. Existem quatro principais pontos-chave que você se lembrar para produzir uma boa queda:
    1. Quando você pousar, suas pernas devem estar na mesma largura dos ombros;
    2. Você deve pousar sobre a meia ponta dos pés. Dessa forma, seu corpo vai agir como uma mola, distribuindo seu peso pelas pernas. Se você pousar secamente em cima dos calcanhares, seu corpo vai se comportar como uma tábua, o que prejudicará o resto de suas articulações, joelho e coluna;
    3. Não permita que suas pernas dobrem abaixo de 90 graus (no ângulo entre seus glúteos e a panturrilha). Desta forma você coloca muita pressão sobre as articulações do joelho e retarda bastante o seu movimento;
    4. Quando estiver em movimento acelerado, ou tomando uma queda maior, incline-se ligeiramente para a frente e permita que as suas mãos também absorvam um pouco da força do salto. Isto irá manter as pernas na angulação ideal de quedam e também vai permitir-lhe continuar sua corrida. Só use esta técnica para saltos menores.
  3. Aprenda o rolamento de ombro. Este movimento é uma das ferramentas mais úteis, para a prática do parkour: ocorre quando o praticante rola por cima do ombro, ganhando estabilidade e não perdendo muita velocidade. Os rolamentos são muito importantes porque reduzem bastante o impacto de qualquer tipo de pouso, convertendo o movimento descendente de uma queda em um movimento para a frente, de forma que você possa voltar a correr normalmente.
    • Para fazer o rolamento: traga o seu braço direito junto ao corpo e dobre sua cabeça para perto de seu peito (usando o queixo). Em seguida, role sobre o seu ombro direito e apoie-se em seus pés no final. A razão pela qual você deve rolar na diagonal é a redução dos danos às suas costas e coluna vertebral;
    • Algumas artes marciais, como o Aikido (por exemplo) utilizam esta técnica. Procure vídeos na internet e aprenda com um sensei como fazê-lo, que tal?
  4. Pratique os saltos apoiados sobre obstáculos. Lembra da velha brincadeira de “pular sela”? Então, você pode relembrar a infância com estes saltos no parkour. Acredite: eles te ajudarão a evitar obstáculos com maior facilidade e rapidez. Um salto apoiado (ou “vault”, em inglês) vai te manter em movimento, ao mesmo tempo que lhe permitirá transpor um obstáculo.
    • Encontre um obstáculo médio. Coloque suas duas mãos sobre o obstáculo - conforme você corre até ele - e impulsione suas pernas para a direita. Quando seus joelhos vierem por sobre o obstáculo (ganhando inércia), levante seu braço direito para fora do caminho e continue impulsionando as pernas para o outro lado. Desta forma você deverá pousar com facilidade e equilíbrio. Se tiver muita dificuldade, é porque não ponderou corretamente a altura do obstáculo (procure por um obstáculo menor, ou mais fácil de saltar).
    • Uma vez que você dominar este movimento, pratique fazê-lo para a esquerda.
  5. Aprimore-se usando as técnicas supracitadas em saltos de três metros. Você nunca deve tentar saltar uma metragem maior do que esta se não for capaz, portanto, trata-se - mais ou menos - de uma distância de segurança para o iniciante: grande o suficiente para ganhar experiência e treinar o impulso, mas não tão grande ao ponto de ser perigosa demais ou impossível. Sempre tenha precaução com relação a seus pousos, para que seus joelhos não se lesionem nas quedas.
    • Desenvolva suas técnicas de impulso, através da aceleração. Conte dez passos de impulso e realize o salto: treine até que você consiga dar “o” salto! Apenas salte quando você sentir que o seu impulso foi equilibrado.
  6. Pratique musculação. De que outra forma você vai ser capaz de subir pelas paredes? Lembre-se que os músculos que você usa nas flexões de academia são os mesmos que você estará empregando em uma escalada. Portanto, treine em uma barra, ou no solo, para desenvolver bem seus músculos do braço.
    • Quando você estiver fazendo o seu exercício normal, comece a puxá-lo um pouco mais longe. Se você estiver na barra, alcance ao ponto em que seus ombros estão em linha com o aparelho. Em seguida, puxe-se mais um pouco - elevando o seu peito por cima da barra. Use as pernas para ganhar impulso.
  7. Ganhe experiência e velocidade: então, pratique tudo um pouco mais rápido. Agora, com mais experiência, você deve acelerar sua movimentação e fazer tudo o que antes já havia treinado e dominado, um pouco mais rápido. Para se parecer com um daqueles caras que você vê nos filmes, treine bastante: você vai precisar. Num mesmo curso, cronometre seus diferentes tempos de volta, e sempre busque a velocidade máxima.
    • Agora é quando um amigo vem realmente a calhar: escolha um ponto A e B. Então, meça o tempo que você demora para chegar de um ponto a outro. Depois estude seus obstáculos e veja como transpô-los melhor, economizando tempo e energia.

Dicas

  • Sempre carregue uma garrafa de água com você. Cuidado com as insolações: hidrate-se sempre!
  • Sempre confie na sua única e exclusiva capacidade. Não seja um “maria-vai-com-as-outras”, sob o perigo de se machucar seriamente;
  • Nunca pratique parkour sem aquecimento. Isso vale também para todo e qualquer exercício intenso: os músculos precisam ter um pouco de tempo e condições adequadas para se aquecerem;
  • Comece em um terreno menos perigoso, como o de seu jardim. O concreto não costuma perdoar quem perde o equilíbrio.

Avisos

  • Você deve estar em forma antes de praticar o parkour. Nunca se esqueça disto;
  • Dê tempo ao tempo para colher seus frutos. Treine bastante!
  • Existem dois tipos de praticantes de parkour: um que já tomou um tombo, e um que ainda vai tomar. Esta é uma realidade que você precisa aceitar ao se desenvolver neste esporte, portanto, sempre fique atento e treine com senso de responsabilidade;
  • Domine primeiro as pequenas técnicas, antes de tentar as grandes.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.