Como Viver com Alguém com Transtorno Dissociativo de Identidade

O transtorno dissociativo de identidade (TDI), também referido como transtorno de personalidade múltipla, é uma condição em que uma pessoa tem mais de duas identidades, cada uma com diferentes comportamentos, humores e emoções. Em muitos casos, uma pessoa pode não ter completamente nenhuma consciência de que têm mais de uma personalidade. Se você tem alguém querido com TDI, é importante lembrar-se de ser solidário e carinhoso. Vá para o passo 1 para aprender sobre outras maneiras de tornar a vida mais fácil quando se vive com alguém com TDI.

Entenda o Distúrbio

  1. É importante que você desempenhe um papel proeminente na compreensão do transtorno, incluindo a compreensão de quais são os sintomas, quais são as causas e como você pode ajudar com o processo de reintegração. Para entender completamente o distúrbio, é importante conversar com um profissional que possa guiá-lo pelo TDI. Algumas coisas básicas a se entender incluem:
    • Saber que TDI é quando uma pessoa tem múltiplas personalidades que assumem a personalidade original dela. Cada personalidade tem uma memória diferente; então, se seu ente querido faz algo enquanto é controlado por um alter ego (que é outra personalidade), ele ou ela muito provavelmente não se lembrará de nada.
    • A causa frequente do distúrbio é um abuso na infância, trauma, insegurança ou tortura.
    • Os sintomas incluem alucinações auditivas, amnésia (perda de memória), episódios de fuga em que a pessoa viaja em busca de algo sem saber o quê ou por quê, depressão e ansiedade.
  2. Não entre em pânico quando confrontado com um episódio ou alter. A primeira regra é evitar o pânico quando você está em uma situação onde você vê seu ente querido mudar de personalidade. Tudo o que você pode fazer é manter-se firme. Tenha em mente que a pessoa com TDI tem entre 2 e 100 personalidades, ou alters, dentro dela, e todos os alters são diferentes. Eles podem ser alters adultos ou crianças. A pessoa pode mudar para outro alter subitamente mesmo que no meio de algo como o trabalho, uma conversa ou atividade.
  3. Seja paciente. Seu ente querido está lidando com uma situação extremamente desafiadora. Embora você possa ficar às vezes frustrado ou magoado por algo que a pessoa fez, é importante lembrar que ela não necessariamente sabe o que está dizendo. Ela não tem controle quando um alter assume; portanto, tente manter a paciência, mesmo se um alter ego disser ou fizer algo frustrante ou que magoe.
  4. Mostre empatia ao seu amado. Juntamente com a paciência, você também deve ter empatia. Seu ente querido está enfrentando uma situação muito assustadora. Ele precisa de muito amor e apoio, coisas que você provavelmente pode oferecer. Diga coisas boas para ele, ouça-o quando ele quiser falar sobre sua situação e mostre a ele que você se importa.
  5. Evite conflitos e outras situações estressantes. O estresse é um dos maiores fatores que impulsionam uma mudança de personalidade. Faça o seu melhor para aliviar qualquer estresse que seu ente querido possa estar enfrentando. Também é importante evitar causar estresse através de conflitos ou brigas. Se você está com raiva por algo que o seu amado fez, pare um momento para respirar e controlar sua raiva. Você pode conversar com ele sobre o que impulsionou sua raiva e sobre as formas de evitar isso no futuro.
    • Se você não concordar com algo que a pessoa disse ou está fazendo, use a técnica do "sim, mas..." Quando ela afirmar algo com o que você não concorda, diga "sim, mas..." para evitar entrar em conflito diretamente com ela.
  6. Mantenha a pessoa querida envolvida em uma atividade. Embora algumas pessoas com TDI possam gerenciar seu próprio tempo e organizar suas atividades sozinhas, outras pessoas não serão capazes de fazer o mesmo. Se o seu ente querido tiver dificuldade para manter o controle do que ele deveria estar fazendo, ajude lembrando-o das atividades que ele planejou.
    • Crie um gráfico que possa ficar em um lugar específico onde a pessoa será capaz de encontrá-lo. No gráfico, escreva coisas importantes que a pessoa deveria fazer, bem como sugestões de outras coisas divertidas.

Controlando seu Ente Querido

  1. Certifique-se de que seu amado tenha a ajuda de que precisa. Seja com relação à medicação para outros sintomas que muitas vezes acompanham o TDI, como a depressão ou ansiedade, ou cuidando para que seu amado vá aos seus compromissos com seu terapeuta, você precisa ajudá-lo com ambas as coisas. Mantenha o controle dos medicamentos que ele deve tomar todos os dias, e faça uma programação para as sessões de terapia e outros compromissos que ele tiver.
  2. Conheça os sinais de alerta que um episódio está chegando. Embora cada pessoa seja diferente, existem alguns sinais que ocorrem em quase todas as pessoas com TDI antes de um episódio ou mudança de personalidade. Esses sinais incluem:
    • Flashbacks recorrentes de abuso ou más recordações.
    • Depressão ou tristeza extrema.
    • Mudanças de humor frequentes.
    • Perda de memória.
    • Comportamento agressivo.
    • Sensações de torpor.
  3. Mantenha o controle dos bens de seu amado. Quando uma pessoa experimenta uma mudança de personalidade, as memórias de suas outras personalidades não necessariamente transitam. Isso pode dificultar o controle de itens importantes como carteiras, celulares, etc. Crie um inventário dos itens importantes e coloque bilhetes ou adesivos dentro de tais itens com seu nome e número de telefone. Dessa forma, se alguém encontrar um pertence de seu ente querido, ele pode ligar para você.
    • Também é importante que você tenha uma cópia de todos os documentos importantes do seu amado, incluindo CPF, RG, informações médicas, senhas, etc.
  4. Monitore quaisquer tendências autodestrutivas. Pessoas que sofrem desta doença quase sempre sofreram abuso durante a infância. Comportamentos autodestrutivos como suicídio, violência, abuso de substâncias e assunção de riscos são comuns em pessoas que têm TDI, porque elas sentem como se esses comportamentos acabassem com seus sentimentos de vergonha, horror e medo, estimulados pelo abuso passado.
    • Se você notar que seu ente querido começou a desenvolver comportamentos autodestrutivos, ligue para o seu terapeuta ou a polícia imediatamente.

Cuidando de Si

  1. Tire um tempo para fazer coisas que você ama. É de extrema importância que você tenha um tempo para cuidar de si. Cuidar de alguém com TDI pode ser muito estressante; portanto, você deve lembrar de manter uma dieta saudável, descansar e relaxar. Às vezes, você precisará colocar suas necessidades primeiro a fim de manter a força física e mental para apoiar seu ente querido que está experimentando TDI.
  2. Dê um tempo quando você precisar. Programe um tempo sozinho onde você não precise se preocupar com mais ninguém. Mantenha-se conectado com seus amigos, saia e se divirta toda semana. Uma pausa pode ajudá-lo a recuperar sua força, para que você possa continuar a ser paciente e compreensivo com a situação de seu amado.
    • Faça ioga para centrar-se e restaurar sua paz interior. A ioga e a meditação podem ser duas grandes maneiras de se ajudar a relaxar e aliviar todas as tensões e preocupações que você tem.
  3. Faça terapia de família. Há sessões de terapia familiar especificamente para os membros da família de pessoas com TDI. É muito importante que você vá às sessões para aprender sobre outras maneiras de ajudar seu ente querido a superar esse transtorno e sobre maneiras de manter-se forte.
    • Há também grupos de apoio dos quais você pode participar. Você pode encontrar outras pessoas que também vivem com alguém que tem TDI. Você pode conversar com seu terapeuta sobre opções de grupos de apoio ou fazer uma pesquisa na internet para encontrar um perto de você.
  4. Mantenha a esperança. Embora alguns dias possam parecer muito difíceis, você deve sempre manter a esperança viva. Com seu apoio e a ajuda de uma terapeuta, seu ente querido pode superar esse transtorno e acabar integrando todas suas personalidades.

Dicas

  • Desenvolva sua própria maneira pessoal de se acalmar -- conte até dez, repita uma frase ou pratique um exercício de respiração.
  • Lembre-se de que o seu ente querido pode não ter muito controle sobre o que ele faz e diz --tente não levar as coisas para o pessoal.

Avisos

  • Se a pessoa amada se tornar agressiva consigo mesma ou com você, e você sente que ela pode se tornar violenta, chame a polícia.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.