Como Incluir Acordes de Piano em Qualquer Melodia

Lembrar acordes de cor e incluí-los em uma melodia pode envolver trocas rápidas e cautelosas de tom. Graças à experiência, os iniciados conseguem fazê-lo facilmente, mas para os iniciantes pode parecer intimidador. Como se começa a adicionar esses acordes? Muitos deles podem ser bem fáceis de aprender e darão mais cor e expressão à sua melodia.

Passos

  1. Saiba que (geralmente) a mão esquerda, usando arpejo ou uníssonos, faz acordes de tenor ou baixo na escala, enquanto a mão direita toca a melodia e/ou a(s) parte(s) de contralto...
  2. Encontre a afinação. Por exemplo, Dó maior (C) é o mais fácil; é chamado de afinação/acorde comum. (Vai ajudar se você souber ao menos os acordes básicos e um pouco de teoria sobre harmonia, etc.)
  3. Entenda as notas da melodia. Você tem que fazer os acordes se encaixarem nas notas da melodia -- não o contrário. Tente evitar que se colidam. Há muitas maneiras de fazer isso. Se a música tem bastante baixo e tenor e a estrutura não é muito complicada, ouça a parte na qual incluirá o acorde e conclua se é maior ou menor.
  4. Supondo que a melodia tenha notas Sol (G) e Dó (C) e a música esteja na afinação Sol maior (G), tente tocar um acorde Dó maior (C-E-G) e depois um Sol maior (G-B-D), ambos arpejados. A menos que a música seja muito complicada, um deles vai se encaixar. Ao simplesmente analisar a parte da música a qual adicionará o acorde, a tônica (a primeira nota, I) do acorde/afinação provavelmente também estará lá no(s) compasso(s) da melodia.
  5. Escolha acordes em escalas maiores no modelo I-IV-V: isto é, a tônica (I), a sub-dominante (IV) e a dominante (V) baseadas no círculo de notas da afinação da música. Para escalas menores, os numerais romanos para acordes são os minúsculos i-iv-v: a tônica (i), a sub-dominante(iv) e a dominante (v)... Anote isso em algum lugar para que possa ler depois, vai aparecer muito quanto for estudar harmonia!
  6. Escreva os acordes na partitura (quando já estiverem decididos) usando as progressões harmônicas comuns. Você pode começar com os acordes I e V (primeiro e quinto) da escala, que são muito usados. O primeiro acorde da escala para a afinação Dó maior (C) é o acorde tônico (I) Dó maior (C-E-G), e o quinto acorde (V) é Sol maior (G-B-D). Use o que soar melhor nas progressões das idas e vindas das partes da música...
  7. Inclua essas progressões comumente usadas: I IV V I -- I vi IV V -- I ii IV V -- vi IV I V -- I V vi iii IV I ii V. Cada numeral remete aos acordes definidos pelo círculo de notas da afinação, partindo da tônica, o primeiro dó (I), até a sétima nota (VII), quando tudo se inicia outra vez.
    • Repita os acordes ao ritmo se não estiver seguro, e anote o que soar melhor. Não hesite em misturar se encontrar outro que ficar melhor!
  8. Toque os acordes em ordem normal, do mais grave para o mais agudo: como "C-E-G" geralmente -- e então, se necessário, pense em trocar o acorde (considere as progressões harmônicas comuns). O acorde é muito dependente das notas da melodia naquela parte da música. Entender um pouco de teoria é útil -- se, por exemplo, as notas da melodia estão em Dó maior (C-E-G), então você tem a sub-dominante no quarto acorde, Fá (F), que se encaixa perfeitamente, ou o quinto acorde, Sol (G), e, claro, Si (B), o sétimo (VII), pode funcionar, já que é próximo a Sol na sétima dominante (G7), e naturalmente acordes de Ré (D) e Fá (F) se ajustam facilmente, sendo todos relacionados a Dó maior (C).
  9. Use as inversões de acorde de Dó (C) (que não são na ordem do mais grave para o mais agudo) quando os acordes na música não mudam mas você pode obter uma pequena diferença em som. Assim, isso depende de quais notas são usadas. Por exemplo, dado Sol (G) ou Lá (A) agudo na melodia, a segunda inversão do acorde Dó (C) poderia acompanhar o grupo.
  10. Entenda que se as notas mais graves entre Si (B) e Ré (D) forem usadas na melodia, então a posição fundamental do acorde Dó (C) será usada. Se, entretanto, as notas mais agudas [Mi (E), Fá (F), e às vezes Sol (G)] forem usadas, a primeira inversão de Dó (C) seria tocada para dar uma sonoridade diferente.
  11. Você quer escrever sua melodia, mesmo sem saber ler partitura? Muitos músicos conseguem tocar "de ouvido" -- não leem partitura muito bem, mas aprendem e tocam harmonicamente junto à melodia, se combinando aos outros instrumentistas por improviso.
    • As notas da melodia não são o mais importante para o estilo do músico de dedilhar e fazer os acordes arpejados no piano; ele está afinado e harmoniza com ele, mas não é obrigado a saber exatamente a linha da melodia ou a teoria.
      • Um instrumentista pode ser um músico contratado ou membro de uma banda por excelência se souber os acordes de cor, para entretenimento comercial/profissional ou música religiosa, por exemplo!
  12. Junte-se à categorias profissionais usando o método de partitura Nashville de numerar (diferente de escrever o nome) dos acordes. Isso permite tocar o acorde em qualquer afinação como tônico para a melodia e trocar a afinação facilmente através de contagens progressivas e regressivas dos tons e semitons (sustenidos e bemóis)...

Dicas

  • Te ajudará muito se você já toca algum instrumento, mas há muitos programas disponíveis para escrita de partituras, até mesmo um grátis para escrever músicas de jazz será suficiente.
  • Estudar teoria musical (pelo menos acordes) é altamente recomendado.
  • Claramente as afinações com sustenidos e/ou bemóis são inclinadas a ser escolhidas também para os acordes para soar melhor.
  • Mantenha em mente na mudança de afinação que o alfabeto musical vai de A a G, e então você reinicia as letras e notas -- note no círculo de notas: I, III, V são sempre Dó, Mi e Só. A afinação pode ter um intervalo de meio tom (com sustenidos e bemóis, chamados "acidentes"), ou um outro entre as notas para formar tríades, e para um Sol na sétima dominante (G7) seria I, III, V, VII (G-B-D-F), "Dó, Mi, Só, Si", novamente com intervalo de um entre as notas, isto é: tétrade.

Avisos

  • Se atente a conflitos harmônicos. Às vezes seus acordes podem não se encaixar nas melodias.
  • Às vezes para experimentação e prática de coordenação, uma clave de Fá com notas mais agudas pode ser encontrada em algumas músicas de forma que a mão direita possa tocar os acordes, essas ao invés da mão esquerda fazer os acordes usuais abaixo do Dó (C) central...
  • Este não é um processo fácil para partes de harmonia precisa, principalmente se você estiver tocando a melodia com uma mão e os acordes com a outra para os vocais.
  • Quando buscar ajuda com alguém que alega entender de harmonia e ser músico, primeiro cheque suas credenciais, ou você pode perder seu tempo, uma vez que aprenderá a coisa errada.

Materiais Necessários

  • Conhecimento de teoria musical
  • Um piano
  • Uma melodia
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.