Como Lidar com o Alzheimer Sendo um Cuidador

A Doença de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que progressivamente destrói as habilidades cognitivas. Um indivíduo pode gradualmente perder a habilidade de se comunicar, tomar decisões, ou realizar atividades do cotidiano. Ele pode experimentar perda de memória, comportamento anormal, mudança de personalidade, um aumento de ansiedade e demência. Se você está cuidando de uma pessoa nessas condições, aqui estão os passos que você pode tomar para minimizar o stress e maximizar o conforto, tanto seu quanto dela.

Passos

  1. Entenda a doença e os estágios de progressão. Procure na internet ou em uma livraria. Encontre organizações locais que ofereçam conhecimento na Doença de Alzheimer. Será difícil encarar alguns fatos, mas você precisa saber o que está lhe esperando.
    • Existem 7 estágios descritos na progressão da Doença de Alzheimer. Muitos pacientes não são diagnosticados até que tenham alcançado o estágio 4. Determine em que estágio a pessoa está, e quais são os sintomas atualmente enquanto a doença progride.
  2. Procure tratamento médico. Um clínico geral, neurologista, e psiquiatras têm credibilidade para dar o diagnóstico. Geralmente, um teste básico conhecido como “Mini exame do Estado Mental” é administrado. Tomografias e Radiografias são feitas excluir um possível derrame como causa da demência.
    • Ainda que atualmente não exista cura para o Alzheimer, existem muitos medicamentos (inibidores de colinesterase) que irão retardar a progressão da doença, e em alguns casos, conservar as habilidades cognitivas do paciente por mais tempo caso ele não estivesse sob medicação. Os medicamentos podem ser baseados em inibidores de Colinesterase: Aricept, Exelon, e Razadyne (uma versão do Reminyl). Inibidores de Colinesterase podem ser usados tanto nos estágios iniciais quanto avançados da doença. O Namenda é um redutor de glutamato que é usado conjuntamente com os inibidores tanto no estágio moderado quanto no estado avançado da doença.
    • Pacientes com Alzheimer vivem em média 8 anos após o diagnóstico. Alguns pacientes irão sobreviver apenas 3 anos, e outros podem viver por até 20 anos.
  3. Planeje-se de antemão. Uma vez que você está ciente de como a doença de Alzheimer pode afetar essa pessoa, pense antecipadamente e esteja preparado para as mudanças que acontecerão, ambas a curto prazo ou a longo prazo. Você irá precisar se preparar tanto fisicamente quanto emocionalmente. Eventualmente, você precisará fazer o seguinte: ajudar nas necessidades fisiológicas e na higiene pessoal; adaptar-se à condição do paciente na hora das refeições, devido à doença; e obter uma cadeira de rodas quando a mobilidade se tornar um problema.
  4. Crie um ambiente seguro. Faça mudanças em sua casa que irão proteger a pessoa que você está cuidando. Limite o acesso a áreas perigosas e a armários de medicamentos. Instale fechaduras à prova de crianças e dispositivos que se desliguem sozinhos. Instale uma barra de apoio no banheiro. Pode ser necessário tomar medidas que irá impedi-los de deixar a casa para vagarem por aí.
  5. Crie um ambiente de apoio. A pessoa em questão pode esquecer nomes ou trocá-los. Não irá ajudar em nada repreendê-lo. Uma pessoa que sofre este tipo de doença não irá se beneficiar com uma reprimenda. Ofereça amor, apoio emocional, espiritual, atividades interessantes, e interação social com pessoas que compreendem a situação.
  6. Antecipe mudanças no comportamento e personalidade. Alguém que sofre de Alzheimer irá perder a habilidade de realizar tarefas complexas, e mais tarde, até tarefas simples. O ciclo de dormir-acordar será interrompido, mantendo você acordado por algumas noites. O paciente poderá sofrer de alucinações, e até a falsa percepção de que você é um inimigo ou impostor. Lembre-se: como um cuidador, você está cuidando de uma pessoa – não da doença. Tente tratar essa pessoa como você gostaria de ser tratado.
  7. Compartilhe memórias. Aprecie compartilhar memórias do passado com a pessoa enquanto for possível. Já que a pessoa que tem Alzheimer está perdendo a capacidade de reter ou aprender novas informações, falar sobre o passado dela pode fazer com que ela revisite momentos felizes.
  8. Riam juntos o máximo possível. Ainda que uma pessoa que tenha Alzheimer não seja capaz de perceber quem você seja, ou reconhecer até o mais próximo dos parentes ou amigos, geralmente seus sentimentos podem ser expressos através das interações relacionadas com as capacidades atuais. Quase todo mundo é capaz de receber amor e gentileza.
  9. Mantenha-se. Tente manter um sentimento de compaixão, humor, e uma vontade de aprender novas estratégias para ajudar a pessoa com Alzheimer, assim como você mesmo. A pessoa que tem Alzheimer (e você, como cuidador) irá experimentar muitas mudanças através do tempo. Isso pode ser assustador e requer flexibilidade. Vocês dois estão passando por um território desconhecido. Seja gentil com a pessoa e com você mesmo.
    • Muitos dos fabricantes farmacêuticos desenvolvem programas para idosos que não podem pagar pelos medicamentos.
    • Nunca faça uma promessa que não vá ser cumprida. A melhor opção para um paciente é uma residência especializada em cuidar de pessoas nessas condições. Este tipo de lugar pode fornecer cuidados com a saúde e supervisão que não é possível em sua casa.
    • Tenha em mente que outros membros da família e amigos irão querer ajudar você nessa difícil tarefa. Tudo o que você deve fazer é pedir, e a pior coisa que pode acontecer é eles dizerem não. Cuidar de alguém é muito estressante e você irá precisar de toda a ajuda que puder obter.
    • Experimente comparecer a um grupo de cuidadores como aqueles oferecidos por organizações, como os da Associação de Alzheimer.
    • Você também pode escrever uma lista ou guia para lhe ajudar nos afazeres do dia-a-dia.

Dicas

  • Comece a lidar com a dor de forma antecipada. Não há cura conhecida para a doença de Alzheimer, ela é fatal. A pessoa afetada não pediu por essa doença, e você não merece essa situação. Você está experimentando uma grande perda e deve esperar passar por muita dor. Você também deve procurar por meios de se recuperar após a dor.
  • Lembre-se que nem toda a perda de memória e demência significa que a pessoa esteja sofrendo de Alzheimer.
  • Lembre-se que algumas vezes fazer alguma tarefa simples para a pessoa de que você está cuidando pode entristecê-la, então algumas vezes anime-a dizendo “Isso aqui é realmente difícil de vez em quando” e oferecer um sorriso gentil sempre ajuda.
  • Forneça assistência médica apropriada. Esteja preparado para tratar os sintomas. Alguns medicamentos irão ajudar a dar uma melhor qualidade de vida, mesmo que não exista cura para a doença de Alzheimer. Seja vigilante a quaisquer machucados ou doenças, como infecções ou doenças de pele. Esteja atento para infecções urinárias ou outros problemas relacionados a incontinência.
  • Tente não tratar a pessoa com essa doença como se ela fosse um bebê ou incapaz de fazer simples tarefas, mesmo que seja o caso. Apenas ofereça ajuda de um modo que não seja muito forçado ou exigente. Geralmente comece falando “não se preocupe, deixe-me ajuda-lo com isso”. Fale com uma voz amigável.
  • Não se esqueça de cuidar de si mesmo. Cuidadores geralmente esquecem-se de tratar de si mesmos para cuidar daqueles que amam, e como resultado, sofrem de um crescente risco de depressão, ansiedade, e stress relacionado a doenças físicas. Não deixe de ir às consultas com seu médico.
  • Não tente corrigir aquilo em que eles acreditam muito frequentemente. Ao perder a memória, pacientes geralmente se lembram de coisas que não aconteceram (eles podem dizer que almoçaram com um amigo que morreu anos atrás!). Sempre que possível, não tente mudar aquilo em que eles acreditam. Isso irá frustrar você e eles. Frequentemente, corrigir esses erros irá trazer períodos de ansiedade e stress. Viva no mundo deles se você puder, fingindo acreditar naquilo que dizem para mantê-los estáveis e felizes.
  • Recrute ajuda de profissionais. Existem cuidadores que são pagos e trabalhadores de assistência médica que podem ir até a sua casa. Muitas agências de enfermagem oferecem serviços de cuidados com adultos. Agências de enfermagem podem fornecer ajuda a curto prazo tanto para você quanto para a pessoa que você está cuidando, para que você possa descansar. Procure ajuda de um sanatório quando for apropriado.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.