Como Sobreviver Quando um de Seus Pais Ameaça se Suicidar

É difícil o bastante cuidar de sua própria vida. Mas, quando um de seus pais ameaça cometer suicídio, isso pode abalar seu mundo de um jeito que nunca seria capaz de imaginar. O que fazer? Pode ajudar? E para onde se voltar para achar apoio para si próprio? Este artigo não tem todas as respostas, mas pode ajudar a orientá-lo durante a navegação por essas águas tão turbulentas e escuras.

Passos

  1. Entenda que você não é um profissional de saúde mental. Há algumas situações que não podem ser manejadas por parentes e/ou amigos, não importa o quanto você ame seus pais e nem o quanto é bem intencionado. Se seu pai ou sua mãe parece realmente sério, repete a ameaça mais de uma vez ou comete um atentado contra a própria vida, perceba que está fora do seu alcance e precisa de ajuda profissional (o 190 pode ser um começo, no Brasil).
  2. Avalie a intenção letal. A primeira coisa a fazer quando um de seus pais ameça se suicidar é descobrir até que ponto fala sério. Às vezes, esse tipo de comentário ou observação simplesmente serve para dizer o quanto seu pai ou mãe está sofrendo, para que compreenda a gravidade de sua dor. Outras vezes, é um aviso fatal. Pode tentar seguir esses "subpassos" para entender com o que está lidando:
    • Pergunte se ele ou ela está realmente pensando em se ferir. Parece contrário ao bom senso perguntar diretamente, mas faça-o. A coisa mais importante que pode fazer por seu pai ou sua mãe é fazer com que saiba que está "ouvindo" o sofrimento. Saber que está sendo ouvido e levado a sério pode ser o Primeiro Passo para a recuperação, acredite ou não. Então, seja gentil e diga algo como "Pai, dói muito vê-lo sofrendo assim. Quando você disse 'tenho vontade de me matar', falou sério?" Se seu pai disser "Eu estava tão frustrado..." significa que, provavelmente, pode respirar aliviado. Não quer dizer que não se sentirá pior mais tarde, mas que não falava sério. Se disser "Estou cansado de tudo," é muito mais sério.
    • Pergunte se ele ou ela tem um plano ou os meios para concretizar a ameaça. Mais uma vez, parece algo que deveria evitar perguntar, mas, mesmo assim, não é hora de ser tímido ou ficar nervoso - uma vida está em risco. Se seu pai está 'cansado de tudo', pergunte "Se realmente fosse fazer isso, sabe como o faria?" Mais uma vez, está tentando avaliar até que ponto sua intenção é letal. Se ele disser "Eu provavelmente usaria minha arma", precisa descobrir onde está essa arma. Se estiver trancada em uma caixa ou armário, não é tão grave quanto se estiver na gaveta da cabeceira. Se estiver na gaveta, coloque-a em outro lugar. Porém, é uma ameaça grave, não importa como aja, porque seu pai (A) tem um plano (uma arma) e (B) tem os meios (a arma) para tornar a ameaça real. Por outro lado, se ele responder com algo tipo "Ah, não sei. Talvez comprimidos? Algo indolor?" a ameaça é muito menos crível. Ele é vago sobre os detalhes. Você pode pressionar um pouco e perguntar que tipo de comprimidos. Uma resposta como "Tylenol - muitos. Temos um frasco enorme" é ruim (ele sabe em que comprimidos está pensando e tem o suficiente nas mãos). Algo como, "Talvez se eu tomar bastantes comprimidos para dormir e alguns copos de vodka...?" não é tão ruim (ele não tem certeza se tem o suficiente para fazer o trabalho e nem quais pílulas está pensando em usar).
    • Pergunte se pode rezar por ele ou ela, se tiver fé. Pegue sua mão e reze para que receba conforto e encontre a paz e que você, de alguma maneira, possa ajudar. Seja breve - não é um discurso longo. Trata-se de (A) colocar sua fé para funcionar em um momento crucial para alguém que precisa dela e (B) fazer com que seu pai ou sua mãe saiba o quanto você o ama e se importa, ao oferecer um presente tão íntimo. Tem o efeito de tranquilizar seu coração e fazer com que se sinta mais confiante, além de ajudar seu pai ou sua mãe a saber que sua fé o está ajudando a ser forte quando ele ou ela não pode ser.
  3. Seja discreto. Não saia contando para a família sobre esse problema. Você envergonhará seu pai ou mãe e o pressionará a apresentar uma aparência forte, para você e para o resto da família e amigos. Saiba em quem pode confiar para manter o segredo.
  4. Não hesite em contar, se achar que está realmente falando sério. Isso parece ir contra o passo acima, mas é uma decisão que você deve tomar. Não guarde segredo se acreditar que está falando sério - consiga ajuda do resto da família, amigos, pastor, médico. Definitivamente, conte ao outro pai, independentemente de como vivam (divorciados, separados, etc.).
  5. Busque ajuda. Se acredita que seu pai ou sua mãe está falando realmente sério sobre a ameaça, procure outro membro da família e conte sobre a ameaça e seus medos ou procure um amigo da família ou professor. Alguém será capaz de conseguir ajuda profissional. Não espere. Se não puder se livrar do mau pressentimento, entre em contato rapidamente com alguém, para que a intervenção tenha chance de funcionar.
  6. Diga a ele ou ela que ainda o vê como grande e forte. Sentir que perdeu a força aos seus olhos levará sua recuperação a um estado mais confiante e relaxado. Certifique-se de que saiba que é importante que ele/ela sinta orgulho de quem você é, aprove suas decisões, etc. - as pequenas coisas cotidianas que, como filho, faz por um pai.
  7. Aceite que, aqui, a decisão final não é sua. Se um de seus pais está realmente em estado suicida, não há nada que alguém possa fazer para evitar essa tragédia. Mesmo que perceba com muita antecedência, o que você - ou qualquer outra pessoa - pode fazer é limitado. Essa decisão está nas mãos da pessoa e apenas dela. Se seu pai tomar essa trágica decisão, não se culpe e nem a outra pessoa.

Dicas

  • Toda cidade grande tem uma linha telefônica para crises. Saiba o número da sua. Procure online ou nas páginas amarelas. Muitas cidades possuem um número que você pode ligar para obter encaminhamento para serviços de saúde e sociais, como o 102 para informações de números de telefone. Podem até conectá-lo diretamente à linha local de crises.

Avisos

  • Você não pode salvá-lo. Pode apenas mostrar sua preocupação e tentar o quanto puder mostrar que ouviu. Pode conseguir ajuda profissional. Pode ficar ao seu lado. Mas não pode se colocar entre seu pai ou sua mãe e a intenção de tirar a própria vida, se estiver decidido pela autodestruição. Não se culpe e nem se prenda a "e se", se nada ajudar.
  • Caso não esteja em casa ou more muito longe para ajudar, antes de tomar a decisão de chamar 190, chame outros membros da família, de preferência alguém que more na casa com o pai ou mãe suicida. Certifique-se de saber de tudo que aconteceu recentemente e pense duas vezes antes de chamar 190 para um pai que esteja altamente intoxicado (a menos que não tenha outra opção). Lembre-se, a polícia pode acabar prendendo alguém e, se seu pai suicida for preso, especialmente quando intoxicado, você provavelmente será culpado e correrá o risco de ser afastado. Se mandar a polícia para resgatar seu pai, lembre-se de fazer uma ligação anônima ou peça que não contem que foi você quem os chamou. Em alguns casos, dirão de qualquer maneira, então tenha muito cuidado antes de envolvê-los.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.