Como Recarregar e Consertar Defeitos de uma Pistola

Defeitos são muito comuns com pistolas semiautomáticas. Embora a maioria das armas modernas seja relativamente confiável, sempre é uma boa ideia estar preparado, já que esses problemas parecem acontecer nos momentos mais inoportunos. Este artigo também explica o processo de recarga – que não é um defeito, mas pode ser outra razão pela qual a sua pistola não está disparando. Há dois tipos de situações que requerem recargas: se você tiver usado todas as balas e o pente estiver vazio ou a arma estiver travada. Essa é a chamada Recarga de Emergência ou Normal. A segunda situação é chamada “recarga tática”. Nela, você já disparou algumas balas do pente, mas a arma ainda tem um ou dois projéteis disponíveis. Você pode usar essa oportunidade para descartar o pente vazio ou quase vazio e usar um novo.

Recarga de emergência

  1. Identifique a necessidade. Uma recarga de emergência é necessária quando você já gastou todos os projéteis do pente e o ferrolho está travado.
  2. Pegue um pente novo (de um malote, por exemplo). Isso é feito após o ferrolho ser travado novamente devido ao esvaziamento do pente.
  3. Aproxime o pente novo da arma (veja a imagem).
  4. Ejete o pente vazio. Não perca esse objeto e insira a peça nova no carregador (examine a imagem e veja como ambos os pentes ficam).
  5. Insira o pente. Coloque a sua base contra a base do carregador da pistola; alinhe-os e exerça certa força (a resistência da arma deve ser baixa).
  6. Insira o pente usando a palma da mão. Dê um leve tapa e você sentirá a peça “clicar”.
  7. Passe a mão pelo topo do ferrolho e puxe-o em direção ao seu peito. Certifique-se de não por os dedos na abertura do ferrolho – ou eles podem ficar presos.
  8. Solte o ferrolho para que ele seja propulsionado à frente. Isso levará a próxima bala à agulha, preparando-a para o disparo.

Recarga tática

  1. Determine se é seguro realizar uma recarga tática. Execute-a somente se você encontrar um local para usar de cobertura durante possíveis confrontos com outra pessoa armada. Você sabe que gastou alguns projéteis do pente atual e quer se preparar para o que vem a seguir.
  2. Ponha a mão na maleta de pentes (ou outro objeto que contenha as balas; certifique-se de que o pente em questão está cheio).
  3. Volte a atenção à arma e ejete o pente “meio gasto”, pegando-o com uma das mãos.
  4. Coloque o pente no seu bolso (separado das peças cheias).
  5. Pegue o pente novo que você tocou anteriormente e insira-o na pistola do mesmo modo que o fez na “recarga de emergência”; no entanto, este método não requer a manipulação do ferrolho.
  6. Pratique usar a pistola à distância. Você deverá sentir e reagir imediatamente quando a arma não disparar. Quando você puxar o gatilho e sentir um “clique”, execute o “processo de conserto tipo 1”. Caso isso aconteça, examine o defeito e aja de acordo com ele (lembre-se de que o problema também pode ser um pente vazio). Após fazer alguns disparos, você começará a sentir quando o pente estiver vazio – o que permitirá que você execute as recargas de emergência mais rapidamente. Com o tempo, você começará a perceber que a arma lhe dará uma sensação diferente e produzirá um som após esvaziar um pente.

Defeito do tipo 1

  1. Identifique o defeito. Geralmente o “tipo 1” ocorre quando nenhuma bala é levada à câmara (por exemplo, quando você não puxa o ferrolho após inserir um pente na pistola ou quando essa peça não está devidamente posicionada).
  2. Certifique-se de que o defeito não é uma “carga explosiva”. Esse é um defeito relativamente perigoso, no qual não há força suficiente para propulsionar o projétil pelo barril. Em pistolas semiautomáticas, esse problema costuma ser facilmente reconhecido – já que o ferrolho não será puxado para trás e nenhuma bala será levada à câmara. Caso esse defeito aconteça com você, remova o pente e limpe qualquer obstrução de imediato.
  3. Certifique-se de que o defeito não é causado por um atraso na queima do propulsor do cartucho. Somente tente corrigir essa falha de imediato durante um confronto real. Isso acontece devido ao risco de disparar a pistola de repente. Se você passar por isso, mantenha a arma apontada para baixo por pelo menos dez segundos antes de tentar corrigir o problema.
  4. Corrija o defeito. O modo mais rápido de fazê-lo é tomar uma ação imediata. Com uma pistola semiautomática, puxe o ferrolho para ejetar a última bala. Observe esse processo. Se o chumbo ainda estiver no projétil, você saberá que ele não foi disparado. Caso contrário, esse poderá ser um sinal do defeito. Observe a câmara. Examine quaisquer itens suspeitos. Solte o ferrolho, posicionando a próxima bala. Desative a trava de segurança e tente fazer um disparo. Se a arma ainda falhar, remova o pente e ejete a bala que está na agulha; depois, procure um especialista que possa resolver a situação.
  5. Pratique:
    • Carregue a carma com um pente inteiro e a câmara vazia.
    • Aponte ao alvo, puxe o gatilho e sinta o “clique”.
    • Com a palma da mão, bata sob a base do pente (com certa força).
    • Depois, vire a arma a um ângulo de 90 graus para a direita (para que a porta de ejeção fique para baixo).
    • Prepare a arma puxando o ferrolho e soltando-o em seguida; não o empurre para frente, deixe-o deslizar. Isso fará com que um projétil “inútil” seja lançado para fora da câmara e, em seguida, uma nova bala tomará o seu lugar.

Defeito do tipo 2

  1. Identifique o defeito. Quando você puxar o gatilho, não haverá um “clique” (um barulho mais estrondoso). Ao puxar a câmara, haverá uma cápsula visível. Esse item causará o defeito “tipo 2”, chamado “funil”. Ele acontece quando há uma falha na ejeção do projétil.
  2. Conserte o defeito. A solução é a mesma encontrada para o defeito “tipo- ”: dar um tapa e girar a pistola.
  3. Pratique:
    • Puxe o ferrolho para expor a câmara vazia e a trava, também vazia.
    • Carregue a arma com um pente cheio.
    • Aponte para o alvo, puxe o gatilho e perceba que não haverá um “clique”.
    • Veja a cápsula que se destaca da câmara.
    • Com a palma da mão, dê um tapa na base do pente (com certa força).
    • Depois, vire a arma a um ângulo de 90 graus para a direita (para que a porta de ejeção fique para baixo).
    • Prepare a arma puxando o ferrolho e soltando-o em seguida; não o empurre para frente, deixe-o deslizar. Isso soltará a peça em bronze da câmara e carregará um projétil novo.

Defeito do tipo 3

  1. Identifique o defeito. A cápsula não é expelida pela câmara e nenhum projétil novo está sendo carregado. Essa é a chamada falha de extração.
  2. Conserte esse defeito:
    • Puxe o ferrolho para travá-lo (opcional).
    • Pressione o botão que solta o pente e (embora um pente possa cair normalmente da arma, um defeito “tipo 3” evitará que isso aconteça) retire o objeto da pistola.
    • Aqui, você tem opções. Deixar o pente cair ou praticar “retê-lo” e continuar a usá-lo.
    • Pegue o ferrolho novamente e puxe-o com força três vezes.
    • Pegue um pente novo (ou use aquele que você reteve), coloque-o na pistola (do mesmo modo que usaria na carga tática).
    • Puxe o ferrolho mais uma vez para carregar a câmara com uma bala.

Dicas

  • Idealmente, à distância ou não, você deve comprar pentes extras para praticar ou desenvolver as suas habilidades de tiro (e marcá-los de acordo com a cor, a distância etc). Isso lhe ajudará a evitar danos aos pentes que você carrega consigo como autodefesa – causados quando você os “joga” ao chão, quando pisa sobre eles etc.
  • Além da cápsula vazia, para ajudar a evitar a possibilidade de haver um disparo acidental, o uso de “munição” de treinamento ou afins é absolutamente essencial durante a recarga e o conserto de pistolas. Esse tipo de munição possui uma aparência distinta – o que torna a sua confusão com munições “de verdade” mais difícil.
  • Praticar carregar e resolver os defeitos é uma parte essencial do treinamento tático com uma pistola e deve sempre ser feito a uma distância adequada – em um local seguro.
  • Policie-se (e faça o mesmo com qualquer companheiro) quanto ao uso de munição “de verdade” antes de entrar nas zonas de treinamento. Isso deve incluir: consertar os defeitos da pistola, esvaziar todos os pentes e todos os bolsos à procura de projéteis.
  • Armazene munição e pentes carregados em uma área segura longe da sua zona de treinamento. Ademais, lembre-se de repetir o processo acima caso saia do local e retorne a ele depois. Muitos atiradores se envolvem em disparos negligentes após deixar essas áreas: carregam as suas pistolas e saem mas, quando voltam, se esquecem de verificar a arma ou os pentes.
  • No fim, algumas das suas sessões de prática devem incluir um companheiro – que possa analisar os possíveis defeitos do uso de cápsulas vazias e afins. Isso ajudará a melhorar a sua habilidade de identificar o tipo de erro da arma e a executar melhor a ação necessária para consertá-lo.
  • Para sessões de prática a curtas distâncias nas quais você queira usar somente cápsulas vazias, estabeleça uma zona de segurança. A munição “de verdade” nunca deve entrar nesse local!
  • Recargas ou práticas de conserto de defeitos inadequadas podem resultar em acidentes, como fazer com que a pistola dispare uma bala sem que você queira. Se você estiver em um local apertado e disparar a pistola nessas condições, pode acabar tendo uma experiência de aprendizado assustadora; esse tipo de acontecimento pode gerar danos à propriedade, ferimentos e até causar a morte, além de ser um crime.
  • Quanto mais você praticar, melhor e mais rápido ficará.
  • Há aqueles que dizem que até mesmo em distâncias longas não há necessidade de praticar o conserto de defeitos com munição “de verdade”; para pessoas menos experientes, estabelecer e corrigir essas condições pode ser uma “receita para o desastre”, com o potencial de colocar as pessoas em perigo.

Avisos

  • Certifique-se de que sabe qual a distância na qual pratica. As balas podem viajar quilômetros ou até ricochetear em direções inesperadas.
  • Este artigo está escrito em uma perspectiva tática. Se você tiver um “defeito tipo 1”, a possibilidade de haver uma ignição tardia de uma bala é real. Se você não estiver em uma situação tática, espere pelo menos dez segundos antes de tentar consertar o defeito.
  • Uma pistola pode causar ferimentos sérios e até levar à morte. Sempre aponte-a em uma direção segura e nunca mire algo que você não pretende atingir.
  • Toda prática deve ser feita em locais com distâncias amplas, que obedeçam as regras de segurança ou em locais privados e legais com uma arma descarregada (ou você pode substituir os projéteis por balas de festim.
  • Qualquer arma de fogo só deve ser disparada em locais seguros e legais. Lembre-se das leis estaduais ou locais e use os métodos corretos para transportar esses itens. As leis mudam drasticamente de local para local.
  • Segurança em primeiro lugar! Armas de fogo são perigosas. Somente use uma pistola ou outra arma se você tiver experiência ou alguém responsável em supervisão. Cuide de toda arma como se ela estivesse carregada .
  • As pistolas raramente são a melhor arma para situações de combate. Os rifles e as espingardas podem ser mais eficazes. Essas armas pequenas são melhores para disparar contra alvos a 0–9,1 m; espingardas, por sua vez, contra alvos a 1,8–45,7 m; por fim, os rifles são melhores a 3,7–914,4 metros.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.