Como Melhorar sua Audição

A perda da audição se torna um problema comum à medida que as pessoas envelhecem, mas pode surgir em qualquer idade se você abusar dos ouvidos ou, ainda, se não limpá-los ou mantiver uma higiene adequada. As duas categorias principais da perda auditiva são a neurossensorial e a condutiva. A perda auditiva neurossensorial (PANS) é a mais comum delas e implica em danos ocasionados ao órgão sensorial interno (cóclea) ou aos nervos que ligam o ouvido interno ao cérebro. Na maior parte do tempo, a PANS não pode ser corrigida, embora dispositivos para a melhoria auditiva e implantes cocleares possam ajudar. Por outro lado, a perda de audição condutiva (PAC) surge quando as ondas sonoras são parcialmente bloqueadas quando viajam rumo aos pequeníssimos ossos (ossículos) do ouvido médio. A boa notícia é que a PAC, em muitos casos, pode ser corrigida.

Fazendo um exame auditivo

  1. Converse com o seu médico a respeito da perda auditiva. Se você observou uma redução ou mudança em sua audição, agende uma consulta com um profissional de saúde para que ele examine os seus ouvidos em busca de qualquer anormalidade óbvia e faça perguntas relacionadas ao seu histórico e estilo de vida. A maioria dos problemas que afetam negativamente a audição é benigna e reversível e, por isso, não é preciso sentir medo de buscar a opinião de profissionais.
    • Não tente diagnosticar a si mesmo ou pedir a um amigo ou familiar sem treinamento que realize qualquer procedimento em seus ouvidos.
    • O profissional de saúde poderá encaminhá-lo para um otorrinolaringologista para exames mais aprofundados.
  2. Consulte um especialista e peça por um exame auditivo. O especialista em ouvidos (otorrinolaringologista) ou audiologista pode conduzir um exame auditivo mais aprofundado, incluindo um teste de audição ou audiométrico capaz de avaliar a capacidade do som chegar ao cérebro. Este é um teste relativamente rápido, indolor e necessário para descobrir se o problema de audição será permanente ou não.
    • O otorrinolaringologista diagnosticará se o problema está relacionado à PANS ou à PAC.
  3. Entenda o diagnóstico e as opções de tratamento. Lembre-se de pedir ao médico que explique o diagnóstico com clareza e forneça opções de tratamento diferentes. Se o problema for a PANS, o tratamento provavelmente será conduzido por um otorrinolaringologista. No entanto, caso se trate da PAC, você tem muitas outras opções de tratamento, talvez até incluindo remédios simples e seguros, dependendo da causa.
    • Pesquisar a respeito da perda auditiva na internet dará uma ideia dos tratamentos potenciais, especialmente para a PAC. Ainda assim, é importante ater-se sempre a páginas médicas com boa credibilidade.

Combatendo a perda auditiva neurossensorial (PANS)

  1. Entenda que a PANS não pode ser curada naturalmente. Embora não seja possível recuperar a audição perdida através de métodos naturais ou remédios caseiros, quando você sofre da PANS, há diversos avanços na ciência e na tecnologia médicas que podem ajudar na sua situação.
    • A PANS é o tipo mais comum de perda auditiva entre norte-americanos, estando presente em 23% da população com mais de 65 anos de idade.
    • A exposição a sons excessivamente altos representa a causa mais comum da PANS (em especial no caso da perda auditiva de frequências agudas) e afeta aproximadamente 15% dos norte-americanos que têm entre 20 e 69 anos.
  2. Adquira um aparelho auditivo. O aparelho auditivo é um pequeno dispositivo eletrônico usado sobre ou por trás da orelha. Ele torna os sons mais altos, ampliando as vibrações sonoras que entram no ouvido. Nele, estão 3 partes principais: a recepção sonora fica por conta de um microfone que converte os sons em sinais elétricos e os envia para um amplificador, que os intensifica e envia os impulsos resultantes para a cóclea através de um pequeno alto-falante. Finalmente, os sons causam a movimentação dos minúsculos pelos internos da cóclea, que, por sua vez, estimulam os nervos para que a mensagem seja enviada rumo ao centro auditivo do cérebro.
    • Atualmente, aparelhos auditivos são bastante pequenos e quase imperceptíveis. Não há razão para se sentir constrangido se eles forem a sua melhor opção.
    • Aparelhos auditivos podem funcionar de modo diferente dependendo de seus componentes eletrônicos (que podem ser analógicos ou digitais).
  3. Receba um implante coclear. Se os pelos cocleares estiverem muito danificados devido a uma infecção, um tumor ou uma lesão na cabeça, o aparelho auditivo talvez não ofereça grandes melhorias. Em seu lugar, você precisará de uma operação invasiva para a inserção de um implante coclear para reconquistar a audição funcional — ele consiste em um dispositivo médico capaz de cumprir com as funções da cóclea danificada, permitindo que os sons cheguem ao cérebro normalmente.
    • O implante coclear tem um custo consideravelmente maior do que o aparelho auditivo.
  4. Consiga um dispositivo de tecnologia auditiva auxiliar (TAA). Há várias outras tecnologias baseadas na amplificação sonora, na transmissão da energia eletromagnética, em sinais de rádio ou em ondas infravermelho que foram projetadas com a finalidade de melhorar o som, quer por conta própria ou em conjunto com um dispositivo auxiliar ou implante coclear.
  5. Agende um procedimento cirúrgico. A cirurgia pode ser necessária para drenar uma infecção presente no ouvido interno, remover um tumor ou remodelar uma má-formação genética a fim de recuperar a audição. Tenha em mente que qualquer procedimento cirúrgico apresenta riscos, sendo essencial estar bem informado antes de optar por essa alternativa.

Combatendo a perda de audição condutiva (PAC)

  1. Limpe o seu canal auditivo externo. O bloqueio devido à cera ou outros resíduos representa uma causa frequente de PAC. A cera auditiva é saudável em pequenas quantidades, além de possuir propriedades protetoras, lubrificantes e antibacterianas. Na maior parte do tempo, os canais auditivos limpam a si mesmos, mas obstruções podem surgir, causando uma perda auditiva parcial, a sensação de volume no ouvido, coceiras ou zumbidos (tinnitus). Não é recomendável usar cotonetes de algodão para limpezas profundas no canal auditivo — considere métodos mais seguros, como aplicar algumas gotas de óleo mineral, óleo de bebê ou glicerina dentro do ouvido.
    • Gotas de peróxido de hidrogênio ou de carbamida também podem dissolver com segurança a cera auditiva, embora talvez causem uma sensação de queimação ou ardor benignos durante alguns minutos.
    • A irrigação ou lavagem do ouvido pode ser feita por um médico ou em casa, com kits baratos e vendidos em diversos locais. Lembre-se de usar água salina morna para melhores resultados.
    • O procedimento popularmente conhecido como vela de ouvido não é recomendado por médicos para a limpeza dos canais auditivos, devido aos riscos de queimadura e perfuração do tímpano.
  2. Limpe as trompas de Eustáquio. O resfriado comum, a sinusite e alergias podem obstruir as trompas de Eustáquio (que conectam o ouvido médio com a parte superior da garganta e a cavidade nasal) com fluido e muco, resultando em dores de ouvido, estalos e na redução da capacidade auditiva. O bloqueio das trompas de Eustáquio quase sempre melhora mesmo sem nenhum cuidado. No entanto, para acelerar sua limpeza, tente fechar a boca e apertar o nariz e, a seguir, force ar gentilmente, como se você o estivesse assoando.
    • Bocejar ou mascar chiclete também pode servir para desobstruir as trompas de Eustáquio.
    • Você pode sentir um “estalo” quando elas se abrirem — sinal de que a pressão entre a parte interna e a externa do ouvido está igual em ambos os lados.
  3. Considere o uso de antibióticos. Antibióticos destroem ou inibem o crescimento de micro-organismos, como as bactérias patogênicas capazes de causar infecções no ouvido interno e médio. Se o seu médico indicar um diagnóstico de infecção auditiva, um antibiótico como a amoxicilina pode ser útil e ajudar a restaurar a sua audição.

Praticando exercícios que melhoram a audição

  1. Melhore a sua audição com exercícios físicos. Se você não sofre com a PANS ou a PAC mas deseja melhorar a audição, faça exercícios cardiovasculares com regularidade. Eles beneficiam a circulação sanguínea e promovem ajustes positivos dentro do ouvido.
  2. Pratique a filtragem sonora. Ouça músicas em volumes relativamente baixos ao conversar com um amigo. Acrescente uma segunda fonte de música e, a seguir, uma terceira, mantendo sempre o foco no diálogo em curso. Isso treinará os seus ouvidos a filtrar os sons ambientes.
  3. Pratique a identificação de fontes sonoras. Feche os olhos e peça a um amigo que caminhe para um local qualquer, a uma distância de sete metros ou mais de você. Peça a ele que emita uma sequência de sons de dois segundos cada, com uma buzina ou um sino, e aponte o local que você pensa ser sua origem. Em cada vez, o seu amigo deve mudar a direção e a distância da emissão.
  4. Pratique o reconhecimento de vários tipos de som. Feche os olhos e ouça todos os sons diferentes ao seu redor. Um por um, tente decifrar os sons individuais que você ouve, tanto próximos como distantes. Quanto mais você pratica, mais sons aprenderá a reconhecer.
  5. Considere baixar aplicativos projetados para melhorar a audição. Alguns exemplos incluem o CLIX (baseado na identificação das diferenças entre palavras), ForBrain (baseado no reconhecimento de sons pertinentes em vozes) e o Category Carousel (baseado na associação de sons com imagens).

Mudando a sua dieta

  1. Coma alimentos ricos em nutrientes necessários à boa saúde e ao funcionamento normal dos ouvidos. Alguns exemplos incluem peixes de água fria (arenque, salmão, truta etc.), a maioria das nozes, das sementes e dos grãos integrais, e praticamente todas as frutas e vegetais frescos.
    • Consuma antioxidantes, capazes de combater o envelhecimento em todo o corpo, e inclua as vitaminas A, C e E. Os antioxidantes neutralizam os radicais de oxigênio que se acumulam e causam danos ao organismo.
    • A vitamina B3 (niacina) promove a circulação sanguínea para os ouvidos (e ao longo do corpo) expandindo os vasos sanguíneos pequenos; a vitamina B6 (piridoxamina) é necessária para o funcionamento nervoso saudável.
    • A deficiência de vitamina B12 e folato (vitamina B9) pode estar associada à disfunção auditiva causada pelo envelhecimento. Por essa razão, é importante garantir-se de que os seus níveis estejam adequados, através de fontes alimentares ou suplementos nutricionais.
  2. Evite alimentos capazes de causar um impacto negativo na audição. Além de acrescentar certos alimentos para desfrutar de seus respectivos benefícios à saúde, remover certos produtos da dieta pode trazer bons resultados — e melhoras na audição.
    • Uma dieta rica em gordura animal está ligada a altos níveis de colesterol no sangue, o que pode aumentar o risco de obstrução arterial. Os seus ouvidos precisam de um fluxo sanguíneo adequado para funcionar adequadamente.
    • Consumir níveis elevados de sal pode aumentar a retenção de fluidos nos ouvidos.
  3. Evite metais pesados como mercúrio, arsênico e cádmio. Metais pesados são tóxicos aos nervos (especialmente os pequenos, como aqueles presentes no ouvido interno), terminando por destruí-los. O corpo não é capaz de eliminá-los adequadamente e, por isso, eles se acumulam com o tempo, tornando-se mais perigosos.
    • Alimentos relativamente ricos em mercúrio costumam ser peixes, como tubarão, peixe-espada e cavala.

Prevenindo a perda auditiva

  1. Tome medidas para impedir o aumento da deterioração auditiva decorrente de barulhos altos. Embora não seja possível reverter a PANS, é possível adotar algumas atitudes a fim de impedir que ela piore. Por exemplo, diminua a sua exposição a ruídos altos e contínuos, usando tampões de ouvido sempre que eles forem inevitáveis.
    • Pense duas vezes antes de ir a shows de rock ou eventos esportivos, como corridas automobilísticas.
    • Abaixe o volume de seu dispositivo MP3 enquanto ouve às suas músicas favoritas.
  2. Considere o impacto que alguns medicamentos podem ter sobre a sua audição. Embora alguns remédios salvem vidas e precisem ser tomados com regularidade, outros que tratam sintomas menores, como dores de cabeça, podem impactar negativamente a sua audição.
    • Comprovou-se que salicilatos, como aspirina, são capazes de romper as correntes elétricas presentes no ouvido interno.
    • Medicamentos usados no tratamento de hipertensão e câncer também aumentam os riscos de perda auditiva.
  3. Trate prontamente outros problemas de saúde que possam impactar a sua audição de outras formas. Não permita que resfriados, gripes, infecções nos seios nasais ou alergias fujam do controle (ou se tornem crônicas e recorrentes) a ponto de impactar os seus ouvidos e reduzir sua capacidade auditiva. Mantenha o sistema imunológico forte para que este possa combater as infecções naturalmente.
    • Dormir bastante, beber muita água, controlar os níveis de estresse e comer alimentos nutritivos são algumas formas de impactar positivamente o seu sistema imunológico.

Dicas

  • Se você não ouve muito bem, lembre-se de falar com um tom levemente mais suave do que considera ser necessário — é comum que se tente compensar o problema falando muito alto, quando você não discerne a sua própria voz adequadamente.
  • Considere parar de fumar — fumantes apresentam um risco maior de desenvolver a perda auditiva do que não fumantes.
  • O zumbido nos ouvidos, também chamado de tinnitus, é um sinal de dano auditivo interno e pode preceder a perda da audição.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.