Como Se Proteger Contra o Sol

Um dia divertido na praia é sinônimo de muito sol, o que naturalmente fornece vitamina D ao corpo. Apesar disso, a exposição excessiva e prolongada ao sol pode causar problemas como queimaduras, envelhecimento precoce, câncer de pele (o tipo de câncer mais comum), pigmentação disforme da pele, insolação e catarata. Tome as devidas precauções para evitar esses perigos e aproveitar a luz solar de modo seguro.

Escolhendo um protetor solar

  1. Selecione um fator FPS apropriado. Ao contrário da crença popular, o número do FPS, ou "fator de proteção solar", não indica a potência do protetor. Ele indica por quanto tempo o produto o manterá protegido dos raios ultravioletas B (UVB) – pelo menos teoricamente. Esse tempo é calculado por quantos minutos levaria para que a pele fosse queimada naturalmente e multiplicando o resultado pelo número (valor FPS) que diz quanto tempo a pele deve levar para queimar com o protetor. Portanto, se você se queima em cinco minutos de exposição sem proteção, um FPS 30 o manterá protegido por cento e cinquenta minutos (em teoria).
    • A Academia de Dermatologia Americana recomenda um protetor com fator FPS 30 ou maior. Não se recomenda o uso de fatores mais altos, pois eles passam uma falsa sensação de segurança e acrescentam uma dose maior de químicos na pele. Na verdade, os especialistas afirmam que os protetores com FPS acima de 50 não oferecem nenhuma proteção real a mais do que os com valores abaixo de 50.
  2. Fique atento à cobertura UVA e UVB. Os raios UVB são os que causam as queimaduras, mas os raios UVA também são prejudiciais à pele e podem causar sinais de envelhecimento como manchas e rugas, além de aumentarem o risco de desenvolvimento de câncer de pele. Procure um protetor que ofereça proteção máxima contra raios UVA/UVB, o que significa que ele o protegerá contra os danos de ambas as luzes ultravioleta.
    • O fator FPS se refere apenas à habilidade de bloquear raios UVB. A rotulagem "Proteção máxima contra raios UVA/UVB" indica uma proteção completa contra os dois tipos de raio.
  3. Confira os ingredientes. Algumas substâncias contidas nos protetores são alergênicas (como os parabenos), desreguladoras hormonais (como a oxibenzona) ou simplesmente desnecessárias (como fragrâncias e outros ingredientes inativos).
    • Os retinóides (uma forma de vitamina A) são ingredientes inativos comuns nos protetores solares. Estudos canadenses sugerem que eles podem ampliar a sensibilidade à luz UV solar.
    • Acredita-se que a oxibenzona seja um desregulador hormonal. Ela pode imitar o estrogênio no corpo. Existem casos de alterações na produção de esperma nos homens e de endometriose nas mulheres.
    • O octinoxate é outro ingrediente considerado um desregulador hormonal. Ele pode imitar hormônios e, em estudos laboratoriais, houve casos de alterações no sistema reprodutivo e na tireoide. Ele também pode causar reações alérgicas em alguns usuários.
    • O homosalato é um desregulador hormonal que também pode ser tóxico quando absorvido pelo organismo.
    • O otocrileno possui uma taxa relativamente alta de alergias cutâneas em alguns usuários.
    • Os parabenos são comumente utilizados como conservantes nos protetores solares. Acredita-se que os parabenos butil-, etil-, metil- e propil- estão associados a reações alérgicas, desregulações hormonais e toxicidade sanguínea.
    • Procure protetores solares Sem PABA. O ácido para-aminobenzoico, ou PABA, foi utilizado na confecção de protetores solares por muito tempo, mas pode causar uma reação alérgica em algumas pessoas, além de ser associado à toxicidade grave de fígado em dosagens altas.
    • Evite protetores com repelentes de insetos. Essa adição pode reduzir a eficácia do produto e aumentar a toxicidade dos químicos presentes no repelente. Por isso, os especialistas recomendam o uso de dois produtos separados: um protetor solar eficaz e um repelente de insetos seguro.
  4. Escolha um protetor solar à prova d'água caso vá nadar ou transpirar muito. Lembre-se de que nenhum protetor solar é realmente impermeável e todos devem ser reaplicados frequentemente de acordo com as instruções da embalagem.
    • Alterações recentes nas regulamentações da FDA (departamento americano que regula serviços de saúde e alimentação) modificaram o modo com o qual a resistência à água dos protetores solares era identificada nos rótulos dos produtos nos Estados Unidos. Os rótulos agora devem indicar a resistência em duas categorias: quarenta minutos e oitenta minutos. Entretanto, não há tal regulamentação no Brasil.
  5. Escolha um protetor com o qual se sinta confortável. Utilizar um protetor não é algo que precisa ser desagradável, portanto, experimente diferentes marcas e modelos para encontrar a melhor opção para você.
    • Alguns protetores solares não são gosmentos ou fedidos como aqueles desenvolvidos para esportistas e pessoas que realizam atividades mais pesadas ao ar livre.
    • Alguns protetores podem ser encontrados em versões spray, roll-on e outras. Especialistas alegam que o uso das versões spray e em pó pode causar irritação pulmonar devido ao risco da inalação dos conteúdos químicos. Além disso, esses formatos podem não ser tão eficazes quanto os protetores à base d'água.
    • Os protetores em spray podem ser úteis para áreas com pelos, como o peito ou a cabeça. Os protetores à base de álcool ou gel podem ser mais eficazes para pessoas com peles oleosas.
    • Existem alguns hidratantes de pele que contêm proteção solar. Caso vá utilizar um protetor e um hidratante, passe o hidratante primeiro para maximizar a absorção e proteção de ambos os produtos.
  6. Escolha um protetor adequado para crianças. Os filtros UV à base de minerais como zinco e titânio têm menos chances de causar reações alérgicas em crianças e pessoas com peles sensíveis, mas podem ser menos eficazes do que os protetores à base de químicos. Quase todos os protetores solares podem ser aplicados em crianças com mais de seis meses de idade.
    • Recomenda-se que o uso de protetores solares seja evitado em bebês com menos de seis meses de idade. Os especialistas alegam que a sombra é a melhor medida preventiva (seja ela natural ou de um guarda-sol). Caso precise aplicar o protetor em uma criança dessa idade, consulte um pediatra antes de fazê-lo para obter as melhores instruções.
    • Teste o protetor em um pedaço da pele da criança. A pele infantil é mais sensível e propensa a reagir ao protetor. Para garantir que não haja uma reação desagradável, aplique uma pequena quantidade em uma região da pele antes de espalhar o produto pelo corpo inteiro.

Aplicando o protetor

  1. Confira a data de validade. Normalmente, os protetores devem possuir uma data de validade de pelo menos três anos após a fabricação. Entretanto, você deve sempre conferir e seguir as datas de validade para obter a melhor proteção.
    • Se o recipiente não possui uma data de validade, escreva a data da compra no rótulo. Desse modo, você saberá quando chegar a hora de comprar um novo protetor.
  2. Aplique o protetor antes de sair de casa. Leva cerca de trinta minutos para que os agentes químicos do produto assentem na pele e ofereçam a proteção indicada. Aplique o produto cerca de meia hora antes de ser exposto ao sol.
    • Não se esqueça dos lábios! Aplique um protetor labial fator 45 cerca de uma hora antes de sair de casa.
  3. Aplique o protetor solar generosamente. Caso esteja utilizando uma versão em creme, a quantidade necessária deve ter o tamanho de uma bola de golfe, ou cerca de 30 ml (mais ou menos a quantidade necessária para encher um copo de dose).
    • Utilize uma quantia maior do que a que acredita necessitar. Durante uma saída prolongada à praia, planeje utilizar um quarto ou metade de um pote de 225 ml.
    • Lembre-se de cobrir as áreas mais vulneráveis do corpo – o rosto inteiro, o couro cabeludo, o pescoço, os braços e a parte traseira dos joelhos e das mãos. Não se esqueça dos pés, caso esteja calçando sandálias – pés queimados pelo sol podem doer muito! Qualquer área da pele que será exposta à luz solar deve ser coberta.
    • Não simplesmente jogue o protetor solar na pele. Aplique um pouco e esfregue-o. Faça isso repetidas vezes, até criar uma camada profunda e penetrante de protetor. Se aplicá-lo corretamente, você provavelmente não o notará na pele e ficará protegido do sol.
    • Peça que um amigo o ajude a aplicar o protetor em áreas difíceis, como as costas e os ombros.
  4. Reaplique com frequência. Caso esteja nadando ou transpirando em excesso, será necessário reaplicar o protetor solar com mais frequência do que o indicado pelo fator de proteção, pois o produto aplicado na pele se dissolverá mais rapidamente.

Cobrindo-se com roupas

  1. Cubra-se. Camadas leves de roupas fechadas funcionam melhor. Vista uma camiseta regata sob uma camisa leve e aberta de manga longa. Calças compridas oferecem maior proteção do que bermudas. Fibras naturais, como o algodão, são mais frescas.
    • As roupas claras não absorvem tanto o calor quanto às escuras, mas também não oferecem tanta proteção contra o sol.
    • Roupas muito finas, como camisetas brancas, não oferecem muita proteção. Aplique um protetor solar caso vá vestir roupas claras e soltas.
    • Se vai nadar, considere uma camisa de natação de manga longa, como aquelas utilizadas por surfistas. Essas vestimentas podem ajudá-lo a evitar queimaduras na água.
  2. Escolha roupas com fator de proteção ultravioleta. Muitas roupas, principalmente aquelas de lojas de atividades ao ar livre, possuem etiquetas indicando o nível de proteção UV da roupa.
  3. Vista o chapéu adequado. Escolha um modelo com uma aba de pelo menos 8 cm.
    • Os bonés deixam as orelhas e o pescoço expostos, portanto, não são a melhor opção para proteção contra o sol.
    • Um chapéu também ajudará a proteger os olhos do brilho do sol.
    • Coloque chapéus nas crianças também. Opte por modelos que criem sombra no rosto e no pescoço.
  4. Vista óculos de sol. Escolha modelos que bloqueiem a luz UV e cubram as laterais do rosto. A exposição prolongada à luz UV pode levar à catarata e expor a pele das pálpebras à radiação ultravioleta. Utilize um óculos junto do chapéu para otimizar a proteção dos olhos.
    • Se não sabe se algum par de óculos que você possui bloqueia adequadamente os raios UV, peça que um oftalmologista ou oculista o analise.

Mantendo-se hidratado

  1. Permaneça hidratado. A água é a melhor opção para isso, não importa se está calor ou frio. Os especialistas recomendam que os homens consumam cerca de treze copos (três litros) de fluidos por dia, enquanto as mulheres devem consumir cerca de nove copos (dois litros).
    • Os especialistas recomendam que você beba um copo de água a cada quinze ou vinte minutos ao realizar atividades moderadas ao ar livre no calor.
    • Os especialistas alegam que a água hidrata melhor do que as bebidas esportivas, apesar de todo o alarde acerca dos benefícios dos eletrólitos, pois essas bebidas contêm níveis muito altos de açúcar e sódio. Apesar de serem eletrólitos, o açúcar também contém muitas calorias e o sódio pode desidratá-lo. Se estiver preocupado com os níveis de eletrólitos no organismo, pegue alguns salgadinhos ou nozes para restaurá-los.
  2. Evite a cafeína e o álcool. Essas substâncias podem desidratá-lo e você ficará melhor se evitá-las. Um refrigerante ocasional dificilmente causará desidratação, mas é melhor ater-se à água para a hidratação.
    • Além disso, o álcool pode prejudicar seu julgamento e aumentar o tempo de resposta. Cerca de 70% das mortes de adultos e adolescentes que ocorrem em atividades recreativas na água estão associadas ao álcool. Se ainda assim quiser tomar aquela cervejinha para se refrescar, lembre-se de tomar pelo menos o dobro de água em relação à quantidade de álcool.
  3. Beba água mesmo quando não estiver com sede. A sede ocorre no corpo humano quando a desidratação já começou, portanto, é importante beber o dia inteiro para evitar isso.
  4. Lembre-se de que os bebês também ficam desidratados. Se você tem uma criança pequena, deixe-a bem hidratada servindo pelo menos a quantidade que normalmente dá de leite para ela enquanto estão ao ar livre. Além disso, converse com um pediatra para descobrir quando seu bebê pode beber pequenas quantidades de água, suco ou uma solução oral de eletrólitos própria para crianças.
    • Como os bebês não transpiram tanto quanto os adultos, eles correm mais riscos de ficarem sobreaquecidos e desidratados ao ar livre. Fique de olho para garantir que a criança esteja segura e confortável.

Aproveitando o sol de modo inteligente

  1. Consulte o índice UV do dia. As informações meteorológicas são utilizadas como base na criação de um índice diário que analisa o risco de danos causados pela exposição aos raios ultravioleta. Conhecer o índice com antecedência pode ajudá-lo a evitar queimaduras.
  2. Fique longe do sol, principalmente no horário de pico entre as 10h00 e as 14h00. A luz ultravioleta está mais forte perto do meio do dia, quando o sol está completamente elevado. Se estiver fora de casa durante esses horários, permaneça na sombra. Ainda é possível se queimar na sombra ou em dias nublados, mas você estará mais protegido.
    • Crie sua própria sombra. Além de utilizar um chapéu, carregar um guarda-chuva pode ajudá-lo a se proteger do sol e manter-se seguro.
    • Caso precise realizar alguma atividade física pesada ao ar livre, tente fazê-lo pela manhã ou pelo fim da tarde, nunca no sol do meio dia. Caso tenha que trabalhar durante o dia, faça muitas pausas e beba pelo menos um copo d'água a cada quinze ou vinte minutos.
    • Ao caminhar com bebês e crianças ao ar livre, dê preferência para os horários mais frescos do dia. Utilize uma cobertura no carrinho do bebê e garanta que as crianças estejam cobertas adequadamente com roupas, chapéus, óculos de sol e protetor solar ao saírem sob o calor das tardes.
  3. Fique de olho em sua sombra. A intensidade dos raios UV está relacionada ao ângulo do sol com relação à sua posição na Terra. Caso seu corpo esteja projetando uma sombra curta, vá para a sombra.
  4. Refresque-se caso comece a sentir calor. Passar muito tempo no sol pode causar exaustão e queimaduras. Coloque uma toalha úmida com água fria na testa ou no pescoço.
    • Vá nadar. Submergir o corpo em água fria pode ajudar a diminuir a temperatura corporal – mas não a deixe cair demais! A temperatura corporal pode cair vinte e cinco vezes mais rápido na água fria do que no ar frio e, caso sua temperatura fique abaixo de 35 °C, você pode apresentar hipotermia. Saber a previsão do tempo com antecedência pode ajudá-lo a evitar mudanças extremas na temperatura corporal.
  5. Tome cuidado com a exposição ao sol enquanto dirige. Feche as janelas e ligue o ar-condicionado em vez de ficar com o braço para fora da janela. O vidro bloqueia os raios UV de modo razoável, mas ainda assim é necessário passar protetor solar.
    • Se tiver a sorte de dirigir um conversível, lembre-se de aplicar protetor solar e vestir um chapéu.
  6. Conheça os sinais e sintomas da exaustão por calor e da insolação. Caso sinta qualquer um dos seguintes sintomas, saia do sol (e vá, preferencialmente, até um lugar fresco) e beba muitos fluidos:
    • Pele quente demais ao toque
    • Transpiração excessiva
    • Tontura ou desorientação
    • Fadiga
    • Náusea ou vômito
    • Aceleração nos batimentos cardíacos
    • Urina escura ou infrequente
    • Se os sintomas não melhorarem após meia hora, busque ajuda profissional imediatamente.

Dicas

  • Leve uma garrafa d'água com você ao sair.
  • Apesar de algumas pessoas se preocuparem com a oxibenzona, um ingrediente comum nos protetores solares, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e outros laboratórios de renome não encontraram nenhuma relação entre ela e efeitos adversos de saúde.
  • É comum queimar o rosto ao praticar esqui ou snowboard . Se planeja divertir-se em montanhas com neve, em qualquer estação, passe protetor solar!
  • É possível queimar-se através das roupas. Os tecidos normalmente possuem um fator de proteção entre 3 e 10 e, quando molhados, esse número é ainda menor. Por segurança, aplique o protetor debaixo das roupas ou lave-as com um produto que forneça proteção ultravioleta às roupas e dure até vinte lavagens.
  • O protetor solar pode irritar seus olhos, portanto, não o aplique próximo deles. Caso o contato ocorra, lave a região imediatamente com água corrente.

Avisos

  • É possível queimar-se em um dia nublado. Utilize um protetor solar mesmo se o dia estiver fresco e nublado.
  • Caso apresente lágrimas nos olhos, vermelhidão na pele ou qualquer outra reação ao protetor solar, você pode estar sofrendo uma reação alérgica. Procure um protetor mais sensível ou converse com um médico.
  • Não há um modo "seguro" de se bronzear. Se quiser um visual da cor do pecado, utilize um produto de bronzeamento rápido e não se exponha ao sol. Esses produtos contêm dihidroxiacetona, um químico que escurece a pele de modo temporário e artificial. Alguns pesquisadores alertam que a aplicação spray da dihidroxiacetona pode causar danos aos pulmões e até mesmo câncer em caso de inalação.
  • Se possível, compre um protetor solar livre de parabenos. Utilizado como conservante para produtos de venda demorada, os parabenos são associados ao câncer de mama e podem causar alergias ou rosáceas em pessoas suscetíveis. Entretanto, a indústria de cosméticos os considera adições seguras e faltam estudos para confirmar isso.

Materiais Necessários

  • Protetor solar apropriado (com FPS de preferência acima de 30)
  • Roupas, chapéus e óculos de sol
  • Sombra
  • Métodos de hidratação (carregue uma garrafa d'água com você)
  • Óculos de sol
  • Guarda-chuva para proteção
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.