Como Cultivar Orquídeas

As orquídeas estão entre as flores mais belas de todo o reino vegetal, combinando a aparência exótica com um conjunto diversificado de características. As orquídeas são plantas requintadas, com mais de 30 mil espécies diferentes e mais de 200.000 variedades híbridas - tornando-as a maior família de plantas no mundo. Capazes de crescer em ambientes fechados e ao ar livre, as orquídeas são, sem dúvida, únicas e, infelizmente, para alguns potenciais cultivadores de plantas, difíceis de cultivar com sucesso. Alguém que espera cultivar orquídeas deve se preparar para ambos os fracassos e triunfos que a criação desta linda variedade vegetal pode trazer.

Plantando sua orquídea

  1. Selecione uma espécie de orquídea. Algumas orquídeas são mais fáceis de cultivar do que outras. Orquídeas Cattleya, Phalaenopsis e Paphiopedilum estão entre as mais fáceis de cultivar e são recomendadas para a maioria dos jardineiros iniciantes e cultivadores de orquídeas. Acredita-se que haja mais de 20.000 espécies de orquídeas – o que é duas vezes a quantidade de espécies de aves existentes e quatro vezes a quantidade de espécies de mamíferos existentes. Há quase, literalmente, uma orquídea para cada tipo de pessoa.
    • Talvez os gêneros mais comuns de orquídeas encontradas para venda incluam Phalaenopsis, Dendrobium e Oncidium. Phalaenopsis é conhecida como a "orquídea mariposa" e é extremamente popular entre os produtores que iniciam o cultivo de orquídeas; o gênero Dendrobium contém cerca de 1.200 espécies de orquídeas epífitas e é o clássico das orquídeas; Oncidiums são caracterizadas pela presença de coluna em asas e um calo no labelo (lábio).
    • Diferentes gêneros de orquídeas precisam de diferentes umidades, temperaturas ideais de crescimento, horários de rega e os requisitos de luz. Converse com um especialista em plantas ou visite sua sociedade orquídófila local para descobrir o que faz o seu gênero de orquídeas crescer melhor.
  2. Escolha o tipo de solo para suas orquídeas. Alguns orquidófilos iniciantes cometem o erro de supor que as orquídeas precisam ser encapsuladas no solo como outras espécies de flores, escolhendo o envasamento do solo como um condutor. Isso seria um erro grave. As raízes das orquídeas precisam de muito mais ar do que o envasamento do solo daria a elas, e assim, se beneficiariam mais de um solo misto, poroso e mais pobre.
    • Muitas pessoas usam pedaços de cascas, musgo de esfagno, casca de coco, carvão, perlita, e até mesmo bolinhas de isopor como substrato, muitas vezes em combinação. Experimente utilizar materiais porosos, misturas respiráveis que você tenha à mão, ou converse com um especialista para obter uma receita especial.
  3. Experimente um tipo de substrato, ou a combinação de vários tipos diferentes. Para simplificar, você pode fazer dois tipos básicos de misturas que vão funcionar para a maioria dos tipos de orquídeas.
    • Faça um substrato fino, que seja adequado para orquídeas chinelo, a maioria das Oncidiums, Miltonias e orquídeas com raízes pequenas, que gostam de umidade.
      • 4 partes de grãos moídos de casca de pinheiro ou de cascas de coco moídas
      • Uma parte de carvão vegetal moído
      • 1 parte de perlita
    • Faça um substrato médio, adequado para Cattleyas, Phalaenopsis, e outras orquídeas maduras. Se não tiver certeza de qual mix usar, tente o substrato de grau médio, antes do mix de grau fino
      • 4 partes de casca de pinheiro moídas médias ou casca de coco moída média
      • Uma parte de carvão vegetal moída média
      • 1 parte de perlita
  4. A não ser que sua orquídea seja uma planta grande, escolha um vaso (ou pote) adequado para a sua planta. Muitas orquídeas ficam confortáveis tendo suas raízes emaranhadas. Escolha um vaso menor para colocar a sua orquídea, certificando-se de que há uma abundância de buracos no próprio vaso para drenagem. Lembre-se, o inimigo de orquídeas é muitas vezes o excesso de rega. Algumas orquídeas, como Cymbidiums, exigirão vasos maiores para acomodar sistemas radiculares muito longos. Os seguintes tipos de vasos podem ser substitutos ao tradicional vaso de barro (o que é perfeitamente aceitável): br>
    • Vasos vasados, que têm uma malha de arame para permitir um ambiente respirável. Estes podem ser pendurados em locais que captam melhor a luz solar.
    • Vasos de plástico transparentes, que recebem melhor a luz solar para as raízes. Estes permitem ao cultivador inspecionar os sistemas de raiz sem perturbar a orquídea.
    • Vasos de madeira, que são feitos em madeira resistente ao apodrecimento. Forre os vasos de madeira com musgo, antes de adicionar a sua mistura de envasamento.
  5. Para propagar as sementes, seja paciente. Certifique-se de que suas mãos e seu ambiente estejam estéreis. Espalhe apenas umas poucas sementes imediatamente abaixo da superfície de cada vaso. Adicione fertilizante ecológico, se necessário. Novamente, use o melhor disponível para o solo .
  6. Coloque sua orquídea em um vaso. Retire a orquídea do vaso original, cortando quaisquer raízes mortas ou em decomposição. Divida a raiz em várias seções diferentes, se necessário, antes de colocar a planta em seu vaso .A parte mais madura do crescimento deve ser posicionada contra a parede do vaso. Adicione suavemente o substrato, mal cobrindo o sistema radicular.
  7. Saiba quando replantar suas orquídeas. Orquídeas diferentes se beneficiam de ser replantadas de forma:
    • Anual: Dendrobium, Miltonia, Paphiopedilum e Phalaenopsis (e híbridos)
    • Bianualmente: Cattleya, Dendrobium, Oncidium, Odontoglossum (e híbridos)
    • Uma vez, a cada três anos: Vanda, Cymbidium

Adubando suas orquídeas

  1. Crie o clima correto para a sua orquídea. A maioria das orquídeas é originária de um clima tropical, ou seja, bom ar, muita luz e dias de 12 horas (365 dias por ano). A temperatura (dependendo da espécie de orquídea) deve variar entre 18,3-23,8 ° C.
    • Certifique-se de que haja uma diferença de cerca de 6,66° C entre o dia e as temperaturas noturnas. Isto deve ser implementado, assim que você começar.
  2. Certifique-se de que suas orquídeas recebam luz solar suficiente, mas não em demasia. Muitas orquídeas desfrutam de luz solar indireta. Há casos em que a luz solar direta pode queimá-las, e pouca luz solar pode originar uma planta que não floresce.
    • Verifique as folhas de orquídeas se quiser descobrir se ela está recebendo muita luz ou não está recebendo luz suficiente. As folhas da orquídea devem ser de um verde brilhante se ela está saudável. Se as folhas são verde-escuras, isso significa que a orquídea não está recebendo luz suficiente. Se as folhas são de cor amarela, marrom, ou avermelhada, isso significa que eles estão recebendo muita luz solar.
    • Orquídeas que precisam de pouca luz (Paphiopedilum, Phalaenopsis e Oncidium) ficam melhores se obtiverem luz ao norte ou ao leste. Orquídeas que precisam de luz moderada a alta (Cattleya, Dendrobium e Vanda) preferem ficar a oeste ou ao sul da luz.
    • Orquídeas amam estar por trás de cortinas ou persianas. Dessa forma, eles podem ter abundância de luz, mas a luz que conseguem é indireta.
  3. Regue sua orquídea uma vez a cada 5 a 12 dias. É mais fácil matar uma orquídea por regá-la com muita frequência do que por regá-la muito raramente. Durante os meses de verão, os dias mais longos e mais calor podem exigir um período de rega menor.
    • Mantenha os seguintes gêneros úmidos (mas não encharcados) em todos os momentos: Paphiopedilum, Miltonia, Cymbidium e Odontoglossum.
    • Mantenha os seguintes gêneros mais úmidos durante o crescimento ativo, mas deixe mais secos entre as regas: Cattleya, Oncidium, Brassia, e Dendrobium.
    • Permita que os seguintes gêneros fiquem secos entre as regas: Phalaenopsis, Vanda, e Ascocenda.
  4. Cuide das orquídeas cuidadosamente. As orquídeas exigem muito mais atenção do que suas plantas ou flores comuns. Quanto mais espessas são suas folhas, é mais provável que ela requeira uma dose maior de água. Se sua planta tem bulbos volumosos, menos água é melhor. As orquídeas não são resistentes na maioria das ocasiões, mas são, quando se trata de sua ingestão de água. Mais uma vez, elas realmente lidam melhor com a falta de água do que com uma quantidade desnecessária de água.
  5. Não adube demais suas orquídeas. Normalmente, adube sua orquídea uma vez por mês, e raramente mais do que isso. Adubar demais, por muitas vezes, pode queimar as raízes e dificultar a floração; fazer pouca adubação pode dificultar o processo de floração.
  6. Mantenha o nível de umidade alto. Devido à afinidade natural das orquídeas em relação à umidade, mantenha sempre a umidade do local onde ela está, em cerca de 60% a 80%.
  7. Entenda que cada orquídea é diferente. Cada galho de orquídea tem diferentes necessidades e regras de vigilância. Nenhuma orquídea é a mesma, todas necessitam de uma temperatura diferente, iluminação e programação de rega. Então, quando você escolher uma planta de orquídea para cultivar, você deve ser flexível em relação ao seu cultivo.

Dicas

  • As orquídeas levam um tempo extremamente longo para se desenvolverem. Você não vai ver o primeiro sinal da planta por alguns meses. As raízes virão muito tempo depois, e as primeiras flores provavelmente não vão florescer por até 8 anos. Assim, a paciência é de extrema importância. No entanto, paciência e cuidado vão se provar válidos uma vez que sua bela orquídea florescer.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.