Como Passar em um Exame de Drogas em Curto Prazo

Se precisa passar em um exame de drogas em um curto prazo, saiba que as tecnologias avançaram ao ponto em que os modos clássicos de burlá-los, como colocar sal na urina ou utilizar a de outra pessoa, são quase sempre detectados. Sua melhor chance é preparar o corpo com antecedência interrompendo o uso das drogas assim que descobrir que precisa fazer o teste. Quando não há tempo para remover os vestígios das substâncias, experimente outras técnicas para burlar o sistema. Quando tudo mais falhar, saiba seus direitos para sair de enrascadas. Continue lendo!

Preparando-se para o exame

  1. Consiga o máximo de tempo possível. Cada dia que passa entre o último uso e a data do exame aumenta suas chances de escapar. Se tiver tempo para se preparar, utilize-o com sabedoria e pare de utilizar as drogas até que esteja liberado. Não importa o tipo de droga, interrompa o consumo com antecedência ao invés de depender de métodos ineficazes de falsificação.
    • Se o exame será administrado por seu empregador, é provável que você receba um aviso com antecedência. Você pode não saber o dia exato, mas será possível ter uma ideia da semana em que ele ocorrerá. Preste atenção nas políticas da empresa para se preparar e não ser pego de surpresa.
    • Se será testado por estar em liberdade condicional, seus exames provavelmente serão executados em um cronograma. Não se distraia e prepare seu corpo com antecedência.
    • Nem sempre é possível se preparar para um teste. Se você for parado por policiais que suspeitam de intoxicação, pode ser necessário fazer o teste no local. Apesar de ser difícil burlar esse tipo de teste, existem coisas que você pode fazer para aumentar suas chances.
  2. Descubra o tipo de exame que fará. Existem quatro tipos principais: exame de urina, de sangue, de saliva e de cabelo. Eles testam seu organismo em busca de anfetaminas (metanfetamina, speed, crank, ecstay), canabinóides (maconha, haxixe), cocaína (cocaína, crack), opiáceos (heroína, morfina, ópio, codeína), e fenciclidina (PCP). Os avanços tecnológicos podem dificultar a falsificação dos resultados, mas conhecer as diferenças entre eles pode ser útil para sua situação.
    • Os exames de urina são os mais comuns aplicados por empresas. Eles são os mais fáceis de se burlar, pois você possui uma pequena janela de privacidade em que deve fornecer a amostra de urina (desde que não seja observado).
    • Os exames de sangue podem ser administrados caso você seja parado e os policiais suspeitem de intoxicação por drogas. Esse tipo de exame é difícil de se passar caso tenha utilizado drogas recentemente, pois ele é eficaz na determinação da quantidade de droga presente no sistema. Se tiver consumido há alguns dias, é provável que você seja liberado.
    • Os exames de saliva podem ser administrados no lugar dos de urina e sangue pois são menos invasivos. Eles também são um pouco menos sensíveis.
    • Os exames de cabelo são extremamente difíceis de se falsificar. Até 120 fios de cabelo são avaliados em um laboratório para se procurar traços de drogas. Como leva cerca de duas semanas para que que os fios cresçam o suficiente para serem examinados, esse exame não consegue identificar o consumo das últimas duas semanas. Entretanto, os traços das drogas podem ficar em seus cabelos por até 90 dias, então esse é um modo eficaz de identificar usuários regulares.
  3. Tente descobrir a quantidade de droga presente em seu sistema. O método escolhido para burlar um exame dependerá disso. Por exemplo, a maconha pode ser indetectável após alguns dias caso você seja um usuário casual. Entretanto, o uso contínuo de maconha, cocaína, barbitúricos e outras drogas é detectável mesmo após 15 a 30 dias.
    • Se você é usuário "crônico" de maconha, o teste provavelmente dará positivo. Entretanto, se você apenas a consumiu algumas vezes, há uma grande chance de tê-la liberado do corpo e de que o teste seja negativo.
    • Lembre-se de que se você for sujeitado a um teste de cabelo, qualquer droga consumida nos últimos 90 dias (com exceção das últimas duas semanas) será identificada.
  4. Saiba qual teste escolher se tiver essa chance. Ao invés de tentar forjar um resultado, escolha um teste que tenha as menores chances de dar positivo. É claro que não existem garantias, mas é melhor escolher o teste no qual você possui as melhores chances.
    • Se utilizou a droga apenas algumas vezes, e se o último uso foi a mais de uma semana, sua melhor chance é realizar um exame de sangue e saliva, pois a maioria das drogas é liberada da corrente sanguínea após algumas horas ou dias.
    • Se estiver chapado na hora do teste, escolha o exame de urina, pois ele é menos sensível do que o exame de sangue quanto aos níveis exatos da substância em seu sistema. Eles não medem os níveis de THC, então, se o problema for a maconha, mesmo que você não passe no exame, não haverá nenhuma prova de que estava sob os efeitos da droga na hora.
    • Se experimentou drogas pela primeira vez na última semana e for possível realizar o exame de cabelo, essa é sua melhor opção. Tudo que foi feito nas últimas semanas não será identificado no exame, mas as drogas consumidas até 90 dias serão.
    • Se você é usuário frequente, tente não realizar o exame de cabelo, pois ele é difícil de se contestar.

Passando no exame de urina

  1. Não tente mascarar ou diluir a amostra, pois os analisadores conhecem todas essas táticas e sabem como identificar produtos específicos para isso. A maioria das substâncias, como alvejante, sal ou vinagre, alterará radicalmente o pH da urina, o que tornará óbvio o fato de que você modificou a amostra. Diluir a urina com água também pode alertá-los por conta da alteração de cor e/ou temperatura; uma amostra transparente ou morna provavelmente será rejeitada.
    • Ignore o boato de que beber alvejante purifica a urina. Isso pode corroer sua boca, garganta e estômago, e possivelmente matá-lo. Além de tudo, isso não mascarará sua amostra.
    • Não seja enganado por produtos que dizem tornar as substâncias de sua urina inidentificáveis. Eles não funcionam.
  2. Beba muita água no dia anterior ao teste. Aumentar o consumo de líquidos ajudará a diluir a amostra do exame. Isso não funcionará muito bem se você for um usuário frequente, mas pode ajudá-lo caso tenha consumido a droga apenas algumas vezes.
    • Não há nenhuma bebida ou ingrediente mágico que "limpará" seu sistema melhor do que a água. Não há nenhuma evidência de que vinagre, niacina ou vitamina C tenham algum efeito nos níveis de metabólitos de drogas em seu organismo.
    • Consuma algumas pílulas de vitamina B no dia anterior do teste para deixar sua urina amarela. Se ela estiver transparente demais, os avaliadores suspeitarão de algo.
  3. Urine o máximo possível antes do exame. Isso ajudará a remover os metabólitos de drogas de seu corpo. Beba muita água na manhã do dia do exame e urine bastante antes dele.
    • Aumente a liberação de fluídos com algum tipo de diurético. Isso estimulará a urinação e ajudará a limpar seu organismo. Beba café, chá ou suco de cranberry. Os diuréticos mais fortes, como furosemida, podem ser adquiridos com prescrição médica.
    • Os metabólitos de drogas se acumulam em seu corpo quando se está dormindo, então a primeira urina do dia possuirá uma alta concentração deles. Lembre-se de urinar antes do exame e de beber muita água para diluir mais a urina.
    • Se não estiver sendo observado, urine no vaso primeiro e então no copo da amostra; as primeiras gotas de urina contém mais metabólitos.
  4. Considere substituir sua amostra por uma urina sintética ou limpa. Isso é muito mais difícil do que parece, então considere essa opção apenas como última alternativa (e saiba que você provavelmente será penalizado se for descoberto). É possível comprar urina falsa ou encontrar um doador limpo. Será difícil manter a amostra na mesma temperatura para a análise (entre 32ºC e 36ºC) e contrabandeá-la até a área do exame. Os kits de urina falsa e dos equipamentos necessários para mantê-la na temperatura correta podem ser encontrados na Internet.
    • A urina sintética passa na maioria dos exames, mas alguns deles testam a amostra em busca de ácido úrico. Certifique-se de que sua amostra contenha esse ingrediente.
    • A urina sintética também deve possuir odor para que os analisadores não suspeitem de nada.
    • É essencial manter a amostra na temperatura correta. Uma urina muito quente ou muito fria obviamente foi manipulada.
    • Utilizar um doador é mais arriscado do que utilizar urina falsa, pois você nunca sabe o que pode aparecer no exame da pessoa. Teste a amostra por conta própria comprando um exame de farmácia e utilize-a dentro de 48 horas, pois após isso ela ficará escura e os níveis de pH se alterarão.

Passando nos exames de sangue, saliva ou cabelo

  1. Tente adiar um exame de sangue ou saliva para aumentar suas chances. A maioria das drogas não é identificável através deles após algumas horas, mas algumas permanecerão na corrente sanguínea por três dias ou mais. Não importa qual droga tenha consumido, suas chances serão melhores se o exame for adiado por um dia ou mais.
    • Se não puder adiar um exame de saliva e ele for auto administrado, ao invés de segurar o cotonete contra a bochecha e as gengivas por dois minutos, como instruído, morda-o entre os dentes molares. Isso provavelmente não funcionará, mas não custa tentar.
    • Não há nenhum modo de manipular um exame de sangue, pois ele não é auto administrado. O sangue é retirado no local e levado para análise imediatamente.
  2. Raspe a cabeça e depile o corpo antes do exame de cabelo. Como seu cabelo será cortado durante os exames, não há nada a se fazer para maquiar os resultados. Entretanto, se você não possuir nenhum cabelo para ser cortado, pode ser possível pedir um exame diferente que seja mais fácil de se burlar. Se não conhecer os analisadores e não tiver concordado em enviar uma amostra de cabelo, raspe a cabeça e depile o corpo (principalmente as áreas com fios mais compridos) e informe-os casualmente de que não possui cabelos para enviar. Solicite então outro teste.
    • Tenha uma boa desculpa para ter raspado a cabeça. Você pode dizer que os fios estão ficando ralos ou que está experimentando um estilo novo. Evite inventar problemas médicos (como câncer) para explicar a situação, pois isso pode criar muitas complicações para você.
    • Como a amostra precisa de apenas 2,5 cm de comprimento, saiba que eles podem solicitar fios dos braços, pernas, etc. Essa é uma boa hora para fazer uma depilação total e fingir ser um nadador.
  3. Tente encontrar um modo de fugir do exame. Como esses testes são difíceis de se trapacear, tente evitar o exame a qualquer custo. Esses são alguns dos modos de se fazer isso:
    • Peça um exame de urina. Se acredita que consegue passar nele pois sua urina está diluída ou por acreditar que o exame de sangue mostrará exatamente quão chapado você está, veja se consegue realizar o exame de urina. Diga que o considera menos invasivo.
    • Exercite seus direitos. Em alguns casos, a pessoa administrando o exame pode não possuir o direito de fazê-lo. Conheça as leis e leia as políticas de sua empresa. Tente encontrar uma falha que possa liberá-lo do exame ou pelo menos adiá-lo.

Conhecendo seus direitos

  1. Confira as leis federais sobre políticas de exames de drogas. Existem leis que ditam como os candidatos e os funcionários podem ser examinados. Na maioria dos casos, o empregador pode administrar esses exames legalmente apenas se emitir um comunicado e realizar os exames em um laboratório certificado pelo governo. Outros requisitos comuns incluem:
    • Todos os empregados ou candidatos devem ser testados do mesmo modo.
    • Se o exame fizer parte do processo de contratação, o candidato deve ser informado disso desde o início.
    • Os empregadores não podem conduzir exames aleatoriamente.
    • Na maioria dos casos, os empregadores podem examinar funcionários caso tenham suspeitas causadas por comportamentos erráticos, trabalho inadequado, etc.
  2. Peça por um segundo exame, se possível. Nenhum dos testes é 100% preciso. Os exames de urina são os mais imprecisos, mas todos são falíveis. Utilize isso para sua vantagem se falhar em algum dos testes. Não há nada de errado em pedir por uma segunda avaliação, basta dizer que discorda dos resultados e que gostaria de repetir o exame.
  3. Considere contestar o exame se não passar nele. Apesar de um empregador que seguiu as leis possuir o direito de demiti-lo ao falhar em um teste ou se recusar a fazê-lo, você pode contestar os resultados caso ele não tenha sido administrado corretamente. Revise as políticas da empresa e as leis para se certificar de que elas estejam de acordo. Se elas não estiverem, pode ser possível realizar outro exame.
    • Confira o laboratório que administra e analisa os exames para se certificar de que ele seja certificado pelo governo.
    • Veja se seu empregador emitiu um comunicado com antecedência sobre o exame.
    • Determine se passou por algo que considere invasão de privacidade, como ao ser pedido para urinar na frente de alguém.

Dicas

  • O exame de urina não é 100% preciso, nenhum teste é infalível.
  • Você sempre pode solicitar um segundo exame para conseguir mais tempo. Afinal, o tempo e a abstinência são os únicos modos de se passar por um exame de verdade.
  • Não use drogas. Elas possuem muitos efeitos colaterais e são ilegais em alguns países.

Avisos

  • Substituir a urina é uma fraude que possui diversos riscos legais, principalmente se a análise for conduzida pelo governo. Se o exame for para uma vaga de emprego, tente limpar o sistema com água ou arriscar procurar outro emprego que não requeira exames.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.