Como Montar um Computador

Este é um guia para pessoas que não têm experiência com a montagem de computadores. Se ele não ajudá-lo, visite a loja de informática mais próxima. Os vendedores saberão o que fazer se você não tiver certeza quanto à compatibilidade ou à construção física. Você recebe uma carga de adrenalina quando pressiona o botão "power" pela primeira vez em um novo computador. O soprar silencioso dos coolers, os "bips" tranquilizadores e o brilho do monitor, todos sinalizam o término de outra montagem bem-sucedida. Aquela sensação de desconhecido e de ansiedade é uma das forças que move os entusiastas em computação, e montar seu próprio PC é o ponto de entrada perfeito. Você também pode economizar dinheiro dessa maneira.

Reunindo os componentes

  1. Determine a função do computador. Caso decida montá-lo para usar no "home office", para o processamento de textos e para enviar e receber e-mails, as exigências serão muito diferentes das de um PC para jogar em alta definição. O papel do equipamento ditará em grande parte as peças necessárias. Não importa qual a função final dele, todo computador precisa dos mesmos componentes básicos.
  2. Encontre um processador (CPU). Este será o cérebro do seu computador. Quase todos os processadores são "multi-core", o que significa que, essencialmente, são vários em um. Compare as especificações e encontre um com a velocidade necessária para executar os programas desejados. Leve em consideração também o uso de energia e a facilidade de resfriamento.
  3. Compre uma placa-mãe compatível com seu processador. Se este é o cérebro, a placa-mãe é o tronco. É ela que conecta todos os componentes internos do computador. O processador a se comprar vai determinar o tipo de placa-mãe necessário. Diferentes processadores têm tamanhos de soquete diversos, e só funcionam com placas-mãe que suportam aquele soquete. Sua escolha dependerá do processador selecionado, de quanta memória você deseja, do tamanho do seu gabinete e de quantos drivers você quer conectar à placa.
    • As placas-mãe vêm em muitas configurações, porém as mais comuns são ATX e MicroATX. A primeira é a placa-mãe padrão de tamanho normal. Se estiver montando um computador típico de torre, procure por esse tipo de placa. As placas µATX são menores do que as padrão e mais adequadas para quem deseja usar um gabinete menor e não precisa de mais do que quatro slots de expansão.
    • Sua placa-mãe precisa ser capaz de suportar todos os outros componentes que você deseja instalar. Caso pretenda colocar uma placa de vídeo de última geração, a placa-mãe precisará ter suporte à interface PCI Express. Se quiser instalar bastante memória RAM, a placa terá de suportar pelo menos 4 pentes.
    • Às vezes, você pode comprar o processador e a placa-mãe em um só kit, o que economiza um pouco de dinheiro. Mas não compre um modelo de processador ou de placa-mãe que não quer só para economizar.
  4. Encontre memória (RAM) compatível com sua nova placa-mãe. A RAM (do inglês "Random Access Memory", ou memória de acesso aleatório) é onde os programas armazenam a informação que estão usando. Caso não tenha RAM suficiente, seus softwares ficarão bem mais lentos do que deveriam. A RAM que você pode comprar é ditada pela placa-mãe escolhida, e a velocidade da memória precisa ser suportada pela placa.
    • Essa memória sempre deve ser instalada em pares de pentes. Toda a RAM do sistema deve ter a mesma velocidade, e de preferência a mesma marca e modelo. Por exemplo, se você quiser 8 GB de RAM, pode instalar dois pentes iguais de 4 GB ou quatro pentes iguais de 2 GB.
    • Caso pretenda usar mais do que 4 GB de RAM, você precisará instalar um sistema operacional de 64-bit. Os de 32-bit não reconhecem mais do que essa quantidade de RAM, mesmo que você instale mais.
  5. Obtenha um disco rígido grande o suficiente para armazenar todos os seus dados. Esse disco guarda seu sistema operacional, os programas instalados e todos os seus dados. O espaço de armazenamento ficou bem mais barato ao longo dos anos, e é fácil encontrar alguns terabytes por pouco dinheiro.
    • Os discos rígidos vêm em várias velocidades, sendo as mais comuns 5400, 7200 e 10000 RPM. Também existem as unidades de estado sólido (SSDs), que não têm partes móveis e permitem velocidades mais rápidas. As desvantagens são o preço e o espaço limitado de armazenamento, em comparação com discos rígidos tradicionais de mesmo preço. É melhor instalar o sistema operacional e programas essenciais no SSD, e colocar seus jogos, suas músicas e seus filmes em um HD separado. Dessa maneira, você terá um computador que pode inicializar e executar programas rapidamente, além de ter bastante espaço.
  6. Compre uma placa de vídeo para jogos e filmes em HD. Uma placa dedicada é essencial para os jogos mais recentes, mas não é um grande problema para um computador de trabalho. As placas-mãe Intel têm placas de vídeo integradas, portanto você não precisa de uma placa dedicada se pretende usar o PC para navegar na internet e abrir e-mails. Caso assista muitos vídeos em HD ou jogue muito, será melhor ter uma placa dedicada. Se estiver montando o computador para jogar, uma GPU ou placa de vídeo externa é extremamente importante, e a seleção dela depende do seu orçamento e das exigências. Uma mais cara e com mais núcleos CUDA é melhor.
  7. Escolha um gabinete funcional e bonito. É ele que abriga os componentes do seu computador. O tamanho dele será determinado pelo número de drives a serem instalados, além das dimensões da placa-mãe. Os gabinetes variam de baratos e funcionais a chamativos e caros. Escolha um que permita o melhor fluxo de ar e instale mais coolers se necessário. Caso pretenda usar muitos componentes de última geração, você lidará com muito mais saída de calor do que com as peças mais lentas.
  8. Sua fonte precisa ser capaz de lidar com a carga. Ela alimenta todos os componentes do seu computador. Alguns gabinetes vêm com uma já instalada, mas a maioria exige que você forneça a sua. A fonte deve ser forte o bastante para alimentar todas as peças, mas não a ponto de você desperdiçar eletricidade com mais alimentação do que precisa. Não seja mesquinho nesse ponto, pois comprar uma fonte falha pode danificar todo o hardware.
  9. Pesquise sobre cada componente que pretende comprar. Leia revistas e sites de resenhas de consumidores para obter mais informações. Os fóruns on-line também ajudam bastante quando alguma informação específica é necessária. Lembre-se de que esse é um dos passos mais importantes, pois tudo dependerá do seu hardware. Há muitos guias e resenhas disponíveis em revistas virtuais e sites especializados. Exemplos incluem:
    • Techtudo;
    • Tecmundo;
    • Adrenaline;
    • PC World;
    • Hardware.com.br

Começando

  1. Abra o gabinete. Pode ser melhor usar luvas antiestática ou outro tipo de proteção nas mãos, pois a parte de dentro da peça não tem metais de aterramento e pode ser bem afiada em alguns casos.
  2. Instale a fonte. Alguns gabinetes já vêm com uma, enquanto outros exigem que você a compre separadamente e instale-a você mesmo. Ela deve ser colocada na orientação correta, e nada deve bloquear a ventoinha dela.
    • A fonte precisa ser forte o suficiente para dar conta de todos os componentes, especialmente em computadores para jogos de última geração, pois as placas de vídeo dedicadas podem puxar bastante energia.
  3. Aterre-se. Use um cabo antiestática preso ao pulso para evitar as descargas eletrostáticas, que podem ser mortais para os componentes eletrônicos. Caso não consiga um cabo desse tipo, plugue sua fonte aterrada em uma tomada (sem ligá-la) e fique com a mão na unidade aterrada sempre que tocar em algum item sensível à descarga eletrostática.

Instalando a placa-mãe

  1. Retire a placa da embalagem. Coloque-a sobre a caixa. NÃO A PONHA sobre o saco antiestática, pois o exterior dele conduz eletricidade. Você adicionará componentes à placa antes de instalá-la no gabinete, pois é mais fácil acessá-la dessa maneira.
  2. Remova o processador da embalagem. Observe os pinos faltantes nele e combine-os ao soquete na placa-mãe. Em muitos processadores, haverá uma setinha dourada no canto que você pode usar para orientar o componente da maneira correta.
  3. Insira o processador na placa-mãe. Abra o soquete da CPU e, com cuidado, coloque o processador. Não é necessário forçar. Se ele não entrar facilmente ou parecer que precisa ser empurrado, provavelmente o alinhamento está incorreto. Feche o soquete e veja se a CPU está bem presa. Alguns soquetes têm bracinhos, enquanto outros têm conjuntos complexos para a abertura e o fechamento.
  4. Aplique uma boa pasta térmica na CPU. Coloque apenas uma gota sobre o processador. O excesso deixará a transferência de calor mais lenta, tornando mais difícil o resfriamento rápido da peça.
    • Alguns conjuntos de processadores e dissipadores não precisam de pasta térmica, pois o dissipador já vem com a pasta aplicada de fábrica. Verifique o fundo da unidade dissipadora antes de passar a pasta no processador.
  5. Prenda o dissipador. O método varia dependendo da peça, portanto leia as instruções. A maioria dos itens de fábrica é fixado diretamente sobre o processador e a placa-mãe. Os não originais podem ter presilhas que precisam ser presas embaixo da placa. Use a documentação da sua peça para obter as instruções exatas.
  6. Instale a RAM. Coloque-a nos slots corretos abrindo os fechos e empurrando a placa para dentro até que ela possa ser travada na posição certa. Observe os padrões da memória e do slot e alinhe-os para que se encaixem bem. Ao empurrar, pressione os dois lados do pente com a mesma força. Se os soquetes da memória tiverem duas cores, eles podem indicar prioridade nos slots, caso você não vá usar todos os que estão disponíveis.
    • Instale a RAM nos slots apropriados. Verifique a documentação da placa-mãe para garantir que está instalando a memória no local correto.
  7. Instale a placa traseira do gabinete. Muitos gabinetes modernos não têm uma peça desse tipo pré-instalada, mas sua placa-mãe deve vir com uma. Alguns gabinetes mais antigos têm placas desse tipo pré-instaladas, mas é improvável que elas sejam apropriadas para sua placa-mãe.
    • Remover a placa traseira existente pode exigir um pouco de força. Às vezes, essas peças são mantidas no lugar por parafusos, mas a maior parte é presa apenas por fricção. Retire-as pressionando o suporte pelo lado de trás do gabinete.
  8. Remova as abas que cubram os componentes de entrada e saída na placa traseira da placa-mãe. Coloque a nova peça no lugar. Instale-a na direção correta.
  9. Ponha os espaçadores nas posições certas. Quase todos os gabinetes vêm com um saquinho que contém espaçadores. Estes elevam a placa-mãe do gabinete e permitem que parafusos sejam inseridos neles.
    • Seu gabinete provavelmente tem mais orifícios disponíveis do que sua placa-mãe. O número de espaçadores necessários será determinado pelo número de orifícios protegidos da placa-mãe. Posicione a placa para descobrir onde colocar os espaçadores.
  10. Prenda a placa-mãe. Depois de instalar os espaçadores, coloque a placa-mãe no gabinete e empurre-a contra a placa traseira. Todas as portas de trás devem se encaixar nos orifícios da placa traseira. Use os parafusos para prender a placa-mãe aos espaçadores por meio dos orifícios protegidos dela.
  11. Ligue os conectores do gabinete. Eles tendem a estar juntos na placa-mãe, perto da frente do gabinete. A ordem para conectá-los depende da facilidade. Ligue as portas USB, os botões Power e Reset, o LED de energia e as luzes do disco rígido, além do cabo de áudio (HDAudio ou AC97). A documentação da sua placa-mãe mostrará onde prender os conectores.
    • Geralmente, esses itens só podem se prender à placa de uma maneira. Não tente forçar nada.

Instalando uma placa de vídeo

  1. Remova as tampas do painel traseiro que se alinhem com o slot PCI-E. Quase todas as placas de vídeo modernas usam esse slot. Algumas exigirão que você remova duas das placas protetoras, em vez de apenas uma. Pode ser necessário retirá-las do gabinete usando um furador.
  2. Insira a placa de vídeo. Talvez seja preciso dobrar uma aba do slot para que a placa seja colocada. A aba ajudará a travar o componente no lugar, especialmente em placas de alta qualidade, mais pesadas. Aplique uma força leve e uniforme até que a placa esteja equilibrada e o painel traseiro se alinhe.
  3. Prenda o componente. Depois de inseri-lo, use um parafuso para prendê-lo ao painel traseiro do gabinete. Caso contrário, você pode acabar danificando a placa a longo prazo.
  4. Instale quaisquer outras placas PCI. Se você tiver outras placas desse tipo que pretenda adicionar, como uma placa de som dedicada, o processo é o mesmo descrito acima.

Adicionando os drives

  1. Remova as tampas do painel frontal relativas aos drives que vai inserir. A maioria dos gabinetes tem painéis frontais que protegem as baias de drives. Remova esses paineis nos locais onde deseja instalar os drives ópticos. Não é necessário remover os painéis para os discos rígidos.
  2. Insira os drives ópticos pela frente do gabinete. Quase todos os gabinetes têm baias embutidas que permitem que o drive se encaixe bem. Depois de alinhar o componente ao painel frontal do computador, prenda-o com parafusos dos dois lados.
  3. Instale o disco rígido. Deslize-o para a baia de 3,5" apropriada na parte de dentro do gabinete. Alguns gabinetes têm suportes removíveis que você pode instalar no HD primeiro, antes de colocá-lo. Após inserir o disco na baia, prenda-o dos dois lados com parafusos.
  4. Conecte os cabos SATA. Todos os drives modernos usam esses cabos para se ligar à placa-mãe. Prenda uma saída do cabo à porta SATA do drive, e a outra a uma porta de mesmo tipo da placa-mãe. Os discos rígidos usam os mesmos cabos que os drives ópticos.
    • Para facilitar a resolução de problemas, conecte seu disco rígido à primeira porta SATA da placa-mãe, e os outros drives às portas subsequentes. Evite conectar seus drives em portas aleatórias.
    • Os cabos SATA têm o mesmo conector dos dois lados. Você pode instalá-los em qualquer direção.

Conectando o computador

  1. Ligue a fonte à placa-mãe. Grande parte das placas modernas tem um conector de 24 pinos e outro de seis ou oito pinos. Ambos precisam ser conectados a sua placa-mãe para funcionar. Os cabos de alimentação só se encaixam nas entradas para as quais foram feitos. Empurre os conectores até escutar um clique.
    • O conector de 24 pinos é o mais largo da fonte.
  2. Conecte a fonte à placa de vídeo. Se a sua placa for dedicada, é possível que ela precise ser alimentada também. Algumas exigem um conector, enquanto outras precisam de dois. A porta geralmente fica na parte de cima da placa.
  3. Ligue a fonte aos drives. Todos os seus drives precisam ser conectados à fonte usando cabos de energia SATA. Eles são iguais para discos rígidos e drives ópticos.
  4. Ajuste a colocação dos cabos. Uma das chaves para uma boa circulação de ar é deixar os fios fora do caminho. Tentar ligar a parte de dentro do gabinete pode ser uma experiência frustrante, especialmente se você estiver usando uma torre menor. Use abraçadeiras de náilon para juntar os cabos e colocá-los nas baias de drive vazias. Os fios não devem ficar no caminho dos coolers pequenos.

Instalando mais coolers

  1. Conecte os coolers do gabinete. Quase todos os gabinetes vêm com uma ou duas peças desse tipo. Elas precisam ser presas à placa-mãe para funcionarem.
  2. Instale novos coolers. Caso esteja usando muitos componentes avançados, você provavelmente precisará de mais resfriamento. Os coolers de 120 mm costumam ser bem silenciosos e aumentar bastante a circulação de ar no computador.
  3. Otimize a colocação dos coolers. Os frontais e os superiores devem puxar o ar para dentro, enquanto os laterais e os traseiros devem expulsá-lo, permitindo um bom fluxo de ar frio e fresco por toda a placa-mãe. Você pode ver em qual direção o cooler vai soprar inspecionando a parte de cima dele. Quase todos têm setinhas impressas que mostram a direção em que sopram.

Ligando o computador

  1. Remonte o gabinete. É altamente recomendado que você não ligue o computador com o gabinete aberto, pois essas peças são feitas para maximizar a circulação do ar, e quando estão abertas, essa circulação não é tão eficaz. Tudo deve estar bem aparafusado. A maioria dos gabinetes usa parafusos de aperto manual, de modo que você não precisa de ferramentas para abri-los e fechá-los.
  2. Ligue o computador. Prenda um monitor a ele por meio da placa de vídeo ou uma porta na parte de trás da placa-mãe. Conecte um teclado e um mouse às portas USB na frente ou atrás do PC.
    • Evite conectar outros dispositivos até terminar de configurar o sistema operacional.
  3. Forneça energia para o computador. Você não poderá fazer muito sem ter um sistema operacional instalado, mas pode checar para ver se todos os seus coolers estão funcionando e se o computador completa seu POST ("Power-On Self-Test", ou autoteste de inicialização) com sucesso.
  4. Execute o MemTest86+. Esse programa está disponível para download gratuito e pode ser iniciado a partir de um drive de CD ou USB, sem um sistema operacional. Ele testará os pentes de memória antes que você prossiga para instalar o sistema operacional. Esses pentes têm uma taxa de falhas maior do que a maioria dos outros componentes, especialmente se forem baratos, por isso é bom testá-los primeiro.
    • Você pode precisar configurar seu computador para inicializar a partir de um CD ou USB primeiro, em vez de usando o disco rígido. Entre nas configurações da BIOS quando ligar o computador pela primeira vez e navegue para o menu "Boot". Selecione o drive pelo qual deseja iniciar.
  5. Instale seu sistema operacional. Os computadores caseiros podem instalar o Windows ou uma distribuição Linux. O Windows custa dinheiro, mas se beneficia da compatibilidade com quase qualquer programa e componente de hardware. Já o Linux é gratuito e apoiado por uma comunidade de desenvolvedores, mas não consegue executar muitos programas criados para o Windows. Alguns componentes de hardware com marca registrada também não funcionam corretamente.
  6. Instale os drivers. Depois de instalar seu sistema operacional, você precisará fazer o mesmo com os drivers. Quase todo o hardware comprado virá com discos que contenham o software de driver necessário para que o componente funcione. As versões modernas de Windows e Linux instalarão a maioria dos drivers automaticamente, quando conectadas à internet.

Dicas

  • Algumas fontes têm um conversor 110/220 V integrado. Caso more no Brasil, use a configuração de 110 V. Em outros locais, use a de 220 V.
  • Cada cabo da fonte só se encaixará na orientação correta, mas ainda será necessário aplicar pressão para conectá-los. Se estiver usando uma fonte com um conector de oito pinos EPS de 12 V e um conector de oito pinos PCI Express, não tente forçar os cabos no lugar.
  • Use abraçaceiras para juntar todos os fios com cuidado e coloque-os em um local onde não bloqueiem a circulação do ar. Se for possível, evite usar componentes IDE como discos rígidos e drives ópticos, pois o cabo padrão de fita bloqueará o fluxo de ar.
  • Se você montar o sistema e ele não funcionar, remova tudo exceto a fonte, a placa-mãe, a RAM e o cooler do processador (e a placa de vídeo, se não estiver usando uma placa integrada). Veja se ele funciona revisando a tela de inicialização da BIOS. Desligue o computador, coloque os discos rígidos e veja se ele funciona. Desligue-o novamente, conecte o drive óptico e veja se tudo funciona. Continue a desligar e a conectar cada periférico adicional até que tudo esteja ligado e funcionando. A ideia é usar os componentes mínimos para fazer o PC ligar e em seguida adicionar um periférico de cada vez para que você descubra qual componente está causando o problema.
  • Não deixe o hardware no chão por dias enquanto descobre o que fazer, pois essa atitude pode causar uma descarga eletrostática capaz de danificar ou estragar componentes eletrônicos. Para acabar com certas peças do computador, são necessários apenas 10 Volts. Todas as partes devem ser deixadas em seus sacos antiestática quando não estiverem presas ao gabinete e à placa-mãe. Uma alternativa é colocar os itens em uma superfície não condutora de eletricidade, como uma mesa de madeira ou de vidro.
  • Às vezes, as roscas dos gabinetes ficam gastas e não prendem bem os parafusos. Evite esse problema escolhendo parafusos do tamanho exato. Eles devem entrar facilmente, sem qualquer dificuldade que indique problemas. Aperte-os bem, mas sem exagerar: cerca de 1/4 de volta após o parafuso entrar totalmente, ou com os dedos em vez do punho todo contra a chave de fenda. O alumínio é bem mais frágil do que o aço, e se desgasta facilmente. Apertar apenas um pouco além do ponto em que as peças param de balançar é o suficiente. Os cases de alumínio melhores usam um metal mais forte ou até quadros de aço ou reforço em áreas importantes. O uso frequente dos parafusos do painel lateral e a sustentação de tampas laterais contra o gabinete, transformando-o em um paralelogramo, tornam essas áreas especialmente vulneráveis. Uma maneira fácil e geralmente confiável de consertar o problema é substituindo os parafusos por outros um pouco maiores e que não sejam tão longos a ponto de penetrar em outra parte. Os de 9 mm de comprimento, inseridos retos e com firmeza, mas sem serem apertados demais, costumam servir em painéis laterais soltos. Eles farão novas roscas no metal.
  • Caso tenha comprado uma edição OEM ("Original Equipment Manufacturer", ou Fabricante Original do Equipamento) do Microsoft Windows e tenha um adesivo de licença, você pode prendê-lo à lateral do computador para usar como referência futura quando o Setup do Windows pedir por ele.
  • Pedir a ajuda de um amigo que entenda sobre a montagem de computadores pode ajudar bastante. Peça no mínimo a opinião dessa pessoa sobre as partes que pretende usar.
  • Antes de colocar tudo no gabinete, teste fora dele para economizar tempo se algo não funcionar. Não é muito comum, mas é melhor prevenir do que remediar.

Avisos

  • Não use a força para inserir nenhum componente em qualquer entrada ou soquete. As tolerâncias dos itens de hardware mais recentes podem ser poucas, mas tudo ainda deve se encaixar sem a necessidade de muita força. Os módulos de memória estão entre os poucos componentes que precisam de um pouco de pressão para serem instalados. Antes de colocá-los, veja se eles combinam com as entradas comparando os entalhes.
  • Não toque nos resistores e nos pinos da CPU ou do soquete.
  • Tome cuidado ao trabalhar perto das bordas metálicas e afiadas do gabinete. É fácil se cortar, especialmente nas peças muito pequenas.
  • Não force as conexões dos cabos. Felizmente, os cabos de trás de um computador só se encaixam no conector adequado. Todos eles, exceto os coaxiais e alguns cabos de alimentação de notebooks, só entrarão quando estiverem na mesma orientação do conector. Por exemplo, os de interface visual digital (DVI) e os "video graphics array" (VGA) têm um conector trapezoidal, não retangular.
  • Ao ligar CPUs e dispositivos PATA (IDE), seja cuidadoso. Se você dobrar um pino, use pinças ou um alicate de bico fino para acertá-los. Caso quebre um dos pinos do soquete da CPU ou da CPU em si, seu hardware não vai mais funcionar direito. Se você quebrar um pino de um conector IDE, tem sete chances em 40 de ter quebrado um pino terra, que pode não ser crítico para a funcionalidade do dispositivo.
  • Caso não tenha certeza em relação a algum aspecto da montagem do seu computador, não tente "dar um jeitinho". Peça para alguém que saiba o que está fazendo supervisionar enquanto você monta o PC ou contrate um profissional para fazê-lo. Outra alternativa é procurar conselhos nos manuais de instrução que acompanham as peças que você está inserindo. Frequentemente, se esses manuais não estiverem inclusos, ou talvez se as partes que você estiver usando para montar o computador forem de segunda mão, você pode consultar a seção de Suporte ao Sistema do site do fabricante para tentar obter a documentação necessária.
  • Evite a descarga eletrostática ao instalar componentes. Use uma pulseira antiestática ou aterre-se regulamente tocando uma parte metálica do gabinete antes de lidar com as peças. Leia o artigo Como Evitar Destruir um Computador pela Energia Estática para saber mais.
  • Verifique todas as conexões antes de ligar o computador pela primeira vez. Embora na maioria dos casos só exista uma maneira possível de colocar um conector, alguns são um tanto delicados e, com uma pequena força, podem ser inseridos fora do lugar em 180°. Isso vale especialmente para módulos de memória em linha dupla (DIMM), pois estes às vezes podem parecer colocados na orientação correta quando na verdade foram inseridos incorretamente. Tal aplicação de um módulo de memória a uma entrada DIMM resultará em curto-circuito da memória do sistema, quebrando o circuito impresso da RAM e tornando-o inútil. Esse problema pode ser evitado prestando bastante atenção nos chamados entalhes de alinhamento presentes nos módulos de RAM DIMM modernos e que tornam claro para o montador que ele posicionou a memória de modo indevido.
  • Mantenha uma conexão de circuito aterrada ao montar o computador. Para tanto, você pode conectar a fonte (PSU) a uma tomada disponível usando um cabo com a amperagem recomendada. Esse cabo geralmente é fornecido com o computador. A chave deve estar desligada para que as várias partes eletrônicas que estão sendo conectadas durante a montagem não fiquem ativas. Com a chave de fornecimento de energia desligada, a conexão terra permanece mantida. Os circuitos dos dois terminais ativos são desativados, de modo que nenhuma eletricidade é transmitida para o dispositivo em questão. Essa é uma medida de segurança presente em todos os circuitos de tomada aterrada.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.