Como ser um Cônjuge Melhor

Em relacionamentos no mundo todo, muitas pessoas frequentemente confundem ser um bom cônjuge com outros comportamentos. Por exemplo, ser um bom apoiador é parte de ser um bom marido, mas fazê-lo não lhe torna um marido melhor do mesmo modo que estar em uma garagem não lhe torna um carro. Lembre-se que são necessárias duas pessoas para consegui-lo, mas apenas uma para destruir tudo. Este artigo foi feito para lhe ajudar ser aquela pessoa que destrói.

Passos

  1. Tempo. Essencialmente, tempo é amor, quando se trata de relacionamentos. Você pode dizer muito a respeito de como uma pessoa vive sua vida e do que é importante para ela através de perceber com o que ela gasta seu tempo e seu dinheiro. Ponto final. Você deve pesar o que é importante para você e investir o seu tempo nisso. O seu hobby ou emprego é mais importante do que o seu relacionamento? Como você gasta o seu tempo? Como o seu cônjuge passa seu tempo? Sabendo que este artigo é um pouco mais longo do que os usuais na wikiHow, guardar tempo para lê-lo pode ser um bom começo.
  2. Defina onde está o seu relacionamento. É crítico que você avalie a si mesmo, ao seu cônjuge e ao relacionamento como um todo, para determinar onde é preciso trabalhar mais. Por exemplo: o seu cônjuge sempre lava os pratos? A mesma pessoa que cozinhou também limpou? Nesse exemplo, pode ser hora de dar um passo à frente e ajudar na realização de algumas tarefas. Você descobrirá que, ao melhor definir o relacionamento, mudar o seu pensamento e comportamento se torna quase automático. Às vezes, o mero ato de saber que há um problema é mais difícil do que consertá-lo.
  3. Mudança é algo doloroso. Mudar nunca é fácil. É difícil e, em alguns casos, pode ser violento e sofrível. Por exemplo: uma pessoa viciada em drogas que está injetando uma agulha em seu braço sabe que precisa mudar, mas não consegue suportar a perspectiva dos sintomas existentes na abstinência. A maioria das pessoas raramente se recusa mudar por não saber como fazê-lo; ao invés disso, fazem-no pelo fato de que será desagradável ou incômodo. Se você não controla a própria vida fazendo as mudanças agora, elas serão jogadas sobre você mais tarde, de modo descontrolado. Algo desagradável é melhor do que algo imprevisível. Ao se deparar com dois males, escolha o que você conhece. Comprometa-se a fazer mudanças, mesmo que doa, porque você pode não ter outra chance de controlar uma mudança por conta própria.
  4. Lembre-se de que as pessoas precisam de aventura e variedade para serem felizes, mesmo que não o admitam. Por exemplo: se o seu cônjuge tenha problemas de personalidade que o deixem incapazes de tomar riscos ou sem o desejo de se socializar. É importante tomar uma atividade qualquer, convidar o seu cônjuge e fazê-la mesmo que ele se acanhe de experimentá-la. Escolha algo que você considera empolgante, mas que nunca pôde fazer. Não é preciso radicalizar. Por exemplo, se você sempre se sentiu disposto a tomar riscos que possam resultar em lesões, você pode alugar alguns quadriciclos, vestir os equipamentos de segurança e passear com cuidado. Não é preciso correr excessivamente. Apenas tire o seu cônjuge da "bolha" do dia-a-dia. Através da experimentação, você acabará encontrando algo que ambos considerem desafiador, empolgante e recompensador!
  5. Pense no relacionamento como algo mecânico, como um carro. Você não dirigiria o seu carro ininterruptamente sem conferir itens importantes, como fluidos. De vez em quando, "cheque o óleo" de seu relacionamento. Juntamente com o seu cônjuge, concorde em participar do aconselhamento matrimonial ou espiritual mesmo que ambos considerem não haver nada de errado. Frequentemente, ambas as partes de um relacionamento terão comportamentos indesejados sem sequer se darem conta. Às vezes, má comunicação ou outra ausência de habilidade acaba sendo ignorada. Por exemplo: João não conversa sobre nada com sua mulher. Um amigo em comum aponta o fato de que João tem um problema de comunicação e que sua esposa somente diz "ele sempre foi assim, é como ele é. Eu aprendi a conviver com isso." Lembre-se que a aceitação de maus comportamentos não exime a você ou ao relacionamento dos efeitos negativos resultantes.
  6. Não estereotipe o seu relacionamento. De vez em quando, chame o seu cônjuge pelo nome, ao invés de "amor" ou "benzinho". Embora nomes carinhosos sejam positivos se usados ocasionalmente, se a cada vez que você abre a boca para uma conversa conjugal, um choroso "amooooor?" vem antes de mais nada, você acaba tendo um problema. O seu cônjuge pode começar secretamente a duvidar de sua habilidade de diferenciá-lo dos outros relacionamentos que você teve. Isso é algo ruim.
  7. Tenha disciplina. Ninguém gosta de preguiçosos e, por isso, tenha a certeza de cuidar de si mesmo. Mesmo que você tenha trabalhado o dia todo, é importante se oferecer para cozinhar, limpar ou realizar qualquer tarefa à mão. Não assuma que, porque você trabalhou duro o dia todo, é justo esperar que o cônjuge assuma automaticamente as funções necessárias. Todo mundo gosta de uma pausa. Vá cedo para a cama e levante-se cedo. Tenha disciplina em sua vida, no cuidado pessoal e na limpeza. Mantenha-se apresentável, e o seu cônjuge também lhe achará alguém facilmente respeitável.
  8. Não mime a seus filhos ou animais de estimação. Se você for incapaz de implementar regras e reforçá-las, não tenha filhos ou animais que requeiram disciplina. Você acabará com uma criança ou animal impossível de lidar que consistentemente incomoda ou frustra a outros (inclusive o seu cônjuge), e frequentemente causará a mentalidade "mocinho/ladrão" dentro da família. Por exemplo: se você sempre tagarela a respeito das regras com relação aos lanches com as crianças, e eles recebem um duro discurso de seu cônjuge, você o forçou a escolher uma posição indesejada dentro da estrutura de autoridade. Lembre-se que, se as suas crianças ou os seus animais não podem ou não querem respeitar a você, como esperá-lo de seu cônjuge? "Poupe a vara... Mime a criança". Adicionalmente, mimar uma criança é uma ótima maneira de criar um bandido ou, pelo menos, acabar com um adulto impossível de lidar. Você condenará a criança a uma vida inteira de frustração ou isolamento porque seu comportamento é indesejável a outros. Lide com isso seriamente. Se você for incapaz ou indisposto para reforçar regras, por que criá-las?
  9. Mantenha-se em forma e coma de modo saudável. Ninguém quer se casar com alguém que escolheram parcialmente por sua atração, somente para acordar seis anos depois com uma enorme barriga de chope. Mantenha-se em forma e coma bem. Isso também lhe ajudará com a energia sexual.
  10. Cuide dos desejos e das fantasias de seu cônjuge. Muitas fantasias que envolvem quebrar regras do casamento, como experimentar alguém de fora (relacionamentos abertos) ou ter parceiros adicionais, quase sempre acabam em lágrimas e não são nunca uma boa ideia. Ao invés disso, tente apimentar as coisas. Fale de forma diferente, ou tente se vestir como bombeiro. O que quer que você faça, mesmo que o seu cônjuge ria, você será respeitado e elogiado por fazer isso por ele. Se você é a mulher, tente usar uma peruca de cor diferente de seu cabelo natural, e converse com um sotaque falso. Vocês dois podem avaliar as coisas que podem ser excitantes, desde o uso de uma câmera ao de brinquedos sexuais e comida durante as relações. O ponto é manter o respeito e a decência, jamais alimentando suspeitas, como: "Então você pensa que estou a fim da loira do trabalho, e por isso está usando a peruca?". Mantenha as coisas simples. Se você não puder decidir por nada, experimente usar algo bastante básico, como chantili.
  11. Faça uma lista com o seu cônjuge. Peça a ele que escreva uma lista com 10 coisas positivas que gosta em você e 10 coisas não tão essenciais. As 10 coisas secundárias não precisam ser avassaladoras, ou vistas como algo negativo. Apenas veja-as como itens que, se mudados melhorariam o relacionamento, podem vir a ser. Não escolha traços impossíveis de se mudar, como altura ou forma do nariz. O efeito será indesejável. Ao invés disso, tenha por alvo coisas que, ao serem trabalhadas pela pessoa, possam ser mudadas (mesmo que minimamente). Vocês dois podem criar listas e trocá-las em seguida. Não se sinta ofendido ou ataque o seu cônjuge com relação a sua lista, mas tente compreender sua perspectiva. É importante perceber que ele é uma pessoa com suas opiniões e crenças, independentemente ao que veio ou não a lhe dizer e, por essa razão, essas listas são boas, mesmo quando difíceis de ler. Além do mais, você agora terá uma ferramenta que lhe indicará todas as coisas positivas que o seu cônjuge adora, e poderá fortalecê-las, e todas as coisas não tão agradáveis, que poderão ser trabalhadas no futuro.
  12. Diga "eu te amo" com vontade. Louve o seu cônjuge com razões para fazê-lo. Escolha coisas que ele faz e você gosta, e vocalize esse prazer. Por exemplo: o marido pode dizer à esposa, ou vice-versa, depois do jantar "eu sei que você trabalha duro todos os dias com as crianças e na cozinha, e realmente valorizo isso mais do que imagina, já que essas tarefas às vezes são ainda mais duras que o meu emprego". Jamais assuma que o seu cônjuge simplesmente "sabe" como você se sente: use palavras. Tenha polidez e escolha os assuntos com cuidado. Dizer algo como "amor, você é a melhor pessoa para limpar banheiros no mundo, e eu adoro isso!" seria tolo. Pense, e então fale.
  13. Explore as opiniões de seu cônjuge frequentemente. Faça perguntas. Tente ser um bom ouvinte ao invés de somente falar. Conhecer um parceiro é algo para toda a vida — não acaba no altar.
  14. Cuide do bem estar mental e emocional. Trate seriamente coisas como depressão, raiva ou outros problemas de personalidade. Problemas mentais podem desgastar muito com o tempo e, se tudo acabar em divórcio, o seu cônjuge pode até mesmo pensar "onde você estava? Por que não trabalhou mais para se assegurar de que eu recebesse a ajuda de que preciso?". Observe a natureza. Quando as coisas não dão certo, os animais não simplesmente desistem. Eles estarão lá, com seus pares, até o amargo fim.
  15. Nunca traia. Jamais. Não importa quão boa pareça uma oportunidade. Se você não pode controlar esse comportamento, precisará antes terminar o relacionamento. Tenha integridade suficiente para dizer ao seu cônjuge que você não consegue se manter fiel, e ou busque ajuda ou peça o divórcio. É normal achar que alguém é sexy ou sensual, mas sempre leve essa energia para casa, usando-a em seu cônjuge. Não se coloque em situações socialmente estranhas. E, para o registro, mesmo com um cônjuge incrivelmente maduro, ter montes de amigos do sexo oposto e passar muito tempo a sós com esses amigos nunca é boa coisa. Isso vai contra a ordem natural. Se você insiste em ter amigos do sexo oposto, é melhor se assegurar de manter o seu cônjuge por perto ao passar tempo com eles. Confiança é algo bom. Abusar dela, testando-a constantemente, é ruim. Se uma pessoa lhe diz que absolutamente não tem ciúmes de você, ou ela está A. mentindo e está morrendo de ciúmes, B. não sente respeito ou atração por você ou C. está traindo por conta própria e, por isso, não se importa com o que você faz.
  16. Reconheça e tente eliminar os maus hábitos. Não beba ou fume excessivamente. Nunca faça nada como beber e dirigir, ou como qualquer comportamento que possa trazer riscos à saúde ou ao relacionamento da família. Lembre-se que cadeia jamais é algo bom.
  17. Seja independente. Consiga um trabalho, mesmo tedioso e com baixo salário. Jamais seja inteiramente dependente de alguém, pois isso lhe dará a sensação de estar sendo usado e manipulado.
  18. Perdoar é esquecer! Se você for incapaz de esquecer alguma ofensa, fale e faça planos para resolver as coisas do modo mais maduro. Se você escolhe perdoar o seu cônjuge, esqueça! Não traga esse ponto seis anos depois, dizendo algo como "isso é igual àquela vez em que você...". Uma das coisas que muitos têm dificuldade em identificar é que o perdão existe para beneficiar a vítima, e não o ofensor. Ele existe para aliviar o fardo e permitir que a vítima siga sua vida. Lembre-se: a misericórdia é uma posição poderosa.
  19. Lembre-se que, quando você ama a alguém, às vezes suas intenções são mais importantes do que os resultados. Se o seu cônjuge realmente tentou fazer algo especial para você, e falhou, louve seu esforço e diga que você considera isso ainda mais especial pelo fato de ele ter tomado o risco de lhe agradar e falhado. É preciso uma imensa quantidade de desejo de agradar a alguém fazer algo fora de seus meios e falhar.
  20. Respeito. Ponto final. Jamais xingue ou esbraveje, não importando quão mal ou cheio de ira você esteja. Palavras são as mais difíceis de sarar. Não diga nada de mau humor ou no calor de uma discussão da qual você se arrependerá por anos (ou que poderá causar potenciais cicatrizes emocionais em seu cônjuge).

Dicas

  • Não ria (ou diminua) qualquer coisa que o seu cônjuge faça para buscar melhorias em si ou no relacionamento.
  • Lembre-se que o seu relacionamento é algo central em sua vida, e de que você precisa colocar o máximo esforço possível em seu aperfeiçoamento, como o faria com suas unhas ou cabelos.
  • Lembre-se que ninguém gosta de falhar. Se o seu cônjuge está tentando alcançar algo, ajude-o. Esteja lá para ele e apoie-o.
  • Se você tem dificuldades em entender alguém, busque educar a si mesmo antes de tentar corrigi-lo.
  • Seja simples. Às vezes, um bilhete deixado na caixa de cereais pode ter tanto efeito quanto um diamante caro.

Avisos

  • Nunca "saia fora" no relacionamento. Isso nunca acaba bem. Eventualmente, depois que o orgasmo passou e todos se veem "sóbrios", haverá tristeza e amargura, ou culpa. Simplesmente não faça isso .
  • Não use presentes materiais para agradar ao seu cônjuge exceto em ocasiões muito raras . A chamada "terapia de varejo" não é algo bom. Pessoas que são emocionalmente saudáveis podem ser tão felizes olhando vitrines como fazendo compras. Se não se trata de uma necessidade séria, será supérfluo.
  • Tenha cuidado ao fazer listas de coisas das quais você gosta ou não. Seja gentil.
  • Lembre-se que amor e ódio são chifres de um mesmo touro. Mostre-me algo que você odeia e eu lhe mostrarei algo que você poderia amar, ou ter amado. Mostre-me algo que você ama e eu lhe mostrarei algo que você poderia potencialmente odiar. Não cruze muitas linhas ou limites com o seu cônjuge.
  • Tenha cuidado ao sugerir aconselhamento, mesmo que o relacionamento esteja saudável. Se o seu cônjuge não concordar, tente ir algumas vezes e, em seguida, convide-o novamente.
  • Tome cuidado ao fazer experimentos. Lembre-se que, às vezes, uma fantasia sexual é somente o que é. Ela é chamada "fantasia" pela razão de que você não deve realizá-la e, se o fizer, pode não ser tão divertida quanto parece.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.