Como Cuidar de Um Filhote de Buldogue Inglês

Os buldogues ingleses são bastante conhecidos por seus corpos fortes, suas mandíbulas grossas, sua pele enrugada e suas faces "para dentro". Eles são cães bonitos e divertidos que dão ótimos animais de estimação. Os filhotes de buldogue inglês requerem cuidados básicos; porém, por causa de seus atributos únicos, também exigem alguns cuidados especiais. Procure entender as necessidades especiais do seu filhote e ele será um companheiro leal por vários anos.

Alimentando seu filhote

  1. Troque as marcas de ração gradualmente. Compre uma pequena quantidade da ração que seu cachorro comia antes de ser levado para casa. Dessa maneira, o organismo dele não entrará em choque por causa de uma comida totalmente nova. Caso queira mudar de marca, faça-o lentamente: misture metade de cada durante uma semana, depois 1/4 e 3/4 por outra semana e então troque completamente.
  2. Alimente seu filhote com regularidade. Você deve alimentá-lo três vezes por dia seguindo horários regulares durante os primeiros quatro meses depois da chegada dele. Aos seis meses, você pode começar a reduzir para duas vezes por dia e, com 12 meses, pode reduzir ainda mais para uma vez ao dia.
  3. Forneça a seu filhote de buldogue inglês uma dieta de alta qualidade e balanceada. A ração comercial é boa para ele. Examine os primeiros cinco ingredientes da embalagem: os primeiros dois ou três devem ser carne (não subprodutos, que devem ficar mais abaixo na lista), seguida por vegetais e então grãos.
    • De vez em quando, um buldogue inglês terá sintomas de intolerância alimentar (diarreia, vômitos ou problemas de pele) a um ou mais ingredientes da ração. Se o seu filhote exibir esses sintomas, você precisará trabalhar com o veterinário para determinar a causa e então seguir uma dieta estrita e duradoura para minimizar os sintomas.
  4. Evite dar a seu cão comida de gente, especialmente aquelas perigosas para o organismo dele. Lembre-se de que há certos alimentos para humanos que podem deixar um cachorro doente ou até matá-lo. Os alimentos que são tóxicos para os cães incluem (mas não estão limitados a):
    • Abacate.
    • Álcool.
    • Chocolate.
    • Uvas frescas e passas.
    • Cebolinhas, cebolas e alho.
    • Nozes.
    • Massas fermentadas.
    • Qualquer coisa feita com o adoçante xilitol, encontrado especialmente nos chicletes sem açúcar.
  5. Preste atenção no peso do seu cachorro. Os buldogues ingleses podem ganhar peso facilmente, por isso você precisa prestar atenção para que o seu não fique acima do peso. Se ele estiver engordando muito, consulte o veterinário sobre a maneira mais segura e melhor de manter o peso do animal equilibrado.
    • Lembre-se de que as guloseimas adicionam calorias à dieta, portanto devem ser dadas em pequenas quantidades e de vez em quando. Reserve-as para o treinamento.
    • Monitore a condição corporal do seu buldogue mensalmente para determinar se ele está acima ou abaixo do peso. Um cão com o peso normal terá o abdômen "para dentro" (quando visto de lado), e suas costelas poderão ser sentidas facilmente, porém não vistas. Um cachorro gordo não terá a mesma aparência, já que a gordura se acumulará no abdômen e na caixa torácica. Um animal abaixo do peso terá o abdômen ainda mais para dentro, e suas costelas poderão ser vistas e sentidas facilmente.
  6. Forneça água limpa e fresca o tempo todo. Ela é especialmente importante em climas quentes ou úmidos, mas deve ser fornecida sempre. Lembre-se também de lavar as tigelas com água e sabão duas vezes por semana, já que os buldogues podem fazer um pouco de sujeira.

Cuidando da saúde do seu filhote

  1. Preste atenção na dentição quando o filhote chegar em casa. Forneça muitos brinquedos mastigáveis para ajudar nesse período de transição. Os cascos de boi podem ser encontrados em muitas lojas de animais e são recomendados. Fique longe das orelhas de porco e do couro cru barato, além dos petiscos para limpeza dos dentes, pois eles podem causar diarreia, síndrome da dilatação vólvulo-gástrica e asfixia.
  2. Monitore a saúde do seu filhote. Por exemplo, veja se ele tem diarreia quando a ração dele é mudada. Se esse for o caso, não dê nenhum alimento por 12 horas. Se o problema persistir por mais de 24 horas, entre em contato com o veterinário imediatamente para prevenir a desidratação. Os filhotes podem desidratar muito rapidamente, portanto você precisa levar a diarreia a sério quando ela acontece.
  3. Previna o filhote de parasitas locais. Os cães podem receber alguns convidados indesejados: carrapatos, pulgas, ácaros, piolhos e vermes intestinais. Seu cachorro pode ser o hospedeiro perfeito para essas pestes se não receber tratamento regular contra elas. O veterinário é a melhor fonte de conhecimento sobre parasitas que afetam a população de cães local e como prevenir essas pragas.
    • A dirofilariose é uma doença transmitida por mosquitos em partes do Brasil. Um exame de sangue anual é feito para confirmar que o cão não está infectado por esse verme terrível, e então um tablete mensal ou uma injeção que dura até seis meses é usada para matar os organismos presentes na corrente sanguínea. Existe tratamento para a dirofilariose, mas ele é caro e exige bastante do cachorro fisicamente. Além disso, pode levar meses para funcionar.
    • Outra vacinação a considerar, especialmente se você mora em uma área endêmica, é a que protege contra a doença de Lyme. Ela é especialmente importante para cães que passam muito tempo fora de casa, que moram em fazendas ou que caçam, pois eles correm mais risco de contrair essa infecção transmitida por carrapatos. Além da dor nas juntas, do inchaço e das febres, os cães também podem adquirir um problema renal potencialmente fatal como consequência da doença de Lyme.
  4. Leve seu filhote para consultas veterinárias regulares. Os filhotes geralmente são levados para a primeira visita ao veterinário quando atingem seis semanas, pela pessoa que tem a cadela genitora. O veterinário examinará os animais para ter certeza de que não há hérnias ou problemas no coração, nos pulmões, nos olhos ou nos ouvidos de nenhum deles. Geralmente, os filhotes serão vermifugados nesse momento e receberão a primeira vacina. Com nove semanas, e então novamente com 12 semanas, o vermífugo e a vacina serão repetidos. Então, eles poderão ser dados uma vez por ano ou em uma frequência determinada por você e pelo veterinário.
    • Na visita das 12 semanas, o cão receberá vacinação contra raiva, embora essa data possa variar dependendo das leis locais. Essa vacina é exigida em muitas comunidades e às vezes pode haver punições severas se seu cachorro não a receber, especialmente se ele morder uma pessoa ou outro animal.
    • Conforme o seu cão envelhecer, ele precisará de exames mais frequentes. Uma visita ao veterinário duas vezes ao ano detectará problemas médicos antes que eles se tornem maiores. Os cachorros mais velhos frequentemente sofrem de artrite e de doenças cardíacas, assim como os humanos idosos. Existem tratamentos eficazes e seguros que podem ajudar seu cão mais velho a viver a melhor idade relativamente sem dor e de maneira agradável.
  5. Castre seu filhote na idade adequada. É importante castrá-lo, pois além dos diversos benefícios para a saúde dele (menor chance de desenvolver certos tumores e infecções), a sociedade se beneficia com a diminuição do número de cães indesejados. Também incentiva-se a instalação de microchips, para o caso de seu cão se perder.
  6. Examine as orelhas do buldogue inglês uma vez por semana. A parte interna da orelha costuma ser branca ou mais escura, geralmente correspondendo ao pelo do cão, portanto procure por descoloração. As orelhas do filhote também não devem ter cheiro nem secreção nelas ou na dobra. A orelha deverá estar livre de sujeira, detritos ou parasitas como carrapatos ou ácaros. Os seguintes sintomas são anormais:
    • Coçar a orelha.
    • Agitar demais a cabeça.
    • Secreção cerosa, fluida ou marrom saindo da orelha.
  7. Limpe as orelhas do seu cão regularmente. Você pode limpá-las usando um produto específico, peróxido de hidrogênio (force o excesso de fluido para fora) ou uma solução de metade vinagre branco e metade álcool isopropílico. Sature uma bola de algodão com o líquido e passe-a gentilmente na orelha do cachorro. Se suspeitar de uma infecção, peça para o veterinário examinar a orelha usando um otoscópio.
    • Nunca enfie um cotonete ou outro produto semelhante no canal auricular. O canal auricular de um cão faz uma curva fechada quando encontra a cabeça. Você não poderá ver toda a extensão dele e não deve tentar enfiar nada nele.
  8. Escove os dentes do seu filhote de buldogue inglês diariamente. Escovando diariamente, ou pelo menos duas a três vezes por semana, você removerá as bactérias e a placa que se forma todos os dias nos dentes. Também terá uma ótima oportunidade para examinar a boca do cão procurando por dentes soltos ou danificados, dores, crescimentos ou outras coisas não naturais, e chamar a atenção do veterinário em um estágio inicial, antes deles se tornarem problemas.
    • Nunca escove os dentes de um cachorro com pasta humana; utilize apenas pasta feita para cães. O flúor na pasta humana é venenoso para os cachorros e pode causar problemas de saúde sérios.
    • Coloque um pouco de pasta de dente para filhotes na ponta do dedo e deixe o animal lambê-la. No dia seguinte, ponha a pasta no dedo e esfregue nas gengivas externas. Depois, tente colocar um pouco em uma escova de dentes para cachorro, deixe o cão lamber e então passe a escova ao longo das faces externas dos dentes e das gengivas. Somente a parte externa (que fica contra as bochechas) precisa ser escovada. O processo deverá levar somente cerca 30 segundos.
    • Mesmo com a escovação regular, os cães podem precisar de limpezas dentais de vez em quando, pois a placa e as bactérias podem se acumular embaixo da gengiva, causando problemas nela ou nas raízes dos dentes. Assim como seus donos humanos, os cachorros devem ter os dentes examinados uma vez por ano.

Cuidando da higiene do seu filhote

  1. Limpe o filhote regularmente. Por causa das dobras de pele, especialmente aquelas na face e ao redor da boca, o buldogue inglês precisa ser examinado cuidadosamente todos os dias em busca de sinais de infecção. A levedura normal encontrada no corpo vai se desenvolver nessas entradas escuras, quentes e úmidas. Estas devem ser lavadas gentilmente e bem secas pelo menos dia sim, dia não, e mais frequentemente nesses cães sujeitos a infecções.
  2. Escove o filhote regularmente. O pelo curto do buldogue inglês cairá, portanto uma escovação completa uma vez por semana com uma escova de cerdas macias é recomendada. Durante o processo, veja se há pulgas, carrapatos ou ácaros, além de caroços, inchaços ou cistos na pele. Estes, junto com quaisquer crostas, vermelhidão ou pele coçando, devem ser reportados para o veterinário.
  3. Inspecione as patas do seu filhote regularmente. A hora da escovação é um bom momento para observar as unhas e as patas. As primeiras podem precisar ser cortadas. Se você nunca tiver feito isso antes, peça para o veterinário demonstrar. O procedimento precisa ser feito corretamente para que você não corte a parte da unha que contém vasos sanguíneos e nervos.
    • Se você cortar essa parte da unha, será difícil cortar as unhas do filhote novamente, pois ele ficará com medo de sentir dor e sangrar.

Treinando seu filhote

  1. Dê ao filhote novo instruções diretas. Ele seguirá naturalmente um líder de matilha, e você precisará ser esse líder. Será necessário ensinar o cão a se comportar e a se encaixar em seu novo ambiente. Ele não é um gênio nem sabe ler mentes. O filhote precisa de paciência e repetição, com muito reforço positivo. Caso encontre um problema com o qual não consiga lidar, entre em contato com um especialista em comportamento canino.
  2. Treine o filhote para obedecer a seus comandos. Você deve ensiná-lo a sentar, ficar e vir respondendo a um comando. Além disso, também é importante ensiná-lo desde cedo a não fazer as necessidades dentro de casa. Todo esse treinamento dá mais certo quando você usa reforço positivo com o filhote. Em vez de puni-lo por não fazer o que é correto, torne a experiência agradável quando ele acertar. Dê ao cachorro uma recompensa (um petisco ou elogios e carinho) quando ele seguir suas orientações, e o cão fará o que você disser!
    • Ensinar o filhote a ficar junto ao passear de coleira também é importante. Não é apenas uma boa maneira dele aprender comandos, mas também faz com que ele se exercite e socialize no mundo. Só não exagere: os filhotinhos se cansam bem rápido.
  3. Comece a fazer seu filhote socializar desde cedo. A socialização é muito importante para fazer com que o cachorro se dê bem com outros cães, outros animais e humanos. Os filhotes mais novos, com menos de 14 a 16 semanas, são mais dados à socialização. Depois dessa idade, eles ficam mais receosos com situações, humanos e outros animais novos.
    • Acostume seu filhote a andar de carro e a passear pelo bairro. Ele também deve se habituar a humanos de todas as idades, tamanhos, cores e gêneros de maneira segura e amigável. Também o apresente de modo seguro a cães e gatos amigos.
    • Uma ótima maneira de apresentar o cachorro a pessoas e outros cães é em aulas de obediência ou socialização feitas em clínicas veterinárias e locais de treinamento.
  4. Dê ao animal muita atenção e carinho. Você precisa criar um laço de amor e confiança entre você e seu novo filhote. Embora seja importante que ele siga seus comandos, também é essencial que ele saiba que você o ama e se importa com ele. Passe momentos agradáveis com o cachorro todos os dias, brincando com ele e acariciando-o, não apenas treinando-o.

Atendendo às necessidades especiais de um filhote de buldogue inglês

  1. Mantenha o filhote exposto a temperaturas moderadas. Essa raça é sensível à temperatura e pode sofrer insolação facilmente, mas também é vulnerável ao frio.
    • Mantenha o filhote refrescado o suficiente nos meses de verão. Qualquer temperatura acima de 32 ºC pode ser muito perigosa. Se você for levá-lo para passear em um dia quente, umedeça-o e forneça bastante água para ele beber.
    • Limite ao máximo o tempo que o filhote passa fora de casa durante o calor extremo.
    • Os filhotes de buldogue podem ficar resfriados muito facilmente. Mantenha-os em um ambiente aquecido durante os meses mais frios para evitar esse problema. Durante o inverno, pode ser necessário manter o animal aquecido com um suéter ou moletom e sapatos para cães em ambientes externos. O cão não deve ficar exposto a temperaturas de 15,5 ºC ou menos por períodos extensos.
  2. Veja se há sintomas de alergia no pelo do cachorro. Assim como outras raças populares, os buldogues são geneticamente predispostos a dermatite atópica, uma doença de pele que resulta em irritação. As pesquisas indicam que, dos 30% dos caninos que sofrem de alergias, 85% são alérgicos a pólen, ácaros e esporos de mofo. Consulte um veterinário se a pele do seu filhote ficar vermelha e irritada.
  3. Monitore a respiração do seu filhote. Como o focinho deles é curto, os buldogues são propensos a dificuldades respiratórias. O clima quente ou úmido, o excesso de exercício cansativo e qualquer doença que afete o focinho, a garganta ou o pulmão tornará difícil para essa raça colocar ar suficiente no corpo. Leve-o para um cômodo com ar-condicionado quando o tempo estiver úmido ou quente e, quando as condições climáticas estiverem extremas, só o exercite dentro de ambientes fechados.
    • Se o seu buldogue começar a arfar, é hora de parar os exercícios e dar um descanso a ele.

Dicas

  • Use lenços umedecidos sem cheiro para manter seu cachorro limpo. Limpe a barriga e as dobras do focinho todos os dias, além das dobras da boca após cada refeição.

Avisos

  • Os buldogues não conseguem nadar e podem se afogar quando a água é mais funda do que as patas deles. Mantenha esses cães afastados da água ou coloque um colete salva-vidas neles e fique de olho.
  • Evite calor e frio excessivos e brinquedos quebráveis ou de látex macio, pois podem causar asfixia.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.