Como Detectar Apendicite Durante a Gravidez

A apendicite é uma inflamação do apêndice. É a condição mais comum durante a gravidez, que necessita de cirurgia "como único tratamento" e ocorre em cerca de uma em cada 1000 grávidas. Uma grávida geralmente tem este problema até o sexto mês da gravidez, mas a apendicite também pode ocorrer nos últimos três meses. Se você estiver esperando um bebê e tiver suspeita de apendicite, consulte o seu médico imediatamente.

Reconhecendo os sintomas de apendicite

  1. Conheça os sintomas mais comuns da apendicite. Estes incluem:
    • Dor abdominal que começa com frequência no meio da barriga, perto do umbigo, e vai migrando aos poucos, em algumas horas, para o lado direito (este é o sinal mais preocupante que provavelmente indica uma apendicite)
    • Náuseas ou vômitos (além do que você já possa ter por causa da gravidez)
    • Febre
    • Falta de apetite
  2. Monitore qualquer dor que sentir. O sinal que indica a apendicite com mais precisão é uma dor vaga que começa ao redor do umbigo e, depois de algumas horas, muda para o lado direito do abdômen, tornando-se mais intensa.
    • A dor "clássica" da apendicite localiza-se a dois terços da distância entre o umbigo e a espinha ilíaca anterossuperior (este local é chamado de Ponto de McBurney).
    • Se você estiver com apendicite e tentar se deitar virada para o lado direito, vai sentir uma dor mais forte ainda. Também é possível sentir dor ao levantar ou fazer algum movimento.
    • Algumas mulheres sentem dor quando ficam em pé, pois estão com os ligamentos redondos do útero excessivamente estirados (algo que pode ocorrer na gravidez). No entanto, esse tipo de dor passa em poucos instantes. Já a dor do apêndice, por outro lado, não passa e é assim que você pode distinguir entre as duas.
  3. Saiba que você pode sentir mais dores na parte superior do corpo se já estiver no final da gravidez. As grávidas a partir da 28ª semana vão sentir dor logo abaixo da costela do lado direito. Isto acontece porque, como o bebê e o útero crescem, o apêndice se move. Em vez de ficar entre o umbigo e a espinha ilíaca anterossuperior (no ponto de McBurney) ele é empurrado para a parte superior do abdômen, logo abaixo da caixa torácica, no lado direito.
  4. Fique atenta se a dor for seguida de náuseas e vômitos. Como você já deve saber, vômitos e gravidez andam de mãos dadas. No entanto, se você estiver com apendicite, você primeiro vai sentir dor e, em seguida, vomitar (ou a náusea e o vômito vão piorar se comparados a como eram antes).
    • Além disso, se já estiver com a gravidez avançada (depois que a fase inicial de enjoos já tiver passado), é muito mais provável que estes sintomas de náusea ou vômito indiquem algo além, como uma apendicite.
  5. Fique alerta se de repente apresentar febre. Quando se está com apendicite, geralmente há uma febre baixa. A febre baixa por si só não é um motivo para alarme. No entanto, é o aparecimento da febre juntamente com a dor e o vômito que deve preocupar você. Se todos os três sintomas surgirem ao mesmo tempo, é preciso ir ao médico.
  6. Esteja atenta à palidez, à sudorese e à falta de apetite. Tanto a sudorese quanto a palidez podem ser provocadas pela náusea e febre apresentadas quando se está com inflamação no apêndice. Você também vai perder o apetite - isso acontece com todas as pessoas que têm apendicite, independentemente de estarem grávidas ou não.

Passando por exames físicos

  1. Fique tranquila e prepare-se para ir ao médico. A visita ao médico, principalmente em uma ocasião estressante como esta, pode deixá-la abalada, portanto é melhor saber o que é necessário fazer. Os exames abdominais que o médico vai realizar estão listados abaixo.
    • É melhor ir para a ala de emergência do hospital. A apendicite é uma condição que deve ser tratada com rapidez, por isso é recomendável que você seja atendida em um pronto socorro, onde os exames podem ser feitos rapidamente se forem necessários.
  2. Evite tomar analgésicos antes de ir à consulta médica. Embora esteja sentido dores, a dor é a única referência que o médico tem para diagnosticar a apendicite numa grávida. Desta maneira, o remédio pode mascarar este sintoma e ser prejudicial.
  3. Não coma, beba nem tome qualquer laxante antes de consultar o médico. A maioria das pessoas é atendida na emergência quando há suspeita de apendicite, portanto a espera não deve ser muito demorada.
    • Abster-se de comer e beber é muito importante para ter o estômago vazio, o que é necessário em determinados procedimentos médicos. Além disso, é melhor para o trato digestivo e diminui a chance do apêndice supurar caso esteja mesmo inflamado.
  4. Saiba que o médico vai apalpar sua barriga para detectar a intensidade da dor. Há vários tipos de exames que os médicos realizam para descobrir a causa da dor abdominal e para saber se é ou não é uma apendicite. Os exames incluem apalpar a região do abdômen para descobrir os pontos de dor, bem como dar batidinhas e testar o "sinal de Blumberg" (dor posterior à pressão feita com a mão).
    • Os exames podem parecer repetitivos e demorados, mas saiba que eles podem ser muito úteis para o médico descobrir exatamente o que está ocorrendo.
  5. Prepare-se para o exame de rotação do quadril. Este exame detecta o "sinal do obturador", que é a dor que ocorre quando se gira o quadril. O médico vai segurar o joelho e tornozelo do lado direito e, em seguida, dobrar seu joelho e quadril, enquanto gira a perna para dentro e para fora. Observe qualquer dor que sentir do lado inferior direito do abdômen e diga ao médico se estiver sentido dor neste local, porque isto pode significar que existe uma irritação no músculo obturador, um dos sinais de apendicite.
  6. Espere um exame de extensão de perna. O médico vai pedir para que se deite de lado, vai esticar a sua perna e perguntar se você está sentindo dor. Este procedimento é conhecido como "sinal do psoas" e, se houver o agravamento da dor durante o exame, é outro indicativo de apendicite.
  7. Prepare-se para um exame retal. Embora o exame de toque retal não se relacione diretamente com o diagnóstico de apendicite, muitos médicos são instruídos a fazê-lo para eliminar possibilidades de que algo além possa estar acontecendo. Portanto, não se surpreenda se isto ocorrer durante a consulta médica.

Usando exames médicos para confirmar o diagnóstico

  1. Prepare-se para fazer alguns exames de sangue. Geralmente, a contagem dos glóbulos brancos vai estar alta em caso de apendicite. No entanto, este exame é menos útil em mulheres grávidas do que em outros pacientes, pois a quantidade dos leucócitos já é maior durante a gravidez. Portanto, isto não indica necessariamente uma apendicite.
  2. Peça ao médico para fazer um ultrassom. O ultrassom é um método "de excelência" (o mais recomendado) para diagnosticar a apendicite em mulheres grávidas. Ele utiliza o eco gerado pelas ondas ultrassônicas para formar uma imagem e ajudar o médico a descobrir se o seu apêndice está inflamado.
    • No geral, as pessoas que dão entrada em um pronto socorro com suspeita de apendicite são submetidas a uma tomografia computadorizada. No entanto, a maioria dos médicos prefere o ultrassom em mulheres grávidas, pois ele não causa danos ao bebê.
    • O ultrassom pode detectar com êxito a maior parte de casos de apendicite.
  3. Esteja aberta à possibilidade de ter que fazer outros exames de imagem. Após a 35ª semana de gestação, todos os exames de imagem tornam-se complexos por causa do tamanho da barriga, que dificulta a visão do apêndice.
    • A esta altura, o médico pode recomendar uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética para visualizar melhor o apêndice e saber se ele está inflamado.

Dicas

  • Qualquer dor ou febre de causas desconhecidas durante a gravidez precisa ser avaliada, ou, no mínimo, discutida com o médico. A maioria dos centros obstétricos nos hospitais tem um médico de plantão 24 horas por dia para tirar dúvidas como esta.
  • Fique de olho na evolução dos sintomas com o passar do tempo, já que o sinal mais revelador da apendicite é a dor abdominal que começa na região do umbigo e que migra gradualmente para o lado direito.
  • Fique calma e procure o médico junto com um acompanhante para que se distraia até a hora da consulta.

Avisos

  • Se o apêndice tiver rompido no último trimestre da gravidez, talvez seja preciso fazer uma cesariana para garantir que você e o bebê fiquem bem. Nesta altura da gravidez, o bebê já está bem formado para nascer e consegue sobreviver fora da barriga.
  • Pode ser difícil diagnosticar uma grávida com apendicite, pois a dor pode não ser no local tradicional.
  • Se você sentir uma dor aguda que não passar, vá a um pronto socorro. É sempre melhor consultar um médico experiente para saber o que está acontecendo.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.