Como Disciplinar uma Criança Sem Bater

A função dos pais é uma experiência desafiadora e gratificante. Como em qualquer trabalho, o trabalho dos pais exige um grande conjunto de "ferramentas" para ser eficaz. Optar por não usar força física em seu filho pode ser um pouco mais difícil porque exige um pouco mais de premeditação, planejamento, tempo e criatividade. Siga estes passos para descobrir várias técnicas que você pode usar, separadas ou combinadas, para se tornar um pai ou uma mãe mais eficaz.

Passos

  1. Escolha por não bater. Isto pode parecer óbvio, mas há uma grande diferença entre a escolha de usar a força física sob certas circunstâncias e declarar a si mesmo e aos outros que você nunca vai bater em seus filhos.
  2. Compartilhe com seus familiares e amigos. A melhor maneira de promover a disciplina onde bater não é uma opção, é deixar que outros vejam o bom comportamento dos seus filhos. Informe sua família sobre os métodos alternativos de disciplina, se você que achar que alguém pode querer castigá-los usando força física.
  3. Procure saber mais sobre o desenvolvimento infantil. Se você sabe o que seu filho consegue entender e como ele processa as informações, você estará melhor preparado para saber quando a disciplina é necessária e quando é melhor simplesmente ignorar determinados comportamentos.
  4. Tente variar as técnicas. Algumas podem funcionar melhor para você e para o seu filho do que outras.
    • Consequências naturais. O conceito básico por trás deste método é deixar a natureza seguir seu curso, quando apropriado. Alguns exemplos: se o seu filho deixa o brinquedo do lado de fora da casa, o brinquedo pode estragar ou sumir. Se seu filho esquece o guarda-chuva na escola, ele vai se molhar na próxima vez que chover. Se o seu filho esquece de levar o lanche, ela vai ficar com fome até a hora de chegar em casa.
    • Consequências lógicas. Causar uma consequência lógica quando não há uma consequência natural (como no caso do irmão A quebrar o brinquedo do irmão B, sendo que o irmão B é muito mais jovem), ou quando a consequência natural pode ser muito perigosa (por exemplo, no caso de uma criança tentar correr para o meio da estrada). Diga ao seu filho quais são as consequências de um contínuo mau comportamento. Cortar certas coisas, como uma história antes de dormir para as crianças mais novas, ou uma atividade que tenha sido planejada para uma criança mais velha, muitas vezes pode ser pior do que uma palmada.
    • Distração. Com crianças de idade ate os seis anos, a distração pode ser uma ferramenta eficaz para redirecionar a atenção de algo que elas querem fazer (que é inadequado) para algo que é apropriado. Por exemplo, se uma criança quer ficar pulando no sofá, sugira que ela vá saltar no trampolim (para permitir-lhe saltar adequadamente) ou fazer uma caminhada até o parque (cumprindo o desejo de ser fisicamente ativo), ou até mesmo algo completamente diferente como montar um quebra-cabeça (pode ser menos eficaz se a criança realmente quer fazer uma atividade física). Você pode usar alternativas para qualquer coisa inapropriada/indesejável que a criança queira fazer ou ter, e quanto mais similar a sua alternativa é ao que ela está querendo, mais chances você tem de ter sucesso em mudar seu foco. A chave é fazer com que a distração seja a mais atraente e emocionante quanto possível (e não chamar a atenção para a atividade/objeto indesejado - você está tentando fazê-la esquecer disso).
    • Disciplina Positiva. Uma técnica que vê o mau comportamento como uma oportunidade para o ensino de novos comportamentos. (Após o seu filho ver que o seu brinquedo está arruinado, você pode mostrar-lhe como organizar suas coisas). Esta técnica também inclui a criação de exemplos positivos na forma como você, pai/mãe, age e eliminando a linguagem negativa. Então, em vez de (ou além de), dizer: "não faça isso", ofereça alguma direção, dizendo: "Por que você não faz isso em vez daquilo?”
    • O sistema de recompensa. Planejado para ser um complemento dos outros métodos de disciplina, o sistema de recompensa depende de você lembrar de elogiar o comportamento positivo (por exemplo, agradecer ao seu filho por ajudar em alguma coisa, comentar sobre como agradável e tranquilo seu filho foi nos últimos 30 minutos, etc). É muito fácil não perceber quando o seu filho está sendo comportado, mas essas são, geralmente, as ocasiões quando ele ou ela não está fazendo algo errado.
    • O sistema de ponto. Dar pontos por bom comportamento e tirar pontos por mau comportamento. Em algumas famílias, “pontos” acumulados são trocados por recompensas. Em outras, os privilégios são baseados no comportamento, e perder um determinado número de pontos pode causar uma perda de privilégios. Tenha cuidado para que a criança não comece a fazer as coisas somente para ganhar pontos ao invés de fazê-las porque é uma coisa boa.
    • Combine as técnicas ou crie novas técnicas que funcionem para você.
  5. Encontre sites de apoio para ajudá-lo. Procure forums onde pais discutem sobre este assunto, ou converse com profissionais especializados em educação infantil.
  6. Não desista. Se você está acostumado a bater no seu filho, pode ser que leve algum tempo para você acostumar-se com as técnicas discutidas aqui.
  7. Analise os resultados. Faça uma análise do comportamento mais recente do seu filho, considere o que está funcionando e o que não está funcionando, e ajuste suas técnicas.

Dicas

  • Se você é um pai/mãe que já bateu no seu filho, você deve ter notado que o comportamento da criança piora antes de melhorar. Isso é normal, pois a criança está simplesmente testando se você vai ou não espancá-la. Desde que você a discipline de alguma outra forma apropriada, o seu comportamento vai melhorar em uma ou duas semanas.
  • As crianças aprendem através de exemplos dos pais. Os pais que são agressivos muitas vezes têm crianças que são agressivas. Os pais que lidam positivamente com conflitos geralmente tem filhos que também lidam positivamente com conflitos.
  • Pense em uma variedade de possíveis punições, e aumente o nível das punições quando a criança repetir o mau comportamento. E se o seu filho é rude, não lhe obedece , faz algo perigoso, recusa-se a compartilhar, etc; não tente criar uma regra diferente para cada possível situação, muitas coisas podem ser englobadas em desobediência.
  • Quando você sentir a necessidade de bater em seu filho, deixe a raiva passar e separe todo mundo da situação.
  • Fale diretamente, não desvie seus olhos dos olhos do seu filho. Você tem que ficar firme, falar diretamente, e dizer a criança que o que ela fez é inaceitável. Não há necessidade de gritar, apenas falar com firmeza e de forma muito direta.

Avisos

  • Tanto a mãe quento o pai precisam estar atrás da decisão e apoiar o método disciplinar para que ele seja eficaz. Se você estiver inseguro(a), você pode testá-lo por um mês para ver como ele funciona.
  • Não bater não significa falta de disciplina. Você precisa ser um participante ativo na disciplina de seu filho. Isto significa não deixar seu filho sem punição pelo seu mau comportamento, planejar possíveis punições com antecedência, e aplicá-las quando for necessário.
  • Alguns de seus parentes imediatos (ou seja, pais, sogros, irmãos) podem não estar dispostos a respeitar a sua decisão de não bater. Deixe eles saberem que você não está se tornando um pai/mãe permissivo, e ofereça exemplos de situações onde você teve sucesso.
  • Deixe as pessoas saberem que você não aprova espancamento, e peça que outros sigam o seu exemplo. Esteja preparado(a) para oferecer alguns métodos, se necessário.
  • Não cometa engano de supor que a única alternativa para espancamento é não fazer nada. Isso não é verdade.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.