Como Dar Espaço ao Seu Parceiro

Precisamos dar espaço uns aos outros, o espaço de crescer, de sermos nós mesmos, de exercermos a nossa diversidade. Precisamos dar espaço uns aos outros para que possamos dar e receber coisas tão bonitas como as ideias, a abertura, a dignidade, a alegria, a cura e a inclusão. ~ Max de Pree Paradoxalmente, os relacionamentos que parecem perfeitos, nos quais o casal faz de tudo juntos, correm o enorme risco de falharem. É da própria natureza humana acabar se sentindo aprisionado pela sensação de se estar permanentemente grudado a alguém, tendo sempre que confiar no outro como fonte de realização da vida cotidiana. Para estarmos completos, é importante para todos nós a sensação tanto de autonomia quanto a de apego. Para evitar essa "armadilha benigna" que leva ao excesso de confiança em uma pessoa, é importante reconhecer o apego desmedido e conversar de forma honesta e solidária com seu parceiro a respeito de soluções positivas e práticas que irão garantir o espaço para que cada um cresça individualmente dentro de uma parceria.

Passos

  1. Reconheça os sinais de alerta. Vocês dois fazem de tudo juntos? Cada momento do seu tempo livre se resume em seguir seu parceiro até o ponto onde nenhum dos dois sabe mais dizer ao certo quem sugeriu o quê, mas ambos continuam fazendo a mesma coisa? Ou talvez haja sentimentos negativos, como possessividade, ciúme ou apego excessivo envolvidos? Por fim, você tem a sensação de sufocamento no seu relacionamento? Ou a falta de direção, um branco esmagador sempre que tenta pensar em fazer algo com seu companheiro?
  2. Verifique se você não está envolvido em um relacionamento de codependência. Relacionamentos codependentes não são nem um pouco divertidos. Na verdade, eles se tratam de intensidade, perfeccionismo e de levar a si mesmo ou o relacionamento a sério demais. Há uma noção de controle e de extrema necessidade mútua entre os envolvidos, que derivam de problemas anteriores, como traumas emocionais de criação, medo de perder as pessoas ou de simplesmente não ter muito senso de propósito na vida e usar alguém para substituir isso. Basicamente, aqueles em um relacionamento codependente sentem uma incapacidade de "ficarem sozinhos", e tentam, mutuamente, formar um todo a partir de duas metades quebradas. Se você sentir que esse é o problema fundamental, vocês dois podem precisar de buscar assistência profissional, uma vez que, em conjunto, irão simplesmente dar continuidade a esse comportamento obsessivo, sem a intervenção de um olhar neutro e externo. Parte do processo de recuperação para um casal em relacionamento codependente é aprender a se iluminar e a se divertir, tanto juntos como separados.
  3. Fale a respeito. Asse uns biscoitos e faça uma xícara de chá ou café. Sentem-se juntos em algum lugar tranquilo e diga ao seu parceiro que você deseja ter uma conversa positiva, de coração para coração. Use uma voz calma e seja bastante amigável. Inicie a discussão com o seu parceiro lhe dizendo o quanto você o ama e o quanto é grato por tê-lo em sua vida. Então, continue a discussão de modo gentil e sincero, e diga que a sanidade do relacionamento de vocês dependente de ambos serem capazes de crescer tanto com indivíduos quanto juntos, como um casal. Basicamente, você está sugerindo que, para que os dois sejam felizes, é necessário que um pouco de ar na vida de cada um para que o relacionamento amoroso se fortaleça. Maneiras de ajudá-lo incluem:
    • Evite culpar, nunca diga “você fez isso, você fez aquilo”, sempre faça suas declarações em primeira pessoa, fale a respeito dos seus objetivos, sanidade, e não sobre as coisas que estão dando errado entre vocês dois.
    • Deixe claro que isso se trata de assegurar que você volte a ser o indivíduo pelo qual seu parceiro se apaixonou no começo, pois sente que está se desligando dessa pessoa e quer voltar a ser você mesmo outra vez.
    • Desenhe uma imagem mostrando que expandir seus horizontes como indivíduos permitirá que a vida de casal floresça quando ambos compartilharem suas descobertas pessoais. Use a metáfora da psicoterapeuta Wendy Allen, que mostra cada um remando sua própria canoa, lado a lado, ao invés de remarem a mesma, juntos. Ela diz que o espaço entre as canoas ajuda a garantir que cada pessoa carregue uma noção íntegra e coesa de eu que fortalece o sentimento de união.
    • Tente definir o que significa "espaço" para você. Isso pode aliviar muito do potencial de medo e ressentimento, se o seu parceiro entender o que você quer dizer mediante cada um ter o seu próprio espaço. Saber o tipo de espaço que está sendo pedido contribuirá para que as coisas se acomodem com mais facilidade e para que haja menores possibilidades de isso resultar em atritos. Para você, espaço pode ser (entre outras coisas):
      • Tempo para o lazer
      • Momento de sossego
      • Espaço para trabalhar
      • Espaço emocional
      • Espaço financeiro
  4. Explique para o seu parceiro que outras pessoas devem sempre fazer parte de suas vidas. A conselheira de relacionamentos, Anne Hollonds, observa que é um erro fatal supor que ser um casal signifique satisfazer por completo as necessidades um do outro. Diga que deseja e encoraje o seu parceiro a passar mais tempo com aqueles amigos que sentem a falta de vocês dois, assim, ambos ficarão revigorados por esse novo estímulo. Em diversos casos, é provável que os seus amigos e os amigos do seu parceiro não se misturem; mas sem problemas, trata-se de sair e desfrutar de suas amizades e confiar um no outro. É mais fácil quando os amigos são do mesmo sexo; mas não aborde a questão espinhosa dos amigos do sexo oposto até que ambos tenham explorado o espaço das amizades do mesmo sexo. Por enquanto, as maneiras de ajudar o parceiro a crescer por meio de passarem tempo com outras pessoas incluem:
    • Agende noites sem o parceiro;
    • Deixe que os amigos venham para a sua casa e tomem o controle do porão, da sala de ping-pong, da sala de TV, qualquer que seja o lugar, enquanto o seu parceiro está limpando ou ficando em outra parte da casa (você pode sempre editar a wikiHow a noite toda!).
    • Confie no seu parceiro para que ele passe o fim de semana numa viagem de pesca ou em Las Vegas com os amigos dele; então, agende um spa ou golf nesses dias, para fazer um agrado para si mesma durante esse período de distanciamento um do outro. Assim, você se autoprevine de ficar se lamentando e de arruinar a sua parte na barganha.
  5. Peça para que sejam almas gêmeas, e não companheiros de cela. Ambos precisam trabalhar em cima dos medos interiores que podem surgir, referentes a rejeição, insegurança, medo da perda, ressentimento e desconfiança — tranquilize seu companheiro de que você está comprometido com seus amigos e que está simplesmente pedindo para que eles se comprometam com a evolução do seu relacionamento, conduzindo-o a um estado mais sólido e forte do que esse em que você se encontra agora. E ambos devem trabalhar juntos para que os compromissos alcançados funcionem para os dois.
  6. Tire um tempo para correr atrás dos seus próprios interesses. Faça um acordo com seu companheiro de que está na hora de ambos reivindicarem seu próprio espaço, os próprios interesses e passatempos de vez em quando. Uma boa meta seria aumentar gradualmente o tempo que passam separados para cerca de um quarto do seu tempo livre no dia a dia. Essa divisão fica por sua conta, como indivíduo, bem como alcançar o compromisso em casal. Ninguém disse que seria fácil!
  7. Rompa o padrão de casal. Isso significa fazer as coisas de maneira independente, mas como um casal. Pode parecer assustador no começo, mas também pode ser incrivelmente libertador, além de provar um ao outro que, na independência, nenhum de vocês tem algo a temer, apenas espaço para que a admiração e o amor cresçam. Sugestões para agir independentemente como um casal incluem:
    • Sentar separados um do outro em jantares.
    • Socializar nas festas enquanto não estão pendurados no braço um do outro. Troquem um beijo de boa sorte na entrada da festa e, ocasionalmente, durante a noite, deixe que seus olhos se encontrem amavelmente, mas aprecie de verdade as companhias a sua volta. Atualizem-se depois do evento sobre todas as fofocas empolgantes que ambos conseguiram ao longo da noite. Não há nada mais excitante do que ver o olhar de surpresa e anseio nos rostos das pessoas quando elas percebem o quão sólido é o seu relacionamento, ainda que tenham liberdade também!
    • Fazer a mesma viagem de férias, mas fazer atividades diferentes. Você vai esquiar enquanto ele vai para o snowboard. Você vai nadar enquanto ela vai surfar. Vocês dois estão na mesa vizinhança, mas estão dando tempo ao outro. Encontrem-se para as refeições e ocasionais atividades em comum. Ou faça um sanduíche — separe as atividades de cada lado, com uma longa caminhada juntos no meio. Você entendeu o raciocínio.
    • Se houver crianças envolvidas, dê ao seu parceiro um descanso após ele(a) cuidar das crianças. Certifique-se de que essas pausas sejam sem amarras. Tempo livre para que ele(a) desfrute consigo mesmo, só isso; ambos reconhecendo que o outro merece seu espaço.
  8. Tranquilize seu parceiro. Diga a ele que o ajuste de espaço, para o amadurecimento ideal de ambos como indivíduos e como casal, é uma necessidade constante em todos os relacionamentos. Casais bem-sucedidos estão preparados para reajustar a distância entre si — tanto como quando estão ficando próximos demais ou quando estão se tornando muito distantes. Tranquilize o seu parceiro de que, se ele sentir que você está se afastando demais, basta que ele se abra a respeito disso e, então, você irá parar tudo que estiver fazendo para ouvir suas preocupações. Também tranquilize-o de que não significa que você queira um espaço permanente entre você e ele; trata-se de permitir espaço para o crescimento, enquanto vocês continuam a compartilhar suas vidas e seu amor juntos. Naturalmente, durante períodos de doença, angústia e outras situações complicadas, o relacionamento precisará mudar, e ambos serão fortes o bastante para superar isso e fazer ajustes adicionais, conforme for necessário.

Dicas

  • Depois de ter aberto a porta, você deve aceitar o seu próprio conselho e não começar a exigir ou resmungar a respeito do novo momento particular do seu companheiro. Se isso o incomoda agora, reflita sobre isso com antecedência; não se pode ter tudo. Você deve estar preparado para renunciar as suspeitas persistentes sobre as atividades do seu parceiro; esse é um exercício de confiança amorosa. Lembre-se da famosa fala de Richard Bach: Se você ama alguém, deixo-o livre. Se ele voltar, é seu; se não, nunca foi.
  • Esta deve ser uma discussão amigável e carinhosa. Não comece a conversa com um ar de arrogante sobre seus desejos e necessidades, ansiedades reprimidas ou com seriedades genéricas do tipo "nosso relacionamento tem que ser assim ou assado", porque isso funciona como um ultimato. Esse tipo de abordagem negativa servirá apenas para dar origem ao medo da rejeição e fará com que a conversa fique repleta de táticas de autodefesa que não vão dar em nada.
  • Praticar algum esporte ou exercício no seu tempo livre é uma ótima maneira de dar espaço ao seu parceiro. Exercícios são excelentes para aliviar o estresse e a raiva acumulada. E, em longo prazo, podem tirar a tensão do seu relacionamento, tornando-o mais saudável.
  • Não elimine os amigos, ao invés disso, mantenha o contato regularmente, e reúna-se com aqueles que têm interesses similares aos seus. Ao passar tempo longe do seu parceiro com frequência, você, eventualmente, irá começar a apreciar o tempo que passa com ele. E, por fim, isso leva a um relacionamento mais saudável.
  • Quando as coisas começarem a ficar melhores, seguindo seu plano, resista à vontade de jogar isso na cara do seu parceiro — ninguém gosta quando avaliam sua vida. Se ele se voluntariar a fazer isso, concorde com fazer do relacionamento de vocês mais feliz e estável. Não se atenha, no entanto, ao suposto segredo de que, depois de resolver os problemas no seu relacionamento, a chave para mantê-lo vivo é seguir com entendimentos silenciosos e positivos. Mantê-lo sob a mira de um microscópio pode ser e é, em si, a patologia do relacionamento.
  • Se seu parceiro, aparentemente, não entender ou se ele expressar ansiedade, não diga "foi só uma ideia" e desista. Discuta por que essa ansiedade existe em relação à proximidade excessiva de seu relacionamento e, gentilmente, mostre por que as coisas devem mudar para mantê-lo forte. Se desistir com facilidade, vai ser quase impossível mudar as coisas algum dia, uma vez que ambos reconhecerão a falta de vontade de procurar a raiz do problema e desfazer todos os nós.

Avisos

  • Se seu parceiro se opor ferozmente a abrir suas vidas, é hora de olhar as coisas por outra perspectiva e considerar terminar o relacionamento. Só você pode decidir o que é mais importante: a promessa de tédio de vez em quando ou manter seu parceiro na sua vida.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.