Como Navegar ao Redor do Mundo

Navegar ao redor do mundo era uma atividade feita por exploradores financiados pelo governo no passado. No entanto, nos tempos modernos, pessoas de todos os tipos estão praticando essa atividade, mesmo ainda adolescentes. Saber das despesas envolvidas, dos riscos e como planejar sua viagem significa a diferença entre uma viagem bem sucedida e uma que você deverá abortar. Também pode significar a diferença entre um sonho quase alcançado e um sonho que virou realidade.

Embarcando

  1. Candidate-se a ser um voluntário em uma equipe. Se você não ganhar um barco em um concurso, ou herdá-lo de um tio rico, ou decidir comprar um por impulso na loja de barcos mais próxima, uma boa maneira de entrar em uma embarcação que pode atravessar o globo é participando de uma equipe. Entre em contato ou visite o porto mais perto para saber se algum proprietário de barco está buscando trabalhadores. Geralmente, o trabalho vai pagar a viagem.
    • No entanto, você também pode conseguir uma posição em um barco de custos compartilhados. Tais barcos têm uma equipe que compartilha os custos, que são normalmente de R$50 a R$ 150 por dia por pessoa. Tome cuidado com proprietários que anunciarem acordos de compartilhar os custos por mais de R$3000 semanais. Normalmente, essa é uma quantidade muito elevada e o proprietário do barco está tentando lucrar com você em vez de apenas compartilhar alguns dos custos.
  2. Veleje com um amigo. Às vezes, as pessoas que passam a vida velejando estão apenas procurando companhia. Se tiver sorte, você pode encontrar alguém de confiança que possa lhe dar uma carona de graça apenas por estar feliz com sua presença. Pode não durar para sempre, mas será que eles não querem companhia por alguns meses? Você pode ajudar quando for necessário, é claro.
    • Apenas garanta que não vá pular no barco de qualquer um só para passear de graça. Quando se está em alto mar com alguém, você está literalmente no meio do oceano com essa pessoa. Você está completamente preso, sem nenhum lugar para fugir e ninguém mais a quem recorrer. Portanto, antes de se inscrever, verifique se você pode, pelo menos, tolerar a pessoa de bom grado.
  3. Vá como professor ou babá. Outra maneira de entrar em um barco que já está navegando os sete mares é ajudando com as crianças. Há famílias que vivem sobre as águas e que precisam de ajuda para criar filhos e mantê-los no caminho certo para quando retomarem a agenda escolar "regular". Quer se trate de um iate privado ou de um navio corporativo, as crianças ainda precisam aprender e ter alguém para tomar conta delas enquanto os adultos estão conduzindo o barco.
  4. Entre em um navio de pesquisa. Organizações como Green Peace e Dolphin Trust estão constantemente indo para o mar para conduzir pesquisas. Eles não só precisam de cientistas e pesquisadores – eles também precisam mãos de obra para a plataforma, trabalhadores administrativos, empregadas domésticas, etc. É essencialmente um negócio em alto mar, e você poderia fazer parte dele.
    • Esses negócios pertencem principalmente a grupos ambientalistas. Se houver uma causa específica que lhe interessa, faça uma pesquisa online. Muitos cargos são voluntários; só para constar – o pagamento é a experiência.
  5. Seja útil em atividades como cozinhar. A maioria das equipes que vão para o mar precisa de indivíduos que saibam cozinhar, limpar, entreter, interpretar, atender no bar, dar instruções e muito mais. Se você tem uma habilidade, por que não levá-la para o mar? Poderia ser qualquer coisa entre um cruzeiro imenso e um super iate privado de uma família. Você só precisa encontrar um gancho.
    • Shows em cruzeiros são bastante fáceis de se encontrar com a tecnologia de hoje. Conseguir uma posição em um barco menor pode ser um pouco mais difícil. Concentre-se no porto mais próximo e mantenha os ouvidos na terra. Você pode conseguir alguns cargos como esse montando uma rede de contatos, isto é, conhecer as pessoas certas no momento certo.
  6. Ou apenas compre um barco e aprenda a velejar. Se você tem R$150000 para gastar, você poderia simplesmente comprar um barco e se preparar para zarpar – contanto que você tenha habilidade para navegar, é claro. Se você é um iniciante na comunidade global dos velejadores (e a maioria de nós somos), fale com outras pessoas da comunidade de velejadores local que fizeram viagens longas em barcos. Pergunte por recomendações sobre quais tipos de barcos funcionam melhor e o que você pode fazer para se juntar à elite.
    • Em geral, você vai querer comprar um barco com 35 a 45 pés (10-15 m) de comprimento. O barco deve ser um veleiro. Usar o vento em vez de combustível vai economizar muito dinheiro em uma viagem desta dimensão. Dito isto, você precisa de um barco que se adapte às suas necessidades. O site cruisingworld.com é cheio de informações sobre esse assunto que pode ajudá-lo a pesquisar.

Determinando as coordenadas da viagem

  1. Planeje a rota e os destinos. Há muitas coisas a se considerar quando estiver planejando sua rota. Ela tem de ser segura, deve ter um clima, deve ser factível e situar-se no local onde deseja ir. E isso sem nem mesmo mencionar os ventos dominantes, as correntes oceânicas e os sistemas de tempestades tropicais. Livros inteiros foram escritos sobre esses temas, mas, por enquanto, vamos mencionar apenas algumas coisas:
    • A rota do Panamá para o Estreito de Torres é considerada um dos destinos de cruzeiros mais atraentes do mundo, e há milhares de variações que você pode fazer até mesmo dentro dessa rota.
    • Muitos marinheiros anseiam por visitar o Taiti. Ao longo dos anos, a capital do Taiti, Papeete, passou de um tranquilo refúgio à beira-mar para uma cidade movimentada e tomada pelo tráfego. Dito isto, o velho Taiti ainda sobrevive, se você souber onde procurar.
    • Se planejou uma parada em Bora-Bora, você pode tomar uma rota para o norte, para as Ilhas Cook do norte, Tonga, Samoa ou uma rota para o sul para as Ilhas Cook do sul, Tonga e Niue.
    • Leve o tempo que precisar e faça a pesquisa on-line e leia livros. Jimmy Cornell tem algumas ótimas referências sobre o assunto; ler alguns livros vai ajudá-lo a tomar as decisões e não deixar nenhuma dúvida de que você fez escolhas sólidas e seguras.
  2. Monte o cronograma. Mais uma vez, descobrir quando navegar é um artigo da wikiHow em si (ou seis). Você precisa contar com o vento, com o tempo, piratas, o próprio calendário, etc.
    • A maioria dos barcos vai preferir o trânsito do Canal do Panamá antes do início da temporada de furacões no Caribe (de junho a novembro), com a maioria das chegadas em fevereiro e março. Este é o mesmo tempo de navegação que deve levar do México e da América Central para o Pacífico Sul.
    • Se está vindo da Costa Oeste da América do Norte, a maioria dos barcos descem a costa para a América do Sul, traçando a rota para o Taiti pela Ilha de Páscoa. Os ventos facilitam a navegação nesse sentido; tentar voltar pela costa leste provavelmente vai ser um incômodo.
    • Se está saindo da Austrália, você tem duas escolhas para a travessia do Oceano Índico: a rota do norte para o Mar Vermelho e o Canal de Suez ou a rota pela África do Sul e Cabo de Hornos. A rota do sul é mais desafiadora e tem mares maiores, mas a rota do norte tem piratas.
  3. Pesquise sobre as áreas nas quais vai navegar. Pesquise todas as áreas que pretende parar completamente antes de decidir. Fique em segurança e tenha as despesas em conta. Quanto custa aportar? Como é a infraestrutura e o governo local? Quais são as chances de se aproveitarem de você no melhor dos cenários e de o ferirem seriamente no pior dos casos?
    • Pesquise as leis de saúde de qualquer país que você pretenda parar. Obtenha quaisquer certificações médicas necessárias antes de embarcar na jornada para se certificar de que você não fique doente quando estiver a milhares de milhas de distância de casa.
    • Pesquise o que não pode conseguir. Se você precisa de alguma medicação específica ou de outro item e não pode obtê-lo no próximo destino, faça um estoque no destino anterior. Que parte da vida vai ser difícil nesta área do mundo, se houver alguma?
  4. Junte toda a documentação necessária. Fale com um agente de seguros para se certificar de que a viagem está coberta por um plano. Garanta que tenha todos os vistos necessários para a sua viagem, também. Quer você venha pelo mar, por terra ou pelo ar, as regras e regulamentos ainda são os mesmos. Se quiser visitar outros países, você tem de seguir as regras do jogo.

Preparando-se para a aventura

  1. Tome todas as vacinas necessárias. Contate a agência de vigilância sanitária relevante em qualquer país que pretenda aportar para obter mais informações e faça pesquisas on-line. Você vai ficar feliz de ter tomado as vacinas necessárias quando chegar o momento. Ficar doente longe dos bons cuidados de um doutor pode significar o fim da viagem.
    • Faça um exame físico em um médico licenciado antes de partir. Se você tem quaisquer problemas de saúde, eles podem ser tratados e você pode começar a tomar a medicação preventiva.
  2. Monte um estoque. Estoque alimentos não-perecíveis, comprimidos para purificação de água e filtros de água, só para começar. Verifique se o barco está com tudo intacto, desde o radar até as âncoras e o navegador. Traga coisas para fazer e métodos para documentar a viagem. Leve em consideração o que pode comprar de lugar para lugar também.
    • Você vai querer viajar com pouco peso, mas nem tanto. Mantenha uma lista de tudo que está levando, acrescentando à medida que for lembrando. Além do mais, mantenha uma lista do que vai estar facilmente disponível e do que não vai estar e determine a prioridade do orçamento.
  3. Tome conta de tudo em casa. Pensou que poderia apenas se levantar e sair à francesa? Provavelmente, é melhor rever os últimos detalhes antes de sumir do mapa por alguns anos. Eis algumas coisas para lembrar:
    • Verifique se as contas estão sendo pagas em dia. Organize uma maneira para que elas fiquem no azul enquanto estiver fora através de um amigo ou de um sistema de débito automático.
    • Se pretende ficar em determinados locais por períodos prolongados, mande sua correspondência para cada local de acordo com a duração da estadia. Peça a alguém para ir até a sua casa regularmente e avisá-lo se alguma coisa importante chegar pelo correio.
    • Deixe os amigos e familiares saberem do itinerário e de seus horários. Se as coisas derem errado, eles vão ter uma ideia razoável de onde você está (ou pelo menos pretende estar).
  4. Peça para um mecânico de barcos verificar o barco e fazer todos os reparos necessários. Até mesmo o Titanic afundou, por isso, não deixe de fazer a revisão no barco antes de levá-lo ao mar. Nunca pule nenhuma parte da manutenção, mesmo se atrapalhar a programação. Isso pode significar a diferença entre a vida e a morte.
    • Em alguns casos, o barco pode ter que ser reparado. Isso pode custar tanto quanto o custo inicial dele, se não mais. Esteja preparado para desembolsar uma boa quantia caso seja necessário.
  5. Prepare-se (junto com a equipe) para emergências. Há coisas que acontecem no oceano que você nunca teria sido capaz de explicar. Alguém vai ter uma erupção cutânea contagiosa, uma tribo de nativos vai pensar que você é o Salvador deles, você vai acordar e sentir o rastro da proa de um navio enorme, deixando-o prestes a morrer, etc. Essas coisas vão acontecer. Embora você não possa se preparar para tudo, tente se preparar o tanto quanto possível.
    • Leve consigo uma arma de fogo e balas, se você tiver. Mantenha a arma em um local seguro, mas acessível. É melhor prevenir do que remediar.
    • Verifique se o barco está equipado com todos os suprimentos necessários para A) desembarcar rapidamente ou B) içar velas rapidamente com êxito.
    • Mantenha um extintor de incêndio, um bote salva-vidas, sinalizadores, e um kit de primeiros-socorros.
    • Mantenha à mão uma lista de quem contatar em caso de emergência, como 112 para acionar o pessoal de emergência na Europa.
  6. Esteja preparado para todos os climas extremos. É fácil pensar consigo mesmo que estará navegando ao redor do hemisfério sul e tudo o que vai ver são pássaros tropicais, águas azul-turquesa e areias cor de pérola. Isso vai ser verdade por algum tempo, mas depois haverá outros momentos em que você vai atingir o extremo sul ou norte a ponto de congelar os membros se não colocar na mala algumas ceroulas. Faça sua pesquisa sobre os climas que vai visitar (ou poderia enfrentar caso algo saia errado). A integridade da sua vida exige que você esteja pronto.
    • Você vai precisar de roupa de imersão, casaco de lã à prova d’água, ceroulas, luvas, gorros e meias se estiver indo para o extremo norte ou sul. Duas de suas maiores prioridades são ficar aquecido e seco.

Içando as velas para o mar

  1. Determine um procedimento padrão para quase tudo. Rapidamente – se houver um furacão, o que você faz? Se encontrar piratas, o que você faz? Se as ondas estão batendo em sua popa, o que você faz? Se vir um homem ao mar, o que você faz? Em qualquer situação imaginável, você tem de ter um procedimento mapeado e todos a bordo devem conhecê-lo. Portanto, quando gritar, "fogo!" todo mundo sabe o papel que deve desempenhar.
    • Faça treinamentos práticos rotineiramente, especialmente se souber que está atravessando uma área propensa a grandes rajadas de ventos/tempestades/piratas etc. Quanto mais você e a sua tripulação estiverem preparados, melhor será a sua experiência.
  2. Faça os ajustes finais antes de embarcar em sua jornada e partir . Meses ou provavelmente anos de trabalho árduo estão prestes a serem recompensados. Você investiu dinheiro e tempo, agora só falta seguir viagem. Dê uma última olhada em sua situação – há algo que poderia ter esquecido?
    • Faça uma festa, despeça-se, faça um estoque de champanhe – no entanto, você vai querer dar um último “Viva” em terra. Verifique se não há percalços no barco, observe o tempo, reúna todos os documentos e fique animado. É hora de zarpar!
  3. Limite a exposição à áreas perigosas. Como você está em alto mar, nunca vai ser suficiente dizer que você deve tomar cuidado. Piratas não são apenas velhos contos populares inventados para serem contados como histórias assustadoras antes de dormir. Parece loucura, mas eles são reais. Atenha-se a áreas onde sabe que estará seguro.
    • Os piratas vagueiam pelos mares, especialmente em áreas fora da costa indiana e africana. Eles ainda podem ser encontrados nas questionáveis águas sem fronteiras em torno das Filipinas e da Malásia (poucos sabem quem monitora o quê). Para obter os últimos pontos de pirataria, visite o website da ICC.
    • Limite o tempo em outras áreas devido às condições perigosas do mar ou ameaças de outras pessoas. Estas áreas incluem o Cabo Horn, o Estreito de Malaca, o Mar de Bering, Oceano Antártico, Cabo Hatteras, o Atlântico Norte, o Triângulo das Bermudas e o mar de Andaman.
  4. Tenha uma estadia legal. Ao se aproximar da costa de qualquer país, você entrará no território dele quando estiver dentro de 12 milhas náuticas (22,22 quilômetros) do mesmo. Caso contrário, você está geralmente dentro da jurisdição de seu país de origem quando estiver em alto mar. Quando estiver dentro dessa faixa, você tem de respeitar as regras daquele país. Tudo vai ficar mais fácil se seguir os requisitos legais.
  5. Faça uma revisão no barco rotineiramente em cada porto. Assim como precisa ficar de olho na sua saúde quando estiver em alto mar, também é preciso ficar de olho na saúde do barco. Em cada porto, dê uma olhada no barco. Qualquer contratempo de minuto deve ser tratado imediatamente. E a melhor parte é que você estará cercado de pessoas que podem ajudar também.
    • Se estiver viajando sozinho ou quase sozinho, isso pode ser a luz no fim do túnel de uma existência outrora solitária. Normalmente, existem diaristas que pairam em torno dos portos apenas esperando para ajudar. Em um dia como esse, você poderia conhecer algumas pessoas interessantes, apimentar suas histórias e levantar sua moral.
    • Verifique o equipamento também. A última coisa que você vai querer é um radar ou um telefone de emergência com defeito ou fora de controle. É um tormento agora, mas poderia salvar sua vida mais tarde.
  6. Tenha um plano para voltar. Depois de anos no mar, ou você estará quase pronto para passar algum tempo em terra firme ou para pensar que um estilo de vida normal é insondável. Dito isto, passar a vida inteira no mar é muito difícil, portanto, você vai precisar de algum tempo de pós-plano para pagar as contas. Depois que você já navegou ao redor do mundo, o que vem depois? Balão de ar quente, talvez?
    • Tente calcular um orçamento de quanto dinheiro você vai precisar na pós-viagem. Você vai precisar de tempo para viver e encontrar um emprego, habitação e para se situar em sua nova vida. Ter, pelo menos, seis meses de preenchimento financeiro vai deixar a transição muito menos estressante.

Dicas

  • Se levar uma arma de fogo com você, pesquise se é legal transportar uma arma em qualquer país que pretenda parar.
  • Vários locais têm diferentes qualidades de acesso à saúde. Cuidados de saúde de qualidade serão relativamente fáceis de encontrar nos EUA, Europa, Canadá, Austrália e outras nações desenvolvidas. No entanto, isto não será o caso em todas as áreas do mundo.

Avisos

  • As principais razões que fazem com que os navegadores ao redor do mundo abortem suas viagens são problemas de saúde. Verifique sua saúde antes da viagem e monitore-a bem.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.