Como Ajudar uma Pessoa Orgulhosa

Muitos de nós conhecemos pessoas que precisam de algum tipo de auxílio, mas são orgulhosas demais para pedir ou aceitar a ajuda de alguém. O orgulho pode assumir diversas formas: alguns indivíduos se orgulham por serem autossuficientes, outros sentem orgulho da própria aparência. No entanto, esse sentimento pode impedir que alguém esteja disposto a aceitar a ajuda alheia. Abordando o assunto com sensibilidade, usando estratégias diplomáticas para oferecer auxílio financeiro e fornecendo apoio de outras formas, você poderá convencer um ente querido orgulhoso a aceitar sua ajuda. Tenha em mente que isso nem sempre funcionará com todo mundo, portanto, saber o momento de deixar a pessoa em paz também é importante.

Falando com a pessoa

  1. Ouça. Primeiramente, você deve ouvir de verdade a pessoa que deseja ajudar, mostrando que a compreende. Considere dizer algo nas linhas de: "Entendi o que você disse e quero ajudar". Às vezes, quando percebemos que um ente querido orgulhoso está enfrentando dificuldades com alguma coisa, dar ouvidos às pequenas dicas de que algo está errado pode ajudar-nos a entender melhor a situação.
    • Dê total atenção ao que a pessoa estiver dizendo, deixando o celular de lado e desligando a televisão.
    • Acene a cabeça e faça contato visual para mostrar que está prestando atenção. Tente também repetir uma frase dita pela pessoa para mostrar que está ouvindo.
    • Faça perguntas para esclarecer o que foi dito. Por exemplo, se alguma coisa estiver confusa, diga: "Não tenho certeza se entendi direito, você pode explicar melhor?".
  2. Aborde a questão com cautela. Depois de ter ouvido e compreendido onde a pessoa precisa de ajuda, tente conseguir mais detalhes, mas sem forçá-la. Do contrário, ela poderá encerrar o assunto ou até mesmo ficar irritada, ignorando o que você tem a dizer e terminando a conversa com ainda menos chances de receber ajuda.
    • Tente dizer algo como: "Parece que você tem vivido momentos difíceis ultimamente. Quer falar a respeito?".
  3. Tome cuidado para não pressioná-la. Pressionar uma pessoa que está passando por dificuldades pode deixá-la com ainda menos vontade de pedir ajuda. Durante a conversa, nunca diga que seu ente querido “precisa” ou “deveria” fazer alguma coisa. Em vez disso, trabalhe junto com ele para chegar a uma solução.
    • Por exemplo, em vez de dizer: "Você deveria inscrever-se em um programa de assistência social", diga algo como: "Já pensou em se inscrever em um programa social para ter uma ajuda extra com os gastos da casa?".
  4. Não imponha sua perspectiva. Talvez você tente convencer alguém a fazer uma coisa que pareça benéfica na sua opinião, mas essa não seja a melhor opção para o ente querido em questão. Provavelmente, essa pessoa vai deixar de ouvi-lo se sentir que você quer convencê-la a mudar de acordo com o que é mais adequado sob seu ponto de vista.
    • Por exemplo, se acha que seu amigo deveria procurar um emprego melhor porque jamais será promovido na empresa atual, considere por que ele gosta desse trabalho. Talvez o emprego ofereça horários flexíveis e ele valorize todo o tempo livre que pode dedicar aos próprios hobbies.
  5. Pergunte como ele deseja lidar com a situação. Perguntar o que a pessoa quer permitirá que ela preserve o próprio orgulho e também considere todas as opções disponíveis. Para incentivá-la a considerar diversas opções, faça perguntas em vez de dizer o que ela deveria pensar ou fazer.
    • Por exemplo, em vez de dizer: "Acho que isso está errado" ou "Você não pode fazer isso", tente: "E se você fizesse isto em vez disso?" ou "Já pensou em tentar isto?".

Oferecendo ajuda financeira

  1. Converse com ele. Identificar o ponto onde uma pessoa enfrenta dificuldades e as medidas que ela está tomando para lidar com a situação pode ser um bom começo na hora de tentar ajudá-la financeiramente. Antes de oferecer dinheiro, compartilhe estratégias que tenha usado em circunstâncias parecidas.
    • Por exemplo, diga algo como: “Quando tive sérios problemas financeiros, alguns programas sociais me ajudaram muito. Sabia que existem recursos como esses disponíveis?".
  2. Ofereça dinheiro abertamente, se puder. Embora seja orgulhoso demais para pedir dinheiro, talvez seu ente querido aceite a ajuda se a oferta for feita com sensibilidade. Caso sinta que é apropriado, diga que não precisa receber o dinheiro de volta. Algumas pessoas verão isso como um grande alívio, mas outras poderão sentir que você está fazendo isso por pena.
    • Por exemplo, diga algo como: "Você já me ajudou no passado, quando tive dificuldades, posso ajudá-lo agora?".
    • Caso você não queira receber o dinheiro de volta, mas seu amigo insista em devolvê-lo, simplesmente diga algo como: "Não se preocupe com isso agora".
  3. Ofereça um empréstimo. Talvez você precise fazer isso se a pessoa for orgulhosa demais para aceitar o dinheiro "de presente". No entanto, tal oferta traz algumas desvantagens, já que adiciona ainda mais pressão financeira sobre alguém que já está com dificuldades. Faça o melhor possível para aliviar esse estresse, negociando termos favoráveis ao seu amigo, mas que ainda permitam que ele pague o que deve. Talvez ainda seja difícil, mas não o force a aceitar.
    • Por exemplo, tente dizer algo como: "Isto é um empréstimo, mas não se preocupe em devolver o dinheiro imediatamente. Concentre-se apenas em você por enquanto".
  4. Sugira que ele ajude outra pessoa como meio de retribuir o favor. Essa tática é especialmente recomendada para aquelas pessoas que hesitam até mesmo em pegar um empréstimo, já que as obriga a retribuir o favor de alguma forma, mas alivia a pressão que acompanha a obrigação de precisar pagar imediatamente. Elas poderão fazer isso quando estiverem em uma situação financeira mais estável.
    • Por exemplo, diga: "Você não precisa me pagar, apenas prometa que vai ajudar alguém da mesma forma no futuro, se puder".
  5. Doe dinheiro anonimamente. Uma doação anônima pode poupar a pessoa dos sentimentos de constrangimento, muito comuns em alguém orgulhoso demais para pedir ajuda. Isso também pode evitar qualquer constrangimento entre vocês dois, causado por um empréstimo ou presente.
    • Coloque o dinheiro em um envelope e deposite-o na caixa de correio da pessoa. Caso faça parte de uma organização religiosa, considere conversar com o líder da instituição e pedir que ele envie o dinheiro anonimamente.
  6. Ofereça-se para ajudar de outras formas. Outro meio de ajudar alguém é oferecendo auxílio em tarefas que normalmente custariam dinheiro, como cuidar das crianças, cortar a grama ou realizar algum tratamento cosmético. Essa opção será especialmente eficaz se a pessoa já o ajudou de forma semelhante no passado. Dessa forma, ela terá algum alívio financeiro sem sentir que está recebendo uma caridade.
    • Tente dizer algo como: "Oi Julia, queria agradecê-la por ter cuidado dos meus filhos na semana passada e também retribuir o favor. Posso cuidar da sua filha quando você precisar de uma babá?".
  7. Contrate-o. Se esse ente querido estiver desempregado ou vivendo de bicos, considere oferecê-lo um emprego com o mesmo salário que você pagaria a qualquer outra pessoa. Não pague nem menos nem mais.
    • Por exemplo, se esse amigo for um pedreiro, você poderia contratá-lo para fazer alguns reparos. Se for um professor, poderia contratá-lo para dar aulas de reforço aos seus filhos.

Ajudando uma pessoa orgulhosa com outras questões

  1. Converse com ela sobre suas preocupações. Pergunte como vai seu amigo se notar que ele vem se isolando ou agindo de forma muito diferente do normal. Mostre que ele pode falar com você, assim, ele terá espaço para expressar os sentimentos. Talvez ele se sinta sozinho, além de ter orgulho demais para pedir a ajuda de alguém. Ele pode achar que precisa resolver a situação por conta própria, portanto, mostre que isso não é verdade.
    • É importante mostrar que você não está perguntando apenas por educação. Tente dizer: "O que está acontecendo na sua vida?" ou "Notei que você vem enfrentando dificuldades ultimamente, como posso ajudar?".
  2. Compartilhe suas experiências se já tiver passado por algo semelhante. Essa é uma boa forma de mostrar que a outra pessoa não está sozinha. Caso ela pareça ansiosa ou deprimida, fale sobre uma época em que tenha se sentido assim, ou tente pensar em alguma experiência relativamente semelhante se nunca tiver passado por isso, mas não invente. Se necessário, sugira que ela converse com algum outro amigo que entenda melhor a situação e possa ajudar mais do que você.
    • Tente dizer algo como: "Não sei exatamente pelo que você está passando, mas vivi algo semelhante".
  3. Demonstre apoio. Mostrar que está ao lado de alguém pode ser um grande alívio para muitas pessoas. Ajudar de outras formas (limpando, cuidando das crianças, etc.) pode tirar um peso do ombro do seu amigo e incentivá-lo a procurar a ajuda de que tanto precisa. Diga algo nas linhas de: “Estou aqui por você” ou “Amanhã vou telefonar para saber se você precisa de alguma coisa”.
    • Por exemplo, ofereça-se para preparar o jantar um dia, dizendo algo como: "Quero experimentar uma receita nova no sábado. Você gostaria de jantar comigo?".
  4. Considere encontrar uma pessoa que seu amigo respeite para conversar com ele sobre o problema. A maioria de nós tem pelo menos uma pessoa que admira, como um mentor, um professor, um chefe ou um membro da família, e talvez seu amigo esteja mais aberto a ouvir alguém por quem sinta admiração. Peça que essa pessoa converse com seu amigo orgulhoso, convencendo-o a aceitar ajuda. Talvez ela consiga convencê-lo a procurar sua ajuda ou a de algum outro ente querido.

Deixando que ela escolha o próprio caminho

  1. Entenda e aceite suas limitações. Às vezes, nós simplesmente não podemos ajudar alguém, pelo menos não da maneira necessária. Se esse ente querido rejeitar a ajuda de forma agressiva ou exigir muito tempo ou esforço, talvez seja melhor se afastar. Mesmo que ele aceite a oferta, você só poderá ajudá-lo até certo ponto. Algumas vezes, um tratamento à base de terapia e medicação pode ser necessário, e um amigo não é capaz de oferecer isso.
    • Tenha em mente que você sempre pode dizer "não" se sentir que alguém está tirando vantagem da sua amizade.
    • Caso esteja preocupado com o bem-estar de um amigo ou familiar, converse com uma pessoa que possa ajudá-lo, como um professor ou terapeuta.
  2. Estabeleça limites saudáveis. Não ultrapasse os limites do seu ente querido, tentando ajudar demais, nem deixe que ele ultrapasse os seus, abusando da ajuda. Isso vale principalmente para as pessoas orgulhosas, que podem sentir que são alvo de pena. Em vez disso, sempre que possível, pergunte como pode ajudar e não tente fazer mais do que for pedido.
    • Por exemplo, caso ela insista que está bem, não a pressione para aceitar ajuda. Simplesmente diga algo como: "Tudo bem, mas saiba que estarei aqui por você se precisar de qualquer coisa. É só me avisar".
  3. Respeite as decisões dela. Por mais que você queira ajudar alguém, é importante dar espaço para que a pessoa tome as próprias decisões. Afinal, a vida é dela e ela tem a escolha de pedir ajuda ou de rejeitá-la. Talvez isso o magoe, mas ser um amigo pode significar dar um passo para trás e deixar que a outra pessoa escolha o próprio caminho.

Dicas

  • Ouça. Algumas vezes, o orgulho surge da sensação de que ninguém tem tempo para nos ouvir, levando uma pessoa a se fechar para o resto mundo porque não se sente ouvida. Ouça com atenção e dê espaço para que ela se abra.
  • Seja humilde e ofereça elogios ao seu amigo, isso vai ajudá-lo a romper com a barreira do orgulho.

Avisos

  • Você poderá perder a amizade se deixar a pessoa com raiva, portanto, é melhor permitir que um amigo lide com o problema por conta própria se não tiver certeza de que ele vai compreender suas intenções.
  • Esteja preparado para agir de forma mais firme caso a incapacidade de lidar com o problema comece a afetar outras pessoas que dependam do seu amigo. Elas não devem ser prejudicadas pelo orgulho alheio.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.