Como Criar um Plano Contra Desastres para Sua Família

Desastres naturais e os provocados pelos homens podem acontecer a qualquer momento. Mesmo com avisos prévios, qualquer desastre – de um furacão a tornados, ou a ataques nucleares – pode lhe pegar desguarnecido e colocar-lhe em grave perigo. Um pouco de planejamento e prática “antes” do perigo pode ajudar você e sua família a sobreviverem perante até os piores desastres. Se você quiser saber como criar um plano de desastres para sua família, apenas siga estes passos.

Fazendo um Plano Contra Incêndios

  1. Localize todas as possíveis rotas de escape em sua casa. Reúna todos os seus familiares e caminhe pela casa para encontrar todas as saídas possíveis. Você não deve procurar apenas as saídas óbvias, como as portas da frente e dos fundos; considere também qualquer janela de primeiro andar, porta de garagem ou outros métodos de escape seguros. Tente encontrar, no mínimo, duas maneiras de sair de cada cômodo.
    • Desenhar uma planta baixa de sua casa e marcar as saídas pode ajudá-lo a se lembrar do que fazer em um eventual incêndio.
    • Você deve encontrar um jeito de escapar de quartos do segundo e do primeiro andar.
  2. Pratique seu plano de escape duas vezes por ano. Ao praticar, você pode fingir que o incêndio está numa diferente parte da casa, de forma que a família possa procurar rotas alternativas diversas vezes para minimizar a exposição à fumaça e ao fogo. Você também pode praticar acordando os seus familiares da casa, caso o alarme tenha disparado durante a noite.
    • Escreva e desenhe seu plano de escape para que todos de sua família saibam exatamente o que fazer.
    • Pratique o plano no escuro, ou até de olhos fechados, para se sentir confortável com o ambiente caso sua visão seja afetada pela fumaça durante a escapatória.
  3. Pratique tomando diversas medidas de precaução durante o escape. Há diversas coisas que você deveria saber fazer enquanto executa o plano de fuga para minimizar a probabilidade de ser afetado pela fumaça tóxica. Aqui estão algumas medidas que você deveria tomar:
    • Pratique rastejar para evitar a fumaça nos olhos.
    • Pratique parar, cair e rolar para remover qualquer fogo de suas roupas.
    • Pratique tocar uma porta com as costas da mão para saber se há um incêndio no outro lado. Se a porta estiver quente, fique longe.
    • Pratique se isolar na casa caso não consiga escapar. Caso escapar seja impossível, feche todas as portas entre você e o incêndio e passe fita isolante em rachaduras e fendas (também é possível usar toalhas). Você deve ligar para os bombeiros (193), é claro. Você também deve praticar balançando uma toalha ou roupas coloridas na janela para permitir que o corpo de bombeiros saiba de sua localização.
  4. Pratique usando uma escada de fuga. Você deve estar preparado com escadas de fuga que possam ser colocadas em ou próximas de janelas para lhe dar outra rota de escape. Aprenda como trabalhar com as escadas para que você esteja preparado para usá-las em caso de emergência. Você deve aprender a usá-las em janelas do primeiro e do segundo andar caso não haja nenhum outro método de fuga a partir dessas janelas. A escada deve ser mantida perto de janelas, num local que seja de fácil alcance.
  5. Selecione um ponto de encontro que esteja a uma distância segura de sua casa. Assim que um membro da família escapar da casa, ele deve correr até um ponto de encontro que esteja a uma distância segura do lar, ainda que não muito longe – poderíamos apontar o quintal do vizinho, a caixa de correio ou um poste de iluminação. Todos devem se encontrar nesse ponto assim que escaparem para que, assim, a família saiba que ninguém ficou para trás.
    • O ponto de encontro deve ser marcado no seu plano de escape.
  6. Permita que crianças se sintam confortáveis com o plano de escape. Seus filhos não devem se assustar pelo fogo e devem ver a simulação como uma forma de prática, e não um motivo para se assustar. Realizar a simulação com as crianças as ajudará a perceber que o fogo é uma ferramenta, e não um brinquedo, e as ensinará a serem mais respeitosas frente às chamas – diminuindo a probabilidade de seus filhos brincarem com elas.
    • Apenas certifique-se de que as crianças pratiquem as rotas de fuga com um adulto e não tentem nada muito perigoso, como escapar de uma janela de segundo andar.
    • Você deveria garantir que adultos sejam colocados com crianças durante o plano de fuga para que elas não fiquem sozinhas.
  7. Certifique-se de que sua casa tenha instalações contra incêndios. Verifique se há um alarme de fumaça em cada sala e se todas as suas portas e janelas podem ser abertas facilmente. Seu lar deve ser preparado para reconhecer fumaça, e suas portas e janelas devem se abrir facilmente caso você queira escapar o mais rápido possível. Você também deve garantir que o número de sua rua seja bem visível na estrada, para que os bombeiros possam alcançá-la em pouco tempo no momento da necessidade.
    • Se suas portas ou janelas possuírem barras de segurança, elas deverão ter alavancas de emergência para poderem ser abertas de maneira imediata.

Fazendo um Plano Contra Enchentes

  1. Contate a prefeitura e o corpo de bombeiros locais para saber se sua comunidade possui planos de emergência contra enchentes. O corpo de bombeiros apontará se você está numa área suscetível a enchentes rápidas ou a deslizamentos, sendo que é importante saber o que esperar antes do planejamento. Você também pode encontrar sinais de aviso, rotas de evacuação e localizações de abrigos emergenciais usados pela sua comunidade. Tais fatores influenciarão seu plano contra enchentes.
  2. Faça um plano de fuga para uma eventual enchente. Você e sua família precisam discutir o que todos farão para escapar se houver uma enchente em sua comunidade. O que você fará se todos os seus familiares estiverem em casa? O que você fará caso seus familiares estejam em diferentes cantos da cidade? Ter o máximo de planos possível pode ajudá-lo a descobrir quais os melhores métodos de escape.
    • Ter um amigo ou parente distante com quem você possa entrar em contato caso a família esteja separada aumenta suas chances de se reunir a ela: todos devem saber o nome e o endereço dessa pessoa.
  3. Garanta que sua família saiba o que fazer caso vocês estejam em estado de risco. Caso você esteja em estado de risco, sua família deve se preparar para reunir os materiais de emergência e para escutar a estação de TV ou rádio local para mais informações. Você também deve desligar todos os aparelhos eletrônicos caso pareça ser necessário evacuar. Você também deve higienizar banheiras e pias e enchê-las de água limpa para casos de necessidade. Aqui estão outras coisas que você deveria fazer:
    • Caso estejam em estado de risco, você e sua família devem trazer posses externas – como latas de lixo, grelhas e decorações de quintal – para dentro de casa e amarrá-las com segurança.
    • Encha o tanque de seu carro e coloque um kit de emergência nele.
    • Faça um acordo para obter transporte caso não possua um carro.
    • Coloque seus documentos importantes – como receitas médicas, cartões de seguros e documentos de identificação – em um saco impermeável.
    • Encha suas caixas d’água.
    • Encontre um abrigo onde você possa colocar seu animal de estimação, caso tenha um.
    • Fique atento a sirenes ou sinais de desastres.
  4. Saiba o que fazer caso seja preciso evacuar. Se você receber uma ordem de evacuação, escute-a e saia de sua casa o mais rápido possível. Confie nas autoridades e você deixará de estar em perigo assim que sair. Sua família deve saber o que fazer caso você tenha de evacuar e deve se preparar para agir:
    • Leve consigo apenas os objetos mais importantes.
    • Desligue gás, eletricidade e água, se houver tempo.
    • Desconecte seus aparelhos elétricos.
    • Siga as rotas de fuga dadas a você pelas autoridades.
    • Não caminhe entre áreas gravemente alagadas.
    • Continue escutando o rádio para obter atualizações.
    • Vá até um abrigo ou até a casa de um vizinho que não esteja numa área de risco.
  5. Prepare sua casa para uma eventual enchente. Prepare-se para desligar qualquer eletricidade de sua casa antes de sair. Se houver água parada ou cabos de energia soltos por perto, você deve desligar o gás e a água para evitar choques elétricos no momento em que a energia voltar. Você deve saber como fazer isso. Será preciso comprar um extintor de incêndios que toda a sua família saiba como usar. Você também deveria comprar e instalar uma bomba submersa com reserva de energia. Aqui estão outras coisas que você deveria fazer para preparar seu lar:
    • Permita que um eletricista eleve componentes elétricos de sua casa, como qualquer tomada ou disjuntores. Peça que ele coloque esses aparatos 30 centímetros acima do nível em que a água pode chegar.
    • Instale válvulas ou plugs anti-retorno em pias, ralos e outras conexões com esgotos para afastar a enchente.
    • Ancore tanques de gasolina em seu depósito. Se os tanques saírem de sua casa, eles poderão ser levados pela correnteza e danificar outras casas.
  6. Encha sua casa de suprimentos de emergência. Se você realmente quiser preparar sua família para uma enchente, será preciso guardar diversos itens fundamentais que aumentarão suas probabilidades de segurança e sobrevivência. Aqui estão alguns dos itens que precisarão ser guardados:
    • Recipientes o suficiente para armazenar um suprimento de água que dure de 3 a 5 dias
    • Um suprimento de alimentos não-perecíveis e um abridor de latas para alimentá-los por 3-5 dias
    • Um kit de primeiros-socorros
    • Um rádio à pilha
    • Lanternas
    • Sacos de dormir e cobertores
    • Lenços para limpar suas mãos
    • Tabletes de cloro ou iodo para purificar a água
    • Sabão, pasta-de-dentes e outros itens de higiene
    • Um kit de emergência para seu carro que inclua mapas, cabos de bateria e sinalizadores
    • Botas de borracha e luvas impermeáveis

Estratégias Gerais para Criar um Plano Contra Desastres

  1. Determine quais os desastres mais comuns de sua área. Caso viva em zonas de risco de São Paulo, você não precisa se preocupar com terremotos, mas é bom se preparar para enchentes. Ainda que alguns desastres, como incêndios, possam acontecer em qualquer lugar, os riscos encontrados podem variar muito de acordo com o local. Consulte o corpo de bombeiros local para descobrir quais são as emergências mais comuns de sua área.
  2. Descubra o que fazer em caso de desastre. O corpo de bombeiros e a prefeitura provavelmente emitirão comunicados sobre o que fazer em caso de emergência. Tais entidades podem lhe fornecer mapas de evacuação e informações sobre locais seguros e planos de emergência. Se não puder obter toda a informação necessária desses oficiais, pesquise suas emergências locais por conta própria.
    • Descubra, por exemplo, quais preparativos devem ser feitos em caso de tornados ou furacões e como sobreviver caso seja atingido pelo desastre. Determine as melhores rotas de fuga.
    • Lembre-se: quando o desastre bate à porta, é sua responsabilidade garantir que a família esteja bem preparada.
  3. Encontre um ponto de encontre e uma maneira de entrar em contato com seus familiares. Há uma boa chance de que todos os seus familiares não estejam no mesmo lugar durante a ocorrência do desastre; portanto, é importante marcar um ponto de encontro antecipadamente. Escolha um ponto que seja seguro e que fique longe de sua vizinhança, pois é possível que você não consiga voltar para sua casa.
  4. Designe um contato que possa conectar sua família. Aponte um amigo ou parente como pessoa de contato – essa pessoa deve ser responsável por atender você, sua esposa/marido e seus filhos caso a família não consiga se reunir. Para minimizar a chance de o contato ser afetado pelo desastre, escolha alguém que viva numa cidade distante ou em um estado diferente. Certifique-se de que todos os familiares tenham o número desse contato em mãos.
  5. Discuta cenários de desastre com sua família e certifique-se de que todos saibam o que fazer em casos de emergência. É importante educar-se sobre como responder a desastres prováveis – porém, o que acontece com sua família se ela estiver longe ou caso você esteja morto ou machucado? Uma pessoa responsável pelo plano não é o suficiente – todos devem conhecer o plano.
  6. Conserte potenciais riscos de sua casa. Assim que você identificar possíveis casos de desastres, inspecione profundamente sua casa e tente deixá-la o mais segura possível. Aqui estão alguns exemplos do que fazer:
    • Toda casa deve ter detectores de fumaça e extintores de incêndio. Teste os detectores de fumaça uma vez por mês, e troque as baterias deles anualmente ou sempre que necessário. Extintores de incêndio devem ser recarregados de acordo com as instruções do produto, e familiares devem aprender a usá-los. Todos devem saber como escapar da casa em caso de incêndio.
    • Caso viva numa área suscetível a terremotos, você não gostaria de colocar uma estante alta e pesada perto de um berço – afinal, ela poderia cair durante o desastre.
    • Se você viver perto de uma floresta e houver a possibilidade de incêndios, varra e apare a grama alta de sua casa para criar uma zona de proteção entre sua casa e o fogo.
  7. Ensine à família técnicas básicas de salvamento. Todos que possam aprender a fazer RCP e primeiros-socorros devem tomar aulas e se atualizar. Adultos e crianças mais velhas devem saber como desligar o gás, a eletricidade e a água caso o lar seja danificado. Todos devem saber como detectar um vazamento de gás. Números de emergência também devem ser colados perto de telefones, sendo que até crianças pequenas devem aprender a ligar para o 193 ou para o número de emergência correspondente.
    • Aprender a usar o detector de incêndio e a verificar os detectores de fumaça é fundamental.
  8. Monte um kit de desastres. Esteja preparado para emergência com um suprimento de água potável e alimentos não perecíveis para três dias, medicamentos, itens para primeiros-socorros e outras coisas que possam ser necessárias caso você não tenha tais elementos úteis e nem como comprar esses itens. Mantenha um kit menor no porta-luvas de seu carro. Um celular barato “pós-pago” é uma boa adição para seu kit.
  9. Pratique seu plano. A prática leva à perfeição – numa situação de vida ou morte, você quer responder perfeitamente. Consulte periodicamente seus planos de emergência com sua família e atualize-os sempre que necessário. Faça perguntas acerca de medidas de segurança à sua família e realize simulações. Faça um teste ao vivo com sua família, envolvendo todos. Isso lhe ajudará a identificar o que funciona e o que não funciona. Você deve praticar a execução do plano de desastres duas vezes por ano.
  10. Tenha planos de contingência. Caso um local de emergência esteja indisponível ou outras coisas mudarem, é uma boa ideia ter um plano alternativo em mãos. O que você fará se seu contato não estiver em casa? O que você fará se um dos membros de sua família estiver fora da cidade? Planeje-se para o maior número de cenários possível para aumentar suas chances de segurança.

Dicas

  • Aprenda a preparar instruções para desligar o gás e os equipamentos elétricos em caso de emergência.
  • Caso esteja tendo problemas com qualquer um desses passos, há muitos recursos na Internet que podem ajudá-lo neste processo.
  • Tome passos para proteger seus dados. Armazene dados importantes, documentos e informações num pen-drive protegido por senha (coloque-o no kit de emergência) ou em um sistema de backup online para continuar tendo acesso a tudo caso seja preciso evacuar.
  • Compre e use “Rádios Auto Recarregáveis” e lanternas “auto recarregáveis”. Esses elementos não usam baterias e são mais seguros que velas. Alguns desses modelos podem carregar a bateria de seu celular.
  • Leve seu plano de emergência a sério, mas tome cuidado para não assustar crianças irracionalmente ou ficar obcecado com o desastre. Planejamento leva à segurança, e deve fazer sua família se sentir mais segura.
  • É uma boa ideia selecionar dois ou três contatos de emergência – um que viva fora de sua área local, outro que viva na mesma cidade e alguém que possa receber mensagens de texto.
  • Após o Furacão Katrina, celulares deixaram de fazer ligações nas áreas afetadas pelo desastre; porém, os celulares ainda salvaram muitas vidas e ajudaram a reunir família graças a disponibilidade do sistema de mensagens de texto.
  • Além dos recursos mencionados acima, você poderia querer verificar sua empresa de seguros para encontrar meios de deixar sua casa ainda mais protegida. Seguradores se interessam por minimizar o risco de danos ou lesões no evento de um desastre, podendo fornecer-lhe informações sem problemas. Muitas contratos de seguradoras também requerem certas precauções para que a perda seja devidamente paga.
  • Em desastres grandes, uma pessoa normalmente pode ligar para um número fora da área dela. Em casos extremos, pessoas terão de confiar nas mensagens de texto quando linhas telefônicas e torres de celular estiverem destruídas.

Avisos

  • Este artigo não pretende ser um completo plano de preparo contra desastres. Você precisará analisar quais desastres podem ocorrer em sua área e se preparar adequadamente.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.