Como Fazer o Próprio Substrato

Comprar substrato para todo o seu jardim pode rapidamente se transformar em um empreendimento caro, especialmente se você tiver um jardim grande ou vários tipos de plantas, que precisem de tipos diferentes de terra. Muitos jardineiros preferem fazer o próprio produto, devido a simplicidade da técnica e, também, porque pode ser muito mais barato do que comprá-lo de uma loja de produtos para jardim. O melhor substrato para uso geral deve ser aerado, ter nutrientes e boa retenção de água.

Solarizando a terra

  1. Rastele a terra. Escolha a área onde pegará a terra e cultive-a. Remova todas as folhas, ervas daninhas, aparas mortas das plantas e outros detritos. Rastele a terra e alise-a de maneira que ela fique nivelada.
    • Não utilize áreas que contenham pesticidas, produtos químicos ou outros poluentes, pois isso pode contaminar o solo.
  2. Regue completamente a terra. A água deve penetrar cerca 30 cm no solo. Isso melhorará a maneira como o calor será conduzido pela terra, aquecendo-a e solarizando-a completamente.
  3. Cubra a terra com uma folha de plástico transparente. Sele a terra em baixo de uma folha de plástico; você pode utilizar lona para pintura, que é encontrada em lojas de materiais construção. Coloque pedras ou uma linha de terra ao longo das bordas do plástico para prendê-las.
  4. Deixe a área de terra assentar por entre 4 a 6 semanas. Haverá bastante calor gerado e preso debaixo da folha de plástico, que solarizará o solo e matará as pragas indesejáveis, patógenos e ervas daninhas. O verão, com o clima quente e ensolarado, é o momento ideal para isso.
    • Se você deixar a lona por mais de 4 a 6 semanas, o material se desintegrará.
    • Você pode rotacionar as áreas do jardim que estiverem sendo solarizadas. Selecione uma parte do jardim para fazer a solarização do solo e deixe outra com plantas em crescimento.
  5. Como alternativa, esterilize a terra no forno. Preencha assadeiras de vidro ou metal com terra. Cubra bem utilizando papel alumínio e leve-as ao forno 90 °C por cerca de 30 minutos. Mexa a terra a cada 5 minutos enquanto ela estiver sendo assada. Deixe-a esfriar completamente.
    • Sua casa ficará com cheiro de terra ao utilizar esse método, o que pode ser desanimador para algumas pessoas.

Fazendo a compostagem

  1. Guarde os restos dos alimentos, aparas de grama e qualquer outro material adequado. Os materiais à base de plantas, incluindo grama, palha, folhas, restos dos alimentos, borra de café e ervas daninhas são ótimos. A compostagem garantirá que o substrato caseiro seja rico em nutrientes e micróbios benéficos.
  2. Misture 3 partes de "marrons" com uma parte de "verdes". Os "marrons" são os materiais que produzem carbono, como folhas, palha, espigas de milho e aparas de grama. Os "verdes", que produzem nitrogênio, incluem os restos de alimentos, borra de café, ervas daninhas, aparas de plantas e afins.
    • Nunca coloque carnes de animais, produtos lácteos, fezes de cães, gatos ou porcos, ou resíduos humanos na compostagem. Isso pode torná-la um perigo para a saúde.
  3. Coloque o material de compostagem em um recipiente apropriado, que pode ser comprado em uma loja de materiais para construção. Ele deve ter uma tampa e ter pelo menos 85 litros de capacidade. Esse tamanho mínimo garantirá que o conteúdo consiga ficar aquecido a 70 °C por, pelo menos, duas semanas e terá como resultado um material totalmente decomposto.
    • Certifique-se de virar o material em compostagem, pelo menos, 5 vezes durante essas 2 semanas, de maneira que todo ele se decomponha totalmente.
    • Você também pode adicionar minhocas ao composto, elas ajudam no processo de decomposição.
  4. Processe a compostagem peneirando-a. Assim que o material estiver totalmente decomposto, peneire-o para obter partículas com o mesmo tamanho, que devem ser relativamente pequenas, de modo que possa misturá-las no substrato.

Agregando outros ingredientes

  1. Compre areia, pois ela adicionará espaços com ar no substrato, melhorando a drenagem na terra. Escolha uma areia utilizada na construção civil e que tenha a textura grossa. Não utilize a areia para gesso, pois ela é muito fina e deixa a textura mais densa.
    • A perlita é uma boa substituta para a areia. Ela é feita de rocha vulcânica, tem o pH neutro e pode melhorar a maneira com que o solo drena a água, além de não ser tão pesada como a areia.
  2. Obtenha o musgo de turfa, ou musgo sphagnum, pois ele melhora a retenção de água no substrato. Isso pode ser útil para as plantas que necessitam de mais água por um longo período. Este produto é encontrado em lojas de produtos para jardim e não é muito caro.
    • No entanto, a turfa tem acidez elevada e pode precisar ser contrabalanceada para melhorar o equilíbrio do pH no solo.
    • Você também pode utilizar um forro feito de jornal no lugar do musgo, que também ajudará na retenção da água.
    • A fibra de coco é outra opção para ser colocada no lugar do musgo. Esse material é a fibra da casca do coco e melhorará a retenção de água. Ela geralmente é vendida em lojas de venda de produtos para jardinagem no formato de um tijolo comprimido e se expande quando é umedecida.
    • A casca de árvore também pode ser utilizada como um substituto parcial do musgo. Ela cria bastante espaço de ar no solo, apesar de não reter a água completamente como a turfa. Contudo, alguns especialistas sugerem que você evite esse tipo de material, pois ele pode imobilizar o nitrogênio, um componente crucial para um bom substrato.
  3. Obtenha a vermiculita. A vermiculita é feita de rocha vulcânica, tem cor cinza prateada, é áspera e parecida com mini seixos. Esse material pode melhorar a retenção de água. Manuseie-a de modo suave para garantir que ela não perca a capacidade de retenção de ar.
    • Escolha uma vermiculita de granulação média ou grossa.
  4. Junte os fertilizantes e nutrientes. Um substrato bom e rico precisa ter fertilizantes e nutrientes para alimentar as plantas e ajudá-las a crescerem fortes, saudáveis e produtivas. Alguns destes ingredientes podem incluir farinha de sangue (para obter o nitrogênio), farinha de osso (para obter o fósforo), areia verde (para obter o potássio) e outros minerais. Esses nutrientes são encontrados em lojas de produtos para jardim.
    • O calcário é outro ingrediente nutricional típico utilizado para aumentar os níveis de cálcio ou magnésio no substrato. Sua melhor opção é o calcário dolomítico.

Fazendo o substrato

  1. Use equipamentos de proteção. As luvas de jardinagem protegerão suas mãos contra pequenas lascas e uma máscara ajudará a evitar a inalação da poeira e das partículas vindas dos materiais que estiver usando.
  2. Reúna os materiais. Ter todas as ferramentas e materiais acelerará o processo de criação. You’ll need:
    • Um recipiente grande para misturar: Ele pode ser um balde grande, lata de lixo, carrinho de mão ou outro recipiente.
    • Um recipiente para medição: Alguns dos materiais serão adicionados em quantidades menores. É útil ter um recipiente para medir com precisão. Um balde de 5 litros é um tamanho útil, da mesma maneira que uma xícara para medição.
    • Água: Tenha a disposição um regador e uma mangueira de jardim.
    • Espátula: Uma espátula será útil para misturar os materiais.
    • : Tenha uma pá disponível para trabalhar com bastante terra, turfa e adubo no substrato.
    • Tela: Uma tela feita de metal será utilizada para peneirar os materiais, separando os pedaços grandes e detritos. O ideal é utilizar uma que possua uma malha de 6 mm.
  3. Prepare seu espaço de trabalho. Ter uma mesa poderá ser útil para o preparo do substrato, especialmente se você estiver fazendo lotes menores em baldes. No mínimo, você deve ter um espaço plano e ao ar livre. Forre o piso utilizando uma lona para isolar a área da terra e outros materiais.
    • Utilize um tambor ou uma lata grande de lixo para misturar o substrato.
  4. Meça os ingredientes. Existem várias receitas diferentes para o substrato, cada uma delas sendo apropriada para diferentes tipos de plantas. Para criar um produto de uso geral, utilize a seguinte receita :
    • Meça 1 parte de turfa, 2 partes de composto, 1 parte de vermiculita e 1 parte de perlita ou areia. Para começar, utilize um balde de 18,9 L como medida para cada "parte".
  5. Peneire todos os ingredientes separadamente utilizando uma peneira de metal com tela de 6 mm, para remover os pedaços grandes e os detritos.. A tela de metal está disponível, em rolos, nas lojas de ferragens e de materiais para construção e custa entre R$ 15,00 a R$ 30,00 por rolo.
  6. Coloque primeiro a turfa no recipiente. Despeje toda a turfa que será utilizada em um recipiente para fazer a mistura. Pode ser mais fácil começar com um lote pequeno, ao invés de usar todos os materiais disponíveis de uma vez.
  7. Adicione os fertilizantes e misture bem. Eles adicionarão os nutrientes no substrato. Uma mistura boa para adubo é a seguinte:
    • 1 xícara de areia verde, 1 xícara de farinha de sangue, ½ xícara de farinha de ossos, ½ xícara de limão e ½ xícara de fosfato natural (também conhecido como rocha fosfática).
  8. Adicione o adubo, a vermiculita e a perlita. Adicione cada um destes ingredientes e misture-os bem. Vire a mistura para ter certeza de que está misturando todos de modo uniforme.

Armazenando o substrato

  1. Guarde o substrato não utilizado em uma lata de lixo velha ou outro recipiente com tampa. Escolha um local coberto para o armazenamento. É melhor que ele não fique exposto à chuva antes ser aplicado ao jardim, sendo assim escolha um local coberto. Do mesmo modo, esse produto também não deve ser exposto diretamente ao sol, principalmente em climas quentes. Um galpão de jardim é um bom local para guardá-lo.
  2. Teste a terra utilizando um medidor de pH para analisar os níveis de acidez e alcalinidade do solo. O equipamento para medir os níveis de pH do solo pode ser encontrado na internet por cerca de R$ 60,00 ou mais. Coloque o medidor na terra para fazer o teste. Se a terra estiver com o índice de acidez, ou alcalinidade, muito alto, os nutrientes talvez não sejam absorvidos pelas plantas.
    • Um nível ideal de pH deve ficar entre 5.5 e 7.0.
    • Para aumentar os níveis de pH, ou para deixá-lo mais alcalino, adicione um pouco de cal. Para baixar o pH, ou para deixá-lo mais ácido, adicione mais enxofre.
    • Faça pequenos lotes de terra para testar diferentes misturas e proporções. Isso o ajudará a ter uma ideia de como os diferentes ingredientes produzem níveis de pH diferentes.
  3. Teste o solo utilizando um ensaio biológico, que verificará a viabilidade de uma amostra biológica. Basicamente, isso significa que você usará a terra para o cultivo das sementes e monitorará seu crescimento. Tente cultivar aveia, feijão ou alface a partir das sementes. Monitore a velocidade com que as sementes germinam e como as mudas crescem.
    • Se a maioria das sementes não germinarem ou as mudas crescerem lentamente, o substrato pode estar pobre em nutrientes. Experimente uma receita diferente. Pesquise na internet por "receita para substrato" para encontrar uma outra opção.

Dicas

  • Mesmo que faça seu próprio substrato, isso não garante que ele será orgânico. Todos os ingredientes utilizados precisam ser cultivados organicamente para isso. Procure no rótulo pelo selo da SISORG (Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica) que deverá aparecer na frente do produto. Isso significa que estes materiais são aprovados para uso em misturas orgânicas.
  • Existem muitas receitas diferentes para substrato, dependendo do tipo de plantas que você estiver cultivando. Há receitas que são apropriadas para plantas com folhagem, plantas suculentas, bromélias, mudas e outras.

Avisos

  • Certifique-se de ler os rótulos cuidadosamente de todos os materiais que estiver comprando para adicionar ao substrato. Algumas turfas e outros materiais podem ter polímeros químicos que são utilizados para fazer com que a água grude nos ingredientes que são difíceis de ficarem molhados.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.