Como Enfrentar a Homofobia

Se você é homossexual ou bissexual, com certeza já sofreu provocações e discriminações, certo? Os outros fazem caretas quando o veem andando de mãos dadas com seu parceiro do mesmo sexo? As pessoas tentam convencê-lo a superar a homossexualidade? Estes comportamentos podem ser descritos como homofobia, um medo de homossexuais. Quando não têm informações suficientes sobre os gays, as lésbicas e os bissexuais, as pessoas podem agir de modo discriminatório e até mesmo criminoso. Aprenda a enfrentar as reações homofóbicas e a se proteger.

Lidando com a dor da homofobia

  1. Não leve para o lado pessoal. É muito fácil sentir raiva ou vergonha ao se deparar com a homofobia. Você pode odiar-se por ser quem é ou desejar ser heterossexual para viver uma vida mais tranquila. É compreensível inverter a situação desta maneira, mas isso não é saudável. A homofobia é um problema sociológico que só pode ser solucionado através de informações, autoconhecimento e aceitação.
  2. Busque ajuda. Por mais difícil que seja saber que grupos religiosos e pensamentos conservadores não o apoiem, a dor pode ser aliviada ao cercar-se de pessoas que o amam e apoiam.
    • Identifique as pessoas mais importantes na sua vida — parentes, amigos próximos e até mesmo colegas de trabalho ou de classe — que o apoiam e podem estar passando por problemas parecidos. Passe o máximo de tempo possível com elas.
    • Procure um grupo de apoio para homossexuais, bissexuais e transexuais e sentirá menos isolamento, além de aprender soluções práticas para a homofobia.
  3. Junte-se a uma militância. Ao agir para conscientizar a população sobre a homofobia, você conseguirá lidar melhor com a discriminação que sofre. Procure por grupos na internet ou em centros comunitários para fazer a diferença .
  4. Consulte um psicólogo. Se "saiu do armário" recentemente ou está sofrendo discriminação na escola ou o trabalho, um profissional de saúde mental pode ajudá-lo bastante.
    • O profissional pode ajudá-lo a processar o que está sentindo e a desenvolver estratégias para enfrentar a homofobia. A terapia familiar também pode ser útil caso a homofobia esteja ocorrendo dentro de casa.

Respondendo à homofobia

  1. Não perca a cabeça. O pior a se fazer ao se deparar com a homofobia é responder de modo negativo ou agressivo. Xingar ou ficar na defensiva apenas confirmará estereótipos negativos. Mantenha a cabeça no lugar para responder de modo positivo e fazer com que a pessoa se sinta culpada por insultá-lo.
    • Obviamente, falar é fácil! Se alguém fizer um comentário homofóbico, respire fundo — inspirando pelo nariz e expirando pela boca — e mantenha a calma.
    • Decida como reagir após se acalmar. Dependendo da pessoa e da gravidade do comentário, ignore o insulto (e afaste-se da pessoa) ou responda de modo firme e informativo.
  2. Reaja quando a homossexualidade for movida pela religião. A criação religiosa costuma apresentar posições fortes com relação à homofobia, mas cada religião tem uma abordagem diferente sobre a sexualidade e a homossexualidade. O cristianismo apresenta uma posição bastante contrária ao homossexualismo, alegando que é imoral, não natural e prejudicial à família.
    • Se sentir vontade de responder quando disserem que o homossexualismo é um pecado, peça que a pessoa leia algumas alternativas à Bíblia. Até mesmo líderes religiosos cristãos procuram aceitar homossexuais em congregações mais inclusivas. Se você tem interesse em mudar os pensamentos de um amigo ou familiar sobre gays, pode ser uma boa ideia discutir a questão com um líder cristão (ou de outra religião) para explicar seu dilema.
    • Outra opção é afastar-se do aspecto sexual da homossexualidade e explicar a dificuldade que sente de ignorar o amor que sente por outra pessoa pelo simples fato de ela ser do mesmo gênero. Pergunte como a pessoa que o ofendeu se sentiria se dissessem quem ela tem de amar. Lembre-a dos próprios relacionamentos amorosos: como se sentiria ao se apaixonar por uma pessoa e quisesse compartilhar isso com o mundo, mas descobrisse que o relacionamento era proibido? Quando ela perceber que a homofobia vai contra uma das naturezas humanas mais básicas — o amor —, será mais fácil livrar-se dos sentimentos negativos.
  3. Explique que o homossexualismo não é uma fase. As pessoas podem minimizar a saída do armário descrevendo-a como uma fase passageira. Na verdade, a ideia de que o homossexualismo não é natural, mas é algo aprendido, é bastante errada e apenas reforça os preconceitos.
    • Para combater tal ideia, conte sua história pessoal, desde que esteja disposto. Em muitos casos, as pessoas abraçam o lado homossexual tardiamente por medo ou por fingir serem heterossexuais por muitos anos. Esta é uma experiência que dificilmente marca uma "fase".
    • Outra opção é esclarecer os boatos de que a homossexualidade pode ser "curada" ou transformada. Inverta o questionamento: "Você acha que pode ser curado da heterossexualidade? Pode mudar quem é?". A resposta obviamente é não.
  4. Intervenha ao ver homossexuais serem estigmatizados por colegas. Em alguns casos, as pessoas podem desenvolver sentimentos negativos com relação à homossexualidade após presenciarem estigmas sociais na escola ou no trabalho. Quando um grupo social é contra algo, é difícil ser "a favor" sem enfrentar a exclusão.
    • Por exemplo, se as crianças populares da escola não falam com o Pedro porque ele "parece" gay, os outros alunos podem parar de falar com ele.
    • Combata a homofobia desafiando seus colegas a compreenderem os próprios valores e crenças e escolhendo amigos que apoiem e aceitem todos.
  5. Descubra se a pessoa não está em processo de negação da própria sexualidade. Diversos estudos revelam que alguns dos homofóbicos mais ferrenhos têm desejos ocultos pelo próprio sexo. Alguns dados também demonstram que crianças criadas por pais abertamente contra o homossexualismo têm mais chances de apresentar homofobia.
    • Ao se deparar com discursos de ódio com relação à homossexualidade, pense na possibilidade de a pessoa sentir atração pelo mesmo sexo e usar a homofobia para disfarçar isso. Procure demonstrar empatia por ela, principalmente por saber que lidar com os próprios sentimentos, principalmente quando muitos são contra eles, pode ser assustador.

Explicando a homossexualidade para os outros

  1. Explique que não há causa direta para a homossexualidade. Existem diversas opiniões quanto às origens da homossexualidade, sendo que duas se destacam: a biológica/genética e a psicológica/relativa ao meio. Ainda assim, os cientistas não sabem distinguir com clareza o que faz com que determinadas pessoas se descubram homossexuais.
  2. Informe os problemas da discriminação e do preconceito. A homossexualidade não é uma doença, logo, não tem "cura". Muitas pessoas acreditam que é possível tornar um gay em hétero, mas é preciso lembrar-se de que nenhuma cura é necessária. A sociedade precisa de conhecimento e aceitação! Encontre vídeos e textos informativos e compartilhe-os com amigos homofóbicos.
    • Os casais homossexuais enfrentam oposição ferrenha da sociedade, das políticas públicas e das religiões há décadas. Estes indivíduos normalmente são vítimas de abusos verbais e físicos em muitos casos.
    • A associação da homossexualidade com a AIDS ajudou a estigmatizar ainda mais os relacionamentos homossexuais, o que fez com que muitas pessoas tivessem medo de fazer exames ou buscar tratamentos.
  3. Compartilhe artigos, blogs e estudos para aprender mais. Educar amigos sobre a homossexualidade pode ajudá-los a compreender os homossexuais e a reduzir os sentimentos negativos que sentem. Procure sites respeitáveis que ofereçam um panorama compreensivo sobre a homossexualidade.
  4. Assistam a filmes e programas de TV juntos. A cultura popular também pode agir como veículo para aumentar a aceitação da homossexualidade e reduzir o medo ou o desconforto. Sente-se com seu amigo homossexual e assistam algo que apresente personagens abertamente gays.
    • Mais tarde, pergunte se o seu amigo vê alguma similaridade entre si próprio e os personagens? Eles não são pessoas "normais" com objetivos e desejos? Eles podem fazê-lo rir e chorar assim como qualquer personagem heterossexual, certo?
    • Clique aqui para encontrar alguns exemplos de séries e filmes sobre homossexuais.
  5. Peça que seus amigos pensem em todas as coisas que os tornam diferentes. Todos temos traços ou características que podem ser considerados "diferentes" pela sociedade. Você pode ser tímido, pertencer a uma minoria ou não praticar nenhuma religião. De alguns modos, tais traços podem causar isolamento. Quando puderem reconhecer que todos os humanos são especiais e únicos, as chances deles criticarem os outros por quem são diminuem.
    • Clique aqui para encontrar citações sobre diversidade.
  6. Desafie os homofóbicos a conhecerem uma pessoa homossexual. Assim que um de seus amigos começar a mudar a visão que tem sobre a homossexualidade, apresente-o a alguém abertamente gay. Segundo pesquisas sobre o preconceito sexual, a discriminação diminui quando pessoas heterossexuais se esforçam para conviver com homossexuais.

Dicas

  • Superar a homofobia não é fácil. É preciso ter muita paciência e perseverança.
  • Apresentar uma pessoa homossexual assumida para seus conhecidos deve ajudá-los a compreender e aceitar o homossexualismo.

Avisos

  • Se um amigo ou familiar tem dificuldade para superar a negatividade que sente com relação aos homossexuais, ele deve consultar-se com um profissional de saúde mental para tornar-se mais tolerante.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.