Como Tratar a Tuberculose

A tuberculose é uma infecção bacteriana extremamente contagiosa e é transmitida pelo ar. A contaminação por tuberculose está presente em cerca de um terço da população humana em todo o mundo. O sistema imunológico da maioria das pessoas evita que a infecção apresente sintomas ou se espalhe para outros, levando a uma condição chamada de infecção tuberculosa latente. No entanto, se ela se espalhar, a tuberculose ativa se desenvolverá, causando sintomas sérios e que podem ser facilmente espalhados a outros indivíduos. É fundamental submeter-se ao tratamento imediato para a tuberculose ativa, removendo as bactérias do corpo e diminuindo a chance de disseminá-la.

Tratando a tuberculose ativa com antibióticos

  1. Saiba o que significa o diagnóstico de tuberculose ativa. Caso seja uma das mais de 13 milhões de pessoas com esta doença, há chance de contaminar outros indivíduos. O consumo dos antibióticos é imediato e por pelo menos seis meses; felizmente, os sintomas diminuirão após 30 dias. No entanto, alguns pacientes deverão ficar em um hospital de duas a quatro semanas para não espalharem a infecção.
  2. Cubra a boca e o nariz. A infecção estará se espalhando pelo corpo de pessoas com tuberculose ativa, deixando-a extremamente contagiosa, e assim permanecerá durante as primeiras semanas de tratamento, contaminando facilmente outras pessoas ao tossir, espirrar e até ao rir, cantar ou falar. Portanto, tome cuidado para não espalhar a doença evitando o contato com pessoas até que o médico determine que a infecção não é mais contagiosa.
    • Converse com o médico para saber se indivíduos que vivem na mesma casa do paciente devem realizar exames para detecção de tuberculose.
  3. Os antibióticos receitados devem ser consumidos seguindo as instruções do médico à risca. O tratamento da tuberculose ativa requer o uso de vários antibióticos; além disso, é grande a chance de serem prescritos os antibióticos pirazinamida e etambutol durante dois meses, além do isoniazida e rifampicina por seis meses para iniciar o tratamento. Comece a tomar todos os medicamentos de acordo com as instruções do médico e durante todo o período recomendado.
    • O profissional acompanhará o uso dos antibióticos pelo período necessário para que a infecção seja erradicada.
    • Provavelmente, o paciente se sentirá melhor após cerca de duas semanas.
    • Mesmo ao se sentir melhor, é imprescindível tomar os antibióticos durante o período recomendado pelo médico. Isto fará com que todas as bactérias da doença sejam exterminadas.
  4. Obtenha ajuda para que a administração dos remédios seja feita corretamente. Além de consumir os antibióticos prescritos por um longo período de tempo, será necessário tomá-los todos os dias. Ao perceber que está com dificuldade de seguir a programação dos remédios, peça para que o médico ajude-o a criar uma estratégia para não esquecer de consumi-los.
    • Um enfermeiro, por exemplo, poderá visitá-lo em casa para verificar se está tomando corretamente os remédios, ou vá todos os dias a um laboratório.
    • Parar ou esquecer de tomar os antibióticos facilita o desenvolvimento de resistência dos microrganismos aos medicamentos. Isto não é apenas perigosíssimo ao paciente, mas também aumenta as chances de que todos à sua volta contraiam tuberculose.
    • Se não houver maior consequência de esquecer de tomar algumas doses, provavelmente será preciso tomá-las por mais tempo.
  5. Cuidado com sintomas recorrentes da tuberculose. Após completar o tratamento com um especialista em tuberculose – e ele diagnosticar que as bactérias foram totalmente exterminadas –, não será mais preciso realizar exames regularmente. No entanto, há chance de ser contaminado com tuberculose novamente em uma infecção distinta; fique de olho em sintomas comuns, especialmente na tosse insistente e dor no peito.
  6. Os antibióticos devem ser consumidos por mais tempo na tuberculose extrapulmonar. O tipo mais comum da tuberculose ativa é a pulmonar, que afeta predominantemente os pulmões; no entanto, se a infecção tuberculosa se espalhar para além deles, o médico recomendará os mesmos tipos de antibióticos durante um tempo maior para realizar o tratamento.
    • Em muitos casos, as infecções de tuberculose extrapulmonar devem ser tratadas através do consumo de antibióticos durante um ano.
    • Quando a infecção se espalhar para o cérebro ou coração, corticosteroides poderão ser prescritos. Eles auxiliam a reduzir inchaços e inflamações, além de diminuírem os sintomas que afetam os sistemas nervoso e circulatório.
    • Novamente, tome os antibióticos pelo tempo exigido pelo médico para aumentar a chances de uma recuperação completa.
  7. Grávidas devem obter maiores orientações do médico. Gestantes ou mulheres que estão amamentando no momento que forem diagnosticadas com tuberculose – ou que engravidarem enquanto consomem remédios para tratar a condição – devem comunicar o fato ao profissional. Além disso, pergunte se os medicamentos podem diminuir a eficácia do método anticoncepcional adotado.
  8. Cuidado com os efeitos colaterais dos remédios contra a tuberculose. Os efeitos adversos associados com antibióticos utilizados no tratamento da tuberculose são raros; ainda assim, é importante registrar todos os efeitos colaterais que notar, informando-os ao médico. Dor nas articulações, surgimento de hematomas e sangramento, febre persistente, perda de apetite, dormência nas extremidades ou em volta da boca, desconforto estomacal e pele ou olhos amarelos são manifestações que devem ser comunicadas na próxima consulta ao médico.
    • Alguns medicamentos para combater a tuberculose poderão deixar a urina com um aspecto mais escuro ou até alaranjado, algo normal e que não deve causar preocupação.

Diagnosticando e tratando a tuberculose latente

  1. Faça exames. Ao desconfiar de tuberculose ou simplesmente desejar garantir que não está infectado após ter passado um tempo em países ou ambientes onde a doença é mais comum, faça alguns exames. Inicialmente, o médico administrará o teste tuberculínico, depositando uma pequena quantidade de material sob a superfície da pele; após alguns dias, será avaliada a reação do corpo ao exame. Exames de sangue também podem ser feitos para confirmar diagnósticos de tuberculose.
    • Pessoas que vivem em ambientes superlotados, vivem ou visitam com frequência locais pobres ou trabalham em hospitais ou qualquer tipo de área da saúde devem realizar exames para detecção de tubérculos a cada dois anos ou três anos.
  2. Converse com o médico para saber mais sobre o tratamento da tuberculose latente. Felizmente, não há como espalhar a tuberculose enquanto a infecção é latente, e os sintomas não se manifestarão, já que o sistema imunológico estará evitando que a infecção se propague. No entanto, o paciente ainda estará sob risco de desenvolver tuberculose ativa se os microrganismos começarem a se espalhar, rapidamente deixando-o contagioso antes de perceber que ela está ativa.
    • O médico poderá recomendar o uso de medidas preventivas para combater as bactérias que estão causando a infecção no corpo para reduzir a chance de a tuberculose se tornar ativa. O tratamento do tipo latente dura de seis a nove meses.
    • Tome os medicamentos exatamente como o médico recomendar. É muito importante seguir à risca o plano de tratamento prescrito.
    • Parar de tomá-los cedo demais ou esquecer de consumi-los de acordo com a frequência exigida pode fazer com que a doença piore, já que as bactérias da tuberculose podem se tornar resistentes aos remédios.
  3. Trate a tuberculose latente caso tenha alto risco de desenvolver o tipo ativo. Depois que o médico diagnosticar que a infecção é latente, será iniciado um tratamento através de medicamentos durante nove meses, muito provavelmente com 25 mg de piridoxina todos os dias. Quando o sistema imunológico estiver enfraquecido, considera-se que o paciente possui alto risco da tuberculose se tornar ativa. As condições a seguir o colocam em risco ainda mais elevado:
    • Infecção pelo HIV ou qualquer doença autoimune.
    • Contato com pessoas que têm tuberculose ativa.
    • Dano aos pulmões.
    • Transplante de órgãos.
    • Consumir remédios que suprimem o sistema imunológico.
    • Imigração recente de um país com altos índices de tuberculose.
    • Uso de drogas injetáveis.
    • Ficar por muito tempo – seja como trabalhador ou morador – em penitenciárias, hospitais, casa de repouso ou qualquer local de habitação com grande concentração de pessoas.
  4. Pare de fumar. O cigarro não apenas aumenta a chance de contrair uma infecção por tuberculose, mas também inflama os tecidos do pulmão, deixando-o mais suscetível à piora de infecções de tuberculose latente para tuberculose ativa. Além disso, fumar enfraquece o sistema imunológico no geral, reduzindo a capacidade de combater infecções como a tuberculose.
  5. Evite o abuso de substâncias. O álcool e outras drogas enfraquecem o sistema imunológico, prejudicando o combate e a resistência do corpo contra contaminações. O uso frequente em longo prazo deixa a pessoa mais suscetível à tuberculose, já que a imunidade estará cada vez mais baixa.
    • Caso beba muito, comece diminuindo a quantidade ingerida todos os dias. Você não apenas começará a se sentir melhor, mas também mais motivado para reduzir constantemente a quantidade de bebidas alcoólicas tomadas diariamente.

Monitorando os sintomas da tuberculose

  1. Ao sofrer com tosse persistente, vá ao médico. Se a infecção continuar latente, o paciente pode sequer saber que possui tuberculose por muitos anos. No entanto, ao se tornar ativa, a tuberculose precisa ser identificada o mais rápido possível. Ao notar sintomas que podem indicar uma infecção por tuberculose ativa, consulte um médico.
    • Em infecções latentes, os germes da tuberculose podem estar “dormentes” dentro do corpo, não causando maiores prejuízos devido à defesa do sistema imunológico. Porém, a tuberculose pode se tornar ativa se o sistema imunológico estiver enfraquecido.
    • A tuberculose ativa geralmente ataca os pulmões, levando à variação pulmonar. Serão feitos exames de raio x para avaliar se os pulmões foram danificados, acompanhados por testes laboratoriais feitos no fleuma expelido.
    • Ao sofrer com qualquer tipo de tosse que dure mais do que três semanas ou ficar cada vez mais ofegante, consulte um médico imediatamente.
  2. Dê atenção especial às dores no peito. A tosse que produz muco ou sangue na boca, além de dores no peito, devem ser cuidadosamente analisadas. A dor no peito geralmente ocorre devido a uma infecção dos pulmões, levando à inflamação, inchaço e até danos permanentes aos tecidos pulmonares.
    • Fique atento à presença de sangue ao tossir. Catarro com manchas vermelhas indicam tuberculose avançada, com inflamações no trato respiratório.
  3. Saiba quais são os sintomas da tuberculose extrapulmonar. Ao se espalhar, a tuberculose pode causar manifestações fáceis de serem percebidas, afetando os nódulos linfáticos, ossos e articulações, o sistema digestivo, a bexiga, órgãos reprodutivos e até mesmo o sistema nervoso. O aumento dos nódulos linfáticos é o sintoma mais perigoso, indicando que o sistema imunológico pode estar com dificuldade em combater a tuberculose. Os nódulos linfáticos em volta do coração e pulmões são mais suscetíveis à contaminação.
    • Desconfortos estomacais, dores ou imobilidade nas articulações, confusão, dores de cabeça persistentes e convulsões também são manifestações possíveis.
    • Caso tais sintomas se desenvolvam junto a outros, vá ao médico imediatamente.
  4. Os sintomas gerais da tuberculose também devem receber atenção. A tuberculose ativa pode afetar os rins, cérebro e a coluna vertebral. Outros sintomas que podem indicar a tuberculose são: fraqueza e febre persistentes e sudorese noturna intensa.
    • Meça a temperatura para verificar se há febre. Ela ocorre devido à presença de uma infecção no corpo.
    • Verifique se há sudorese noturna. Esta condição ocorre quando o corpo tenta combater a febre e a infecção, ou seja, é forma do corpo em reduzir o calor excessivo causado pela febre.
  5. Identifique se há perda de apetite ou de peso. A tuberculose afeta várias funções corporais, como a funcionamento correto do sistema digestivo. Ao não funcionar corretamente, pode haver perda de apetite do enfermo, consequentemente levando à perda de peso. Tais sintomas são persistentes e geralmente piorarão sem tratamento. Consulte um médico imediatamente ao desconfiar de uma infecção por tuberculose.

Avisos

  • A tuberculose pode ser fatal, mesmo ao se submeter ao tratamento. No entanto, as mortes devido à tuberculose infecciosa são cada vez mais raras; geralmente, a condição se torna fatal pelo dano excessivo causado aos pulmões, impossibilitando que consigam fornecer oxigênio suficiente ao corpo. Desta forma, consulte um médico o mais rápido possível ao notar sintomas, como tosse intensa, dor no peito ou dificuldade em respirar.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.