Como Pilotar um Balão de ar quente

Há aficionados por balões de ar quente em todo o mundo; essas pessoas costumam oferecer “passeios” por determinado preço ou outras funções relacionadas a essa prática a curiosos. Se você se interessar pelo assunto e quiser ser a pessoa puxando as cordas e acendendo o fogo do balão, precisará de treinamento e de uma certificação antes de poder pilotar por conta própria. Aprender a operar esses balões será vantajoso para você e poderá lhe ajudar a decidir se esse é um hobby adequado para sua personalidade.

Entendendo o básico

  1. Entenda por que os balões flutuam. Os balões de ar quente funcionam através de um conceito simples. Conforme você aquece o ar (qualquer gás), ele fica menos denso. Assim como uma bolha que flutua em um aquário, esse ar flutuará acima dos gases mais densos e frios à sua volta. Se você aquecer o balão de modo suficiente ele poderá erguer a lona, o cesto e todos dentro dele.
    • O ar fica cada vez menos denso e lhe ergue – devido à diminuição da pressão do peso dos gases acima. Por isso, um balão de ar quente só é elevado até chegar ao ponto em que sua densidade, somada ao ar no seu interior, é igual à densidade do ar à sua volta.
  2. Conheça a estrutura básica. A estrutura dos balões é tão simples que você já pode até conhecê-la. No entanto, aprenda a terminologia para que você e sua equipe possam se comunicar:
    • O tecido em si é chamado de envelope e é feito de vários painéis (chamados gomos) costurados.
    • Na maioria desses balões há um orifício no topo do envelope – coberto de modo “firme” com um retalho de tecido. Essa é a chamada válvula do paraquedas. É presa a uma estrutura que percorre toda a extensão do objeto, chegando ao cesto.
    • A parte inferior do envelope, chamada de boca, fica abaixo dos queimadores, que produzem as chamas alimentadas pelos tanques de propano logo abaixo.
    • Esses tanques de propano, os passageiros e as cargas ficam em um cesto preso abaixo do envelope.
  3. Vista roupas e equipamentos de proteção. O piloto deve usar óculos de proteção, já que ficará próximo às chamas. Ele e a equipe devem vestir luvas pesadas, mangas longas e calças compridas – evitando materiais como náilon, poliéster ou outros que possam derreter se aquecidos.
    • Todos no cesto devem se lembrar de que o balão pode pousar em terrenos irregulares ou lamacentos – e, por isso, vestir roupas e sapatos confortáveis.
  4. Libere mais propano. Para adicionar propano às chamas basta abrir uma válvula na corda conectada aos tanques – geralmente localizada abaixo dos queimadores. Quanto mais aberta você segurar essa peça, mais calor será levado ao balão e mais rapidamente ele subirá.
    • Descer os lastros (ou outros objetos pesados) pelas laterais do balão reduzirá a densidade geral da estrutura, fazendo com que ela seja erguida. Por motivos óbvios, esse método não é recomendado sob áreas habitadas.
  5. Aprenda a manter a altura estável. Assim como qualquer objeto que esteja mais quente do que o ambiente à sua volta, o balão esfria com o tempo – fazendo com que ele desça gradualmente. Para manter a mesma altura, você terá de usar uma ou ambas as técnicas abaixo:
    • Os próprios tanques de propano têm uma válvula que controla quanto do gás é levado aos queimadores. Abri-la gradualmente conforme flutua é uma forma fácil de estabilizar a altitude.
    • Liberar uma pequena quantidade adicional de propano da válvula quando perceber que o balão está descendo o erguerá.
  6. Abra a válvula do paraquedas para descer o balão. Lembre-se que essa válvula é o retalho de tecido que fica sobre o envelope. Ela se fecha automaticamente quando não é operada; mas você pode puxar a corda vermelha para abri-la. Assim, o ar escapará por cima da estrutura. Mantenha a corda puxada até que o balão desça à velocidade desejada. Depois, feche a válvula novamente.
    • A válvula de paraquedas também é chamada de “porta de inflação” e a corda vermelha recebe o nome de “corda da porta de inflação”.
  7. Erga ou desça o balão para controlar sua direção. Não há uma forma de controlar a direção exata pela qual esses objetos flutuam. No entanto, há várias camadas de vento “guardadas” umas sobre as outras e soprando em direções diferentes. Erga ou desça o balão para se aproximar de determinaras correntes – e ele mudará de trajetória. De certa forma, os pilotos costumam ter de improvisar a rota conforme flutuam. É preciso ter experiência e planejamento para “pegar” o vento correto no tempo mais adequado.
    • Muitos balões possuem cordas que abrem “abas” localizadas nas laterais do envelope – mas elas apenas giram o cesto.
    • Quase todos os voos de balões de ar quente são acompanhados por um carro ou caminhão em terra – que servem de meio de transporte para os passageiros do cesto quando o balão pousa.

Pilotando um balão

  1. Faça um curso de treinamento antes de pilotar um balão por conta própria. As instruções abaixo podem lhe ajudar a entender os deveres e as habilidades necessárias de um piloto do tipo, mas não substituem a experiência real. Uma licença completa de piloto, assim como o treinamento, pode custar bastante; no entanto, você pode começar se voluntariando para fazer parte da equipe que fica no chão. Quando você faz esse treinamento, precisará de algumas horas de voo oficiais para obter a certificação (a quantidade de horas varia de acordo com o país).
  2. Verifique as condições do vento. Saber quando cancelar um voo planejado é muito importante. Pilotar um balão em ventos fortes é perigoso e deve ser evitado. Os iniciantes devem voar nas primeiras horas após o nascer ou pôr do sol, quando o vento costuma estar “previsível” e a baixas velocidades.
  3. Verifique os equipamentos essenciais. Um cesto deve conter, no mínimo, um extintor de incêndios, um kit de primeiros socorros, um mapa topográfico e de aviação, um altímetro e um diário de bordo para registrar os detalhes da jornada. Verifique o medidor de combustível do tanque de propano para se certificar de que há o bastante para o voo – geralmente cerca de 115 litros por hora. Para voos mais longos, você também precisará de um rádio e, possivelmente, equipamentos de navegação eletrônicos.
  4. Infle o balão para decolar. Quase todos esses objetos requerem a cooperação de várias pessoas para sair do chão. Primeiro, os queimadores são presos ao cesto (deitados de lado), com o envelope preso e estendido na superfície. A boca é erguida e inflada usando uma ventoinha potente por cerca de dez minutos – depois, aquecida com o queimador. O cesto costuma ser segurado pelos membros da equipe e/ou amarrados ao veículo de apoio até que o balão possa decolar. O cesto é ajustado e os passageiros e o piloto embarcam, sendo que o piloto libera uma chama estável dos queimadores para subir.
  5. Fique alerta durante a decolagem. Enquanto piloto, você deve ter atenção e examinar o envelope e o trabalho da equipe de auxílio até que tudo esteja bem preparado, estável e de acordo com o planejado. Rápida mas metodicamente verifique todas as direções em busca de árvores e outros obstáculos que o balão possa atingir em sua trajetória. Quando sentir a primeira brisa enquanto é erguido, mantenha os olhos fixos no obstáculo mais próximo a você – e não mude de foco até que o balão esteja acima dele (em segurança). Isso facilita perceber qualquer desvio em direções e acelera as reações.
  6. Conheça os fenômenos climáticos da região. Pilotos em formação devem passar por um teste de meteorologia para serem certificados – o que inclui uma compreensão básica de como a temperatura, a altitude e a umidade interagem, além do que os tipos diferentes de nuvens podem dizer sobre as condições climáticas.
    • Uma alteração significativa na direção do vento enquanto você ergue ou abaixa o balão é chamada de “cisalhamento” e requer atenção especial – já que pode acelerar ou desacelerar seu movimento. Se um cisalhamento forte apagar a chama do queimador, acenda-a novamente e aqueça o balão assim que possível para evitar acidentes.
    • Se o balão estiver “reagindo” mais lentamente às suas ações ou você perceber poluição no equipamento, você pode estar em uma “inversão” – na qual o ar à sua volta fica mais quente conforme você avança. Compense isso aumentando a quantidade de calor adicionada ou liberada durante as alterações de altitude.
  7. Verifique a direção e a velocidade do vento. Aprenda a ler um mapa meteorológico e use-o para “prever” a direção e a velocidade gerais do vento em determinadas áreas. Para testar essas condições abaixo de você, cuspa ou esguiche um pouco de creme de barbear pela borda do cesto.
  8. Saiba como navegar. Pilotos de balões são treinados para usar mapas topográficos e altímetros para calcular seu trajeto e a altitude durante o voo. Obtenha um mapa de aviação com as autoridades locais responsáveis e use-o para se manter afastado de possíveis aeronaves. Um aparelho de GPS, uma bússola magnética e um par de binóculos também são úteis, mas nem sempre necessários em voos curtos – a menos que as leis da sua área os requeiram.
  9. Evite turbulências ou correntes termais. Se você passar por qualquer turbulência ou enfrentar nuvens ou outros fenômenos climáticos que lhe levem a crer que o clima irá piorar, pouse assim que possível. Do mesmo modo, se sentir movimentos circulares ou ascensões inesperadas, pouse antes que a corrente termal de ar quente deixe o balão fora de controle. Ventile o ar rapidamente após se afastar desse fenômeno – ou o cesto pode ser arrastado pelo chão.
  10. Esteja preparado para emergências. Pratique religar a luz piloto – para poder fazê-lo rapidamente quando estiver no ar em casos de emergência. Se ela não funcionar, pode haver algum problema com o combustível. Isso requererá que você religue o propano acima da válvula – o que deve ser aprendido sob a supervisão adequada. No pior dos casos, quando o tecido do envelope for danificado, queime tanto propano quanto puder – para minimizar a velocidade da descida.
  11. Pouse o balão. Pode ser preciso ter muita prática para desenvolver a habilidade de identificar a direção precisa do voo enquanto estiver no ar; pode ser mais difícil ainda escolher um ponto de terra para o pouso e levar o objeto a esse local com sucesso. . Há várias maneiras e técnicas que devem ser aprendidas sob diversas condições – e ter um professor experiente é essencial. Comece treinando em boas condições climáticas, com um espaço amplo no qual possa flutuar com calma. Ventile o ar lentamente e preste atenção ao obstáculo mais alto nos arredores – mesmo que ele fique meio distante. Após passar pelo obstáculo, ventile conforme necessário, mas busque fazer um movimento estável e controlado. Erro de citação Closing </ref> missing for <ref> tag

Avisos

  • Certifique-se de pedir permissão ao dono da propriedade na qual quer operar o balão. Se você não o fizer, isso pode ser considerado um crime.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.