Como Fugir de Casa

Alguma vez você já quis fugir de casa? Existem muitos motivos que podem fazer um jovem querer fugir de casa; alguns são bons e outros nem tanto. Provavelmente, a coisa mais importante que o jovem deve compreender é que fugir é muito mais difícil e menos glamoroso do que se pensa. Haverá frio, noites sem dormir, perigo constante, fome e uma sensação de estar perdido e sem saber para onde ir. Com isso dito, pode haver razões legítimas para que você fuja de casa. Leia este artigo para obter ajuda na hora de pesar as consequências, e fugir, caso acabe decidindo que esta é a coisa certa a se fazer.

Comparando os Prós e Contras

  1. Pare e pense sobre suas possíveis ações. Por que você quer fugir? Há um bom motivo para escapar, ou você está apenas cansado ou entediado com sua atual situação? Há uma diferença muito grande entre fugir de casa por um bom motivo (perigo físico) e fugir por um mau motivo (uma briga simples com os pais). Não tome uma decisão apressada no calor do momento, você pode vir a se arrepender depois.
  2. Pense em todas as pessoas que poderão ser afetadas pela sua fuga. Humanos são animais sociáveis. Nós nos ligamos por necessidade, mas também por nos satisfazermos ao estarmos perto uns dos outros. Tente pensar nas pessoas que serão seriamente afetadas pela sua decisão. Você deve a elas. Você pode não saber disso, mas elas pensam em você o tempo todo.
    • Pense em seus pais. Apesar de às vezes não parecer, seus pais o amam profundamente. Eles veem a si mesmos em você, e querem um futuro melhor para você do que para si mesmos. Brigas e desavenças são comuns de acontecerem, mas o amor deles jamais irá mudar.
    • Pense no resto de sua família. Seus irmãos e irmãs, tios e tias, avós e avôs – todos eles possuem uma relação maior que a amizade com você. É muito possível que sua família se sinta ferida e responsável pela sua fuga, mesmo não tendo relação alguma com ela.
    • Pense em seus amigos. Seus amigos são a corrente vital de seu círculo social. Eles riem com você, lhe fazem se sentir melhor em tempos de depressão e até podem pensar em você como um irmão ou irmã. Fugir provavelmente significará deixá-los para trás.
    • Pense em outros mentores. Talvez um professor, um amigo/amiga de sua mãe. Muitos de nós possuímos mentores. Eles querem ver nosso sucesso e nossa segurança. Sua decisão indubitavelmente irá afetá-los.
  3. Compreenda que, em muitos casos, fugir de casa é ilegal, sendo que essa atitude pode dar problemas para você e sua família mais tarde.
    • No entanto, se seus pais ou responsáveis tentaram machucá-lo, você deve fugir e nesse caso isso será perfeitamente legal. Mas é preciso que você faça tudo da maneira certa. Conte a um professor ou outro adulto de confiança ou ligue para a polícia. Certifique-se de ter um lugar para passar uma ou duas noites antes de fazer isso
    • Você pode se preocupar por achar que a assistência social será pior do que estar com os seus pais, mesmo que eles te machuquem, mas é melhor arriscar. Você pode ficar com outro membro da família ou amigo, caso resolva isso com antecedência.
    • Mesmo se você fugir em uma região que não tenha leis contra isso, você ainda poderá parar num tribunal.
  4. Se puder, explique a motivação que lhe fará fugir. Existem muitos motivos pelos quais uma criança pode querer fugir de casa. Estudar os seus motivos poderá lhe ajudar a resolver o problema antes que ele fique ruim ao ponto de você ter de fugir. Aqui estão algumas estatísticas:
    • 47% dos jovens fugitivos afirmaram ter problemas significativos com um ou ambos os pais. Há algum outro adulto que possa lhe dar conselhos sobre como resolver esses problemas com seus pais? Caso a resposta seja negativa, considere contatar o Conselho Tutelar local.
    • Mais de 50% dos adolescentes que fugirão de casa e estão em abrigos afirmam que seus pais lhes expulsaram de casa ou não se importaram com a fuga. Se seus pais lhe pedirem para sair de casa ou não se importarem com sua saída, contate ou visite o Conselho Tutelar. Você não estará traindo seus pais ao querer alguém que se importe com seu bem-estar. Você merece isso.
    • 80% das garotas que fugirão de casa e estão sem-teto alegaram como motivo de fuga abusos físicos e sexuais. Caso você seja uma vítima de abusos físicos ou sexuais, encontre um adulto confiável (podem ou não ser seus pais) e visite a polícia para reportar o caso.
  5. Escreva uma lista com todos os prós e contras de fugir. Normalmente, colocar os seus pensamentos no papel tem um efeito calmante, tornando as coisas mais claras durante o processo. Aqui estão alguns possíveis prós e contras de uma fuga.
    • Os prós:
      • Possível libertação de negligência, abusos (verbal, físico ou sexual) e/ou assédio;
      • Oportunidades para viajar, conhecer lugares e pessoas novas;
      • Liberdade aumentada e possibilidade de amadurecimento e crescimento pessoal, independentemente das dificuldades;
      • Desenvolvimento de autoconfiança, a sensação de ser capaz de fazer coisas por conta própria.
    • Os contras:
      • Probabilidade alta de passar noites ao relento, nas ruas, debaixo de pontes ou viadutos, ou até mesmo em telhados;
      • Probabilidade alta de depressão, isolamento e fragilidade (32% dos jovens que fogem de casa tentaram o suicídio em algum ponto de suas vidas);
      • Probabilidade alta de sofrer violência, cair nas drogas, adquirir doenças e entrar para a prostituição nas ruas;
      • Sensação de solidão, como se ninguém se importasse com você ou que suas ações não fazem diferença.
  6. Dê a suas emoções uma semana para relaxar antes de tomar qualquer grande decisão. Normalmente, nós deixamos nossas emoções decidirem por nós achando que estamos sendo racionais. Isso pode até ser bom em alguns casos, mas várias vezes pode não ser, pois nos enganamos pensando estar sendo racionais. Deixe sua cabeça esfriar e arranje tempo para pensar sobre sua decisão. Espere uma semana antes de fazer qualquer coisa. Converse com pessoas confiáveis e desabafe com elas caso seja necessário. Após uma semana, seu cérebro racional provavelmente terá tido tempo suficiente para tomar uma decisão sábia.

Começando

  1. Planeje-se antecipadamente. Pense no que você irá fazer caso qualquer parte do plano dê errado, e crie desculpas para tudo. Aqui estão algumas coisas a se considerar:
    • O que você fará se ficar doente?
    • O que você fará se for pego?
    • O que você comerá?
    • Como você manterá uma boa higiene?
    • Como você ficará longe das ruas e de áreas perigosas?
  2. Tente encontrar um lugar seguro e fique com alguém confiável. Caso esteja fugindo de casa com a ajuda de alguém e você possa ficar com ele por algum tempo, então tudo estará quase pronto. Porém, se isso não for uma possibilidade, onde você encontrará abrigo?
  3. Encha uma mochila com itens essenciais. Lembrete: leve apenas o essencial. Agora não é hora para carregar quilos de coisas. Leve comida, dinheiro, peças extras de roupas, uma jaqueta ou casaco para o caso de a temperatura cair, roupas com bolsos, escovas-de-dentes, pastas-de-dentes, sabonetes, xampus, e qualquer outra coisa necessária. Se não quiser ser reconhecido, leve consigo as roupas que você menos veste. Algumas outras coisas que podem ser úteis em sua jornada:
    • Canivete
    • Mapas
    • Guarda-chuva
    • Cadeado
    • Cobertor
  4. Tente levar algum dinheiro, mas não traga o bastante para ser notado. Talvez R$20 para pegar um ônibus ou outro transporte, e R$100 como garantia. Se você planeja roubar dinheiro, encontre um lugar onde possa pegá-lo rapidamente sem ser visto pelos seus pais.
    • Caso tenha um cartão de crédito, leve-o, pois ele é muito mais difícil de ser roubado e usado, além de você poder cancelá-lo a qualquer momento. Esteja preparado para o fato de seus pais o cancelarem caso descubram sua fuga. Não o use como sua única fonte de dinheiro.
  5. Espere até ter a oportunidade certa para fazer a fuga. Certifique-se de ter muito tempo para fugir antes que alguém note seu sumiço. Tente começar o processo de fuga logo ao chegar à escola pela manhã ou em um momento em que os adultos fiquem fora de casa por um longo tempo. Ao sair, seja silencioso e sorrateiro. A última coisa que você quer é que algum vizinho note sua fuga.
  6. Encontre um meio de transporte ágil. Você provavelmente irá querer um jeito fácil e rápido de fugir. Um ônibus da cidade é sua melhor aposta, ou um intermunicipal, caso esteja fugindo de sua cidade.

Estratégias de Sobrevivência em Longo Prazo

  1. Crie uma história. Você terá de aceitar que, em algum ponto, alguém irá querer saber de onde você veio ou o que está fazendo. Você provavelmente precisará pensar seriamente nisso. Pense em algo razoável e realista, mas não diga que fugiu.
    • Mantenha a simplicidade. Você irá querer lembrar-se da história em todos os lugares que for, pois informações viajam rapidamente no nosso mundo. Você deve manter a sua história sempre a mesma durante sua vida como fugitivo para evitar suspeitas.
    • Se você tem certeza de que quer fugir de casa permanentemente, mude seu nome. Divirta-se com isso, mas não escolha algo muito estranho. Algo mais comum provavelmente seria a melhor opção, pois seu objetivo não é ser muito conhecido.
  2. Viva perto de mercados ou lojas de doces. Esses lugares normalmente possuem amostras de comida gratuitas que podem ser consumidas. Leve um carrinho consigo e tente demonstrar que está na loja por algum motivo; não ande por aí sem fazer nada. Além disso, você pode usar os banheiros públicos para lavar-se e fazer suas necessidades.
    • Apesar de não ser nada glamoroso, você pode fuçar as lixeiras de grandes supermercados. Você ficaria realmente surpreso com o que as pessoas jogam fora. Quanto mais você se dedicar a essa prática, mais acostumado o seu sistema ficará com alimentos velhos. No início, pode ser bastante desconfortável, mas provavelmente irá melhorar com o tempo.
  3. Encontre abrigo caso ainda não tenha. Se você ainda não tiver um lugar para ficar, você deverá encontrar um abrigo de qualquer maneira. Tente encontrar um ponto razoavelmente seguro debaixo de uma ponte, uma alcova, um prédio abandonado, ou talvez um prédio público que permaneça aberto 24 horas por dia. Se nenhuma dessas opções der certo, tente procurar o abrigo de pessoas sem teto mais próximo e verifique a disponibilidade dele.
    • Caso precise de um lugar para passar um tempo, bibliotecas públicas, igrejas, colégios, aeroportos e estações de trem são opções possíveis. Esses lugares são seguros e lotados, fazendo com que você não será notado.
    • Nos meses de inverno, você deverá encontrar um prédio que possua um elevador caso esteja num centro urbano. Tente subir as escadas próximas da cabine do elevador em direção ao topo. Você poderá encontrar uma sala agradável, quente e pouco frequentada pelas pessoas.
    • Fique longe de florestas ou desertos. Esses lugares, por serem abandonados, geralmente facilitam que outras pessoas o vitimem. Por mais romântico que pareça, é realmente difícil viver num tipo de lugar desses hoje em dia, especialmente se você não souber nada sobre espécies de plantas e animais. Tente encontrar lugares cheios de pessoas, pois eles são geralmente mais seguros.
  4. Você provavelmente começará a precisar de dinheiro em algum ponto, portanto, aprenda a mendigar. Mendigar é pedir dinheiro aos outros. Não há muito orgulho nisso, e muitas pessoas o ignorarão. Porém, com as estratégias certas, você poderá obter algum sucesso e até conseguir guardar algum dinheiro.
    • Escolha o local certo. Encontre um lugar muito frequentado por pedestres, como a calçada de um shopping local, uma loja de conveniência ou outros lugares em que pessoas saem com troco. Peça dinheiro aos transeuntes após eles saírem das lojas, e não antes. Alternativamente, peça esmola para motoristas parados em um semáforo. Certifique-se de abordar o lado esquerdo do carro, na direção do motorista.
    • Sorria e peça trocados de maneira educada e suave. Você não conseguirá muito dinheiro se parecer mal-humorado, frustrado ou infeliz. Quando alguém lhe der dinheiro, agradeça com um sorriso e uma frase amigável.
  5. Não use uma imitação de sotaque estrangeiro. Algumas pessoas acham tentador imitar o sotaque estrangeiro, mas isso tipicamente é uma má ideia. Um sotaque estrangeiro atrairá atenção. Pessoas irão querer saber mais sobre você e sua cultura num momento onde justamente o que você quer é permanecer praticamente invisível. Além disso, fingir um sotaque é extremamente difícil.
  6. Cuide-se. Essa é a parte mais difícil, particularmente no que diz respeito à manutenção de uma alimentação saudável e de uma boa higiene. Hospitais são conhecidos por manterem banheiros excepcionalmente limpos, e oferecem uma boa privacidade. Aqui estão algumas outras dicas que você pode usar para manter níveis altos de higiene, mesmo se seu ânimo estiver baixo:
    • Use banheiros em grandes supermercados. Eles podem não oferecer muita privacidade, mas há pouquíssimo tráfego nesses lugares. (Pense nisso: quantas vezes você usou o banheiro de um supermercado?) Você provavelmente conseguirá tomar um banho de mão aqui e usar um pouco do sabonete gratuito.
    • Use lubrificantes sexuais genéricos para se barbear e arrumar o cabelo. Pode parecer estranho, mas funciona. Coloque um pouco de lubrificante na sua pele e o espalhe gentilmente com um pouco de água. Faça a barba, tomando sempre o cuidado de lavar a lâmina imediatamente. Se você precisar arrumar o cabelo pela manhã, um pouco de lubrificante funcionará e não será notado.
    • Banhe-se em piscinas públicas, assim como em colégios e universidades. Se você fingir ser um estudante, faculdades normalmente não pedirão sua identidade. Isso não funcionará sempre, mas vale a tentativa, especialmente se você fizer com que um funcionário regular acredite na sua falsa condição de estudante.
  7. Decida o que acontecerá caso sua comida acabe. Crie um plano e considere voltar para casa se as opções viáveis desaparecerem. Se você realmente quiser se dedicar à fuga, comece uma nova vida. Consiga um emprego, um abrigo (não importa o quão ruim ele seja, você só precisa de proteção contra o clima) e alguns amigos em sua nova cidade.
  8. Controle qualquer desespero. Quando você estiver sem sorte ou não puder recorrer a mais nada, o desespero começará a aparecer. Tente controlar essa emoção em vez de permitir que ela cause coisas ruins. Coloque alguma boa comida no estômago, mesmo que isso signifique gastar cada centavo. Respire fundo, mesmo ao sentir estar desperdiçando tempo. Pense no tempo em que você se sentia poderoso, esperto e preparado para enfrentar o mundo. Controle o desespero controlando suas atitudes. Não há problema que não possa ser resolvido com um pouco de imaginação e garra.

Protegendo-se dos Perigos

  1. Evite caronas. Caso decida pegar caronas, tenha em mente que há motoristas que tentarão fazer coisas ruins com você. Eles poderiam abandoná-lo no meio da estrada ou machucá-lo. Por outro lado, há muitas pessoas legais que realmente lhe ajudarão nessa situação. Você deverá julgar o motorista e tomar uma decisão.
    • Tente pegar caronas com uma senhora legal, com uma família cheia de crianças ou num carro repleto de passageiros. Eles provavelmente irão querer saber para onde você vai e o que está fazendo, portanto, tenha algumas mentirinhas preparadas. Não diga que está fugindo de casa e fale o mínimo possível.
    • Se uma pessoa esquisita ou assustadora oferecer-lhe uma carona, pergunte para onde ela está indo primeiro. Quando ela responder, diga que você está indo para um lugar diferente, de preferência bem longe. Se ela disser que pode levá-lo lá, recuse a carona educadamente e corte a comunicação. Espere a pessoa se distanciar.
  2. Proteja-se. Se você estiver em uma grande cidade com muitas pessoas, saiba que existem seres humanos que podem ameaçar sua existência. Leve algo que possa ajudar você a se defender, como spray de pimenta. Estar atento aos perigos e evitá-los normalmente é melhor do que entrar em confrontos.
    • Distancie-se de pessoas que o ameaçarem. Mantenha a compostura, ficando sempre de cabeça erguida, mas não discuta ou agrida os outros. Tente entrar no meio da multidão, em uma área iluminada.
  3. Não entre para a prostituição. Não deixe ninguém fazer com você algo que não queira, e, se você ficar desesperado o suficiente, procure ajuda. Instituições de caridade e igrejas locais irão ajudá-lo sem fazer muitas perguntas.
    • A prostituição é um resultado comum de fugas. Na verdade, um estudo de 1998 mostrou que 43% dos fugitivos, meninos e meninas, foram forçados a se prostituir depois de sair de casa.
    • Devido a grande chance de entrar para a prostituição e também por causa das más condições de saneamento, pessoas fugitivas são significativamente mais propensos a contrair AIDS. Tenha muito cuidado.
  4. Evite drogas e álcool. Jovens sem-teto são significativamente mais propensos a cair no uso de álcool e/ou drogas Isso pode levar a doenças como AIDS ou até mesmo morte por overdose. Além disso, o uso dessas substâncias pode trazer vários efeitos colaterais. Tenha cuidado e não use drogas, não importa o quão mal você se sinta.
  5. Evite ser preso. Pessoas sem-teto são muito mais propensas a serem presas, geralmente por incomodarem, vadiarem ou invadirem algum local. Você deve evitar gastar muito tempo na cadeia, por isso tome cuidado com onde você vai e com sua aparência e atitudes.
  6. Tenha cuidado quando estiver perto de outros moradores de rua. Muitas pessoas desabrigadas são boas e estão nessa situação apenas por passarem por alguns momentos difíceis na vida. Mas há também uma grande quantidade de pessoas sem-teto que estão desesperados ou mentalmente instáveis. Essas pessoas podem ser perigosas e podem atacá-lo sem motivo. Tente evitar estar perto de outras pessoas sem-teto para permanecer seguro.

Dicas

  • Use um boné ou algo que cubra razoavelmente a cabeça/face ao viajar de trem, pois câmeras ainda poderão ser verificadas pela polícia.
  • Por outro lado, não fique em um lugar onde você será procurado pelos seus pais ou pela polícia. Casas de amigos e de namorados (as) serão as primeiras a serem verificadas.
  • Isto deve ser bastante óbvio, mas evite lugares onde você pode ser visto por conhecidos, que por sua vez, podem avisar a polícia. É por isso que você deve tentar se distanciar de casa.
  • Não diga nada sobre sua fuga aos seus amigos. Eles podem dizer tudo aos seus pais. Só fale quando eles forem leais e lhe ajudarem a fugir.
  • Não tente vestir algo que possa lhe tornar reconhecível.
  • Se você carregar suas coisas numa mochila, você continuará parecendo uma criança normal indo para a escola na visão dos adultos.
  • Se você estiver com pouca comida, vá a um supermercado e DISCRETAMENTE siga para as prateleiras. Pegue um pouco de comida e vá ao banheiro para comer. Jogue todas as caixas e embalagens fora. Em seguida, saia sem ser percebido, de preferência com um grupo grande. Nunca vá para a mesma loja duas vezes, pois os funcionários irão notar você.
  • Caso decida fugir permanentemente, você deve tentar mudar a si próprio. Pense nisso como um “novo começo”. Mudar o nome é um bom começo. Um novo estilo de cabelo e uma maquiagem diferente irão separá-lo de sua antiga personalidade. Experimente roupas novas também.
  • Leve consigo algo para fazer durante a fuga. Você poderá se entediar no processo.
  • Mantenha-se em algum lugar onde você sabe que seus pais e as autoridades provavelmente não irão encontrar você, como um conhecido confiável ou um amigo que a sua família não saiba nada sobre.
  • Isso é vital: não atualize suas mídias sociais! Não adicione novos amigos em sua conta antiga. Apenas abandone-a, mas não a exclua. Caso sinta necessidade, faça uma nova conta para o seu nome falso, mas lembre-se que é arriscado!
  • Você pode usar banheiros públicos em shoppings e lojas, e pode tomar banhos em piscinas públicas ou vestiários de academias.
  • Deixe um bilhete para que seus pais saibam que você não foi sequestrado. Mas não dê muita informação!
  • Você pode querer variar entre casas de amigos. Comece em algum lugar onde ninguém irá procurar você, então depois de algum tempo, ou quando outra pessoa notar, se mude e fique com uma pessoa diferente. No entanto, você precisará das plantas de cada casa que você ficar para determinar o melhor caminho para sair em caso de emergência. Você também terá que ter certeza que você não deixará nada para trás que possa ser uma pista para as autoridades.
  • Se você tiver boas em lugares selvagens, você poderá tentar armar uma barraca e começar a viver em lugar desses por um tempo. No entanto, essa não é uma boa solução permanente.
  • Se/Quando você for encontrado, seja honesto sobre o motivo pelo qual você fugiu.
  • Você pode simplesmente embalar um conjunto de roupas e só ficar afastado por uma noite. Seus pais irão receber a mensagem e você irá evitar os perigos de fugir para sempre.
  • Fugir geralmente não é a resposta, mas é mais seguro ficar na casa de amigos do que dormir nas ruas.
  • Lembre-se que, independentemente do sucesso de sua fuga, você provavelmente irá acabar voltando para casa em algum momento.
  • Evite lugares nos quais você costumava gastar todo seu tempo. Restaurantes e fliperamas favoritos serão checados pela polícia.
  • Sempre fique atento! As pessoas poderão passar a conhecer o seu rosto se você tiver fugido a muito tempo. Mantenha-se alerta e tente encontrar um grupo de amigos e fugitivos. Parece impossível, mas há alguns edifícios desconhecidos e completamente vazios por aí. Nem todos eles são seguros, por isso tome cuidado!

Avisos

  • Tome cuidado ao se esconder na casa de outra pessoa. A pessoa que lhe abriga pode ser presa por acolher um fugitivo.
  • Não traga consigo celulares (a não ser que mude de número, ou de cartão SIM) e cartões de crédito ou débito, pois esses itens podem ser usados para rastrear sua localização. Se precisar ligar para alguém, use um orelhão ou pegue emprestado o celular de outra pessoa. Sempre use dinheiro para pagar suas compras.
  • Exiba suas qualificações para poder conseguir um emprego.
  • Dispositivos de rastreamento podem ser encontrados em celulares, portanto, eles ainda poderão ser localizados mesmo quando desligados. NÃO os traga com você.
  • Esteja preparado para a falta de comida e dinheiro, pois haverá um momento em que isso ocorrerá. Você terá de recorrer a amostras de supermercados, banheiros públicos e colchões de lojas de camas (se possível).
  • Exercite o senso comum. Ao fugir, você encara o risco de ser pego, roubado, estuprado ou assassinado. É algo que você poderá se arrepender pelo resto de sua vida.
  • Certifique-se de que você quer fazer isso, pois é bem provável que você não dure muito tempo por conta própria.
  • Não suporte abusos . Conte suas experiências a alguém confiável e obtenha ajuda.
  • Deixar para trás sua família e seus entes queridos pode ser a parte mais difícil, portanto, certifique-se (caso insista em fugir) de estar fazendo isso pelo motivo certo, e não só para conseguir atenção.
  • Não fuja só porque a situação em sua casa parece ruim. Pense no assunto: se houver uma chance dela melhorar, não há motivos para fugir. Caso contrário, faça o que achar melhor.
  • Pense seriamente no assunto. Não fuja de casa por diversão.
  • Fugir de casa pode causar mais tristeza aos seus pais e parentes do que você imagina.
  • Você realmente quer fugir e arriscar sua vida? Pense nisso.
  • Se você foi castigado e não achar que o castigo foi justo, apenas pense sobre o que você fez e quantas vezes repetiu tal ato. Lembre-se dos bons momentos que você passou com sua família. Você pode perdoar-lhe e não fugir.

Materiais Necessários

  • Dinheiro (R$100,00 ou mais)
  • Comida
  • Roupas
  • Água
  • Lanterna (com um par extra de baterias)
  • Fósforos
  • Cobertores
  • Canivete
  • Desodorante
  • Escova de dente/creme dental
  • Papel higiênico
  • Celular (de preferência pré-pago)
  • Objeto de entretenimento (livro, videogame portátil, etc)
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.