Como Contrastar a Evolução e o Design Inteligente de uma Perspectiva Criacionista

Se você tem perguntas religiosas básicas, ou está considerando as idéias básicas da criação, este artigo não se destina a cobrir a teoria da evolução, como tal. Este artigo é sobre a vida como ela é vista pelos criacionistas ou alguns cientistas "conservadores" que tomam a história da criação da Bíblia como válida cientificamente, mas sem depender de uma determinada religião — claramente, não apresentando a visão de um "cientista liberal". Não, este ponto de vista não é para explicar a evolução de fósseis ou qualquer outra coisa. Mas, em vez disso, a evolução é mencionada a partir de uma visão de mundo religiosa e criacionista sobre o design inteligente. A liberdade de pensamento e discurso religioso (inclusive sobre o design inteligente e o criacionismo, etc.) é um direito protegido em muitas nações. É razoável que os criacionistas vejam a evolução como algo não definitivo, mas como sendo, ainda, uma teoria. Aqui estão algumas implicações da teoria da evolução em comparação com o design inteligente e o criacionismo.

Passos

  1. Questione como um criacionista e contraste os eventos do passado sendo compilados a partir de formações rochosas, fósseis e a inconclusiva "teoria evolutiva" versus o design inteligente em sua compreensão da criação por Deus.
  2. Examine os eventos naturais em milhares de sistemas interdependentes que se baseiam no acaso.
    • Que tal o voo controlado do mosquito com as incríveis habilidades de "pilotagem" — apresentando uma atividade muito interdependente: poderia essa habilidade instintiva existir de acordo com design inteligente? "A transmissão do instinto acontece por acaso?" Os criacionistas dizem que isso se dá pelo design inteligente, não pelo acaso.
    • Os mosquitos evitam o perigo iminente. " Por que reagiria devido ao acaso? Por que razão senão o design inteligente?"
    • Quanto ao uso preciso dos sentidos para coordenar as ações físicas, como a ação de andar em coordenação com a visão: "Por que existem tantas ações aparentemente propositais, como motilidade, viagem, alimentação, digestão, reprodução, etc. Pode ser por causa do design inteligente, intencional?" Para os criacionistas, sim.
  3. Considere algumas coisas que podem ser características da informação científica demonstrável: coisas naturais ou feitas pelo homem, coisas impessoais, observáveis ou testadas empiricamente, e coisas não dogmáticas. (Estas são algumas expectativas de muitos que propõem a evolução como fato ou teoria).
  4. A evolução não foi totalmente testada empiricamente por eventos biológicos provados e repetidos; é certamente uma visão de mundo de alguns. E está relacionado com os pressupostos mencionados e parece quase dogmático. A evolução não cumpre o padrão da ciência: algo precisa ser descoberto e seus dados altamente verificados enquanto se considera outros pontos de vista.
  5. Acredite: se você acredita na evolução (não em um criador), então algo sempre existiu, ou aparentemente surgiu do nada, e:
    • Então, a ordem veio da desordem;
    • Aparentemente a vida veio da “não-vida” (e a “não-vida” não tem genética ou divisão celular);
    • A variação veio de fatores idênticos;
    • A inteligência veio de nenhum sistema nervoso;
    • A moralidade da imoralidade, ou de nenhum valor de conceito afinal.
  6. Conjeture sobre os pressupostos de como pode um sistema nervoso diminuto (como o de um mosquito) ser tão abrangente. Tornou-se abrangente por acaso, a partir de meros erros, de mutações acidentais, da própria força vital? Qual foi a fonte, já que tudo não passava de uma bola de hidrogênio ou uma massa indiferenciada de energia  ?
  7. Veja os mosquitos e outras criaturas pequenas que têm milhões ou bilhões de células interdependentes que formam sistemas interdependentes tão proativos para a vida. Como tal dependência requintada existiria sem qualquer consciência, ou qualquer plano maior, ou qualquer tipo formal de lógica?
  8. Observe os processos desatentos da evolução que não poderiam realizar sua própria existência, mas que se diz ter originado a vida e continuado, adicionando/subtraindo falhas (mutações) ao sistema genético anterior, sobrevivendo para reproduzir uma coisa nova, multiplicando-se e, assim, repassando, logicamente, defeitos dos mais variados tipos que se combinam de forma tão aglomerada que a morte se torna quase uma certeza, antes mesmo que se tenha a chance de procriar!
  9. Considere um processo não-direcionado. Precisa ser assim? Não há nenhuma outra escolha? Como podem as interdependências não intencionais em todos os níveis de vida, ser intrincadamente ligada à dependência mútua, sem que haja nenhum propósito para tanto?
  10. Pergunte-se como alguns evolucionistas podem propor que foi por meio de várias falhas aleatórias e do caos que se originou uma cadeia de substâncias químicas espalhadas no espaço, sem qualquer membrana semipermeável, nem citoplasma, e, de fato, sem qualquer ambiente celular. Pergunte-se qual, de fato, seria a chance de tal coisa sobreviver geneticamente através da eternidade? Como seria possível que a evolução não fosse imune a um mecanismo estéril e de caos aleatório? Os evolucionistas podem argumentar que todas as características não direcionados, não planejadas e sem propósito foram passadas através de sucessivas gerações (pressupondo a origens não-planejadas). Sendo benéfico ou não, como não há qualquer consciência disso pelo sistema genético, como as partes não relacionadas do corpo, pernas e cérebro, por exemplo, estão relacionadas agora, através de mutações independentes - bilhões de falhas dos processos genéticos previamente existentes corrompidos pela bagunça mortal do primeiro dia. Não é lógico que todas as mutações seria passadas e precipitariam a um total fracasso e extinção devido à extrema dureza do meio de vida? Como alguma coisa ainda estaria viva, afinal?
  11. Considere a "seleção natural", que é dita ser essencial para a vida e a evolução, sendo causada pela "pressão". Mas, a seleção natural inclui, originalmente, uma genética reprodutiva de material totalmente sem vida, sem uma razão ou processo conhecido para começar a viver verdadeiramente, realizando digestão e produzindo energia. A ciência moderna não conseguiu fazer isso (não formou uma célula viva funcional, genética, de materiais básicos que não foram fornecidos por uma vida preexistente), mas a antiga poeira, água e coisas aleatórias puderam fazê-lo? Perceba que milhares ou talvez milhões de processos relacionados teriam de existir em magníficos detalhes, simultaneamente, antes que a formação dessa vida básica não planejada pudesse ser criada. Tudo espontaneamente concretizado (ainda sem saber como ou por quê). E essa vida teve de se sustentar por meios espontâneos, não planejados, não intencionais. Ainda, tinha de existir com êxito (ficado inadvertidamente vivo e tendo se reproduzido por nenhum meio conhecido ou sem qualquer razão). Em seguida, seus planos genéticos mudaram, espontaneamente, o que é chamado de mutação, "ou seja, uma falha" de uma genética anterior que havia funcionado ("e isso foi bom").
    • Estude a pressão que nos trouxe à vida moderna! "Ela" havia participado da seleção, trilhões de vezes, e havia sido bom? Lá estava a mãe natureza originada sem qualquer sabedoria ou conhecimento, "inventada" sem ideias; feita geneticamente pela anarquia, sem qualquer forma de governança, sem qualquer competência nem mesmo do nível de um jardim de infância. A lava estéril havia eclodido em poeira sem vida e água, ácidos, bases, sais e eletricidade estática. As substâncias químicas da mãe Terra foram se espalhando por toda parte, criando a sopa primordial da "natureza de mãe estéril", que veio à vida através de processos incrivelmente interdependentes. A vida teve de "pre-aprender" sua auto-manutenção, para alimentar a si mesma, digerir, se reproduzir, gerar instintos. Partindo, basicamente, da sopa primordial à forma de vida. É isso. Você pode ver como a teoria explica o surgimento da vida pelo acaso, a partir do pó e das cinzas.
  12. Os evolucionistas podem determinar perguntas ponderosas ou aceitá-las como concluídas dentro de definições sobre sua teoria de valor impessoal e desmotivado?
  13. Um membro supostamente teria se originado como um pequeno osso saliente ou exoesqueleto, que, então, cresceu em natureza. Então, as articulações foram elaboradas pela genética, formadas para as partes superiores e inferiores de uma perna ou asa - eventualmente formando uma extremidade, se dimensionado, e sendo coberta por penas ou pêlos. Se essa articulação estivesse um pouco errada ou fora do lugar, não haveria nenhum sucesso; haveria um extremo desconforto para o pássaro,morcego,mamífero, etc. mesmo que a articulação pudesse se flexionar e mover.
  14. Perceba que tal "construção" vale para qualquer tipo de articulação, tais como para patas, mãos, dedos e o polegar oposto em criaturas mais "avançadas". Em essência, isso exigiria: um sistema nervoso, alta simetria, mobilidade, equilíbrio entre capacidade e coordenação.
  15. Pesquise sobre fósseis ditos ser intermediários na evolução. "Eles claramente se ligam a próxima forma?"
  16. Considere que mesmo que houvesse fósseis intermediários, isso poderia permitir que milhares dessas formas de vida existissem em vários estágios da evolução. "Onde estão esses estágios tão conclusivo como muitos afirmam existir?"

Dicas

  • "Deus é especialista em coisas que podem ser consideradas impossíveis". De acordo com muitos religiosos que dizem: "Espere o impossível".

Avisos

Existem alguns argumentos na visão de um evolucionista

  1. Considere respostas para as possibilidades de haver um Deus. "Por que não O ouvimos? Porque não O vemos?"
  2. Perceba que a Bíblia, para algumas pessoas, parece incluir aparentes contradições. Se há tais contradições, como podemos acreditar que ela seja precisa? Muitos cristãos não concordam com algumas coisas na sua Bíblia!
  3. Observe que leva muitos, muitos anos para que a fossilização ocorra. Como a Terra pode ter apenas 6.000 anos se existem todos esses fósseis no planeta?
  4. Considere o Grand Canyon. Ele é bastante profundo e está ficando ainda maior. Um cânion tão fundo assim não pode existir como os criacionistas dizem: em apenas poucos dias como em uma grande inundação.
  5. Perceba que o criacionismo é "dogmático"; geralmente tomado "pessoalmente". Faça-se a pergunta: como algo que vai contra as normas da ciência pode ser científico?
  6. Observe que os criacionistas geralmente tomam seus pontos de vista como religiosos. Pergunte-se: eu quero me envolver nessas coisas como os religiosos fazem?
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.