Como Formar uma Filosofia

Desenvolver uma filosofia pessoal pode se tornar uma recompensadora experiência de vida. Uma filosofia pessoal se revela como o enquadramento vital que lhe ajuda a compreender quem você é e a criar sentido de sua própria existência. Formar a sua própria filosofia pode se mostrar um grande desafio, em especial para iniciantes, mas as recompensas certamente o farão valer a pena. Esse guia lhe ajudará a começar.

Passos

  1. Entenda que você está começando uma jornada que perdurará por toda a vida. Comprometa-se a ser alguém de mente aberta e flexível. O seu objetivo é começar a trilhar um caminho de desenvolvimento pessoal que evoluirá e amadurecerá como à medida que você vive.
  2. Comece lendo e aprendendo. Atenha-se ao que lhe interessa e busque adquirir um senso das grandes ideias com as quais estão preocupados os grandes filósofos da história.
  3. Escolha um tipo de filosofia. O pensamento filosófico está organizado ao redor de diversos tipos de filosofia, incluindo: axiologia, ontologia, estética, epistemologia, ética, lógica, metafísica e teoria política. Siga os seus interesses. Sinta-se livre para escolher mais de um tipo, caso você encontre conexões particulares. Você desfrutará do ato de pensar em como mesclá-las com êxito.
    • Depois de decidir-se por um tipo específico de filosofia, aprenda a história de fundo da área em particular, incluindo leituras de seus filósofos principais. Entenda as questões-chave que foram feitas e adquira uma compreensão sólida de seus conceitos mais primários.
    • Aprimore a sua compreensão básica concernindo a outros tipos de filosofia. Você não pode se tornar um especialista em tudo sem reconhecer que há um grande valor na compreensão básica do que outros vieram a fazer. Um amplo entendimento de com que outras pessoas batalham e quais são as discussões que são feitas lhe ajudarão a desenvolver a sua própria filosofia pessoal. Sinta-se livre para aprender e desenvolver sobre ideias existentes. É difícil começar do zero, então por que não aproveitar as ideias de outro filósofo como base e fundamento de seu princípio? Muitos filósofos bem conhecidos começaram dessa forma. Por exemplo, Platão tomou o indiscutivelmente oral e sociável método socrático, do próprio Sócrates, usando-o como base para seu altamente literário e polido método socrático, que, por sua vez, foi tomado por Aristóteles na formação básica da lógica, particularmente relacionada aos silogismos.
  4. Expanda e evolua o seu pensamento. O cenário escolhido por você é um ponto de início. À medida que você tem mais experiências na vida, teste-o e veja o que funciona e o que não. Quando houver tempo, analise o resultado e refine a sua filosofia fundamental. Ao longo do tempo, à medida que você soluciona problemas e avalia a qualidade das decisões feitas, você será capaz de evoluir a partir do ponto de início e para algo autônomo, a partir da filosofia original.
    • Torne-se um pensador crítico. Registre o onde você obteve a base para suas ideias, dogmas, teorias, etc. em sua nova filosofia. Ser capaz de rastrear o processo de teorizar ou as conclusões de volta à fonte lhe ajudará a defender as suas ideias ou a levá-las mais longe. Quase nada se desenvolve no vácuo.
    • Referir-se ao que outros filósofos disseram dá à sua filosofia uma maior credibilidade, pelo fato de você estar exibindo a profundidade de seu conhecimento e o entendimento das filosofias existentes.
  5. Seja paciente e permita que as suas ideias sejam filtradas com o tempo. Quando houver tempo livre, analise a estrutura de sua filosofia nascente e tente encontrar problemas e soluções. Tomar posse do desenvolvimento de sua filosofia gradualmente permitirá que ela evolua para algo autônomo a partir do fundamento original.
    • Mantenha um diário e continue a escrever os pensamentos e ideias que surgirem, mesmo que não sejam coerentes. Paciência é algo essencial, uma vez que pode requerer anos até que você passe por todas as noções descartadas e encontre os tesouros nelas ocultos. A passagem do tempo é saudável, pois permite às ideias continuar evoluindo e ser testadas por eventos diários.
    • Faça algumas perguntas pertinentes, como:
      • Qual é o propósito de sua filosofia? Você deseja aplicá-la a toda a sociedade ou apenas a um setor?
      • Qual é o seu papel em sua filosofia? Quais, se houver, são os papéis de pessoas em particular, na filosofia?
      • Como você explica a base de sua filosofia para outros? Ela é auxiliar em um nível prático, ou utópica?
      • Como outros conjuntos de crenças ou filosofias se adequam ou se contrariam a ela?
      • Você se dispõe a escrever uma tese ou livro concernindo à sua filosofia? Ou você preferiria escrever histórias que a contenham, sem ser abertamente uma obra filosófica em sua estrutura?
  6. Converse com outros interessados em filosofia. Eles podem apontar falhas que você pode ter perdido, além de oferecer soluções diversas. Isso é uma grande ajuda no desenvolvimento de sua filosofia.
    • Entre em um grupo, clube ou associação de filosofia em sua cidade.
    • Entre em um grupo online com fóruns privados, nos quais você possa compartilhar as suas ideias livremente, recebendo respostas relacionadas.
    • Visite a universidade local e peça para conversar com professores de filosofia a fim de compartilhar com eles os seus pensamentos.
    • Se você se encontrar com alguém que verdadeiramente compreenda para onde a sua filosofia está direcionada, abrace seu entusiasmo, mas lembrando-se de continuar o trabalho sobre o seu entendimento, à parte do entusiasmo de outros. É difícil seguir a uma pessoa ainda definindo no que realmente acredita, de modo que o entusiasmo presente pode ser decorrente apenas do fato de que ela gosta e confia em você.
  7. Ativamente, busque e descubra novas experiências que lhe ajudem a ver as coisas de formas diferentes e de distintas dioptrias.
    • Mantenha a mente aberta.
    • Aprenda a aceitar críticas e cresça a partir delas; elas podem apenas ajudar a fortalecer a você e à sua filosofia.
    • Tenha sempre um lápis e um caderno de anotações para anotar ideias que surjam em sua mente, ou com as quais você venha a ter contato.
  8. Continue a ler filosofia. Fazê-lo lhe permitirá ver as tentativas prévias de outros filósofos, o que descobriram e em quais falácias caíram; logo, progredindo em sua própria filosofia. Isso também lhe ajudará a ver se você está ou não tentando algo que já foi tentado por um filósofo do passado.
  9. Mantenha-se atualizado com o mundo. Tente ler um jornal de vez em quando. Isso lhe ajudará a aplicar teorias a situações reais.
    • Por exemplo, tome uma notícia séria que envolva problemas impactando diversos setores da sociedade e pergunte a si mesmo: “O que eu teria feito?” Trabalhe em suas respostas dentro de sua filosofia em desenvolvimento e descubra se ela pode sobreviver a eventos atuais e oferecer explicações, instruções ou maiores entendimentos.
  10. Veja a si mesmo como um filósofo, quer ou não você trabalhe como um. Uma carreira na filosofia ou papéis similares, como no caso de pesquisadores em um instituto, garantirão que você dedique tempo regular à sua filosofia. Mas, caso você pretenda ser um filósofo de meio período, tenha a certeza de dedicar tempo suficiente para a sua filosofia, de modo a sempre se aprimorar e a não se esquecer de pequenos itens em sua obra.
  11. Tente tanto quanto possível viver à altura de seus próprios pensamentos, mesmo quando você estiver passando por algo misterioso que distraia as suas opiniões. Volte às notas feitas com relação à sua filosofia ou aos inspiradores livros que você veio a ler. Isso será de grande ajuda.

Dicas

  • Use as filosofias de outro alguém como estrutura apenas como um iniciante; fazê-lo inicialmente construirá a sua fundação. Uma vez que continue a lutar por desenvolver-se, você será capaz de soltar a mão de outros e de confiar em suas próprias perspectivas e conclusões filosóficas.
  • Tente expandir a sua filosofia — entre em outros gêneros que ampliem a sua habilidade, mesmo quando você não goste necessariamente do que está lendo ou aprendendo. Você pode aprender muito daquilo com o qual não se identifica tão bem quanto daquilo que ressoa com a sua frequência de pensamento.

Avisos

  • Não se sinta chateado ou desencorajado se outras pessoas não concordam com as suas ideias. Lembre-se que uma parte importante do ato de pensar filosoficamente é compreender a pontos de vista conflitantes.
  • Como filósofo, você é um amante da sabedoria e da verdade. Não hesite apenas por ter medo das consequências — se os grandes filósofos o houvessem feito no passado, não haveria filosofia pela qual vivêssemos e aprendêssemos no presente. Às vezes, você tem apenas que aceitar que as pessoas não compreenderão de onde você parte ou o porquê de você possuir tamanha paixão com respeito a algo pelo que não possuem nenhum entendimento.
  • Isolamento e solidão podem ser um resultado de sua perspectiva madura ou de sua opinião quiçá radical, mas não mergulhe na autocomiseração. Erga-se e encontre pessoas de mentalidade similar à sua, lembrando-se de que a verdade é mais importante do que temer às opiniões que outros têm de você.

Materiais Necessários

  • Caderno de anotações e caneta
  • Escritos de outros filósofos
  • Acesso a filósofos vivos e a pensadores profundos
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.