Como se Salvar

Escapar das dificuldades do cotidiano requer força de vontade, planejamento e determinação. Você pode se salvar. Aprender a identificar as situações ruins e os comportamentos que o fazem se sentir para baixo é o primeiro passo para uma transformação de vida significativa. Você pode aprender a salvar a si mesmo e melhorar sua condição atual.

Salvando-se de uma Situação Ruim

  1. Identifique as circunstâncias que precisam ser mudadas. Uma situação ruim pode ser difícil de encarar, mesmo quando não se sabe exatamente o que está errado. Se algo não parecer bem, comece a se perguntar sobre sua condição atual. O que é "ruim" em sua vida? O que precisa ser mudado? Faça essas perguntas a si mesmo e comece a estreitar os sinais de que você pode estar em uma situação ruim.
    • Você está preocupado com a sua segurança? Está se estressando com dúvidas básicas, como de onde virá sua próxima refeição ou se estará vivo ao fim do dia? Se estiver em uma situação violenta ou perigosa, pode ser necessário tomar medidas drásticas para mudar sua vida.
    • Você está em um relacionamento satisfatório? Está com alguém que o apoia e o faz se sentir bem consigo mesmo? Tente descobrir se a sua vida romântica pode ser a causa dos problemas. Há coisas muito melhores no mundo.
    • Você está feliz em seu trabalho? Gosta do seu chefe e colegas? Você passa mais tempo se divertindo ou se estressando? Tente descobrir se o seu trabalho pode ser um problema de vida.
  2. Elimine pessoas negativas de sua vida. Cercar-se de pessoas negativas, violentas, ou auto-destrutivas é um caminho rápido para entrar em uma situação difícil. Embora possa ser difícil se desconectar de amigos e entes queridos que não podem cuidar de si mesmos, você preciará estabelecer certa distância se isso o afetar ao ponto de crise. Identifique relações tóxicas e acabe com elas. Salve-se das más influências.
    • Tente se concentrar não em acabar com relacionamentos ruins, mas em começar novos. Passe tempo com pessoas que você gosta, aquelas que o apoiarão e o levantarão, passando o tempo fazendo coisas construtivas e positivas.
    • Se você tomou grandes passos para reduzir a dependência de comportamentos ou substâncias de sua vida, mas tem muitos amigos que não o fizeram, pode ser difícil manter essas relações. Concentre-se em encontrar novos amigos que façam coisas mais elevadas e positivas.
  3. Considere uma mudança de cenário. Em alguns casos, pode não ser possível salvar-se de onde você está vivendo. Quer se trate de uma cidade que não oferece as opções de carreira que você quer, um bairro violento que o amedronta, ou uma vida doméstica ruim da qual você precisa escapar, dê um salto de fé e mude-se para outro local.
    • Vá para algum lugar onde você conheça pessoas que o ajudarão em sua transição. Procure por parentes distantes ou velhos amigos de escola que possam colocá-lo para cima por alguns dias enquanto você procura por trabalho e encontra um lugar legal para ficar.
    • Comece a poupar agora mesmo para colocar seu plano em prática. Se não puder se dar ao luxo de se mudar agora, você ainda pode começar a se ajudar. Até mesmo o ato de poupar e pesquisar o próximo passo pode ajudá-lo a aliviar a negatividade de estar preso onde você está.
  4. Considere uma mudança de atitude. Todo adolescente quer fugir para o brilho e o glamour que existem em outro lugar. Toda pessoa que trabalha, em uma grande ou pequena empresa, experimenta uma tarde que parece nunca caabr, uma semana infernal ou um discurso chato do chefe. Aprender a diferenciar uma circunstância que precisa mudar e uma necessidade de mudança de atitude é um grande passo para crescer como pessoa, tornar-se mais maduro e aprender a salvar a si mesmo. Imagine a fonte de seus problemas morta para sempre. Sua vida seria diferente? Se assim for, faça mudança. Se não, corrija-se.
    • Se você tiver a "pulga da mudança", tenha certeza de que o lugar é realmente a fonte de seus problemas. Sua cidade é realmente tão ruim quanto parece? Será que tudo realmente ficará bem se você se mudar para sempre? Ou o problema realmente está em outro lugar? Não desvie dos seus problemas, senão eles farão as malas e o acompanharão em sua mudança.
  5. Consiga ajuda. Ninguém precisa sair de uma situação difícil sozinho. Seja algo tão terrível quanto sair de um relacionamento tóxico ou tão complicado quanto fazer vestibulares e aprender a transcender sua condição atual e se mudar, peça ajuda. Cerque-se de pessoas positivas e peça ajuda quando precisar.
    • Se estiver vivendo em uma situação de violência, procure ajuda imediatamente. Visite um centro de violência doméstica em sua área ou ligue para a polícia. Você não merece a viver com medo.
    • Converse com sua família, amigos, professores e pessoas que você respeita e diga que precisa de ajuda para mudar sua condição. Peça conselhos. Às vezes, pode ser difícil identificar as fontes dos problemas quando se está tão perto deles. Ouça, sem ficar na defensiva, e confie na sabedoria alheia.

Salvando-se de Si Mesmo

  1. Identifique suas tendências autodestrutivas. Se você for seu pior inimigo, é hora de começar a cair na real. Como você consegue se colocar em seu próprio caminho? Antes de começar a bolar um plano para salvar a si mesmo, é importante ter uma noção real do que é preciso mudar.
    • Você sofre com apatia? Uma tarde de sábado cheia de promessas se transforma em um ciclo de YouTube, uma sessão de X-Box e uma soneca? Talvez você só precise se motivar mais.
    • Você sofre com o vício? Se uma substância ou atividade tiver controle sobre sua vida, você não precisa viver com ela ou enfrentá-la sozinho. Comece lidando com o vício e assuma o controle de sua própria vida.
    • Está sofrendo com baixa autoestima? Você deve ser capaz de confiar em si mesmo, sem temer ou criticar seu próprio eu. Se estiver tendo dificuldade para ser positivo, saiba que a sua autoestima precisará ser cuidada.
    • Você corre muitos riscos que não valem a pena? Caso sinta emoção diante do perigo ou do fracasso, é provável que você esteja para baixo na maioria das vezes. Embora não haja nada de errado com um pouco de emoção na vida, se você estiver tomando riscos perigosos que afetam sua segurança, pode ser necessário tomar medidas para se salvar.
  2. Identifique seus problemas emocionais. O que o leva a um caminho autodestrutivo? Quer se trate de uma pessoa, circunstância ou ideia, é importante aprender a reconhecer as coisas que provocam o comportamento auto-destrutivo para começar a detê-lo. Preste atenção quando sentir uma vontade súbita e interrogue a si mesmo nesses momentos. Anote o problema, se necessário.
  3. Remova e substitua os estímulos destrutivos. Após identificar as coisas em sua vida que desencadeiam respostas emocionais negativas, substitua-as por comportamentos positivos. Experimente reprogramar seus caminhos mentais em direção à positividade e graça, em vez de autodestruição e depressão. Isso é mais fácil do que você pensa.
    • Se pensar sobre um relacionamento emocionalmente abusivo lhe der vontade de tomar uma bebida, aprenda a descontar suas frustações. Quando começar a se concentrar em pensamentos ruins, vá para a academia e soque o saco de boxe por algumas horas. Você, de quebra, queimará algumas calorias.
    • Se estiver sofrendo com problemas de apatia e baixa autoestima, comece a celebrar toda pequena conquista e tome medidas para desenvolver confiança própria. Comece a fazer exercícios e arrisque-se mais. Trate-se como quer ser tratado.
  4. Aprenda a ser atossuficiente. Assuma a responsabilidade e comece a cuidar de si mesmo. Não tem problema depender dos outros de vez em quando, mas também é preciso levantar por si próprio.
    • Se estiver vivendo com seus pais, mesmo já sendo um adulto, considere a possibilidade de se mudar. Embora possa ser uma ótima maneira de poupar dinheiro após a faculdade, essa também pode ser uma desculpa para não trabalhar. Dê um passo à frente e cresça.
    • Não peça ajuda para realizar coisas que você pode fazer sozinho. Se o seu computador estiver ruim, você pode chamar um amigo para consertá-lo ou tentar descobrir a solução por conta própria. Respeite-se o suficiente para descobrir isso.
  5. Controle o criticismo interno. É preciso aprender a controlar a voz negativa que existe dentro de si. A consciência é parte essencial de ser uma pessoa moral, mas também pode levá-lo ao fundo do poço com sentimento de culpa e remorso. Pode ser imprudente ignorar sua consciência por completo, mas aprenda a controlá-la, pelo menos. Saiba exatamente quando usá-la e quando deixá-la de lado.
    • Comece antecipando o que o fará se sentir culpado. Você não precisará se preocupar com o peso na consciência se souber ouvi-lo antes. Caso vá se sentir culpado após enviar aquela mensagem de texto ou usar determinada droga, então não o faça.
  6. Cerque-se de pessoas legais. Você não pode e não deve fazer tudo sozinho. Aprenda a se cercar de pessoas que o apoiarão, reforçando suas qualidades e fazendo com que seus defeitos pareçam imperceptíveis.
    • Evite relacionamentos tóxicos. Pessoas que enaltecem seus defeitos precisam ser cortadas de sua vida. Embora possa ser difícil, cultivar relacionamentos mais saudáveis pode ajudá-lo a se manter protegido contra a tentação

Salvando sua Alma

  1. Atenha-se às grandes questões. Se suspeitar que você pode ter um desejo de conhecimento e de satisfação que não pode ser facilmente satisfeito, talvez seja necessário voltar-se para questões mais profundas para encontrar consolo. Quer se considere uma pessoa espiritual ou não, pensar sobre grandes questões pode levar muitas pessoas a um novo sentido de propósito e realização, ajudando a realinhar prioridades e perspectivas. Por que estamos aqui? O que significa ter uma boa vida? Abrace a dificuldade e o mistério dessas questões.
  2. Coloque sua fé em poder de alguma mão orientadora. Queira ou não chamá-la de "Deus", aprender a desinflar um pouco do seu ego e abraçar a ideia de um poder superior pode ser uma experiência poderra vosa paárias pessoas. Isso pode ser o suficiente para salvar a si mesmo.
    • Se não estiver interessado em religião, isso não significa que você não pode encontrar uma maneira de viver fielmente e com um profundo senso de propósito. Os físicos, artistas e pessoas de diferentes campos levam a sério a espiritualidade, independentemente do conhecimento. Lance-se em algo completamente e encontre sua redenção.
  3. Converse e aprenda com outros crentes. Uma parte essencial de qualquer prática religiosa é adorar e aprender com outros crentes de mesma opinião. Para saber mais sobre a finalidade, prática ou religião que estiver pensando em adotar, a melhor maneira de aprender não é através de um livro ou vídeo, mas de interações reais com outros crentes. Experimente e pratique como eles praticam, trazendo suas dúvidas e preocupações para a mesa. Aprofunde suas perguntas em crenças e uma prática diária com a qual possa se consolar.
    • A prática espiritual deve ser uma atividade diária. Mesmo que você só vá à igreja uma vez por semana, ou se optar por não ir, tente construir algum tipo de devoção diária em sua vida. Meditar por alguns minutos todos os dias pode ajudá-lo a se manter longe das questões profundas pelas quais se interessa.
  4. Considere adotar uma religião formal. Se quiser crescer em seu sentido renovado de propósito e em seu interesse no divino, pode ser apropriado se dedicar a uma religião organizada. Comece aprendendo o máximo que puder sobre os diferentes modos de adoração e experimentando diferentes teologias e escolas de pensamento para encontrar o que melhor se encaixa em suas crenças. Dê o próximo passo para uma vida melhor.

Dicas

  • Não tenha medo de pedir ajuda. Você não precisa passar por isso sozinho.

Avisos

  • Caso esteja sofrendo em um relacionamento abusivo, procure ajuda imediatamente. Aja agora mesmo e encontre redenção.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.