Como Ler Facilmente Rostos e Expressões Faciais

Ler as emoções das pessoas é uma parte fundamental da comunicação humana. Reconhecer as expressões faciais é um meio de se ter noção do que uma pessoa está sentindo. No entanto, além de interpretar expressões faciais, você também deve saber como conversar com alguém sobre o que essa pessoa está sentindo. Aconselhamos que você aprenda quais são as sete expressões faciais principais, as situações em que elas são usadas e a desenvolver sua capacidade de interpretação.

Aprendendo as sete expressões faciais mais usadas

  1. Pense na ligação entre emoções e expressões. Charles Darwin foi o primeiro a sugerir que as expressões de certas emoções fossem universais. Estudos daquela época foram inconclusivos, mas as pesquisas sobre o assunto continuaram e, em 1960, Silvan Tomkins conduziu o primeiro estudo que demonstrou que as expressões faciais realmente são associadas a determinadas emoções.
    • Estudos revelam que, quando as emoções surgem espontaneamente, portadores de deficiência visual congênita produzem as mesmas expressões feitas por pessoas que enxergam. Além disso, as expressões faciais consideradas universais em humanos também podem ser observadas em primatas não humanos, particularmente em chimpanzés.
  2. Aprenda a ler a felicidade. Um rosto que expressa felicidade ou alegria vem com um sorriso (os cantos da boca para cima e para trás), com exposição de dentes e rugas formadas das laterais do nariz às laterais dos lábios. As bochechas são erguidas e as pálpebras de baixo são enrugadas; o retesamento dos olhos causa pés-de-galinha – pequenas rugas nos cantos externos dos olhos.
    • Um rosto sorridente que não envolve os músculos dos olhos indica que esse é um sorriso falso ou educado, não de felicidade ou alegria.
  3. Identifique tristeza. Um rosto triste tem as sobrancelhas puxadas para dentro e para cima, a pele sob as sobrancelhas é alinhada triangularmente com os cantos internos elevados e os cantos dos lábios ficam para baixo. O maxilar é projetado para frente e o lábio inferior fica mais evidente.
    • Estudos mostraram que essa é a expressão mais difícil de fingir.
  4. Aprenda a ler desprezo. Um rosto que demonstra desprezo ou ódio tem um lado da boca mais erguido, como um meio-sorriso de escárnio.
  5. Identifique repulsa. Um rosto enojado tem as sobrancelhas franzidas, mas a pálpebra inferior levantada (fazendo com que os olhos fiquem estreitos), as bochechas são erguidas e o nariz é enrugado. O lábio superior também é levantado.
  6. Observe surpresa. Um rosto surpreso mostra as sobrancelhas erguidas e curvadas. A pele abaixo delas fica esticada e há rugas horizontais ao longo da testa. As pálpebras ficam tão abertas que a parte branca dos olhos aparece acima e abaixo da íris. O queixo se abre e os dentes ficam levemente afastados, mas não há tensão na boca.
  7. Perceba o medo. Um rosto com medo tem as sobrancelhas erguidas de forma reta, não curva; há rugas na testa entre as sobrancelhas, não de uma têmpora à outra. As pálpebras superiores são levantadas, mas as inferiores ficam tensas, de modo que a parte branca do olho fica visível na parte de cima, mas não na de baixo. Os lábios ficam retesados e puxados para trás, a boca pode estar aberta e as narinas podem ficar dilatadas.
  8. Identifique raiva. Um rosto zangado mostra as sobrancelhas franzidas e puxadas para dentro com rugas verticais entre elas, olhos esbugalhados e pálpebras inferiores retesadas. As narinas podem ficar dilatadas e a boca fica espremida, com os cantos levemente abaixados, ou em um formato quadrado, como em um grito. Além disso, o queixo fica evidente.

Entendendo quando cada expressão é utilizada

  1. Observe a macroexpressão. A macroexpressão é quando fazemos uma cara que corresponde a certo sentimento e ela dura entre três segundos e meio e quatro segundos. Geralmente ela envolve o rosto inteiro.
    • Esse tipo de expressão geralmente acontece quando estamos com familiares e amigos próximos. Elas duram mais do que as microexpressões por estarmos confortáveis com o ambiente e não precisarmos esconder emoções.
    • As macroexpressões são relativamente fáceis de ver se souber o que procurar no rosto de uma pessoa.
  2. Perceba as microexpressões. A microexpressão é uma versão menor de uma fisionomia emocional e costuma passar pelo rosto em uma fração de segundos, às vezes 1/30 de segundo. Elas acontecem tão rápido que, se você piscar, pode perdê-las.
    • As microexpressões geralmente são sinais de emoções reprimidas; às vezes essas emoções não estão necessariamente sendo fingidas, elas podem simplesmente ser processadas rapidamente.
    • Pesquisas sugerem que as microexpressões acontecem porque as expressões faciais não podem ser totalmente controladas voluntariamente, mesmo que a pessoa esteja tentando controlar-se. Existem dois caminhos neurais que mediam as expressões faciais e eles entram em uma espécie de "cabo-de-guerra" para controlar o rosto se a pessoa estiver em uma situação emocionalmente intensa, mas tentando esconder o que está sentindo.
  3. Comece a observar essas expressões nas pessoas. Conseguir ler expressões faciais é muito útil para várias profissões, especialmente aquelas que lidam com público como médicos, professores, pesquisadores, empresários e qualquer um interessado em melhorar os relacionamentos interpessoais.
    • Quando conversar com alguém, veja primeiro se consegue estabelecer uma expressão básica no rosto da pessoa. A expressão básica é a atividade muscular facial comum, quando sentimos pouca ou nenhuma emoção. Ao longo da conversa, observe as micro ou macroexpressões e veja se elas batem com o que a pessoa está dizendo.

Desenvolvendo sua capacidade de interpretação

  1. Confirme suas observações cuidadosamente. Tenha em mente que conseguir ler expressões faciais não revela o que causou essa emoção, somente que ela está sendo sentida no momento.
    • Não adivinhe e faça perguntas baseadas em sua adivinhação. Você pode perguntar "Quer falar mais sobre isso?" se suspeitar que alguém está escondendo o que sente.
    • Perguntar "Você está bravo(a)?" ou "Você está triste?" para alguém que você não conhece muito bem ou com quem tem um relacionamento profissional pode ser invasivo e aborrecer ou piorar a situação da pessoa. Você deve ter certeza que a pessoa se sente à vontade com você antes de perguntar sobre as emoções dela.
    • Caso seja alguém que você conhece bem, pode ser legal e de grande ajuda perguntar diretamente sobre o que ela está sentindo caso você note alguma emoção. Isso poderia ser uma espécie de jogo; fale com a pessoa de antemão e diga que está aprendendo a ler expressões faciais e, juntos, vocês podem praticar.
  2. Seja paciente. Conseguir ler as expressões faciais de uma pessoa não lhe dá autoridade sobre os sentimentos dela e você não deve simplesmente achar que sabe o que se passa sem uma comunicação mais precisa.
    • Por exemplo, você não deve dar más notícias para alguém, como uma promoção que não aconteceu, e depois perguntar "Você está bravo?" porque viu uma microexpressão. Dizer "Estou aberto para conversar mais sobre isso quando você quiser.". seria uma resposta muito melhor caso veja que a pessoa se aborreceu.
    • Dê tempo para as pessoas demonstrarem os sentimentos. As pessoas têm modos muito diferentes de se comunicar. Só porque você acha que alguém está se sentindo de um jeito, isso não quer dizer que essa pessoa esteja pronta para falar sobre isso com você.
  3. Não assuma que alguém está mentindo. Se a microexpressão de uma pessoa contradiz o que ela está falando, é possível que ela esteja mentindo. É natural ficarmos emocionais quando mentimos, por uma série de razões; medo de ser pego na mentira, vergonha e até prazer em mentir sobre algo que se quer esconder.
    • A não ser que você seja um profissional treinado em detectar mentiras, como investigador da polícia, assumir que alguém está mentindo e tomar atitudes com base nisso pode prejudicar seu relacionamento com a pessoa.
    • Pessoas que trabalham na polícia e carreiras afins passam anos treinando para aprender a ler linguagem corporal, não apenas as expressões faciais, mas também o tom de voz, gestos, modos de olhar e postura. Sempre tenha cuidado quando ler as expressões faciais de alguém, a não ser que você seja um profissional da área.
  4. Busque sinais claros de mentira. Ao mesmo tempo em que você não pode julgar se alguém está mentindo somente pelas expressões faciais, há outros sinais que já foram provados como reais para detectar se alguém está mentindo, bem como se essa pessoa está escondendo algo. Esses sinais são:
    • balançar a cabeça repentinamente
    • aumento da respiração superficial
    • tensão extrema
    • repetitividade (certas palavras ou frases repetidas)
    • supercompensação (dar informações demais)
    • cobrir a boca ou outras áreas vulneráveis como a garganta, o peito ou o abdômen
    • balançar o pé
    • dificuldade em falar
    • contato visual anormal – seja a completa falta de contato visual, ou piscar rapidamente, ou contato visual prolongado sem piscar.
    • apontar
  5. Considere as diferenças culturais. Embora as expressões faciais sejam consideradas a "língua universal da emoção", diferentes culturas podem interpretar felicidade, tristeza e raiva de jeitos muito diferentes.
    • De acordo com estudos, as culturas asiáticas tendem a observar mais os olhos quando interpretam expressões faciais, mas as culturas ocidentais notam mais a sobrancelha e boca. Isso pode fazer com que você perca uma deixa ou pode gerar uma má-interpretação de sinais durante uma comunicação intercultural. Além disso, tem sido dito que as culturas asiáticas associam diferentes emoções fundamentais, como orgulho e vergonha, com outras expressões faciais que não as sete mais comuns na cultura ocidental.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.