Como Praticar o Nudismo em sua Família

Como tantos já descobriram, sexo e nudez não são a mesma coisa. Muitas famílias andam superando tabus sociais, e estão praticando o nudismo saudável e tranquilo na privacidade de seus próprios lares – atitude esta que promove uma melhor compreensão do corpo humano do jeito que ele verdadeiramente é, e não do jeito sexualizado observado na mídia. Este artigo não tem o objetivo de desnudá-lo totalmente. A intenção aqui é demonstrar o quão confortável é a prática de nudez em família, e ajudá-lo a decidir se isso é certo ou não para você.

Passos

  1. Explore o naturismo familiar sem sentir que ele é anormal. Crianças jovens ainda não adquiriram o sofisticado entendimento de modéstia, e realmente não se importam em serem vistos nus.
    • Este é o momento em que os pais podem ensinar aos filhos que não se deve ser autoconsciente em relação aos próprios corpos ou à própria nudez. Isto ajudará as crianças a associar nudez a atividades rotineiras, e não exclusivamente a atividades sexuais. Como resultado, as formas mais lascivas da nudez perderão o apelo “proibitivo”.
  2. Deixe que a nudez seja algo natural. Permita que seus filhos o vejam em situações onde a nudez seja normal sem largar mão do conforto. Vestir-se e tomar banho são atividades cotidianas onde a nudez ora faz parte do processo (vestir-se), ora é completamente necessária (tomar banho).
    • As higienes pessoais, apesar de naturais, não são atividades a serem compartilhadas tão confortavelmente. Seja sincero com suas próprias restrições pessoais – jamais faça algo pouco confortável apenas por “achar” necessário.
    • Por outro lado, cozinhar nu não é recomendável para todos, apesar do nível de conforto! Existem regiões onde o óleo quente simplesmente não pode chegar.
    • Ao mostrar-se confortável com o próprio corpo, você ensinará naturalmente a suas crianças que a nudez é algo bom e que não precisa ser temida ou repudiada. Claro, ainda existem ocasiões onde roupas devem ser vestidas por proteção, por conforto e para se cumprir certas normas sociais. Porém, ao discutir constantemente sobre se sentir confortável com a nudez em casa, seus filhos crescerão compreendendo que estar nu e ser visto nu no lar não são coisas “ridículas, horríveis e muito embaraçosas”.
  3. Comece cedo. Encoraje a nudez familiar direto do berço. Você ficaria surpreso ao saber o quão rápido a criança aprende a usar o penico quando se permite que ela ande nua pela casa.
    • Esteja preparado para “acidentes” ocasionais. Lide com tais situações calmamente, sem raiva.
  4. Comemore as diferenças. As crianças começam a reconhecer diferenças em si mesmas, em você e em seu parceiro/parceira. Explique a elas a razão dessas diferenças.
    • Algumas explicações sugeridas são: “Os seios de mamãe servem para dar leite aos bebês. Você foi um bebê quando era muito pequeno”.
    • Outro assunto que pode surgir se refere aos pelos pubianos: “Papai e eu temos cabelos aqui porque nossos corpos são quentes. Esses pelinhos ajudam a resfriar nossos corpos”.
    • Quando temas relativos aos órgãos sexuais surgirem (e eles certamente surgirão), seja honesto e direto. “Mamãe tem uma vagina, e papai tem um pênis”. Evite usar termos bobos ou vulgares – serão estas as palavras utilizadas por suas crianças quando o assunto for discutido na escola. E o assunto será discutido.
  5. Evite expressividades sexuais. Assim como as higienes, a sexualidade é perfeitamente natural e normal. Entretanto, demonstrações sexuais não são recomendadas para crianças de qualquer idade. Você as confundirá no melhor dos casos, e as traumatizará no pior.

Dicas

  • Encoraje membros familiares a apreciarem a nudez como uma forma de arte fina – especialmente considerando que a arte clássica não está atrelada às imagens extremamente sexualizadas e de corpos improváveis – elementos tão comuns em nossa cultura propagandística.
  • Jovens adolescentes desenvolvem naturalmente um aumento na modéstia na época da puberdade. Não os force a ficarem nus. Usar calças por um tempo pode ajudar na transição. Eles se importarão menos se estiverem com adolescentes com quem se sintam fisicamente confortáveis.
  • O objetivo é dar às crianças a oportunidade de elas enxergarem a nudez de um jeito quase inexistente em nossa sociedade: uma parte neutra e não-sexualizada da vida cotidiana dentro dos contextos apropriados. Isso vai muito além de prevenir que eles sejam seduzidos facilmente fora de casa e dentro do mercado de trabalho.
  • Respeite os princípios dos outros. É sempre bom apontar que outras pessoas não estão acostumadas à nudez; respeitar as vontades delas é um ato de gentileza. Talvez isso signifique manter cortinas fechadas, ou fechar a porta do banheiro quando convidados estão presentes. Tais práticas encorajam a cortesia, mas não a vergonha.
  • Pode ser difícil ou pouco sábio querer tentar mudar as atitudes de filhos mais velhos. Em alguns casos, algumas decisões bastante grandes devem ser feitas para desprender-se de hábitos. Tais mudanças incluem livrar a casa de revistas, televisões ou de outras mídias que sutilmente (ou não tão sutilmente) ligam nudez a sexo.
  • Um grande benefício de compreender inteiramente o corpo nu em casa é que haverá menos tensão na hora de se explicar a reprodução humana para os filhos – e isso fará com que você, pai/mãe, se sinta menos desconfortável. As crianças não se acanharão ao discutir sobre as partes “vergonhosas” do corpo. Isso manterá os laços comunicativos abertos durante a adolescência.
  • Compreenda que nem toda vergonha é ruim. A boa vergonha é um fator que nos ajuda a evitar situações comprometedoras. As vergonhas restantes são o resultado de condicionamentos sociais durante a infância, e que nos predispõe compulsivamente às roupas.
  • Um local específico onde a nudez possa ser praticada pela família toda e sem artifícios é muito útil. Uma piscina interna ou piscina externa com muros ao redor é excelente. As saunas também são ótimas, mas não é fácil encontrá-las. Uma alternativa prática é a banheira quente. Crianças a veem como uma piscina infantil, podendo levar brinquedos aquáticos para lá.
  • Existem muitos livros sobre gravidez e adolescência que separam o aspecto sexual das mudanças fisiológicas da puberdade. Tais livros descrevem, de maneira bastante clínica e neutra, o crescimento dos seios e dos pelos pubianos durante a adolescência, e incluem fotos cândidas de verdadeiros partos. Influências assim ajudam a separar a nudez do sexo na mente da criança, fornecendo uma base para que a nudez familiar possa florescer pelo benefício de todos.

Avisos

  • Exercite a higiene apropriada. Ao exercer a nudez familiar, sempre encoraje ou requeira que as crianças sentem em cima de uma toalha. Como qualquer pai poderia dizer, crianças jovens nem sempre põem em prática os melhores métodos de limpeza após o uso do penico. Não tenha vergonha de ensinar higienes pessoais boas e saudáveis. Seus filhos esperam que você os ensine de maneira correta e apropriada.
  • Evite expor pornografia às crianças. O melhor exemplo sempre será você, seu marido/esposa, e outros parentes, gente que possa ensinar os aspectos positivos da nudez humana.
  • Apesar de isso ser bastante óbvio para qualquer casal, recomenda-se cuidado durante momentos de intimidade. Visto que a genitália é uma grande fonte de prazer durante tais momentos, tenha cuidado ao enfatizar as funções primárias (canal de nascimento, urinação) dos genitais para crianças jovens. Qualquer coisa muito além desses conhecimentos pode prejudicar o estágio emocional de desenvolvimento infantil e abalar muito o ambiente que está se tentando manter/criar. As intimidades do casamento devem ser praticadas apenas entre quatro paredes.
  • Tenha cuidado ao contar sobre suas práticas familiares. Nem todas as pessoas chegarão facilmente às conclusões desejadas por você. A nudez e o sexo estão fortemente ligados em nossa sociedade.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.