Como Dar Direções

Há dois modos básicos de dar direções a alguém. Você pode utilizar “pontos de referência”, ou fornecer “coordenadas”, utilizando os pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste). O modo a ser utilizado dependerá de onde você está e a quem você está dando direções. Na maioria das vezes, a melhor alternativa seria uma combinação dos dois modos. Porém, o mais importante, é que a sua orientação seja breve e clara!

Passos

  1. Pense na rota mais simples. Atalhos podem ser mais rápidos, mas podem também ser mais complicados! Se a pessoa está perdida ou tem poucos conhecimentos geográficos, procure dar a ela direções mais simples e objetivas. Por exemplo: vire à esquerda na Rua Pernambuco, depois vire à direita no semáforo e siga sempre em frente por este caminho até chegar à estrada.
  2. Especifique a distância. Qual é a distância a pessoa terá de percorrer por um determinado caminho? Há diversos modos de fornecer esta orientação:
    • Indique quantas quadras ou ruas a pessoa irá cruzar. Isto funciona melhor em grandes cidades do que em cidades do interior, pois em grandes cidades há muito mais cruzamentos para contar, enquanto em cidades do interior, a distância entre duas ruas pode fazer com que a pessoa acabe perdendo a conta, e ainda, algumas estradas parecem ser caminhos por si mesmas. Por exemplo: “Continue por aquela estrada, até cruzar quatro estradinhas no caminho.
    • Indique quantos semáforos a pessoa irá cruzar. Isto ajuda, mas você deve ser preciso em relação à quantidade! Por exemplo: “Você vai passar por três semáforos antes de ter de fazer a curva.”
    • Informe a distância em metros ou quilômetros. Por exemplo: percorra 3 quiilômetros na Estrada Amazonas.
    • Informe quanto tempo a pessoa deve gastar no percurso. Isto funciona melhor se o percurso for curto, caso contrário, suas direções se tornarão imprecisas, dependendo do quão rápido a pessoa dirige. Por exemplo: “Você deve gastar em torno de cinco minutos na estrada.”
    • Dê um ponto de referência. Dê um ponto de referência que ajude a pessoa a identificar quando ela andou mais do que o necessário e deixou de fazer a curva ou um retorno no lugar correto. Por exemplo: “Se você vir uma biblioteca, andou mais do que o necessário e passou do ponto.”
  3. Indique quando a pessoa terá de fazer uma curva. Caso não seja um simples cruzamento, dê alguns detalhes adicionais. Caso contrário, diga à pessoa para virar à esquerda ou à direita. Forneça o nome da rua e de um ponto de referência (um semáforo, uma determinada loja). Se a pessoa a quem você está dando direções tem conhecimento de pontos cardeais (norte, sul, leste, oeste), e/ou, se a a organização das ruas na cidade onde vocês estão é parecida com uma tablela (tem ruas perpendiculares, de leste a oeste ou de norte a sul) indique a direção por coordenadas também. Por exemplo: “Vire à esquerda no semáforo em direção à Avenida Brasil, no sentido leste.”
  4. Simplifique as direções. Por exemplo: “Vire à esquerda em direção à Rua Pernambuco”, em vez de “Na Rua Pernambuco, vire à esquerda.”
  5. Diga em que lado da rua estará o destino. Por exemplo: “Minha casa está à esquerda.”
  6. Avise sobre quaisquer partes confusas da rota. Por exemplo, se a rua não tem saída, ou se é permitido virar à direita apenas, ou ainda, se a rua, onde será preciso fazer a curva, for estreita demais ou pouco visível, você deve mencionar. Se há uma curva que a pessoa tende a esquecer, informe-a como sobre como identificar se passou do ponto. Por exemplo: “A rua irá bifurcar antes da curva, e a Rua Pernambuco irá se tornar Rua Maranhão. Você deve continuar reto na rua Pernambuco até o começo da Rua Maranhão.
  7. Desenhe a rota em um papel. Seja breve. Direções excessivamente detalhadas são inúteis. Se você dá detalhes demais, acaba deixando o motorista confuso. Por exemplo: “ Vire à esquerda na Rua Pernambuco, depois à direita no segundo semáforo, e siga sempre em frente por esta rua, até chegar à estrada você deverá percorrer em torno de três quilômetros. Siga pela estrada por três minutos, depois saia através da saída 7. Nós estamos na terceira casa à esquerda. Caso passe por uma biblioteca, é sinal de que você andou mais do que o necessário.”
  8. Peça que a pessoa repita as direções para você. Quer tenha a pessoa anotado as direções quer não, certifique-se de que ela ouviu corretamente e entendeu a rota que você passou para ela. Por exemplo: “Então você disse para eu virar à esquerda na Rua Pernambuco, depois à direita no segundo semáforo, e seguir sempre em frente por este caminho até chegar na rodovia. Sair pela saída 7. E é a terceira casa à esquerda. Se eu passar pela biblioteca, significa que andei mais do que o necessário.”

Dicas

  • Comece dando à pessoa o endereço do destino e, certifique-se de que a pessoa o memorizou. Um endereço postal é o padrão mais facil para se reconhecer uma localização, e caso a pessoa se perca no caminho, ela poderá utilizar outros recursos para encontrar o caminho correto.
  • Mulheres tendem a usar pontos de referência, homens tendem a usar direções e distâncias.
  • Se a pessoa estiver presente, aponte a direção utilizando as mãos e fazendo sinais para reforçar a direção correta. Quanto mais sentidos você utilizar, maiores serão as possibilidades de a pessoa memorizar e acertar o caminho.
  • Se possível, desenhe um mapa simplificado.
  • Se estiver orientando alguém que está dirigindo, preste atenção no caminho em que vocês estão. Se o próximo movimento que a pessoa precisa fazer é uma curva à direita e, a pessoa está dirigingo do lado esquerdo da pista, sugira a ela que vá mudando de faixa em direção à direita, bem antes da curva, de modo que a conversão possa ser feita com segurança.
  • Use a palavra direita apenas para indicar mudança de direção, não como um indicador de distância.
  • Usar prédios ou nomes de lojas como referência nem sempre é conveniente, pois lojas podem ser fechadas e prédios podem ser demolidos.
  • Não dê informação em excesso. Isto apenas confunde o motorista ou a pessoa que está tomando as direções. Procure focar no que é essencial.
  • Se você está orientando um motorista, não fique apontando e dizendo coisas do tipo, “Olha ali!” ou “vira para lá.” O motorista não pode prestar atenção na direção e olhar para que lado você está apontando ao mesmo tempo. Prefira, dizer algo como, “está à esquerda, mais ou menos a um quarteirão para frente,” ou “vire à esquerda na próxima esquina.”
  • Seja educado! Dê direções claras, com voz calma e, cedo o suficiente para garantir, à pessoa que está sendo orientada, o tempo necessário para que ela planeje, e execute o seu próximo movimento com segurança. Gritar ao dar direções, por exemplo, pode causar reações bruscas no motorista, não permitindo a ele tempo suficiente para executar os movimentos com segurança.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.