Como Digerir os Alimentos mais Rápido

A digestão quebra os alimentos em partes menores, permitindo que o corpo tire total vantagem da energia e dos nutrientes neles contidos. Cada alimento é quebrado de maneiras diferentes, com alguns sendo mais rapidamente digeridos do que outros. Apesar da taxa de digestão depender mais dos mecanismos naturais do corpo, existem algumas medidas que podem ser seguidas para aumentar a velocidade e a qualidade do processo. Continue lendo para aprender a acelerar o processo da digestão.

Usando suplementos

  1. Pense em utilizar suplementos probióticos. Os probióticos são bactérias que ajudam a manter o equilíbrio natural de microrganismos nos intestinos. Existem alguns fatores que indicam que o consumo adicional de probióticos na forma de suplemento pode ajudar na digestão, aumentando a quantidade de bactérias benéficas nos intestinos. Além disso, os probióticos são encontrados em vários tipos de alimentos, logo, caso deseje não tomar um suplemento, é possível obter os benefícios dos probióticos incorporando alimentos que os possuem na dieta.
    • Apesar de serem regulamentados no Brasil pela ANVISA, existem certos aspectos que devem ser analisados ao escolher um suplemento do tipo. Verifique se alguma das informações a seguir podem ser encontradas no rótulo do produto:
      • Gênero, espécie e cadeia do probiótico (como Lactobacillus rhamnosus GG, por exemplo)
      • Número de organismos que estarão vivos no produto ao atingir a data de validade
      • Dosagem
      • Nome da empresa e informações de contato
    • Os tipos diferentes de cadeias de probióticos contidos no suplemento são muito importantes. Algumas pessoas reagem a certas cadeias de bactérias de maneira melhor do que outras; por essa razão, um probiótico com diversos tipos de cadeias distintas é a melhor escolha.
  2. Consuma suplementos com enzimas digestivas. Enzimas digestivas de venda livre auxiliam o processo de quebra dos alimentos suplementando as enzimas naturais do corpo. Ao separá-las em partes componentes, o corpo poderá absorvê-las mais facilmente. Se tais enzimas forem eficazes, elas darão mais eficiência e velocidade à digestão.
    • As enzimas digestivas são criadas por quatro glândulas do corpo humano, em especial o pâncreas.
    • Apesar da discussão entre profissionais da saúde e produtores de suplementos nutricionais – em relação aos benefícios dos suplementos enzimáticos –, muitos médicos dizem que mais estudos humanos são necessários para determinar os efeitos em potencial de tais produtos.
    • Alguns dos suplementos mais vendidos são:
      • Lipase. A lipase auxilia na digestão e absorção de gordura.
      • Papaína. É dito que a papaína é útil na digestão de proteínas.
      • Lactase. A lactase ajuda na digestão da lactose, que é uma proteína presente nos laticínios. Indivíduos com baixo nível de lactase são intolerantes à lactose.
  3. Tome bitter. Bitter é uma bebida alcoólica derivada de vários tipos de ervas, raízes e cascas que são consideradas boas para a digestão. O álcool pode agir como um solvente para o extrato botânico, ajudando a preservá-lo. Tomar bitter antes, durante ou depois de uma refeição acelera a digestão. No entanto, não há nada provado em relação ao efeito positivo do bitter na digestão, com pesquisas bastante limitada em relação à eficácia da bebida.

Mudando os hábitos alimentares

  1. Consuma refeições pequenas e frequentes durante o dia. Em vez de entupir o sistema digestivo com uma refeição grande, prepare porções menores durante o dia para que a velocidade da digestão seja maior. Quatro ou cinco refeições menores durante o dia (espaçadas uniformemente) é a melhor escolha; tente comer a cada três horas para não sentir fome.
  2. Escolha alimentos integrais e evite os processados. Comidas processadas são mais difíceis de serem digeridas pelo corpo; em vez disso, concentre-se em refeições com alimentos integrais, com baixo nível de conservantes, aditivos e outras substâncias químicas. Coma frutas, legumes, arroz integral, massa de trigo integral, nozes, feijões, sementes e outros alimentos integrais durante o dia, diminuindo a carga realizada sobre o processo digestivo, que será mais eficiente.
  3. Mastigue bem os alimentos. A mastigação “ativa” o mecanismo de digestão do organismo, mas ela é frequentemente subestimada. Mastigar corretamente multiplica a área da superfície das partículas dos alimentos por várias vezes e permite que as enzimas tenham maior acesso à comida ingerida. Expor grandes superfícies dos alimentos à saliva é uma excelente maneira de obter uma digestão eficaz.

Comendo alimentos que promovem a digestão

  1. Coma alimentos ricos em fibras. Comidas com muitas fibras ajudam a digestão de várias maneiras, pois aceleram o processo, reduzem a constipação e mantém o bom movimento intestinal.
    • As fibras funcionam absorvendo água e adicionando consistência ao bolo fecal. Para que isso dê certo, é necessário tomar uma quantidade adequada – e às vezes, maior – de água. Do contrário, pode haver constipação.
    • Quando as fezes ficam mais consistentes, os alimentos ricos em fibras regulam a digestão. Além disso, as fibras reduzem a quantidade de gases, e o aparecimento de inchaços e de crises de diarreia.
    • Alguns dos produtos mais ricos em fibras são: alimentos integrais, frutas, legumes, verduras, nozes e sementes.
  2. Tome iogurte. O iogurte é uma excelente fonte natural de probióticos e outros microrganismos essenciais para a digestão. Os benefícios da digestão do iogurte vem dos seguintes aspectos:
    • Ele incentiva o crescimento de bactérias benéficas, devido às culturas vivas naturais que contêm.
    • Ele diminui o tempo necessário para que a pessoa se recupere de infecções, além de reduzir o tempo de resposta do sistema imune em indivíduos com síndrome do intestino irritável.
    • Ele acelera a passagem do alimento pelos intestinos.
  3. Coma gengibre. O gengibre é utilizado há milênios como um “remédio” para ajudar na digestão, sendo popular até os dias atuais. É dito que o gengibre estimula a liberação de enzimas no trato digestivo, aumentando a eficiência do processo.
    • É comprovado que o gengibre aumenta as contrações musculares no estômago, ajudando a levar mais rapidamente o bolo alimentar para a parte superior do intestino delgado.
  4. Escolha alimentos pobres em gorduras e evite os fritos e com alta concentração de gordura. Eles podem causar refluxo ácido e azia, já que sobrecarregam a capacidade do estômago em quebrar corretamente seu conteúdo.
    • O estômago tem dificuldade em digerir tais alimentos, tornando o processo mais lento.
    • Algumas das comidas fritas e ricas em gorduras são: carnes processadas, batatas fritas, sorvetes, manteigas e queijos.
  5. Escolha alimentos leves e evite pratos muito apimentados. Comidas temperadas podem irritar a garganta e o esôfago, levando ao refluxo ácido e azia. Ademais, tais alimentos atacam o trato gastrointestinal, reduzindo a velocidade da digestão e causando problemas no sistema digestivo.
  6. Limite ou evite o consumo de laticínios. O iogurte, no geral, é saudável para o organismo humano; no entanto, caso você apresente qualquer sintoma de intolerância à lactose, é recomendado que ele seja totalmente evitado, junto com outros laticínios. O mecanismo que causa a indigestão e constipação por laticínios é desconhecido, mas é comprovado que ele interfere no processo de digestão. A intolerância à lactose pode causar inchaço, gases e indigestão, todos sintomas resultantes da digestão lenta ou que sofreu interferências.
  7. Limite ou evite carnes vermelhas. A carne vermelha pode causar constipação e evitar movimentos intestinais regulares necessários para uma digestão mais rápida e eficaz. São vários os efeitos negativos da carne vermelha na digestão.
    • Ela é rica em gordura, exigindo que o corpo passe mais tempo processando-o.
    • Possui alta concentração de ferro, que também pode levar à constipação.

Mudando o estilo de vida

  1. Exercite-se regularmente. Aumentar a atividade física ajuda a manter os alimentos se movendo através do sistema digestivo, o que pode acelerar a digestão dos mesmos. Além disso, os exercícios são benéficos para o processo digestivo no geral.
    • As atividades físicas podem evitar a constipação e acelerar a digestão, diminuindo o tempo que o bolo alimentar fica no intestino delgado. Isso limita a quantidade de água absorvida pelas fezes, deixando-a no corpo.
    • O movimento também ajuda a estimular as contrações naturais do músculo liso do trato digestivo, agilizando a quebra de alimentos.
    • No entanto, o melhor é esperar cerca de uma hora antes de voltar a exercitar-se, permitindo que o sangue natural do corpo se concentre no sistema digestivo em vez de circular pelo coração e outros músculos ativos.
  2. Descanse. O sono dá aos órgãos digestivos o tempo necessário para repousarem e serem reparados, aumentando a capacidade de digerir alimentos de maneira rápida e eficiente. Realizar algumas mudanças ao sono fará com que a digestão obtenha grandes benefícios.
    • Não adormeça logo após comer. Espere de duas a três horas para garantir que o corpo tenha tempo suficiente para realizar a digestão.
    • Tente dormir sobre o lado esquerdo do corpo. Certos estudos mostram que dormir sobre o lado esquerdo do corpo aumenta a capacidade digestiva do organismo.
  3. Consuma líquidos. Beber líquidos, em especial água ou chá, durante ou após uma refeição, ajuda na digestão. As bebidas promovem a quebra de alimentos pelo corpo e a água auxilia na hidratação.
    • Manter o corpo sempre hidratado é fundamental para manter o nível adequado de produção de saliva e fluidos no estômago.
    • A água também amolece o bolo fecal, combatendo a constipação.
    • Ademais, a água é fundamental para que o corpo utilize de maneira eficaz as fibras dietéticas, componente crucial da digestão.

Dicas

  • Tente não ficar sentado por longos períodos de tempo após refeições pesadas, já que isso reduz os processos metabólicos.
  • Experimente suplementos de óleo de menta. Estudos mostram que as cápsulas de óleo de menta podem ajudar com a digestão, mas não há nenhuma prova conclusiva para dar suporte a tais afirmações.

Avisos

  • Não faça exercícios intensos demais após alimentar-se, já que isso pode levar a sensações desconfortáveis e cãibras.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.