Como Viver Dentro do Seu Orçamento

Viver dentro do seu orçamento significa mais do que equilibrá-lo. Significa estar ciente da diferença entre o que você precisa e o que você quer. Como Mark Twain disse certa vez, "A comparação é a morte da alegria", e você precisa aprender a encontrar um estilo de consumo que funcione para você – não para os vizinhos ou melhores amigos. Viver dentro do orçamento requer que você esteja consciente de como gasta seu dinheiro; se você fizer isso corretamente, não será necessário privar-se das coisas de que você realmente precisa para ser feliz.

Mantendo de um orçamento equilibrado

  1. Crie uma lista de itens essenciais. Isso inclui coisas como mantimentos, utilidades e vestuário. Os essenciais são coisas que das quais você não pode prescindir de jeito nenhum. Você não pode sobreviver sem mantimentos, por exemplo, mas você pode sobreviver sem gastar R$1,000 em roupas a cada mês (mesmo que você não ache isso!).
  2. Calcule seu rendimento. Isso provavelmente funcionará melhor se baseando na renda mensal. Se você tiver um salário fixo, fica bem mais fácil. No entanto, se você tem salário variado, está desempregado ou é dependente, pode ser um pouco mais difícil. Provavelmente, o melhor caminho é pegar sua renda mensal ou seu orçamento dos últimos três meses e fazer a média. Apesar de não ser preciso, provavelmente chegará perto do real, de forma que você possa encarar as despesas.
    • Quando você tiver que calcular seus rendimentos, não se esqueça de subtrair as reservas para os impostos. Dependendo de quanto você ganha, pode parecer que você tem um pouco mais de dinheiro do que você realmente tem antes de pagar suas dívidas para o Leão.
  3. Anote todos os gastos. Para isso, anote o que você comprou, o quanto você gastou e onde você comprou seus bens/serviços. Não precisa ser extremamente detalhado. "R$ 100 em compras no supermercado" é o suficiente. Mais uma vez: provavelmente será melhor em base mensal. Veja o quanto você gastou com todos os itens essenciais e itens não essenciais também.
    • Se estiver difícil controlar porque você paga um monte de coisas em dinheiro (bom para você, se for o caso!) ou simplesmente não consegue manter suas contas em dia, então é melhor começar a controlar os gastos a partir do próximo mês.
  4. Compare os ganhos e os gastos. Veja como você se sai. Se você está no verde, então está se saindo muito bem! No entanto, se o rendimento e as despesas são iguais, então você não está economizando dinheiro. Se seus gastos são muito maiores do que sua renda, então você tem um problema. Claro, se você é estudante e atualmente não tem renda, então isso é natural; porém, você ainda pode pensar em como gastar menos dinheiro no futuro.
  5. Avalie seus gastos. Veja para onde seu dinheiro está indo! Comece por categorizar suas compras. Faça a categoria "Essenciais". O resto das categorias será exclusivo para suas preferências. Por exemplo: uma categoria pode ser "Comer Fora". Depois de fazer isso, some todas as compras nessa categoria e crie uma categoria total.
  6. Corte a gordura. Muito provavelmente você terá pelo menos uma categoria diferente da "Essenciais" que parece comer grande parte da renda. Dê uma olhada nessa categoria. Veja o que você pode cortar. Por exemplo: se você está anotando nove ou dez saídas para um café em "Comer Fora", tente diminuir para três ou quatro. Isso já garante uns R$25. Continue a cortar os supérfluos até que sua renda esteja maior do que suas despesas.
    • Consulte a Parte 3 para mais informações sobre como economizar dinheiro.
  7. Aumente a sua renda, se necessário. Você pode ver que os seus gastos, até agora, superam tanto seus ganhos que você terá que fazer muito mais do que apenas cortar os gastos se quiser. Pode ser necessário pegar horas extras no trabalho, pedir um aumento ou procurar um trabalho com salário maior, ou ainda achar um emprego extra para aumentar sua renda. Se houver outras pessoas morando com você, veja se elas podem fazer o mesmo; ou, se você tiver um filho adolescente ou adulto, veja se ele pode arranjar um emprego de meio período.
  8. Trace objetivos para poupar. Crie metas alcançáveis dentro de um prazo razoável. Talvez seu objetivo seja gastar R$ 200 por mês. Talvez seu objetivo seja economizar R$ 120 por mês para uma viagem a Paris no fim do ano. Quanto mais específico e alcançável seu objetivo for, mais provável será alcançá-lo. Objetivos como apenas "gastar menos dinheiro" são vagos demais para que você tome a iniciativa ou saiba se está chegando perto de atingi-lo.
  9. Poupe para emergências. Se você realmente quer viver dentro do orçamento, então não deixe que um imprevisto, como acidente de carro ou perda de emprego, arruine completamente suas finanças. Você precisa economizar um pouco para os períodos de vacas magras, mesmo que só economize R$ 100 por mês. Esse dinheiro vai somar e você se sentirá muito mais segure e confiante do que se gastar aos tubos a cada mês, sem economizar um centavo sequer.
    • Mesmo depositar os trocos numa "jarra para emergências" no fim de cada dia te ajuda a se preparar mentalmente para manter um pouco do dinheiro reservado para imprevistos.

Trabalhando a perspectiva sobre gastos

  1. Diferencie o que você quer do que você precisa. Claro, você pode até achar que realmente "precisa" de uma enorme TV HD; mas você realmente sofreria se tivesse uma TV de tamanho menor, ou aguentaria ficar com a sua TV antiga por um tempo, em vez disso? Você realmente precisa de sapatos ou óculos de sol de grife, ou consegue ser feliz com uma versão mais barata? Você precisa gastar 90 reais toda vez que sair para jantar com seu namorado, ou dá para ir a um lugar um pouco mais barato, ou ainda ter uma noite romântica cozinhando em casa, em vez disso? Perceber que você realmente não precisa de todas essas coisas que você pensa que precisa certamente te ajudará a viver dentro do orçamento.
    • Não há problema gastar com algo de que você realmente não precisa de vez em quando; mas você não deve fazer disso um hábito. E, quando gastar, esteja ciente de que sua vida já era boa antes.
  2. Nem se incomode em tentar manter as aparências. Talvez os vizinhos tenham construído uma piscina ou um complemento na casa deles, mas eles devem ganhar o dobro do que você. Se você se perceber tentando se manter no nível dos que estão ao redor, então não só você nunca será feliz, mas também nunca será capaz de viver dentro do orçamento, pois estará muito ocupado tentando manter uma imagem que não é real.
    • Claro que os novos jeans do seu melhor amigo parecem sensacionais. Fique feliz por ela, em vez de ter inveja e desejar poder comprar o mesmo. A inveja é garantia de infelicidade – e de nunca estar satisfeito com o que tem.
  3. Mude sua definição do significado de "rico". Ser rico não é necessariamente ter um BMW e sair férias para Cancun todo verão; pode significar ter dinheiro suficiente para manter a família e as crianças felizes, e ter alguns gastos extras para se divertir com seu parceiro, além de algumas pequenas viagens. Após entender que essa pode ser sua definição de "rico", você será capaz de relaxar e parar de se preocupar tanto com a maneira que os outros veem seu patrimônio.
  4. Saiba que gastar menos dinheiro não diminui em nada sua qualidade de vida. Você pode convidar alguns amigos para tomar um bom vinho em vez de gastar dinheiro num bar lotado. Você e seu parceiro podem ir de carro a outra cidade em vez de ir de avião. Será que isso realmente diminui a qualidade de vida? Absolutamente. Você ainda estará fazendo as coisas que ama – só que um pouco diferente. Não pense que você está piorando sua vida ao gastar menos dinheiro.
    • Na verdade, gastar menos dinheiro pode aumentar a qualidade de vida, pois fará com que você fique menos estressado com o desperdício de dinheiro e se sinta mais em paz com suas decisões.
  5. Fique grato com o que você tem. Em vez de se concentrar no que você gostaria de ter – um carro novo, uma roupa chique, uma casa maior – foque em todas as coisas que você tem a sorte de possuir. Você pode odiar sua TV, mas ama seu computador. Você pode desejar um casaco novo, mas já tem tantos ótimos suéteres. Faça uma lista de todas as coisas que você tem, e não limite a lista com coisas materiais – você pode ficar grato por ter um parceiro incrível, filhos maravilhosos ou um lugar incrível para morar.
    • Estar ciente de todas as coisas que você tem o fará menos propenso a gastar impulsivamente para compensar tudo o que você sente falta na vida.

Poupando dinheiro

  1. Coma em casa sempre que puder. Comer em casa não precisa ser menos emocionante do que comer fora. Comer em casa fará de você um melhor cozinheiro, ter mais consciência sobre sua dieta e pode até mesmo criar uma atmosfera íntima para uma noite romântica ou uma reunião social. E, claro, economiza muito dinheiro. Se um dos seus maiores gastos for sair para comer, reduza o número de refeições fora e, em seguida, reduza ainda mais até perceber que você é feliz saindo para comer apenas uma vez a cada uma ou duas semanas.
    • É claro que às vezes você tem que sair para comer – seja a festa de despedida de um colega ou o aniversário de um amigo, por exemplo. Quando você comer fora, porém, tenha consciência do que gasta. Não chegue lá morto de fome, ou é provável que você peça muita comida e gaste muito dinheiro.
  2. Aproveite as promoções. Nunca compre algo pelo preço cheio. Aguarde até que os itens tenha desconto; procure por cupons, se puder; e tenha paciência para saber que qualquer coisa que você realmente queira um dia diminuirá de preço. Você não precisa ter o modelo mais novo do iPod ou um jogo de videogame assim que ele sai; espere alguns meses para o preço diminuir; você pode economizar centenas de reais.
    • Não há nada de errado em comprar itens usados, também. Você pode encontrar ótimas roupas por ótimos preços em brechós.
  3. Divirta-se em casa em vez de sair. Dê uma festa em vez de ir para um bar com os amigos. Convide pessoas para assistir a um filme na sua casa, em vez de gastar R$ 15 por ingresso para ir ver um filme na estreia. Divertir-se em casa pode ser ainda mais agradável do que sair, pois você não tem que lidar com estranhos e pode controlar o que come e bebe. Então, da próxima vez que você quiser ir a um evento social, convide alguns amigos em vez de se deslocar a bares caros e barulhentos.
  4. Cancele as assinaturas de que você não precisa. Você pode estar gastando mais de R$ 100 por mês em assinaturas de que realmente não precisa. Reduza os gastos eliminando algumas dessas assinaturas mensais:
    • Academia. Se você só vai à academia uma ou duas vezes por mês, cancele e vá correr no parque.
    • Netflix. Economize dinheiro pagando somente o Netflix em vez de pagar uma taxa mensal para alugar DVDs se você nunca o faz.
    • Assinatura de revistas. Se você lê apenas um ou dois artigos daquela revista mensal, então é melhor guardar o dinheiro e ler os sites de notícias.
  5. Pegue emprestado sempre que puder. Vá até a biblioteca para pegar um livro em vez de comprar um na loja. Pegue o DVD de um amigo em vez de alugá-lo. Pegue um vestido emprestar que você só precisará usar uma vez de uma amiga, em vez de gastar com algo que você nunca usará novamente. Compartilhe suas coisas com os amigos e eles farão o mesmo com você. Emprestar é um ótimo – e divertido – jeito de economizar dinheiro.
  6. Faça um jardim. Jardinagem não é só um passatempo divertido e relaxante – e algo que comprovadamente aumenta o tempo de vida; é uma poupança definitiva. Em vez de gastar dinheiro com legumes e hortaliças, faça um investimento só no jardim e veja quanto dinheiro você economizará todas as semanas.
  7. Nunca vá às compras sem lista. Quando vamos ao supermercado ou ao shopping, somos muito mais propensos a gastar impulsivamente e de forma imprudente se apenas passeamos pelo lugar pegando tudo que “achamos” necessário. Em vez disso, vá preparado com uma lista completa a cada compra, e não desvie dela a menos que você encontre algo realmente necessário, mas que se esqueceu de anotar.
    • Mesmo se você for ao shopping para comprar três itens, escreva-os na lista para ficar menos propenso a comprar algo que você não tinha a intenção de levar.
  8. Espere 48 horas antes de fazer uma compra cara. Se você achar um casaco novinho em folha ou um belo par de sapatos no shopping ou online, não o compre na mesma hora, pensando que você não consegue viver sem ele. Em vez disso, dê 48 horas para pensar. Talvez você perceba que não precisa realmente do item depois disso, ou que você pode encontrar um similar mais barato. Se você pensar sobre isso e decidir que realmente precisa comprar, então se sentirá melhor com a decisão.

Dicas

  • Se você for capaz de reduzir seus gastos significativamente, guarde o excedente para a época de vacas magras.
  • Não exagere com os cortes. Você trabalha muito, e tem o direito se mimar também. Se você não se mimar de vez em quando, achará mais difícil manter o orçamento em dia.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.