Como Parar de Gastar Tanto Dinheiro

Você se encontra gastando seu pagamento ou pensão assim que o recebe? Depois que você começa a gastar, pode ser difícil parar, mas gastar demais pode levar a pilhas de dívidas e zero economias. Parar de gastar dinheiro pode ser desafiador, porém com a abordagem certa é possível parar e economizar em vez disso.

Analisando seus hábitos

  1. Pense nos passatempos, atividades ou itens com os quais gasta dinheiro todo mês. Talvez você seja viciado em sapatos, adore comer fora ou, ainda, não consiga parar de assinar revistas. Não tem problema obter alegria a partir de itens materiais ou experiências, desde que você possa pagar por eles. Liste as atividades ou itens com os quais gosta de gastar dinheiro todo mês e os classifique como arbitrários.
    • Pergunte a si mesmo: estou gastando dinheiro demais nesses gastos arbitrários? Diferentes das despesas fixas, como o aluguel, as contas de água e luz e outros pagamentos que permanecem iguais todo mês, os gastos arbitrários não são essenciais, e portanto são mais fáceis de reduzir.
  2. Revise seus gastos do último trimestre. Veja suas faturas de cartão de crédito e seus extratos do banco, bem como os gastos em dinheiro, para ver para onde seu pagamento foi. Anote até as coisas pequenas como um café, um selo ou um salgado.
    • Você pode ficar surpreso com o tanto que gasta em uma semana ou um mês.
    • Se possível, veja os dados reunidos em um ano. A maioria dos consultores financeiros revisaria um ano inteiro de gastos antes de fazer recomendações.
    • Os gastos arbitrários podem acabar tomando uma porcentagem grande do seu pagamento ou pensão. Anotá-los dará a você uma noção de onde pode reduzir os gastos.
    • Anote quanto você gasta e compare com suas necessidades. Por exemplo, bebidas em um bar versus compras no supermercado para uma semana.
    • Descubra qual porcentagem dos seus gastos é fixa e qual é arbitrária. As despesas fixas são as mesmas todo mês, enquanto as arbitrárias são maleáveis.
  3. Guarde seus recibos. Essa é uma boa maneira de rastrear o quanto você gasta em certas coisas todos os dias. Em vez de jogar os recibos fora, guarde-os para que possa gravar exatamente o quanto gasta em uma refeição ou em um item. Dessa maneira, se você gastar demais em um determinado mês, pode apontar exatamente quando e como gastou seu dinheiro.
    • Tente pagar menos com dinheiro e em vez disso usar seu cartão de crédito ou débito, que pode ser acompanhado. A fatura do cartão de crédito deve ser paga integralmente todo mês, se possível.
  4. Use um planejador de orçamento para avaliar seus gastos. O planejador é um programa que calcula quanto você gastará em um ano e quanto será sua renda durante o mesmo período, e depois mostra quanto você pode gastar com base nesses dados.
    • Pergunte a si mesmo: eu gasto mais do que ganho? Se você estiver mergulhando nas suas economias para pagar seu aluguel ou usando seu cartão de crédito para pagar idas às compras todo mês, está gastando mais do que ganha, o que só pode levar a mais dívidas e menos economias. Por isso, seja honesto com seus gastos mensais e gaste somente o quanto ganha, o que significa separar dinheiro todo mês para os gastos e as economias.
    • Você também pode usar aplicativos de orçamento para ajudar a acompanhar seus gastos no dia a dia. Baixe um aplicativo desses para seu celular e grave seus gastos logo depois de fazê-los.

Ajustando seus hábitos

  1. Crie um orçamento e seja fiel a ele. Determine quais serão suas despesas básicas todo mês para garantir que não gastará um dinheiro que não tem. Elas provavelmente incluirão:
    • Aluguel e contas: dependendo da sua situação, você pode estar dividindo essas despesas com um colega ou parceiro. Seu senhorio também pode pagar por sua eletricidade todo mês.
    • Transporte: você está indo para o trabalho a pé, de bicicleta, de ônibus ou de carona?
    • Alimentação: considere a quantidade média por semana de refeições.
    • Cuidados com saúde: é importante ter um plano de saúde para o caso de algum acidente acontecer, pois pagar do bolso sairá mais caro do que a cobertura. Faça alguma pesquisa on-line para encontrar as melhores taxas.
    • Despesas diversas: se você tiver um animal de estimação, pode determinar aqui quanto de ração precisará comprar por mês. Caso você e seu parceiro saiam para jantar uma vez por mês, considere esse gasto. Anote todos os gastos em que puder pensar para não gastar dinheiro sem saber exatamente para onde ele vai.
    • Se você tiver pagamentos de dívidas, coloque-os no seu orçamento como despesas necessárias.
  2. Vá às compras com um objetivo em mente. Este pode ser meias novas para substituir um par furado ou trocar seu celular quebrado. Ter um objetivo ao ir às compras, especialmente para itens arbitrários, evitará compras espontâneas. Focar-se em um item essencial ao fazer as compras também o ajudará a ter um orçamento claro para trabalhar.
    • Quando estiver comprando comida, veja as receitas antes e faça uma lista de compras para que, quando estiver no supermercado, possa se ater à lista e saber exatamente como usará cada ingrediente que comprar.
    • Se tiver dificuldades para se ater a uma lista de compras, tente comprar comida on-line. Assim, você poderá acompanhar o total e saber exatamente quanto está gastando.
  3. Não seja atraído pelas liquidações. Ah, a lábia irresistível de um bom negócio! Os vendedores estão contando com os clientes para que sejam atraídos para as prateleiras. É importante resistir à tentação de justificar uma compra só porque ela estava na liquidação, pois até os grandes descontos podem significar grandes gastos. Suas únicas duas considerações ao comprar devem ser: "preciso disso?" e "esse item cabe no meu orçamento?".
    • Se a resposta for não, pode ser melhor deixar o item na loja e guardar o dinheiro para algo necessário, em vez de desejado, mesmo que ele esteja na promoção.
  4. Deixe os cartões de crédito em casa. Leve somente o dinheiro de que vai precisar naquela semana tomando como base o seu orçamento. Dessa forma, você precisará se afastar de compras desnecessárias se já tiver gasto tudo.
    • Se acabar levando o cartão de crédito com você, trate-o como um cartão de débito. Assim, cada centavo gasto nele se parecerá com dinheiro que terá de ser pago todo mês. Tratar o cartão de crédito como um cartão de débito fará com que você não tenha tanta pressa para pegá-lo.
  5. Coma em casa e leve o almoço. Comer fora pode ser bem caro, especialmente se você gastar de R$ 10,00 a R$ 15,00 por dia de 3 a 4 vezes por semana. Limite-se a comer fora uma vez por semana e vá reduzindo aos poucos até chegar em uma vez por mês. Você perceberá quanto dinheiro vai economizar ao comprar comida e cozinhar e também poderá apreciar muito mais uma boa refeição em uma ocasião especial.
    • Leve o almoço para o trabalho todos os dias em vez de gastar dinheiro para almoçar. Separe 10 minutos à noite antes de dormir ou de manhã antes de sair para preparar um sanduíche e um lanche. Você economizará bastante dinheiro toda semana só levando seu almoço.
  6. Faça um jejum de gastos. Teste seus hábitos de gastos comprando apenas o que for necessário por um mês e veja quanto você pode economizar focando na compra de coisas necessárias, não de coisas desejadas.
    • Esse jejum ajudará a determinar o que você considera uma necessidade e o que acha legal de ter. Além das necessidades óbvias como aluguel e comida, você pode considerar a academia uma necessidade porque ela o mantém em forma e se sentindo bem. Ou uma massagem para ajudar com sua dor nas costas. Desde que essas necessidades caibam no seu orçamento e você possa pagar por elas, também pode gastar com elas.
  7. Faça você mesmo. Essa é uma ótima maneira de aprender novas habilidades e economizar dinheiro. Há muitos blogs e livros de "faça você mesmo" que ajudarão a recriar itens caros com um orçamento limitado. Em vez de gastar dinheiro em uma obra de arte cara ou em um item decorativo, faça você mesmo. Dessa maneira, será possível criar um item personalizado sem gastar demais.
    • Sites como o Pinterest, o ispydiy e o A Beautiful Mess todos têm ótimas ideias de "faça você mesmo" para itens de casa. Você também pode aprender a reciclar o que já tem e fazer coisas novas em vez de gastar dinheiro em algo novo.
    • Tente fazer as tarefas e atividades de casa você mesmo. Varra o quintal em vez de pagar outra pessoa para fazê-lo e envolva a família inteira em atividades ao ar livre como aparar a grama ou limpar a piscina.
    • Faça seus próprios produtos de limpeza e de beleza. A maioria desses produtos é feita com itens básicos que você pode comprar no supermercado ou em lojas de produtos naturais. Lava roupas, limpador multiuso e até sabonete, todos podem ser feitos à mão por você e custar menos do que o preço de loja.
  8. Separe dinheiro para um objetivo de vida. Trabalhe por um objetivo como viajar pela América do Sul ou comprar uma casa separando dinheiro em uma poupança todo mês. Lembre-se de que o dinheiro economizado deixando de comprar roupas ou de sair toda semana irá para um objetivo maior.

Buscando ajuda

  1. Entenda as características da compulsão por compras. Os compradores compulsivos muitas vezes não conseguem controlar seus hábitos de compra e se tornam gastadores emocionais, que compram até não poder mais e continuam. No entanto, a compulsão geralmente faz a pessoa se sentir pior, não melhor, consigo mesma.
    • Essa compulsão geralmente afeta mais as mulheres do que os homens. As mulheres com tal problema costumam ter araras de roupas ainda com a etiqueta e vão às compras com a intenção de comprar apenas uma peça, mas voltam para casa com sacolas de roupas.
    • A compulsão por compras pode ser um conforto temporário para a depressão, a ansiedade e a solidão durante a época do Natal, e também pode ocorrer quando uma pessoa se sente deprimida, solitária e com raiva.
  2. Reconheça os sinais da compulsão por compras. Você vai às compras toda semana e continuamente gasta mais do que pode pagar?
    • Você fica com uma adrenalina quando sai e compra coisas de que não precisa? Você pode sentir um certo "barato" ao comprar muitas coisas semanalmente.
    • Veja se tem muitas dívidas no seu cartão de crédito ou vários cartões de crédito.
    • Você também pode esconder suas compras de parceiros ou familiares preocupados, ou tentar cobrir seus gastos com um trabalho de meio período para compensar seus hábitos de compra.
    • Indivíduos com compulsão por compras provavelmente estarão em negação e terão dificuldades para admitir seu problema.
  3. Fale com um terapeuta. A compulsão por compras é considerada um vício, portanto falar com um terapeuta profissional ou procurar um grupo de apoio para compradores compulsivos são duas maneiras importantes de atacar o problema e trabalhar para resolvê-lo.
    • Durante a terapia, você pode identificar os problemas que estão por trás da sua compulsão e reconhecer os perigos do excesso de gastos. A terapia também pode oferecer maneiras alternativas saudáveis de lidar com as questões emocionais.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.