Como Detectar o HPV em Homens

O papilomavírus humano (HPV) é provavelmente a doença sexualmente transmissível (DST) mais comum, infectando quase todas as pessoas sexualmente ativas em algum momento da vida. Por sorte, há mais de 40 variedades de HPV e apenas algumas delas podem representar um risco grave à saúde. O vírus é indetectável em homens que não apresentam sintomas e pode permanecer inativo por anos antes de causar algum problema. Por tal motivo, é importante fazer um autoexame com regularidade se você tiver uma vida sexual ativa. A maioria das infecções se curam por conta própria, mas fale com o médico sobre os sintomas para descartar o câncer causado por HPV.

Identificando os sinais e sintomas de HPV

  1. Aprenda com o HPV é transmitido. O HPV pode ser transmitido por meio de contato com a pele dos órgãos genitais, o que pode acontecer durante o sexo vaginal, anal, contato das mãos com a genitália, contato entre os órgãos sexuais sem penetração e (raramente) sexo oral. Ele pode permanecer por anos no organismo sem causar nenhum sintoma. Ou seja, você pode ter HPV mesmo sem ter feito sexo recentemente ou mesmo se só teve relações com um único parceiro.
    • Não se pega HPV com um aperto de mãos ou pelo toque em objetos como o assento do vaso sanitário (com exceção de brinquedos sexuais que forem compartilhados). O vírus não é transmitido pelo ar.
    • Os preservativos não protegem completamente contra o HPV, mas eles podem diminuir as chances de transmissão.
  2. Identifique verrugas genitais. Alguns tipos de HPV podem causar verrugas genitais: caroços ou massas na região genital ou anal. Esses tipos são considerados de baixo risco, uma vez que eles raramente se transformam em câncer. Se você não souber direito se tem verrugas genitais, compare os seus sintomas com os expostos a seguir:
    • O lugar mais comum para o surgimento de verrugas genitais em homens é sob o prepúcio, no caso do pênis não ser circuncidado, ou ao longo do membro circuncidado. As verrugas também podem aparecer nos testículos, na virilha, nas coxas ou em volta do ânus.
    • Com uma incidência menor, as verrugas podem aparecer dentro do ânus ou na uretra, causando sangramento ou desconforto ao usar o banheiro. Não é necessário praticar sexo anal para ter verrugas nesse local.
    • As verrugas podem variar em número, formato (achatadas, elevadas ou com com aspecto de couve-flor), cor (cor de pele, avermelhadas, rosadas, acinzentadas ou brancas), consistência e sintomas (nenhum, coceira ou dor).
  3. Procure sinais de câncer no ânus. Raramente o HPV causa câncer em homens. Apesar de todas as pessoas sexualmente ativas estarem expostas ao HPV, o vírus só causa câncer anal em uma pequena parcela da população. O câncer no ânus pode começar sem nenhum sintoma óbvio ou com um ou mais dos seguintes sinais:
    • Sangramento, dor ou coceira no ânus.
    • Secreção incomum no ânus.
    • Gânglios inchados (caroços que você consegue sentir) nas regiões do ânus e da virilha.
    • Desarranjos intestinais ou alteração no formato das fezes.
  4. Identifique o câncer de pênis. Cerca de 700 americanos são diagnosticados todos os anos com o tipo de HPV que causa esse câncer. Os possíveis sinais precoces de câncer de pênis incluem:
    • Uma área da pele do membro mais grossa ou com alteração na cor, geralmente na cabeça do pênis ou no prepúcio (em homens que não passaram por circuncisão).
    • Um caroço ou ferida no membro, geralmente indolor.
    • Erupção avermelhada e aveludada.
    • Lesões pequenas e com casca.
    • Massas achatadas de cor marrom-azulada.
    • Secreção com mau cheiro sob o prepúcio.
    • Inchaço na base do pênis.
  5. Fique atento aos sinais de câncer de boca e garganta. O HPV aumenta o risco do câncer de garganta ou na cavidade oral (câncer de orofaringe) mesmo que não seja a causa direta. Alguns sinais possíveis são:
    • Dor de garganta ou de ouvido persistentes.
    • Dificuldade de engolir, abrir a boca completamente ou fazer movimentos com a língua.
    • Perda de peso inexplicável.
    • Caroços no pescoço, boca ou garganta.
    • Rouquidão ou alterações na voz há mais de duas semanas.
  6. Conheça os fatores de risco de HPV em homens. Certas características aumentam a probabilidade de uma infecção por HPV. Mesmo sem apresentar sintomas, é uma boa ideia marcar uma consulta médica pra realizar exames e começar um tratamento caso você se enquadre em uma dessas categorias:
    • Homens que mantêm relações sexuais com outros homens, principalmente os que praticam sexo anal.
    • Homens com o sistema imunológico comprometido, como os portadores de HIV, os que fizeram um transplante de órgão recente ou que tomem medicamentos imunossupressores.
    • Homens que tenham diversos parceiros (de ambos os sexos), principalmente os que não usam preservativos.
    • Consumo excessivo de tabaco, álcool, chimarrão (mate) ou bétele, o que aumenta o risco de alguns tipos de câncer ligados ao HPV (principalmente de boca e garganta).
    • Homens que não foram circuncidados possuem um risco maior, mas esse dado ainda não é claro.

Buscando avaliação médica e tratamento quando necessário

  1. Considere a ideia de tomar a vacina. A vacina contra o HPV fornece proteção segura de longa duração contra muitos tipos de HPV que causam câncer (mas não contra todos os tipos). Como a vacina é muito mais eficiente em jovens, ela é indicada para os seguintes casos:
    • Homens menores de 21 anos ou mais jovens (o ideal é entre 11 e 12 anos, antes do início da vida sexual).
    • Homens homossexuais abaixo dos 26 anos.
    • Homens com o sistema imunológico comprometido abaixo dos 26 anos (incluindo portadores de HIV).
    • Avise ao médico se você tiver algum tipo de alergia grave antes de tomar a vacina, principalmente ao látex ou levedura.
  2. Trate as verrugas genitais. A verruga genital pode desaparecer por conta própria depois de alguns meses e ela nunca causa câncer. A principal razão para tratá-la é o conforto. O tratamento inclui cremes ou pomadas (como Podofilox, Imiquimod ou Veregen) que podem ser usados em casa ou a remoção em um consultório médico por meio de congelamento (crioterapia), ácido ou cirurgia. O médico também pode aplicar vinagre para clarear as verrugas que ainda não estiverem elevadas ou visíveis.
    • É possível transmitir HPV mesmo que a pessoa não apresente os sintomas, mas as chances são ainda maiores quando se tem verrugas genitais. Converse com o seu parceiro sobre os riscos e cubra as verrugas com preservativo ou outras barreiras, se possível.
    • O HPV que provoca o surgimento de verrugas genitais não causa câncer, mas você pode ter sido exposto aos outros tipos de HPV. Também é preciso falar com um médico ao notar qualquer possível sinal de câncer ou sintomas sem explicação.
  3. Converse sobre exames para identificar câncer anal se você mantiver relações sexuais com homens. As taxas de câncer anal relacionadas ao HPV são muito altas entre os homossexuais. Se você estiver nessa categoria, conte ao médico sobre a sua orientação sexual e pergunte-o sobre o exame para detecção precoce desse câncer. O médico pode solicitar um exame a cada três anos (ou anual se você for portador de HIV).
    • Nem todos os médicos concordam que seja necessário ou útil fazer exames regulares, mas eles podem orientá-lo sobre o exame e permitir que você tome a própria decisão. Se o seu médico não oferecer esse tipo de serviço ou não der nenhuma informação, procure uma segunda opinião.
    • Em alguns países a homossexualidade é considerada ilegal e nesse caso os homens podem conseguir tratamento e orientações em organizações internacionais LGBTs ou para prevenção do HIV.
  4. Faça autoexame regularmente. Ele pode ajudar a detectar qualquer sinal de HPV o mais cedo possível. Se for um câncer, é mais fácil se livrar dele com a detecção precoce. Se você estiver em dúvida, vá ao médico assim que perceber qualquer sintoma sem explicação.
    • Examine regularmente o pênis e a região genital para ver se há alguma verruga ou áreas que pareçam anormais.
  5. Discuta possíveis sintomas de câncer com o médico. Ele deve examinar a região e fazer perguntas para ajudar a diagnosticar o problema. Se ele considerar a possibilidade de câncer relacionado ao HPV, é possível fazer uma biópsia e obter o resultado em poucos dias.
    • O dentista pode procurar sinais de câncer oral ou de garganta durante exames de rotina.
    • Se você for diagnosticado com câncer, o tratamento depende da gravidade da doença e se o diagnóstico for precoce. É possível remover um câncer em estágio inicial por meio de procedimentos cirúrgicos pequenos ou de um tratamento local, como a remoção por laser ou por congelamento. Se a doença já tiver se espalhado, talvez seja preciso fazer radioterapia e quimioterapia.

Dicas

  • Você ou o seu parceiro podem ter HPV há muitos anos sem apresentar nenhum sinal ou sintoma. O HPV nunca deve ser considerado um sinal de infidelidade em um relacionamento. Não há como determinar quem é ou foi o responsável por transmitir a infecção. Cerca de 1% dos homens sexualmente ativos tem verrugas genitais a qualquer altura da vida.
  • Saiba que o câncer anal não é o mesmo que o câncer colorretal (de cólon). A maioria dos casos de câncer de cólon não tem ligação com o HPV, apesar de haver evidências disso em alguns casos. O médico pode prescrever exames de rotina para câncer de cólon e dar mais informações sobre os fatores de risco e sintomas.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.