Como Esconder o Cheiro de Plantas de Maconha

Devido ao aumento recente em usuários de maconha no mundo, principalmente nos EUA e no Reino Unido, algumas pessoas estão começando a cultivar suas próprias plantas de maconha, já que o custo-benefício é melhor, além de ser algo divertido. No entanto, por mais que queiramos cultivá-las, tendo direitos legais para isto, talvez seja interessante escondê-las. Por exemplo, talvez você não queira que seus vizinhos saibam que há o cultivo de tais plantas por razões de privacidade, ou até esteja preocupado com o roubo delas.

Passos

  1. Evite tentar abafar o cheiro. A planta da maconha é uma planta pungente, possuindo um odor único. Ele pode "grudar" em roupas e quartos por horas, e até dias. Aqui vai um grupo de itens que você não deve utilizar:
    • Desodorante: Apesar de ter um cheiro agradável, o desodorante não é bom para o crescimento a longo prazo, pois o cheiro irá se "combinar" ao da maconha, podendo ainda ser percebido após alguns minutos.
    • Aromatizantes de carro: Como os desodorantes, estes itens só irão aumentar o cheiro produzido, e não acabar com ele.
    • Aromatizantes que podem ser "encaixados": Apesar de poderem até acabar com o cheiro por um tempinho, eventualmente ele não será percebido por você, pelo menos. Mas seriam necessário muitos destes para uma pequena plantação.
  2. Use filtração a carbono com ventiladores ao retirar o odor do cômodo, para que o cheiro não seja depositado na propriedade do vizinho. Estes filtros são úteis, mas o propósito deles acaba com o passar do tempo, portanto, você provavelmente vai querer substituí-los quando sentir que forem totalmente utilizados. Outra opção é a instalação de sistemas de ventilação: um sistema de canos/ventiladores que retiram o cheiro de um cômodo:
    • Ventilação Por Janela: um ventilador relativamente forte numa janela pode retirar o ar "contaminado" do cômodo, enquanto outro ventilador, em outra janela, poderá "colocar" ar fresco de fora.
    • Ventilação Por Chaminé: ao utilizar um sortimento de canos, você pode criar sua própria chaminé, que irá retirar o cheiro do quarto. Se você for criativo, é possível conectá-lo a uma chaminé já existente, deixando-a mais sutil.
    • Ventilação Por Esgoto: novamente, com o auxílio de canos e sabendo o que fazer é possível conectar o cômodo a um ventilador que irá retirar o cheiro e levá-lo ao esgoto da rua, e que irá, muito provavelmente, acabar com o cheiro de maconha.
  3. Cultive maconha seletivamente para manter o cheiro da planta no nível mínimo. Com o auxílio da experiência e seu conhecimento, você poderá "clonar" as espécies de maconha que possuem odores diferentes ou mais sutis, que são menos pungentes que outros. Apesar de tudo, isto é complicado e só pode ser conseguido ao experimentar com diversas linhagens e ao cruzar as espécies. Porém, você pode acabar encontrando uma linhagem com menos pungência em relação ao odor, e que é igual às outras espécies.
  4. Utilize um fertilizante especializado. Existe um fertilizante chamado NoSkunk, que diz eliminar os odores de plantas enquanto crescem. Não o experimentei, mas há uma garantia que lhe reembolsará caso dê errado, portanto, vale a tentativa.

Avisos

  • Certifique-se de que a papelada está em ordem, caso alguém perceba o cultivo da planta.
  • Como eletrônicos também são utilizados, os métodos que os utilizam irão jogar sua conta de eletricidade nas alturas. Inicialmente, isto pode não parecer um problema, já que é possível pagá-las com o que você produzir, mas você pode ser "descoberto" caso alguém perceba o uso elevado de energia na madrugada.
  • Ao usar eletrônicos para ventilação, cuidado ao utilizá-los por um longo período. Os circuitos podem entrar em curto e causar incêndios. 
  • Conectar um sistema de ventilação aos esgotos pode ser nocivo à saúde. As fumaças dos esgotos são perigosíssimas, e podem causar danos a longo prazo. Ao realizar a conexão ao cano, não esqueça de usar um ventilador para que esta fumaça do esgoto não suba e entre em sua casa.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.