Como Escolher um Nome Artístico

Existem inúmeros motivos para querer adotar um nome artístico. Talvez seu nome tenha sílabas demais, ou seja por si só uma piada; de qualquer forma, você precisa de um nome que seja memorável, sua marca registrada.

Modificando seu próprio nome

  1. Simplifique seu nome. Muitos dos nomes artísticos que você conhece são simplificações do nome de registro. Fazer isso é especialmente útil para quem tem o nome comprido, esquisito ou difícil de pronunciar. Exemplos da vida real incluem:
    • Fernanda Torres (o nome de registro dela é Fernanda Pinheiro Monteiro Torres)
    • Tom Cruise é a abreviação de Thomas Cruise.
  2. Dê um toque inglês para seu nome. É controverso, mas há quem prefira modificar o próprio nome para que ele fique mais “americanizado”. É um processo parecido com a simplificação e costuma ser usado para adaptar nomes étnicos demais ou para encurtar nomes complicados, até que fiquem simples e fáceis de lembrar. Alguns exemplo são:
    • Freddie Mercury, cujo nome de registro é Farrokh Bulsara (ele nasceu em Zanzibar, na África)
    • O ator Joaquim Phoenix nasceu em Porto Rico sob o nome Joaquin Rafael Bottom.
  3. Use o nome de solteira de sua mãe. Você pode adotá-lo tanto como primeiro nome quanto como sobrenome. Isso se aplica se ele for mais descolado ou mais simples de lembrar e pronunciar. Assim como nos outros métodos, o melhor jeito de saber se o nome pega é perguntar para amigos e familiares o que eles acham. Eis alguns exemplos:
    • Katy Perry (nascida Katheryn Elizabeth Hudson) escolheu usar o nome de solteira da mãe quando decidiu mudar sua carreira do gospel para o pop.
    • Catherine Deneuve (nascida Catherine Fabienne Dorléac) também usa o nome da mãe e o adotou para se diferenciar de sua irmã Françoise, que na época era mais famosa.
  4. Utilize seu nome do meio. Use seu nome do meio como primeiro nome ou como sobrenome. É particularmente aconselhável fazer isso se o seu próprio sobrenome for muito difícil de pronunciar, ou muito comum (tipo “da Silva”). Um bom exemplo disso é a Angelina Jolie, cujo nome de registro é Angelina Jolie Voight.
  5. Use somente um nome. Caso um de seus nomes seja lindo e único, use-o sozinho . Veja se ele é pronunciável, memorável e marcante, estas são as características ideais. Quem fez isso:
    • Beyoncé (registrada como Beyonce Giselle Knowles).
    • Wanessa (nascida Wanessa Godói Camargo Buaiz)
    • Rihanna (o nome original dela é Robyn Rihanna Fenty)

Vinculando seu nome a uma imagem

  1. Escolha uma palavra provocante. Adote um nome que tenha alguma relação com o gênero ou cultura com a qual deseja ser vinculado. Para gêneros como o heavy metal ou o punk rock, pode ser uma boa ideia ter uma imagem intimidante ou selvagem utilizando palavras como “Zumbi” por exemplo:
    • Rob Zombie (seu nome de nascimento é Robert Bartleh Cummings).
    • Slash (seu nome de registro é Saul Hudson).
  2. Inclua números, hifens e caracteres especiais para estilizar seu nome. Comum no hip-hop e no rap, personalizar o nome desse jeito confere um estilo de personalidade urbana; usar esse método é mais indicado se você estiver dentro desse contexto. Eis alguns bons exemplos:
    • 2pac (nascido Tupac Amaru Shakur).
    • E-40 (registrado originalmente como Earl Stevens).
    • Ke$ha (seu nome real é Kesha Rose Sebert).
  3. Pense em quais são suas influências. Muitas pessoas escolhem seus nomes artísticos para fazer referência às pessoas e coisas que as inspiram. Tem jeito melhor de homenagear alguém e se inserir em uma tradição? Olhe estes exemplos:
    • A extinta banda “Raimundos” foi batizada com tal nome em homenagem à banda “The Ramones”. Os músicos apostaram na comédia para adaptar o nome e “abrasileirar” o estilo.
    • A cantora Lady Gaga escolheu esse nome por causa da música “Radio Gaga”, do Queen.

Inventando um nome do zero

  1. Pense no significado das palavras escolhidas. Todas as palavras têm um significado e você deverá dar preferência àquelas que tenham a ver com o estilo, cultura e gênero que você quer adotar. As pessoas costumam gostar mais de nomes que tenham alguma relação aos gostos e gêneros preferidos dela. Parece clichê, mas é por isso que tantas bandas de rock usam a palavra “beach”, que quer dizer “praia” em inglês – essas bandas geralmente tocam surf music.
  2. Seu nome deverá ser fácil de buscar e pronunciar. Pense: se seu nome fosse “Lápis”, não seria muito fácil achar você na internet. Seu nome artístico deve ser algo que o Google identifique facilmente e leve direto para suas informações e, se alguém não consegue entendê-lo quando você o diz, ou tem dificuldade para soletrá-lo, isso significa que deve ser aperfeiçoado.
  3. Escolha algo que pareça ter uma história. Um bom nome artístico, memorável e marcante geralmente leva as pessoas a perguntarem sobre sua origem. É sempre melhor ter mais para falar além de “Escolhi porque é bonito”. O ideal é escolher um nome que tenha algo a ver com você, que tenha alguma história, por menor que ela seja.
    • Bono Vox ganhou esse apelido quando criança, que significa “Voz Boa”..
    • Slash diz que é chamado assim desde criança também, por sua natureza elétrica e incansável.
  4. Teste seu novo nome. Tente obter o máximo de respostas de seus amigos e todos que sabem seu nome; talvez ele seja baseado em algo que quase ninguém conhece, ou não seja tão fácil de pronunciar e ouvir em um bar lotado quanto você achava. Descobrir as opiniões dos outros é fundamental, já que seu nome artístico é o seu cartão de visitas.

Dicas

  • Você deve se sentir confortável usando seu nome artístico e tenha cuidado para não tentar mudá-lo em um momento delicado da carreira – se muita gente já o souber, isso pode pegar mal.
  • Existem regras para a adoção de nome artístico. Confirme se ele não é usado por outra pessoa quando escolher. Um caso famoso disso é o processo entre o cantor de música sertaneja Eduardo Costa e o maestro Ed Costa; ambos tentavam usar o nome Ed Costa e o maestro ganhou a ação. Procure na internet, ela é um bom começo.
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.