Como Escrever uma Metáfora

Опубликовал Admin
4-10-2016, 16:05
453
0
As metáforas são os redutores de velocidade que te impedem de acelerar na escrita, o monstro escondido à espreita no armário de... de... oh, droga. Metáforas são difíceis — sem dúvida — mas se você seguir estas instruções, elas podem tornar-se o tempero na culinária que é o seu trabalho escrito!

Passos

  1. Saiba o que é uma metáfora. Ela associa dois conceitos por declarar explicita ou implicitamente que um deles “é” o outro (já uma analogia compara duas coisas dizendo um é "parecido” ou "como" o outro). Para saber o que procurar, alguns exemplos famosos podem ajudar.
    • A última linha de “O Grande Gatsby” contém uma metáfora muito famosa: " Então, nós batemos em, barcos contra a corrente, a cargo de volta incessantemente para o passado”.
    • O romance cyberpunk de William Gibson “Neuromancer” inicia com a frase: “O céu sobre o porto tinha a cor de uma televisão sintonizada num canal fora do ar.”
    • As metáforas são úteis especialmente em poesias, já que transmitem várias ideias em apenas algumas palavras.
  2. Pense criativamente sobre o que você está tentando descrever. Quais são as características que possui? O que faz? Como isso faz você se sentir? Será que tem um cheiro ou gosto? Forme uma ideia genial por escrever as descrições vêm à mente. Não se deixe prender por detalhes óbvios; as metáforas se baseiam em sair do senso comum.
  3. Associe livremente. Anote outras coisas que compartilham algumas dessas qualidades, mas, novamente, não seja muito claro; o quanto menos óbvia a associação, mais interessante a metáfora. Se você estiver escrevendo uma metáfora sobre um conceito, por exemplo, use seu cérebro ao tentar igualar o conceito com um objeto. (Ex: Se o seu tema é justiça, pergunte-se que tipo de animal ela seria).
    • Evite clichês (como a peste). Como Salvador Dalí disse: “O primeiro homem a comparar as maçãs do rosto de uma jovem a uma rosa era obviamente um poeta; o primeiro a repetir isso era possivelmente um idiota.”
  4. Decida que tipo de estado de espírito você gostaria de definir. Existe um tom especial que gostaria de definir ou manter? A sua metáfora precisa se adequar ao contexto mais amplo do que quer que seja que você está escrevendo? Use-o para riscar associações na sua lista.
  5. Trabalhe com isso. Escreva algumas frases, um parágrafo ou uma página comparando o seu tema original com algumas das associações que você criou. Não se preocupe sobre a formação de metáforas ainda; concentre-se nas ideias e veja para onde elas te levam.
  6. Leia tudo em voz alta. Já que uma metáfora chama atenção para a mecânica do idioma, é importante que a sua língua “soe” corretamente. Uma metáfora que quer transmitir suavidade não deve ter muitas consoantes intensas; uma descrição profunda pode incluir tons de vogais mais intensas (“ohh” e “umm”); uma redundância pode incluir aliteração (ou seja, sons repetidos); etc.
  7. Transforme suas comparações em metáforas. Escreva uma frase metafórica igualando o seu tema original, com um de seus outros objetos ou conceitos. Será que faz sentido? É original? O som coincide com o sentimento? Será que um som diferente ficará melhor? Não aceite a primeira coisa que funciona; esteja disposto a descartar uma ideia, se uma melhor vier à mente.

Dicas

  • Entender outras figuras de linguagem pode dar esclarecimentos adicionais sobre como associar as coisas aparentemente não relacionadas.
    • “Personificação”: associação de um objeto não-humano (geralmente inanimado) com uma característica humana. Esta é uma maneira de dar profundidade a uma descrição, trazendo toda a bagagem lírica de um termo que normalmente associamos com uma pessoa. "Os espeleologistas corajosos entraram goela abaixo da montanha." Como você pode ver, a característica não precisa ser “exclusivamente” humana, mas muitas vezes é. "A cadeira antiga da família recebeu-a de braços abertos, como se nunca tivesse ido embora."
    • “Analogia”: comparação entre “dois pares” das coisas, (Exemplo: quente está para frio como o fogo está para o gelo). Pode ser usada para fazer um ponto satírico, como em "Meu irmão diz que ele é confiável, mas dada a sua trajetória, ele é tão confiável como Maquiavel era humanitário". Embora não seja óbvia, a analogia do século 16 de Spenser é sutil, "Meu amor está para o gelo como eu para o fogo...".
    • “Alegoria”: uma história longa em que as pessoas, coisas ou ideias representam outras coisas, dando dois significados para a história, um literal e um simbólico. Em uma alegoria, quase todas as figuras e objetos tem um significado. Basta pensar em “A Revolução dos Bichos”, uma alegoria sobre a União Soviética, em que animais de fazenda se revoltam contra seus senhores, formam a sua própria sociedade igualitária e, gradualmente, recriam a própria hierarquia que eles lutaram para escapar.
    • “Parábola”: uma história que mostra o ponto de vista ou lição do autor. Exemplos famosos incluem as Fábulas de Esopo (Ex: um poderoso leão poupa a vida de um rato insignificante que mais tarde solta o leão da armadilha de um caçador. — Ou seja, mesmo os mais fracos têm seus pontos fortes).
  • Escrever é um habilidade. O quanto mais você treinar, melhor vai ficar.
  • Lembra daquela coisa chamada de "gramática"? Bem, acontece que “tem” um propósito. Certifique-se de escrever corretamente para o seu público te entender com clareza.
  • Não importa o quanto você tente, algumas metáforas simplesmente não funcionam. Se isso acontecer, tudo bem. Apenas esqueça e passe para outra coisa. Talvez a sua musa vá inspirá-lo melhor em outro lugar.
Теги:
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.