Como Cuidar de um Pássaro

Опубликовал Admin
20-06-2017, 10:20
936
0
Sendo, por natureza, extremamente sociáveis, os pássaros precisam de companhia, carinho e convívio constantes. Eles são ótimos animais de estimação e visitantes bem-vindos de seu jardim. Se você está pensando em ter um pássaro, os cuidados necessários incluem uma boa moradia, alimentos nutritivos e atenção quanto à saúde da ave. Você também precisa criar um relacionamento forte e instigante com o animal, assim você o manterá feliz e esperto. Por outro lado, se você está querendo estimular os pássaros a visitarem seu pátio, ainda assim precisará ter alguns cuidados básicos para que as visitas deles sejam seguras e divertidas. Esse artigo busca dar um panorama sobre os cuidados de pássaros e do que vale a pena se preocupar, seja como dono de um pássaro, seja como alguém que só alimente e goste de aves.

Escolhendo um pássaro como animal de estimação

  1. Escolha a espécie de pássaro com cuidado. Nem todas as aves são bons animais de estimação e nem todos os temperamentos ou necessidades básicas dos pássaros estarão de acordo com o que você pode arcar. Antes de escolher qual pássaro você quer, é muito importante aprender o máximo possível sobre as espécies de pássaros que você gosta. O pássaro deve combinar com o seu estilo de vida, seus interesses e da sua possibilidade de cuidá-lo pelo tempo que viver (que pode ser bem longo dependendo da ave). Você precisa querer interagir com o animal e dar diariamente atenção a ele, assim como deve supervisioná-lo quando estiver fora da gaiola, se possível.
    • Nunca compre um pássaro por impulso. Você precisa de tempo para descobrir as necessidades e a longevidade do pássaro antes de trazer um para casa. Consulte livros sobre aves ou leia textos online sobre espécies de pássaros e suas necessidades particulares para aprender mais sobre as diferentes espécies de aves.
  2. Conheça as espécies mais comuns de pássaros criadas como animais de estimação. Papagaios, calopsitas e cacatuas ou periquitos costumam ser os tipos de aves de estimação mais comuns. Outras boas espécies para se criar são: canários, caturritas, pardais, pombas e pombas-rola. Quanto mais exótica ou rara for a espécie, mais você deve pensar se consegue ou não oferecer cuidados adequados para o animal.
  3. Considere o tempo de vida da ave. Alguns pássaros, como os papagaios, têm vidas longas, de modo que isso deve ser levado em consideração no momento da compra. Podem-se fazer acordos para cuidar de um pássaro depois do falecimento do dono; em alguns casos, você pode pensar em se tornar responsável por um pássaro nessa situação em vez de criar um mais novo.
  4. No caso de querer mais de um pássaro, pense em uma habitação adequada. Alguns pássaros podem dividir suas casas, enquanto outros não se dão muito bem juntos; de fato os “traumas com parceiros de gaiola” são comuns e dependem de coisas como a personalidade, a diferença de tamanho, o sexo e a espécie. Embora dependa da espécie escolhida, você pode conseguir juntar dois machos ou duas fêmeas ou um macho e uma fêmea. Se eles brigarem você precisará separá-los. Pesquise bastante e com antecedência e faça perguntas ao criador ou vendedor; você pode até mesmo conversar com criadores de pássaros de seu zoológico local ou refúgio animal de sua região.
    • Muitas vezes, há vários métodos especiais para introduzir uma nova ave em uma gaiola onde já há um pássaro morador. Converse com um veterinário ou um ornitólogo para conseguir conselhos.

Dando abrigo a um pássaro

  1. Compre o tipo certo de gaiola para abrigar o pássaro. A gaiola adequada dependerá do tipo de ave; desse modo, baseie-se na espécie escolhida. Dito isto, alguns cuidados básicos são:
    • O tamanho da gaiola deve ser o suficiente para a ave abrir suas asas em toda sua envergadura. Para algumas aves, conseguir voar pequenas distâncias dentro da gaiola pode ser importante para garantir um ambiente saudável. No mínimo, pássaros grandes deveriam somente ser abrigados em gaiolas com uma vez e meia a envergadura das asas (tanto na altura, largura e profundidade).
    • A hastes da gaiola não devem ser muito pequenas ou próximas, já que as garras da ave podem ficar presas nelas. Do mesmo modo, a grade não deve ser tão espaçada para possibilitar que o pássaro ponha a cabeça por ela e fique preso, ou ele pode se debater e acabar escapando.
    • Quanto maior o tamanho da gaiola, melhor. Embora as gaiolas de aves maiores costumem ser mais difíceis para limpar, além de mais caras, se você não fica tanto em casa e/ou não tem tempo para tirar o pássaro para que ele se exercite, ter espaço na gaiola é essencial. Gaiolas pequenas costumam levar a problemas de comportamento.
  2. Considere o formato da gaiola. O melhor é sempre uma gaiola simples e retangular. Gaiolas circulares são ruins para o pássaro. Quase não há espaço para a ave e nenhum canto para se sentir segura. Além disso, a esfera costuma fazer com que o animal vire sua cabeça, e ele pode ficar louco pelas voltas e mais voltas.
    • Nunca compre portinholas tipo guilhotina, já que elas facilitam fugas e são perigosas caso o pássaro tente fugir e sua cabeça fique presa pela portinhola.
  3. Veja se o espaço é suficiente caso abrigue mais de um pássaro. Nunca deixe dois pássaros em uma gaiola pequena. Eles precisam de espaço para se recolherem, se alimentarem, voarem e ficarem longe de outros pássaros, assim, quanto mais aves na gaiola, maior ela deve ser. Aviários (grandes gaiolas que são como pequenos viveiros) são mais adequados para receber vários pássaros simultaneamente.
    • Se for criar espécies diferentes de aves, você precisa ter certeza de que elas são compatíveis se colocadas lado a lado.
  4. Tenha certeza de que a gaiola está em um lugar quente e confortável. O local do abrigo depende do clima de onde você mora. Se tiver invernos severos, com temperaturas muito frias, neve, etc., não é bom manter os pássaros fora de casa durante o inverno. Se você vive em um clima mais quente, aviários externos podem ser melhores do que gaiolas internas. Novamente, é preciso pesquisar as necessidades de cada pássaro em particular, as exigências de temperatura e avaliá-las de acordo com o clima de sua região.
    • Em alguns casos, alternar gaiolas externas e internas pode ser uma solução ideal para seus pássaros. Esse esquema pode variar de acordo com as estações ou particularidades climáticas, ou mesmo pode ser uma alteração entre o dia e a noite.
    • Os pássaros que morarem em gaiolas penduradas geralmente podem ser levados para fora para ficarem em uma varanda ou em um espaço parecido durante o dia para receberem ar fresco. Sempre se lembre de trazer a ave de volta antes que o vento frio da noite chegue.
    • Veja a seção “Higiene e saúde de pássaros” abaixo para aprender os sinais de hipo ou hipertermia.
    • A posição da gaiola também dependerá da personalidade da ave. Enquanto um pássaro supersociável irá adorar ser o centro das atenções e observar o fluxo de pessoas, um animal mais ansioso pode ser mais feliz sendo mantido em um lugar mais quieto e longe do burburinho (mas ainda assim deve poder interagir com a família).
    • Evite deixar sempre a gaiola na frente da janela. O pássaro estará sempre alerta procurando por “inimigos”, o que pode deixá-lo nervoso. Colocar a gaiola contra uma parede dará um descanso para ele não se preocupar com predadores.
  5. Ponha alguns jornais ou revistas velhos no fundo da gaiola. Isso torna a limpeza bem mais fácil, e o papel pode ser jogado no lixo facilmente e trocado por um novo para o próximo dia. Faça um suprimento de correspondências e jornais.

Trazendo o pássaro para casa

  1. Faça o transporte em uma gaiola adequada. Ela deve ser vedada, como as de gatos, ou uma gaiola recomendada pelo criador ou lojista. Segure-a bem no carro para que não balance durante o trajeto para casa. Uma toalha pode ser jogada sobre a gaiola para dar privacidade, mas veja se há um fluxo de ar garantido para o pássaro poder respirar bem e ventilar.
  2. Quando trouxer o pássaro para casa pela primeira vez, deixe-o se acostumar sozinho por um dia com o ambiente. Isso também vale para quando levar a gaiola para outro recinto da casa se a ave ainda for nova. Oferecer um tempo para se acostumar ajudará o pássaro a crescer satisfeito com seu ambiente e de seu próprio modo, sem se sentir ameaçado por pessoas aparecendo. Entretanto, dê comida e água suficientes.

Alimentando um pássaro

  1. Veja a quantidade de ração adequada para a espécie de pássaro que você tem. Algumas aves se dão bem somente com comidas específicas, enquanto outras podem ter uma dieta mais ampla. Já que as exigências de alimentação mais precisas dependem da espécie, o ideal é ler com cuidado esse tópico, relacionando-o com a espécie de ave que você deseja ter. Algumas observações gerais sobre alimentação são:
    • Garanta a melhor alimentação para seu pássaro. Você precisa achar a melhor comida para seu animal, já que alguns são muito exigentes e outros podem ter uma dieta específica. Geralmente, o pacote ou lata de comida tem um aviso dizendo para que ave ele serve. Se você não sabe quais são as melhores opções, pergunte ao criador, ao vendedor ou pergunte em um fórum de especialistas que cuidem de sua espécie de ave.
    • Você pode ter de colocar um punhado de areia grossa ou de pedrinhas em um pote; alguns pássaros precisam disso para esmagar as sementes em seu papo (na região do peito). Entretanto, nem todos os pássaros precisam dessas pedrinhas, e se eles comerem muitas delas, podem criar algum bloqueio. Pardais e canários costumam precisar de algumas pedrinhas, mas não as dê para papagaios, calopsitas ou periquitos.
    • O milhete (milho-miúdo) é um presente; nunca sirva demais para as aves. Ele é usado, de preferência, como uma recompensa em treinamentos.
    • Barrinhas e misturas para aves são uma boa maneira de garantir uma alimentação adequada para seu animal de estimação. Já que elas geralmente juntam todas as sementes, verduras, frutas e grãos necessários, é menos provável que o pássaro seja teimoso e prefira somente uma tipo de comida, assim ele provavelmente vai ter uma dieta mais balanceada.
    • Dê aos seus amigos com asas as mesmas frutas e vegetais frescos e saudáveis que você come, com exceção de condimentos e temperos. A alimentação fica mais verde e a dieta, mais variada. Uma mistura ou variedade de alimentos é saudável para os pássaros e eles se divertem.
    • Troque os grãos diariamente. Sempre esvazie o pote de comida no mesmo dia, já que isso mantém as sementes novas e limpas.
    • Se o pássaro que você quer precisa de néctar, você terá em mãos uma dieta muito especializada, e você precisa aprender todo o possível sobre ela “antes” de ter a ave.
  2. Saiba o que os pássaros não podem comer. Existem algumas comidas que não são adequadas para muitas espécies de aves. Por exemplo, não ofereça ao animal nenhum tipo de álcool, chocolate ou abacate. Todos eles contêm componentes químicos que podem ser tóxicos aos pássaros.
  3. Mantenha a água sempre fresca. Deve haver um recipiente para água; encha-o todos os dias com a água na temperatura ambiente. O bebedouro deve ser verificado diariamente para garantir que está funcionando bem, e você deve ter certeza de que a ave sabe como usá-lo. Troque a água todos os dias para que fique sempre limpa.
    • Tenha um bebedouro conta gotas se possível. Ele previne que a matéria fecal acabe ficando no pote de água.
    • A desidratação pode ser muito rápida nas aves, ocorrendo em 1 ou 2 dias sem água.
  4. Mantenha os equipamentos de alimentação limpos. Os potes de água e comida devem ficar no alto e fora do alcance de galhos acima deles, já que os pássaros podem defecar em cima da comida, o que não é higiênico.
  5. Tente alimentar a ave regularmente na mesma época do dia. Pode ser quando você está comendo ou até mais cedo. Entretanto, escolha uma hora do dia e procure cumpri-la, assim o pássaro saberá quando chegará a comida. Se você quiser alimentá-lo no tempo natural de alimentação das aves, dê comida mais ou menos meia hora depois do nascer do sol e logo antes do pôr do Sol. Durante o dia, frutinhas e vegetais podem ser deixados na gaiola.
    • Mais uma vez, conheça o seu pássaro. Os menores têm um metabolismo mais acelerado e podem precisar de comida com mais frequência.
  6. Torne a alimentação interessante para a ave. Você pode fazer com que a experiência de comer seja mais agradável para seu pássaro deixando esse momento mais interativo. Por exemplo, estimule seu animal a comer um pouco de comida direto de sua mão. Ou estimule seu pássaro a cantar ou falar para conseguir comida.

Estímulo aos pássaros

  1. Coloque coisas para brincar na gaiola para que o pássaro fique entretido e se sinta desafiado. Eles são espertos e precisam de brinquedos desafiadores para ficarem ocupados e mentalmente estimulados.
  2. Comece com, pelo menos, quatro brinquedos diferentes e interessantes. Veja se são seguros para aves e se as patas ou o bico não possam ficar presos em nenhum lugar do brinquedo.
    • Coisas que não são seguras para pássaros incluem: brinquedos com cordas (podem entortar as patas e bico das aves); fios (podem prender o pássaro); sininhos (os pés do pássaro podem ficar presos).
  3. Não dê os mesmos brinquedos sempre. Varie um pouco! As aves podem se chatear com brinquedos sempre iguais que não variam. Assim como nós, elas gostam de coisas diferentes e novas. Comprando brinquedos novos, você aumenta a diversão delas e diminui as chances de elas arrancarem as próprias penas e outros comportamentos causados pelo tédio.
    • Procure ter poleiros com formatos e texturas diferentes para as patas do pássaro. Coloque alguns poleiros de madeira e alguns galhos naturais diferentes. Eles ajudam a lixar o bico e as unhas da ave, e sobrará menos trabalho para você. Só limpe e lixe bem a madeira natural antes de a dar, fazendo isso sem o uso de produtos de limpeza, que contêm ingredientes que podem ser nocivos aos pássaros.
  4. Disponha a comida e os brinquedos em vários lugares da gaiola todos os dias. Isso vai satisfazer a necessidade da ave de buscar comida. Você também pode colocar a comida nas barras da gaiola, escondê-la dentro de um brinquedo ou pendurar a comida por cima ou pelos lados da gaiola. Isso irá satisfazer os instintos de alimentação do pássaro, além de ser um modo de estímulo mental.
  5. Acostume o pássaro a ser segurado. Regularmente segure e faça carinho no pássaro. Quanto mais frequentemente você fizer isso, mais feliz a ave vai ficar quando o ver, e provavelmente vai lhe agradar com assovios, cantos e falatórios. Também é mais fácil de verificar a saúde do seu animal e que ele se sinta confortável com sua presença.
  6. Verifique se o pássaro faz exercício diariamente. Isso é recomendável para todos os pássaros que são domesticados e podem ser manuseados com segurança. Se você tem um pardal ou outro pássaro que não deveria ser manuseado, isso não é um problema. Mas se você tiver uma ave e quiser tocá-la, ou que vive em uma gaiola pequena ou só precisa fazer mais exercício, certifique-se de oferecer exercício para a ave com um cronograma fixo. Só se lembre de não fazer isso em um lugar perigoso, como na cozinha, em que uma panela quente pode estar presente.
    • As aves não gostam de ficar presas todo o dia. Se você conseguir soltar o pássaro com frequência, será muito bom para ele. Isso é absolutamente necessário se você quiser um relacionamento saudável com seu pássaro; eles podem sofrer muito por ficarem confinados em gaiolas o tempo todo, considerando que uma ave normalmente voa grandes distância em seu ambiente natural.
  7. Dê muita atenção ao seu pássaro. Se a sua ave receber muita atenção, ele ou ela será mais feliz e pode até ser mais atencioso e amável do que sem aquele carinho. Em alguns casos, uma boa dose de atenção pode diminuir a timidez de algumas espécies, já que a familiaridade cria confiança.
    • Converse com o seu pássaro quando ele estiver passeando pela casa junto a você. Isso é particularmente importante durante os primeiros anos juntos. Os pássaros aprendem rápido e vão lhe surpreender com o leque de sons capazes de fazer. Por exemplo, algumas aves copiam perfeitamente o som da água escoando pelo ralo enquanto você lava os pratos, talvez até imitando o som de um pano limpando um fogão mesa ou balcão. Algumas aves podem imitar o som de equipamentos como um mixer quando perceberem que você o usa para fazer bolos ou doces.
    • Façam música juntos. Por exemplo, o seu pássaro pode aprender a cantar lindamente quando você tocar um piano ou outro instrumento. Que geniais eles são!

Higiene e saúde dos pássaros

  1. Coloque água em um recipiente grande para que eles se limpem sozinhos. Os pássaros não precisam se limpar tanto quanto os cachorros, provavelmente sua ave vai se lavar sozinha na tigela com água, desde que essa seja grande o bastante para um banho. Além disso, os pássaros se banham para se refrescar em climas mais quentes, então ofereça água para o animal se banhar quando a temperatura estiver quente.
    • Quando estiver quente, leve a ave para fora, seja dentro de sua gaiola ou em um poleiro (só a solte de sua gaiola se as asas estiverem cortadas para que não voe para longe). Borrife a ave com água com um borrifador. Os pássaros adoram se sentir refrescados.
    • Se estiver frio fora de casa, você pode comprar um poleiro que possa ser preso na parede com ventosas e dar a seu animal de estimação um banho. Os pássaros em geral adoram isso!
    • Dê um osso de siba para sua ave lixar seu bico e afiá-lo.
  2. Mantenha a gaiola limpa com regularidade. Uma gaiola limpa reduz as chances de seu pássaro desenvolver infecções bacterianas, virais ou causadas por fungos. A remoção regular das fezes da ave é muito importante para manter em bom estado a saúde do animal. Além disso, um pássaro que vive em um ambiente limpo costuma ser mais ativo e feliz do que um que vive na sujeira. Se você não está preparado para lidar com isso diariamente, então um pássaro não é o animal de estimação ideal para você.
    • Troque o forro regularmente.
    • Limpe as fezes que caírem em brinquedos ou poleiros.
    • Tire alimentos não comidos que se acumulem no chão da gaiola.
    • Se o seu pássaro estiver trocando de penas (isso é comum entre os papagaios, por exemplo), será necessário aspirar as penas da muda todos os dias. Isso costuma ocorrer, no Brasil, entre outono e inverno.
    • Faça a limpeza somente com produtos de limpeza neutros e não tóxicos. As aves são facilmente envenenadas, então descubra se o produto é seguro para elas “antes” de usá-los.
  3. Descubra se as penas da asa de seu pássaro precisam ser aparadas com regularidade. Em alguns pássaros, como papagaios, isso é essencial para impedir acidentes sérios ou fatais dentro de sua casa ou no ambiente da gaiola. Fale com seu veterinário sobre as necessidades de seu pássaro e ache alguém qualificado para fazer isso, caso seja preciso. Aparar as asas visa a restringir, e não a impedir o voo, e somente as penas primárias são sujeitas ao corte, desse modo, o profissional deve saber o que fazer.
    • As unhas das garras também precisam ser aparadas, especialmente nos pássaros adultos maiores. Geralmente, as garras não são aparadas em bebês ou em aves pequenas, já que elas são necessárias para ficar de pé nos poleiros, mas em papagaios adultos, por exemplo, devem ser aparadas. Pergunte ao seu veterinário para explicar como fazer isso com segurança, já que, se você não sabe, você pode machucar seu pássaro e causar um sangramento nele.
  4. Conheça os sinais para saber se um pássaro está com muito frio ou muito calor. A maioria das aves exibe sintomas similares de hipertermia ou hipotermia, e você precisa saber resolver cada situação o mais rápido possível, ou haverá um risco de o pássaro morrer. O que deve ser observado inclui:
    • Em um pássaro hipertérmico: as patas estarão quentes quando as tocar, o pássaro pode estar arfando (respirando em um ritmo rápido), com pigarro na garganta, narinas avermelhadas e abertas, e hálito quente. Todos esses sintomas caracterizam uma situação de emergência, em que você precisa entrar em contato imediatamente com um veterinário.
    • Em um pássaro hipotérmico: ele vai se empoleirar e usar as penas para cobrir suas patas, deixando as penas arrepiadas. Veja se há rachaduras na parede que permitam a passagem de ar e mova o pássaro de um ambiente mais frio para outro mais quente. As janelas podem ser uma fonte de ar frio durante os meses de inverno.
  5. Ache um veterinário que tenha qualificação para trabalhar com aves. Faça um check-up em seu pássaro no momento da compra e depois com uma certa regularidade (pelo menos uma vez por ano, ou de acordo com as recomendações de seu veterinário). Se o pássaro ficar doente, esse profissional será seu primeiro contato para ligar e cuidar de seu animal.
    • Não espere o pássaro ficar doente. Os pássaros podem ficar doentes muito rápido, quanto mais cedo o veterinário olhar a ave, melhor.

Treinando aves

  1. Se esforce para treinar o seu pássaro. Assim você vai conseguir ensiná-lo a sair da gaiola e a ser sensível. Isso dará a ele muito mais liberdade para voar, ao invés de só ficar preso em sua gaiola o dia inteiro. O treinamento é uma forma de interagir e é muito importante para coibir comportamentos anormais.
    • Sem treinamento, as aves podem se acostumar a bicar, gritar, a arrancar suas próprias penas e a desenvolver fobias. É muito importante na manutenção da alegria e ajustamento de seu pássaro.
    • Se o pássaro for bem treinado, você poderá até levá-lo ao seu jardim ou a outro lugar fora de casa, possibilitando que ele tome um pouco de ar fresco, e assim ele pode conhecer o lugar melhor. Apesar disso, você deve ter total certeza de que ele vai querer voltar.
    • Nunca treine um pássaro para se empoleirar em seus ombros. Isso facilita que ele bique seus olhos e seu rosto. Já que ele vai estar na sua altura, será muito mais difícil controlá-lo.
  2. Quando estiver treinando seu pássaro fora de sua gaiola, veja se o local é seguro. Tenha certeza de que o recinto onde a ave está é seguro. Isso envolve fechar persianas, prender fios, tampar o vaso sanitário, verificar se os aquecedores, fogões ou lareiras estão desligados. (Isso vale também no caso de simplesmente deixar o pássaro voar em um recinto fechado.
    • A maioria das aves precisa de um tempo fora da gaiola. Isso precisa ser supervisionado e o lugar precisa ser seguro.
  3. Se estiver treinando seu pássaro para falar, tenha certeza de que é um animal que pode falar antes de tentar. Mesmo se for, os pássaros têm personalidades distintas, então não fique esperando que ele fale ou se acostume com você rapidamente. Ele vai aprender no seu próprio tempo. Prepare-se para ter um pássaro que às vezes é divertido e às vezes é temperamental; seu animal não verá suas mudanças de temperamento como um problema, mas será melhor se você simplesmente aceitar que, assim como os seres humanos, a vontade das aves em interagir varia de acordo com a situação.
  4. Se você pretende ter dois pássaros, separe-os primeiro e treine-os separadamente. Depois que você tiver treinado totalmente os dois, deixe-os interagirem.

Cuidando de pássaros selvagens

  1. Estimule a visita dos pássaros a seu jardim. Descubra modos de atrair pássaros ao seu jardim, como:
    • Plantando as árvores e arbustos adequados para alimentação e moradia no seu jardim. Veja se há mato suficiente em seu jardim. As aves acham insetos nas plantas, além de abrigo e locais para construção de ninhos. Mas não plante demais – um pouco de grama ajuda os animais a acharem insetos e oferece um pouco de espaço aberto.
    • Coloque uma fonte de água fora de sua casa ou em sua varanda para que os pássaros bebam água dali. Deixe um pote ou uma bacia com água na borda de sua varanda ou no parapeito de sua janela. Essas fontes de água vão garantir que as aves tenham fácil acesso à água.
    • Ofereça uma fonte de alimentos, como comedouros com sementes para pássaros no chão ou pendurados. Use variedades de sementes de acordo com os pássaros locais.
    • Coloque um bebedouro de beija-flor para atrair estes pássaros.
    • Dê comidas diferentes, já que aves diferentes gostam de comidas diferentes. Veja quais são os pássaros locais que frequentam o seu jardim e prefira colocar alimentos que eles são conhecidos por gostar.
    • Afaste seus animais de estimação das áreas que os pássaros frequentam.
  2. Se você quer ajudar os pássaros que estão fazendo ninhos, você pode estimular que eles usem seu jardim para construírem seus ninhos. Se você não ofereceu espaços para nidificarem, e ainda assim as aves estão fazendo ninhos em seu pátio, você pode ser útil acompanhando o progresso delas e ajudando-as se necessário. Algumas coisas que você pode querer fazer para ajudar os pássaros de seu jardim são:
    • Disponha casas para ninhos, se estiver na época de nidificação, em locais adequados e seguros.
    • Se você achar um ninho, verifique se ele está seguro, principalmente se vendavais ou temporais estiverem chegando. Se o tempo estiver ruim e for continuar assim, pode ser uma boa ideia pegar cuidadosamente o ninho, colocando-o em uma caixinha e depois o recolocando no mesmo lugar. Durante tempestades, os ninhos podem cair facilmente; se isso acontecer, é comum que os filhotes acabem morrendo.
  3. Se você achar passarinhos (principalmente os filhotes) fora do ninho, pode ser bom saber o que fazer. Isso vai depender da idade e da saúde do animal:
    • Se você achar um filhote de pássaro, recoloque-o no ninho caso seus filhos o tenham tirado dali.
    • Se o filhote já tem penas por todo o corpo, com exceção de embaixo das asas, ponha-o perto de alguns arbustos ou de outra área coberta, perto de onde o achou. Cuidado para não deixá-lo próximo de um formigueiro ou do gato de seu vizinho.
    • Se o filhote tem poucas ou nenhuma pena, tente achar o ninho para colocá-lo novamente ali.
    • Se você não conseguir achar o ninho, chame a guarda local de proteção animal. Muitos pássaros são espécies protegidas e você precise de uma licença para cuidar deles. Você pode ser instruído a alimentar o filhote com comida de cachorro hidratada por um ou dois dias até que eles possam o recolher. Além disso, pet shops têm alimentos desenvolvidos para filhotes de pássaros.
    • Muitos pássaros põem a comida dentro da boca de seus filhotes; os pombos são uma exceção, já que os filhotes pegam a comida da boca de seus pais. Se estiver sendo difícil alimentar o pombo, ache uma seringa grande o suficiente para o filhote colocar o bico, após você tirar o início dela. Procure na internet receitas para pombos; suas necessidades alimentícias são um pouco diferentes.
    • Um pássaro que cair de seu poleiro pode estar com uma doença relacionada aos ossos devido a uma falta de nutrientes. A guarda de proteção de animais, a internet ou um criador de aves podem ter sugestões.
  4. Se você tiver achado um pássaro que está machucado ou um filhote perdido, você pode ajudá-los. Se a ave parecer estar viva, traga-a para sua casa e coloque-a em uma caixa (uma caixa de sapatos, por exemplo). Deixe a tampa aberta, já que você não quer sufocar o animal. Não se preocupe com a fuga da ave; ela provavelmente está em choque e não vai se mexer por um tempo. Como precaução, se o pássaro se mexer, feche as janelas e portas do recinto em que ele está. Chame a guarda de proteção animal ou a sociedade de proteção animal, já que eles provavelmente sabem lidar com pássaros. Se puder, leve o animal para a guarda ou sociedade de proteção e eles vão cuidar do resto. Se eles não puderem tomar conta da ave, fique com ela por algumas horas e veja se ela começa a responder a você e a voar. Se isso acontecer, ela provavelmente já está bem e você pode deixá-la na natureza novamente. Os artigos seguintes podem ser de alguma serventia.
    • Fazer comida para filhotes resgatados.
    • Cuidar de um pássaro selvagem que não consegue voar.
    • Cuidar de um pássaro que caiu do ninho.
    • Tomar conta de uma ave que bateu em uma janela.
    • Ajudar um pássaro canoro, uma falcão ou coruja.
    Se o pássaro morrer depois que você o resgatou, azar; você não podia realmente ajudar. Pegue o pássaro morto e leve-o para fora, para algum lugar reservado. Não o enterre, a menos que tenha certeza de que não é ilegal onde você mora.

Dicas

  • Você pode pensar em cobrir a gaiola de seu pássaro durante a noite para fazer com que ele se sinta mais seguro e aconchegado. Entretanto, nem todos eles se sentem seguros assim, e alguns podem ficar, na verdade, assustados. Thus, gauge the utility of covering the cage from how your bird responds.
  • Descubra de onde seu pássaro vem para determinar quanto sono ele precisa ter. Por exemplo, os pássaros tropicais precisam de 10 a 12 horas de sono por noite para simular o tempo maior de escuridão durante todo o ano nessa região.
  • Continue a aprender novas formas de cuidar de sua ave; donos responsáveis de animais de estimação nunca param de aprender novas formas de cuidar de seus bichinhos e se mantêm atualizados com as últimas notícias de cuidado de aves.
  • Pode ser proveitoso arranjar um parceiro para que o pássaro tenha sempre companhia. Entretanto, sempre leve em conta o temperamento de ambas as aves, além de saber o potencial de compatibilidade “antes” de apresentar os dois. Se você não está seguro de como apresentá-los, peça conselhos a um especialista ou ao seu veterinário.
  • Manter grãos à mão dentro de casa, como trigo, pode ajudá-lo a encontrar um lanche rápido para os pássaros selvagens.
  • Dê aos pássaros confinados um ninho adequado e uma gaiola espaçosa.
  • Espelhos e sinos são ótimos brinquedos para pássaros. Veja se os sinos não têm espaços pequenos entre eles, já que as patas da ave podem ficar presas ali.
  • A maioria das pessoas não sabe que filhotes de pássaros são expulsos de seus ninhos por seus pais e passam três dias no chão aprendendo a caçar insetos. É um mito que, se você tocar em um filhote, os pássaros adultos irão renegá-lo. Isso não é comum.
  • É recomendado que você compre um bom livro sobre a saúde e doenças de pássaros, como o manual Merck/Merial para saúde de animais de estimação. Assim, você poderá ler sobre as doenças que podem afligir uma ave e o que fazer, tanto para prevenir que aconteçam como para saber reagir se você detectar um problema.

Avisos

  • Evite jogar chicletes perto de locais com pássaros. Tanto os animais domesticados como os selvagens pensam que o chiclete é algum tipo de comida e costumam o engolir, podendo se engasgar e morrer.
  • Nunca deixe que outros animais de estimação se aproximem da ave. Mesmo que eles pareçam inofensivos, eles são sempre curiosos e podem ser imprevisíveis.
  • Saiba que é ilegal criar animais selvagens no Brasil (assim como em outros países), então você não poderá criar um pássaro como animal de estimação. Se o pássaro ainda não estiver recuperado, procure refúgios e sociedades de proteção animais, além de criadores de pássaros nos arredores. Eles provavelmente vão saber como cuidar da ave.
  • Se você realmente ama pássaros, não os use como animais de estimação. É impossível recriar seu habitat natural dentro de casa, porque, mesmo que um pássaro nunca tenha voado, ele ainda possui o instinto de voar. As aves são seres sociais que se entediam e se sentem solitárias facilmente; uma gaiola não é o ideal. Se você gosta de observar pássaros, você pode fazer disso um hobby, indo a santuários ou parques onde você pode vê-los felizes em seu habitat natural.
  • Não estimule os pássaros a ficarem em lugares do seu pátio em que possam ser caçados por animais de estimação.
  • Preste atenção em seu pássaro. Se você não quer amá-lo e cuidá-lo como se fosse seu filho, e vê-lo somente como um animal, você não deve ter um pássaro.
  • As aves podem ser barulhentas e incômodas. Entretanto, algumas vezes os barulhos altos podem significar que algo está errado. Por exemplo, um som curto e alto repetitivo pode indicar que seu animal está desconfortável. Sempre escute os sons de seu bichinho e saiba quais são os normais para saber diferenciar melhor barulhos diferentes que indiquem algo estranho.
  • Os pássaros podem beliscar e bicar em alguns casos, a maturidade sexual pode fazer com que um pássaro fique agressivo e desafiador. Use toalhas para lidar com aves difíceis para impedir que você seja bicado, distraindo-as o máximo possível. Se o pássaro tentar bicar, cesse a atividade anterior e tente fazer algo diferente. Não dê recompensas pelas mordidas. Se você estiver tendo problemas com um pássaro agressivo, fale com seu veterinário.
  • Mantenha fios (elétricos, de cortina, persianas, etc.) longe das gaiolas. As aves são naturalmente curiosas e usam seus bicos para explorar e mastigar tudo o que alcançarem. Os fios elétricos podem eletrocutar a ave se mastigados, enquanto que os fios de cortinas e persianas podem estrangular ou causar uma amputação no pássaro.
Теги:
Information
Users of Guests are not allowed to comment this publication.